ilf cap19

 

Oláaa, e ai viram que estou postando novamente, e para alegria das Belwards, ai vai um capítulo de ILF, esse está pequeno, mas é uma introdução a nova fase da fanfic, espero comentários beijos

In love forever

Capítulo 19

Introdução a segunda fase

“Não há palavras para descrever essa sensação nova, tudo o que meu corpo sente de novo, todas as mudanças, a força a agilidade, elas são sentidas em meu sangue, eu só sei que nada disso é bom, mas ao mesmo tempo eu sei que era necessário, a cada memoria que vinham em minha mente elas estocavam meu peito feito faca de dois gumes que giravam dentro de meu peito.”

-Bella…

Cam, meu irmão de alma, o meu equilíbrio na terra, aquele cujo o sofrimento era causado pela minha simples existência, e a morte por minha morte, não estava contente com a nossa atual situação, mas foi necessário, ele sabia mesmo não aceitando.

-Sim Cam…Fale

-Eu estou bem

-Não está, eu sei disso, posso sentir, agora mais que nunca.

-É estranho

-Sim eu sei, totalmente novo

-Estranho que as memorias estejam mais vivas do que nunca, como dói saber  de tudo e ao mesmo tempo não poder voltar e resolver tudo antes mesmo de acontecer as tragédias

-Não pense assim, pense que é uma nova vida, novos caminhos.

Cam sabia exatamente do que eu falava, assim como eu ele via o mesmo que eu via.

Entrei novamente na mansão Cullen todos estavam em volto ao grande livro que eu carregava sempre, a famosa bíblia dos vampiros, e sabíamos que não podíamos tocar nele, mas sabia que nele ainda poderia haver algo de importante alguma coisa que deixamos passar.

-Bella- a voz suplicante de Edward me mostrava que ele como todos ali estavam esperando algo de mim.

-Sabemos o  que tem de ser feito.

-Sim, temos que viajar o quanto antes, esperamos somente que Marcus e Miguel estejam conosco.

Não demorou muito senti a chegada deles.

– Bella posso falar com você a sós?

Edward e eu não tivemos chance de uma conversa intima, e meu foco nem era esse, mas eu sabia que ele sendo um vampiro diferente fadado a viver com um coração apaixonado ele precisava disso, ele temia a perda desse amor, eu podia sentir, assim como eu podia sentir a aflição em seu coração, assim como eu sentia a preocupação de todos, dizem que vampiros vem com dons, foi neste instante que descobri meu dom, eu podia sentir além do que ninguém podia , eu sentia o que cada um sentia a minha volta.

Subimos ate o seu quarto, eu olhei diretamente em seus olhos

-Bella eu..

– Eu sei, esta com medo, esta aflito, angustiado.

– Sim, eu não consigo disfarças isso de você nunca, isso não mudou.

-Não mudou, mas ainda assim isso é novo, eu posso sentir com mais intensidade, não somente o que você sente, mas todos a minha volta, foi bom sair de la, a preocupação ficou maior assim que Miguel e Marcus chegaram.

-Me desculpe por isso também.

-Não se desculpe, não é porque me transformou que é culpado pelo dom, é o que tem de ser, e agora eu posso ver com mais clareza.

– É uma das vantagens de ser vampiro, tudo fica mais intenso.

Edward colocou a mão em meu rosto, era diferente agora as sensações os toques, ele não era mais frio, seu toque agora era quente, estávamos na mesma temperatura.

-Não me impressiona isso.

-Nem a mim, a sua beleza sempre foi rara e perfeita para mim.

-Não estava falando nisso- Sorri para ele- Eu falava de seu toque, ele é perfeito.

-Sim isso também.

Não podia me sentir feliz, pois minha jornada ainda estava no início, mas eu me sentia bem, como se parte de meu intimo sempre soubesse que eu era fadada a isso, a ser uma vampira uma hora ou outra, mas eu sabia que esse tempo deveria ter um fim, não havia nada que eu quisesse mais do que dar a Edward o que sempre ele sempre almejou, ser humano, a ambos envelhecermos juntos, mas antes tínhamos um longo caminho a ser percorrido.

Assim que saímos do quarto, eu já havia dado um tempo para que as emoções de todos estivessem mais singelas, descemos as escadas, Edward segurou minha mão, eu sentia conforto em estar ao seu lado.

-Bella,

Miguel veio a meu encontro envolvendo meu novo corpo em um abraço

– Vi que ocorreu tudo bem.

Era estranho um anjo estar tão em conformidade a isso, ver um novo vampiro, mas visto ao nosso objetivo, tudo corria plenamente bem.

Eu não seria um peso morto, os demônios não mais seriam tão fortes a ponto de me matar facilmente, eu agora era tão forte quanto a qualquer um ali presente, e igualmente poderia me defender, mas agora o foco seria outro.

-Eu posso tocar no livro, e isso não é segredo, visto que eu mesmo o coloquei na biblioteca para que você o encontrasse, e tem um detalhe ao qual ninguém notou.

Fiquei intrigada com esse detalhe, mas fui observar o que Miguel tinha que mostrar.

-Vejam, há uma folha faltando igualmente em cada uma das línguas escritas nele.

-Já havia notado isso, mas não sabíamos o  motivo.

-É a parte exata que fala sobre a cura, mais especificamente a forma de que ela age.

-Isso quer dizer que quem arrancou as paginas não queria que soubéssemos de que forma a cura age.

-Sim, mas o problema é saber quem? E porque?, visto que o livro foi selado para que vampiros não o toquem, e além disso ele repele os demônios, deduzo que quem retirou as paginas..

– Foi um humano..

– Ou um anjo , veja eu sou um caído, mas não me tornei um demônio, e isso me deixa pegar o livro, pois ainda não fui condenado, eu não tive meu julgamento , mas os demônios assumidos

-Assim como Daniel- Edward falou

-Isso assim como Daniel, os demônios são maldiçoados assim como os vampiros, o julgamento final trará a eliminação ou salvação a eles,

-É por isso que Daniel não quer que cheguemos a cura, ele sabe que assim que os vampiros chegarem a cura, eles podem ter a salvação, e o purgatório será eliminado, isso tudo é parte do que esta no livro, eu o li muitas vezes, e sei que como os vampiros os anjos caídos podem receber a salvação basta querer, só que os que não aceitarem.

-Sim, eles serão destruídos, Daniel é egoísta, ele não quer isso assim como muitos caídos e demônios mais antigos como o próprio Lucifer, só que como ele designou Daniel a ser seu lacraio, ele mesmo não entra em uma batalha

-Mas Miguel- Edward chamou atenção – e se ele ver que esta perdendo, e se ele ver que estamos com nosso objetivo quase alcançado

– Ai meu caro Edward vem a parte pior, o próprio Lucifer pode entrar nessa batalha.

-E as paginas faltando?- perguntei

-Teremos de encontra-las, ou saber exatamente qual o conteúdo delas, há somente uma pessoa que leu esse livro antes dele ser enfeitiçado e protegido

– Quem? – perguntei

-A sua primeira mãe

-Mas isso nos ajuda como?  Eu não sei onde ela esta, e ate onde eu sei ela aparece quando quer em apenas visões que nem sei se terei novamente

-Bella ela foi amaldiçoada, ela se tornou vampira, mas …

-Mas o que Miguel?

-Eu me tornei um caído não somente por vocês dois Cam e Bella, eu me tornei um caído por ela, eu pedi uma chance a ela, mas eu fui condenado a não me encontrar com ela, mas eu fui contra as regras, Rose esta no purgatório, mas ela tem acesso a este mundo, e creio que com o feitiço certo podemos falar com ela.

Lucy era uma bruxa excelente, então ela canalizou sua energia em Marcus que segurava o livro em suas mãos, ela queria um contato com Rose, ela usou a mim e a Cam, que éramos a ligação que ele tinha neste mundo.

As palavras em línguas diferentes foram proferidas, quando olhei os olhos de Lucy estavam negros, o vento entrou com tudo pela janela, as velas que estavam acessas em volta de um circulo se apagaram, e em um instante tudo ficou escuro, quando aos poucos as velas foram acendendo, uma a uma, e isso era um sinal de que o feitiço estava em andamento.

Quando Lucy fechou seus olhos as velas acesas ficaram mais fortes, e foi quando a vi, a mesma mulher da biblioteca, a mesma que vi um dia que eu fui quase atacada, sim era a minha primeira mãe.

Anúncios