Notas:N/T : Hey Babys! Tudo bem? Voltamos, depois de um bom tempo, aqui estamos! Estão com saudades? Pois eu estou com vocês…
Então, o que acharam?
Vamos voltar com o att, e muito mais rápido! Deixem comentários, estamos com saudades my girls e boys! Beijos ♥
By : Tory Night.

N/I : Oláaa meu povo lindo, as autoras sumidas voltaram o; e com tudo agora não deixaremos vocês na mão mais teremos sim um dia de postagem, que logo veremos qual sera o melhor beijos a todas e corram ler.

 

Não havia nada que eu pudesse fazer em minha mente para poder fazer Damon deixar de ser esse pateta sentimental.

Escolhi um vestido azul que batia na altura da coxa, uma jaqueta de couro preta, e uma bota.

Estava sensual o bastante e acreditava que desta forma eu podia começar a tentar chamar atenção de Damon.

Eu me sentia forte e soberana, sabia que devia tomar cuidado, humanidade nada tem a ver com cautela, e se alguma coisa eu aprendi nos meus anos patéticos de humana, foi que a discrição e a estratégia são fatores cruciais.

Desci as escadas lentamente na velocidade humana, era estanho saber de todo esse potencial que meu corpo é capaz, mas ter de agir de forma normal.

Damon estava sendo extremamente exagerado, ele sabia que eu estava desligada, mas o que resta saber era se ele sabia que eu queria desligá-lo.

— Bom dia grande família. — Lexy me encarou perplexa. Damon me olhou com desprezo como se eu fosse a pior coisa do mundo, como se isso me afetasse! Stefan por sua vez veio ao meu lado.

— Como está se sentindo hoje Bella?

Patético idiota, eu queria era arrancar a cabeça dele em um só movimento, mas ao invés disso eu sorri tentando não ser sarcástica.

— Melhor, me desculpe por ontem!

Todos olharam espantados, era visível que não acreditariam que eu estaria ligada assim do nada, mas não custava tentar agir feito uma pateta para meu objetivo ser alcançado.

Virei-me e sorri torto, tentando fazer meu teatrinho, aqueles idiotas uma hora vão ter que acreditar que eu não estou desligada.

Assim que fui em direção a porta senti Damon se aproximar, sim meu plano talvez começasse a dar certo.

— O que foi isso? Você pedindo desculpa?

— Damon, eu não sei bem o que houve só sei que estou me sentindo bem hoje, mas sei que fiz burrada, sei que podem não confiar em mim a partir de agora, mas faz parte e se vou aprender a viver eternamente tenho que aprender a ter paciência.

Virei-me novamente, mas antes eu não perdi a cara de espanto de Damon com minha declaração, fui em direção a porta e saí caminhando.

— Bella espere.

— Damon deixe-a, essa aí está fingindo.

Ai que vontade de dar um chute naquela Lexy, mas não agora eu era a Bella boazinha que todos amam, e melhor a bela confusa, fiz que nem ouvi essa acusação e continuei.

— Lexy me deixe ir, eu sinto que algo está errado, ela está diferente.

Senti Damon me seguindo.

— Porque não escuta os outros, Damon? Depois do que fiz você deve estar muito chateado comigo.

— Bella eu só não entendo como de uma hora para outra você…

— Engraçado Damon, isso está vindo do assassino que eu vi dentro de uma cela recuperar a humanidade em minha frente, eu sei que preciso de um voto de confiança para que me aceitem, o problema é que você Damon, é o ultimo que pode me recriminar.

Vi que ele parou por um instante, eu continuei andando, estava sendo tão fácil manipula-lo, era somente disso que eu precisava da confiança dele, assim eu poderia seguir com meu plano.

Voltei para residência Salvatore me servi de uísque sempre sendo vigiada pelos olhos de todos, eu sabia que seria assim sempre, então tratei de nem ligar. Um cheiro característico se aproximava, Elena sim aquela sem sal estava vindo aqui, antes de achar entediante isso, me lembrei de que era uma oportunidade de mostrar que estava bem.

Assim que ela bateu à porta, todos olharam e imediatamente e me encararam.

— Calma, sei que não é seguro para Elena, então estou indo para o meu quarto.

— Não precisa ir, você precisa passar por isso, cedo ou tarde.

Damon disse recebendo um olhar de advertência de Stefan.

— Está louco Damon? — Lexy perguntou.

— Damon deixe, nós não precisamos discutir eu vou para meu quarto.

Subi as escadas sabendo que deixei mais uma pulguinha na mente deles, entrei e esperei o resultado.

Depois de alguns minutos, bingo! Damon entrou.

— Bella, podemos conversar direito?

— Claro entre.

— Eu preciso entender o que está acontecendo?

— Damon, como eu vou explicar se nem ao menos eu entendo?! Sei que eu andava confusa, atormentada por mim mesma, dentro de minha mente.

— Como assim?

— Como se houvesse alguém me dizendo que eu era fraca, e foi quando eu para me livrar de todo tormento eu desliguei.

— Mas e depois?

— Eu sei que é estranho, sei que não se sente mais nada, e tudo fica mais fácil, mas Damon, não fica, no final esta tudo lá dentro ainda.

Damon me encarou perplexo eu estava vendo o resultado de meu teatro. O senti se aproximando, suas mãos foram ao meu rosto, ele acariciou minhas bochechas, eu gostava desta sensação lembrava-me disso, mas naquele momento eu não sentia nada, era vazio.

Continuei ali imóvel em sua frente, quando seu rosto estava próximo ao meu.

— Bella, eu só quero que você não sofra. — seus lábios chegaram aos meus e quando eu ia intensificar o beijo alguém bateu na porta.

— Maldição! — soltei sem pensar.

Vi que ele me encarou novamente na dúvida.

— Desculpe-me é que…

Damon arqueou a sobrancelha me encarando, eu tentei continuar.

— Eu entendo os sentimentos estão muito aflorados ainda.

—Bella, eu posso entrar?

Era a voz da insuportável da Elena.

— Entre. — dei um sorriso para Damon, mas por dentro eu queria era matá-la, seu sangue deveria ser muito bom, pois o cheiro dela era apetitoso.

Elena vestia um short mostrando que o tempo estava relativamente quente, era bom eu começar a me ligar em certas situações já que como vampira eu não sentia a temperatura como humana.

— Você está bem, Bella?

— Melhor impossível.

— Elena eu acho melhor não brincar muito com a sorte… — Stefan estava atrás dela. Ai almofadinha idiota!

— Stefan ela está bem, olhe para Bella a imortalidade lhe caiu bem.

Claro que caiu, só para essa sonsa que não daria certo.

Pensei e dei um leve sorriso sarcástico.

— O que foi Bella? — Stefan perguntou;

— Nada só estou rindo que apesar de tudo estamos todos aqui e bem.

— Vamos deixar Bella e Damon a sós Elena venha.

— Bella eu só queria dizer que não importa o que acontecer, eu sempre serei sua amiga.

Naquele instante algo em mim estava mexendo, eu sentia que era a humanidade querendo se ligar, maldição, era isso, muitas pessoas conhecidas reunidas esse afeto todo, não essa humanidade não poderia se ligar.

— Sim Elena, mas agora realmente escute Stefan não brinque com a sorte.

Elena me abraçou e sentia aquele leve calor de estar recebendo afeto, assim que eles saíram logo do quarto eu respirei fundo.

— Bella realmente você está bem! — Damon afirmou.

Ele novamente veio em minha direção, suas mãos voltaram a afagar minhas bochechas, tentei me livrar do pouco de sentimento que estava tentando crescer em mim, pois essa demonstração de afeto todo estava mexendo comigo,

Seus lábios chegaram aos meus, e uma luta interna se movia em meu corpo.

— Sim Damon. — era ela sim a Bella fraca e volátil ela estava se manifestando, ela queria seu espaço nos braços de Damon.

Eu lutava com minhas forças internas não ela não pode ganhar, ela tem que ficar lá reclusa. Então deixei o extinto se manifestar nada de sentimento somente sensações, minhas mãos foram até a nuca de Damon, segurei fortemente e o girei em direção à cama sem muita paciência.

Damon me encarou perplexo, mas deixei que meu corpo mandasse nas ações, eu queria mais de Damon, e menos de mim mesma, queria logo que fôssemos ligados a extintos e não a sentimentos.

— Bella você é tão linda é tão bom te ver assim bem.

Foi neste instante que deixei meu olhar chegar ao dele, e encarei as duas pedras azuis. Deixei por um instante que a Bella frágil em mim se manifestasse somente para que meu olhar o chamasse.

E funcionou! Eu vi o exato momento em que Damon se sentiu feliz, o exato momento em que eu consegui meu objetivo, ele me segurou com força, ele sorriu maliciosamente e me jogou contra a parede. Nossos corpos se chocaram fortemente.

Olhei em seu olho e vi quem eu queria vi ela a Fera.

Sorri maliciosamente para ele.

— Aí está você!

— Era isso que queria então. — suas mãos foram ao meu pescoço tentando me sufocar, mas eu era nova recém-criada estava forte, então virei nossas posições rapidamente retirando sua mão de mim e o imobilizando.

— Sim era isso, pois venhamos e convenhamos, você estava muito chato.

Meus lábios encostaram-se aos dele.

— O que você pensa que quer? Acha que poderá me dominar?

— Não, essa jamais seria minha intensão. — mordi seu lábio inferior, apertando de leve e deixando escorrer sangue e depois o sugando. — Quero somente me divertir juntamente com você.

Foi quando Damon entendeu meu ponto, ele sorriu maliciosamente me jogando na cama, e rasgando meu vestido.

***

— Você ficou bem melhor assim, então quer dizer que o tempo todo era fingimento você estava desligada?

— Sim, é fácil enganar alguns patetas. — ri jogando minha cabeça para trás.

— Não esqueça que me enganou também.

— Sim, mas te garanto que esse Damon aqui não seria enganado nunca.

— Temos de ser espertos, eles vão tentar nos segurar.

— Damon, Damon, somos dois, por tato a nossa força está grande agora, vamos encarar a realidade ninguém pode nos conter.

— Realmente nisso você tem razão.

Eu falava enquanto vestia minhas roupas, estava certa de que agora ninguém mais nos seguraria.

Assim que saímos em direção aos outros na sala fomos recebidos pelos sorrisos idiotas que estavam acreditando na mentira, eu não aguentei.

— O que foi seus estúpidos? Nunca viram uma vampira totalmente glamorosa? Pois bem vejam bem.

Fui passando recebendo os olhares de todos perplexos andei em direção a porta e Stefan se atravessou em minha frente.

— Eu sabia que não podia ser verdade, o que está planejando Bella, pois algo bom não é!

— Stefan a deixe irmão. — Damon descia pela escada vestindo sua tradicional jaqueta de couro e seu sorriso mais sarcástico de todos, eu olhei para ele sorrindo também. — Não vai querer encarar uma recém-criada.

— Não acredito que você fez isso! — Lexy apareceu em frente a Stefan.

— Ah você sua anã loira, olha aqui espero muito que vocês me deixem em paz ok, na verdade nos deixem em paz!

Com minha velocidade saí correndo dando a volta em Stefan e Damon me seguiu.

— Viu a cara deles?

— Sim.

Rimos junto e saímos em busca de algo menos entediante que lidar com os vampiros naquela casa.

***

A noite caiu como um véu negro sobre nós, eu só desejava caçar e sabia que a única vontade de Damon era a mesma, até o momento nenhum dos vampiros patéticos veio em nossa busca.

Deitei no meio da rua observando as estrelas, a noite era linda sim, mas naquele momento eu só tinha um pensamento um objetivo. Fiquei ali parada.

As luzes estavam distantes, escutei a quilômetros o barulho do motor, eu continuei ali no meio da estrada deitada, em minha mente nada se passava foi quando o carro se aproximou, ele estava em uma certa velocidade, sorri em meu íntimo, era uma adrenalina diferente, quando o carro se aproximou freou forte e desviou do meu corpo. Eu me mantive imóvel até que o motorista desceu, o cheiro dele era bom, conseguia ouvir seus batimentos frenéticos, a adrenalina em seus corpo, seus coração pulsando deixando mais apetitoso ainda.

Assim que ele se aproximou de meu corpo.

— Moça está bem? O que aconteceu?

Levantei-me na velocidade de vampiro, ele nada entendeu podia ver por de trás da árvore que sua expressão foi de espanto, assim que ele se levantou e olhou em volta era essa hora, eu fui até sua frente.

— Olha que rapaz prestativo, seu sangue deve ser até doce de tão bonzinho que você é.

Ele olhou sem nada entender.

— Isso querida, assim, mas não brinque muito com a sua comida.

Assim que Damon chegou por trás o rapaz sentiu medo pude perceber isso.

— Querido o que está acontecendo?

Uma garota desceu do carro, neste instante minha face se transformou.

— Vejo que termos lanche duplo hoje. — Damon disse e foi rapidamente em direção a garota vi seu rosto se transformar e atacar o pescoço dela.

O grito estridente e aterrorizante dela ecoou entre as árvores, quando Damon sugava seu sangue.

— Mas o que? Não! — o rapaz gritou também quando viu Damon drenando a vida de sua companheira, essa parte me deu mais um pouco de satisfação quando eu o ataquei e segurei seu pescoço fazendo o mesmo com ele e drenando seu sangue, sentindo sua vida escorregar na minha garganta quente, saboroso.

— Você aprende rápido. — Damon estava ao meu lado, seus lábios estavam ainda sujos de sangue, e sua face estava ainda transformada com suas presas aparecendo.

— Tenho o melhor professor! — o corpo do rapaz caiu em meus pés eu cheguei até Damon e meus lábios igualmente sangrentos. Dei um beijo compartilhando com ele de nossa pequena chacina.

— A Bella e a Fera! — Damon disse olhando para mim.

— Não, somos igualmente Feras.

DUAS SEMANAS DEPOIS:

Não importava mais nada, nosso único objetivo era caçar e se esconder deles, Stefan e Lexy, eles faziam de tudo para nós achar, mas sempre estávamos um passo a sua frente.

A noite de sexta trazia sempre muitas oportunidades, tentávamos ser mais discretos, mas a adrenalina em caçar era tamanha que não conseguíamos nos conter.

Damon era esperto, anos de fuga, anos de fera incontrolável valeram muito. Quando avistamos um pequeno acampamento, isso nos traria uma boa caça, Damon amava perseguir suas vitimas por um tempo, cansa-las se divertir, e eu estava aprendendo isso com ele.

Em duas semanas não matamos muito, decidimos brincar com as pessoas, se alimentar e depois compeli-los a esquecer de tudo, Damon não era burro, ele era inteligente sabia como se esconder muito bem.

Às vezes por algum deslize de principiante eu acabava matando um humano, mas isso era efeito colateral, Damon dizia.

Aquele acampamento estava estranho, por um momento eu observei e foi então que percebi.

— Damon vamos embora isso é uma armadilha!

No instante em que disse isso, não deu muito tempo uma voz conhecida soou.

— Isabella, Isabella, quem diria que eu estaria caçando você!

Jeremy irmão mais novo de Elena saiu dentre as árvores ele estava com aparência diferente do que eu lembrava, como podia em algumas semanas o rapaz criou músculos e parecia ter aparecia mais velha.

Quando me virei para Damon, Alaric saiu de outra de árvore, realmente era uma armadilha.

— Vocês dois humanos acham que podem comigo e com Damon?

Foi quando Alaric apontou para o lado, e para minha surpresa Nick estava ali, sim meu antigo amigo aquele cujo estava em coma estava ali são e salvo mais forte que nunca e segurava firmemente Damon que estava amarrado, e desacordado.

— O que? Como fizeram isso?

— Verbena minha cara. — Alaric falou.

Neste instante me vi encurralada, e a minha volta os dois caçadores. Tentei com minha velocidade de vampira escapar, mas Jeremy era rápido e me segurou, em seguida Alaric veio em minha direção e senti algo em minhas veia me deixando fraca.

Vi na mão de Alaric a seringa, sim eles me injetaram verbena e somente vi tudo escurecer.

***

Aos poucos abri meus olhos, estava entorpecida.

— Ela está acordando.

Escutei algumas vozes, mas não reconhecia muito bem.

— Será que ela não está igual a ele?

—Não Damon é a maldição é fácil ele voltar depois de tanto tempo desligado, já ela é nova recém-criada ainda guiada por instintos. Não acredito que ela esteja desligada quando acordar.

Percebi que era de mim que falavam, abri meus olhos olhei em volta e estava na cela que um dia vi Damon, e na minha frente por fora das grades todos estavam ali.

Stefan, Lexy, Jeremy, Alaric, Nick e até ela a maldita humana Elena.

— Ela acordou. — Nick falou.

— Malditos! Pensam que podem me segurar?

— Bella! — a voz de Damon ecoou. Ele veio por trás de Stefan talvez ele pudesse me soltar.

— Damon! Ajude-me! — falei suplicando.

— Não posso Bella até ter certeza de que está ligada novamente, eu deixei isso chegar a este ponte e se não fosse por eles.

— Isso está errado, eles deveriam ter morrido! — Jeremy cerrou os dentes ao falar.

Eu dei um impulso para frente, mas estava acorrentada.

— Vocês vão me pagar seus estúpidos, ah se vão!

— Não ninguém vai matar ninguém aqui esse foi o trato. — Lexy disse.

— Chegamos a esse ponto, eu nunca imaginei em ver isso! Caçadores fazendo tratos com Vampiros. — Alaric dizia e vi Damon por a mão em seu ombro.

— É a vida meu caro, nem eu imaginaria beber um dia com um caçador.

— Ei você são idiotas né? Eu só vou ficar com mais raiva, e assim que sair daqui eu vou matar todos vocês.

A raiva me consumia, todos foram saindo.

— Isso mesmo! Vão embora seus covardes, pois assim que eu conseguir sair daqui, eu vou matar a todos.

O único que não saiu foi Nick.

— Vamos cara, depois tentamos.

— Não, quero ficar, tenho muito a conversar com ela.

— Você quem sabe, só não ligue muito para o que ela falar tudo bem?

— Eu sei.

— Pode falar o quanto quiser, duvido conseguir ter o seu objetivo.

— Duvida? Pois então se prepare, pois eu tenho uma história de vampiros a te contar, e nesta historinha, uma garota perde a mãe, assassinada por um vampiro.

Anúncios