Tags

, , ,

17.Como fazê-la  entender a Verdade?

http://www.vagalume.com.br/alanis-morissette/guardian-traducao.html

Musica : Alanis Morrissette – Gardian.

Após me recompor,  fui imediatamente até a casa de Bella, eu precisava de redenção, e mesmo sabendo de que seu pai não me queria por perto, era Bella que me daria o ultimato se não me perdoasse eu aceitaria esta sentença após o que a fiz passar.

Era difícil ler na mete de seu pai a forma como Bella ficou.

A observar dormindo era algo magnífico, no entanto esta noite Bella devia estar rendo muitos pesadelo, ela estava mais inquieta do que o normal, e seus gritos faziam seu pai Levantar muitas vezes, assim eu via em sua mente tantas noites em que ele teve que acalma-la enquanto estive longe.

Eu fiz um Buraco em Bella, e não saberia como fechá-lo novamente.

Percebi sua inquietude ficar mais lenta, e coloquei minhas mãos em sua testa para saber se estava bem, sua temperatura um pouco mais quente do que a habitual, mostrava que sua agitação não a fazia bem.

Bella apertou com força seus olhos como se estivesse agarrada a seus sonhos, ela suspirou, e ao me encarar ele gemeu, ofegante.

-Oh!- ela cobriu seus olhos com os punhos como se quisesse clarear sua visão.

Em segundos ela abriu novamente seus olhos e me encarou, como se visse uma ilusão.

-Eu a assustei?- falei baixo para não chamar a atenção de seu pai, que não estava em um sono profundo hoje, e urgentemente  ansioso para saber como ela estava.Ela continuava a me encarar.

Era estranho, normalmente Bella era mais ativa ao meu lado, e hoje estava esquiva.

-Ah! Droga! Ela estava irritada agora, suas reações me incomodavam.

-Qual é o problema Bella?

Ela franziu seu semblante e sua reação mudou.

-Morri, não é?- ela estava gemendo agora.- Eu me afoguei. Droga, droga, droga! Isto vai matar Charlie.

Fiquei perplexo  com sua reação, ela estava achando estar morta??..

-Você não está morta.

-Então porque não estou acordando?- ela estava hilariante, era incrível como seu semblante mudava, de preocupação a deboche.

-Você está acordada Bella.

Ela sacudia a cabeça como se não acreditasse em nada

-Ah, sim, claro é o que você quer que eu pense. E depois vai ser pior quando eu acrodar, se eu acordar, o que não vai acontecer, porque estou  morta. Isto é péssimo. Coitado do Charlie, e Renée e Jake…

Ela estava achando que estava dormindo, será que estava tendo tantos pesadelos assim? Ao mesmo tempo eu estava achando graça na situação.

-Entendo que possa me confundir com um pesadelo.- sorri maliciosamente tentei brincar com a situação.- Mas não imagino o que possa ter feito para parar no inferno. Você cometeu muitos assassinatos enquanto estive fora?

-è claro que não, se eu estivesse no inferno você não estaria comigo.

Suspirei, Bella sempre seria Bella, muito compassiva com minha situação.

Ela começou a mudar seu semblante  novamente,e notei ela olhar para fora e examinar seu quarto e como se recobrasse a consciência ela em fim ficou a par da real situação.

-Então tudo aquilo aconteceu mesmo?- Ela balançava a cabeça como para organizaras ideias.

-depende- sorri de leve como advertência.- Se está se referindo a quase sermos massacrados na Itália, então sim.

-Que estranho- ela parou um poço e pensou.- eu fui mesmo a Itália. Sabia que nunca tinha ido mais longe  do que Albuquerque?

Revirei os olhos, Bella sempre Bella, como podia pensar em certos detalhes incoerentes, em certos momentos.

-Talvez deva voltar a dormir. Você está incoerente.

-Não estou mais cansada- que horas são? Quanto tempo dormi?

Agora Bella jorrava as perguntas com urgência, até hoje não houve momento mais hilário ao lado de Bella do que agora.

-Agora é só uma da manha. Então umas quatorze horas.

-Charlie?

-Dormindo, você deve saber que estou quebrando as regras, Bem ele me disse para não passar pela porta, mas eu entrei pela janela… só que a intenção foi clara.

Bella ficou incrédula com a atitude de seu pai.

-Charlie proibiu sua entrada aqui em casa?

Fiquei entristecido por ela não entender, mas claro que depois de tudo que fiz Bella passar esta seria a reação mais obvia.

-Esperava outra reação?

Bella mudou seu olhar, e senti ela entristecer, e logo mudou de assunto.

-qual é a história?

Depois de esclarecido tudo sobre a viagem Bella abaixou sua cabeça e como se estivesse envergonhada ela iniciou um interrogatório.

Então- ela pausou uma pouco como se escolhesse a pergunta.- O que você andou fazendo até três dias atrás?

Nada de terrivelmente emocionante.- resolvi falar extremamente o necessário.

-è claro que não.

Ela estava irritada.

-Porque está fazendo esta cara?

-Bom…- Ela franzia os lábios, era lindo este seu jeito inocente de ser.- Se no final das contas você fosse só um sonho, este seria o tipo exato de resposta que você daria. Minha imaginação deve estar acostumada.

Como pode ser ela ainda acha estar sonhando!!!!!!

-Se eu contar você vá em fim acreditar que não está rendo um pesadelo.

-Pesadelo!- ela desdenhou – se você me contar.

Ela ainda estava incrédula.

-Eu estava… caçando…

-é o melhor que pode fazer? Isto não prova que estou acordada.

O que eu diria para ela? Que não a deixasse assustada?

Deixando de lado meus momentos de distrações resolvi ir ao mais importante. A verdade a desculpa.

-Eu… Respirei fundo…- Devo-lhe desculpas, é claro que devo muito mais que isto, Mas você precisa saber…- Agora eu criei coragem suficiente para as palavras fluírem…- precisa saber que eu não fazia de que Victória- tremi e em pensar nela. – que ela voltaria, Devo admitir que quando a vi daquela vez prestei atenção nos pensamentos de James e não nos dela – eu não percebi a intensidade do afeto dos dois , não que aja alguma desculpa para o que deixei para você enfrentar, eu sou o mais miserável … – eu queria jogar tudo para fora mostrar a ela meu arrependimento e como eu fiquei me sentindo mau por saber que a deixei, mas ela me interrompeu…

-Pare com isto.

Fiquei perplexo a encarando .

_ Edward… – Ela disse meio seca, como se quisesse falar algo difícil…-Não pode pensar nos fatos desta forma, toda esta CULPA… A culpa não é sua, è só o que acontece com minha sorte, é a vida, e se um ônibus me atropelar,e a ação do tempo, Sei que é da sua natureza assumir a culpa de tudo, mas não pode se mandar para Itália toda vez que algo ruim acontecer…

Culpa??? Ela acha que eu sinto culpado, ela não estava entendendo nada do que eu tentava explicar. Eu tinha que interferir.

-Isabela Marie Swan_ Sussurrei para não acordar seu pai, mas meu tom foi urgente como se quisesse gritar para ela entender.- Você acha que pedi para os Volture me matarem por culpa?

– E não foi?

-Sentindo culpa? Intensamente. Mais do que você possa compreender.

-Então.. do que está falando?

Como explicar a ela a intensidade de meu amor, e não conseguir viver em um mundo onde ela não exista.

-Bella, eu fui aos Volture porque pensei que você estivesse morta.- Estremeci em pensar novamente na agonia desta realidade. – Mesmo que eu não tivesse nada a ver com sua morte.- eu pensava nas palavras. – mesmo que não fosse minha culpa eu iria a Itália – As chances sempre estiveram contra nós e foi fácil acreditar, Romeu nunca mais criticarei as suas atitudes, . – Pensar em Romeu descreveria Bem a ela o que se passava em minha mente.

-Mas ainda não entendo!- esta é toda a questão para mim. E daí?

-Como? – era difícil entender seu ponto de vista, não estava claro que eu a amava a ponto de deixa-la. A ponto de não existir em um mundo em que ela não exista.

-E se eu estivesse mesmo morta. –

Por toda a literatura do mundo, será difícil esta garota entender a complexidade de meu sentimento. A encarei bem em seus olhoe tentando achar algum ponto em que ela entendesse.

-Não se lembra de nada que eu lhe disse antes. – todas as promessas, e declarações, e tudo…

-Lembro-me de TUDO, inclusive das palavras que negavam todo o resto.

Por séculos eu nunca encontrei uma pessoa como Bella, impossível, ela conseguiu acreditar na mentira e não na verdade. Foi fácil ela acreditar que eu não a amava, era este o problema.

Bella eu minto muito Bem, tenho de ser assim.

A luz em seus olhos aos pouco retomava, ela estava paralisada, o que para os humanos era um sinal de choque.

Foi doloroso Bella, mas tinha de ser assim, quando eu lhe disse adeus.. – era difícil lembrar daquele momento.

Tentei argumentar de todas as formas esclarecer a minha dor, mas não fazia sentido para ela.

-Não acredita em mim, não é?- Porque pode acreditar na mentira, mas não na verdade.

–Me amar nunca fez sentido- sempre soube disso.

O que ela quer dizer com isso?? Como não?

Eu tinha que faz algo para provar o contrário.

-Vou provar que está acorda. – peguei seu rosto delicado e me aproximei, como eu precisava provar  aquela boca.

Mas ela se afastou

-Não por favor.

-Por que não?- eu parei a centimetors de seus lábios, e sentia seu hálito quente, o que eu mais queria era que ela me perdoa se e me beijasse.

-Quando eu acordar.- A encarei ela ainda não acha que está abordada? Ela mudou o tom.- Tudo bem esqueça, quando você for embora de novo. Já será bem difícil sem isto.

Entendi seu argumento, estava difícil de me amar novamente como antes, e sua reação ontem no carro e no voo, tudo fez sentido.

-Ontem quando eu ia tocar você, você estava tão … hesitante.. tão cautelosa, e está assim ainda agora. Eu entendo porque eu a magoei muito, eu entenderia se quisesse deixar tudo para traz, então não me poupe .. só me diga se ainda pode me amar ou não, depois de tudo que te fiz? Pode?

Ela ficou perplexa e me encarou.

-Que tipo de pergunta idiota é esta?

-Só responda por favor.

Ela me fitou por um instante e meu coração gelado ficou completamente congelado com a possibilidade de sua resposta.

-O que eu sinto por você jamais vai mudar.é claro que amo você… e não há nada que você possa fazer com relação a isto.

Aquela resposta me deu a vida que eu necessitava novamente,e em segundos eu colei minha boca na sua, com a fome de um leão, eu sempre hesitante com sede, hoje a sede não me dominava, era a fome dela, de seus lábios quente e macios.

Senti seu corpo quente junto ao meu e todo aquele buraco em meu peito foi se fechando até não existir mais.

Busquei por fôlego, e mesmo sendo um vampiro neste instante ao seu lado, eu me tronara parte humano.

-Isabella. –

Sim minha Isabela, minha Bella.

Senti ela desfalecendo, típico de Bella se esquecer de respirar, me afastei somente para sentir seu coração batendo .

Ao colocar o ouvido em seu peito quente e ouvir o som mais precioso para mim, a cada batida descompassada eu me dava conta de como eu poderia viver tanto tempo afastado dela. Sim eu era mesmo um covarde e estúpido.

Seu silêncio mostrava que ela ainda em parte tinha duvidas.

A encarei por um momento.

-A propósito- não vou a lugar algum sem você. – A partir de agora esta seria a realidade nunca mais se afastaria de minha vida.

]Ela me encarava com ceticismo e como cada palavra ainda estivesse vã.

-Não me prometa nada.

-Acha que estou mentindo???- Era absorto este momento a dificuldade, mas era o preço a ser pago pela estupidez de a deixar.

-Não…não esta mentindo, mas amanha quando pensar em tudo em Jasper e nos motivos que o fizeram partir, amanha quando pensar no certo e no errado.

-Não sou tão forte quanto você pensa- o certo e o errado deixaram de ter significado a cada instante que fiquei longe de você. Lutava para suportar a dor a cada instante, quando rose me ligou eu estava prestes a voltar e pular sua janela e me ajoelhar e implorar perdão.

Ela fez uma careta.

-Não brinque comigo por favor.

-Ah, não estou brincando- as palavras saiam e as verdades tomavam conta de tudo, ela tinha de acreditar.

-Antes de você Bella, minha vida era uma noite sem lua, muito escura, mas haviam estrelas ..,. pontos de luz… e razão… E depois você apareceu como Meteoro . de repente estava tudo iluminado em chamas, havia beleza.quando você se foi, quando a deixei, quando o meteoro caiu no horizonte, tudo ficou negro nada mudou e eu fiquei cego pela falta de luz. Não pude ver as estrelas, e não havia mais razão. Era uma Noite sem estrelas.

-Seus olhos vão se acostumar.

-è este o problema … eles não conseguem.

Contei de minha caça e de como as distrações foram inúteis.

-Não vou me afastar de você mas Victoria

-não sejamos precipitados Edward, temos problemas maiores.

-Sim os Lobisomens.

-Não jake, mas outro problema, os Volture.

Anúncios