Olha a postagem dupla saindo, vocês merecem depois desse tempo enorme sem postagem

 

Os Originais em… Confronto?

Capítulo 9

No Amor e na guerra

 

POV Bella

— Porque essa loucura Bella? Eu não te fiz nada, sua híbrida louca!

— Só o fato de dirigir a palavra para mim já está me ofendendo depois de se jogar igual uma loba vadia nos braços do Klaus!

— Ah agora eu entendi a sua! — ela sorriu maliciosa. — Está louquinha pelo Klaus!

— Não sua idiota, estamos apaixonados.

Neste instante olhei para Klaus que recebia uma encarada de Elijah.

— Poupe-me, você e essa… Eca… Híbrida!

Quando Hayley cuspiu aquelas palavras eu não me segurei. Voei novamente no pescoço da Loba infeliz.

Ela por sua vez como fraca que é tentou agarrar nos meus cabelos, eu simplesmente a fiz sentir um pouco de minha força, pois se eu me soltasse mais eu poderia matá-la.

Minha vontade naquele instante era de acabar com a sua raça desgraçada de lobas vadias, mas eu sabia que iria ser mais que errado.

Senti alguém me puxando assim que abaixei a guarda.

— Bella só não me machuque.

Identifiquei a voz de Damon, e senti a verbena líquida sendo colocada em meu braço fazendo assim eu ficar fraca no mesmo instante.

— Por quê?

Encarei Klaus, meu olhar poderia dizer tudo, decepção, porque deixar fazer isso comigo, depois de tudo que tivemos!

— Damo chega, não precisa da seringa inteira.

— Como não? Essa híbrida é forte!

— Obedeça-me verme, chega!

Meu olhar ainda era de revolta, e de pesar ao mesmo tempo, ele não podia deixar me sedar eu não era uma prisioneira, pelo menos eu não me sentia até agora, pelo menos era o que eu imaginava que depois de tudo eu não era uma prisioneira, e talvez eu estivesse enganada.

Meus olhos foram se fechando, eu sentia meu corpo amolecendo.

— Deixe que eu a levo.

Eu senti quando meu corpo foi passado aos braços dele, eu o conhecia, sim aquele cheiro, o meu cheiro, era aconchegante, mesmo me sentindo traída eu me sentia bem naqueles braços, e foi quando tudo escureceu.

Meus sonhos sempre foram mais específicos, mas agora nada era igual, eu estava novamente me sentindo colorida, me sentindo em um mundo diferente, tranquilo onde nada poderia me abalar.

A sensação de que eu estava segura, que eu estava sendo protegida me dominava, algo em mim estava mudando.

Abri lentamente meus olhos, pois por mais que meus sonhos fossem claros como nunca foram, a claridade que vinha direto da janela em meus olhos me feria.

Eu demorei até recapitular tudo o que houve.

Lembrei-me daquela loba vadia se atirando em Klaus, e senti raiva, mas lembrei-me também que eu estava dando uma lição das boas a ela que não se mexe no que é meu quando…

Sim eu fui traída, pela pessoa que eu achava que significava algo para ela, sim Klaus me traiu assim que deixou Damon me sedar.

Eu não era prisioneira, e estava aqui. Assim que levantei fui até a porta, parte de mim esperava que como prisioneira ela estivesse trancada.

Mas não, ela estava aberta, fui me direcionando para perto da escada quando ouvi vozes, e decidi escutar melhor.

— Não acredito que ela e ele… Ai eca como ele pôde?

Era a voz da loba nojenta.

— Hayley, não adianta chorar, e eu que achei que ia dar uns pegas nela!

— O que? — pensei comigo, era a voz de Damon.

— Os dois, parem de idiotice, isso pode ser bom, pois se agora meu irmão está apaixonado pela princesa Volturi, pensem nas possibilidades, meu irmão sempre buscou redenção e pode ser agora que ele a encontre.

— Redenção? Quem aqui está pensando nisso? Elijah e todo esse plano de poder, onde vai parar? Agora Klaus vai amarelar só por que…

— Klaus é um bobão, afe aquela híbrida sem sal!

— Podem me escutar e pararem de chegar a conclusões, Niklaus, meus caros, estava pensando somente com a cabeça no poder, agora ele pode analisar de forma diferente, pense um homem com amor no seu coração ele luta mais firme e forte.

— Escutando conversa alheia?

Senti seu hálito quente soprando em meu ouvido.

— Como não te vi chegar? — dei um sobressaltei.

— A verbena em seu corpo deixa você mais fraca.

— Sim a verbena que você deixou injetarem em mim.

— Mas deixei por uma boa causa.

— Boa causa? Prender-me novamente?

— Está vendo correntes? Por acaso estava trancada? E pode testar nada de feitiço você está livre já disse. Fique a vontade para ir embora.

— Mas e a verbena?

— Para você não fazer uma besteira que se arrependesse depois, você é forte e acho que nem você tem noção de seu poder e força, podia matar Hayley facilmente.

— E porque não me deixou matá-la? Por acaso sente algo pela loba vadia?

Ele riu de mim, sim ele estava gargalhando.

— O que foi? Ah já sei, eu virei palhaça. — revirei os olhos.

— Bella, como você pode ser tão absurda? É linda, inteligente, mas é infantil e mimada.

— Nossa acabou os elogios!

— Bella, eu não queria ver você com remorso.

Bufei, quem ele pensa que é?

— Bella isso te consumiria dia após dia…

— Falou o vampiro que quer ser o dominador todo poderoso!

— Bella, eu posso matar, esmagar humilhar as pessoas e ainda assim viver eternamente sem culpa, pois eu sou assim, mas você… — ele se aproximou de mim, eu tentei me afastar, porém foi inútil, uma de suas mãos pegou a minha e a outra acariciou meu rosto. — Você Bella é pura, não conseguiria conviver com uma morte assim sem sentido.

— Sem sentido? Você não sabe o que essa loba vadia estava pensando no momento em que estava se atirando a você, ela merecia! E Klaus, pelo amor, eu já matei tantos homens na…

Ele arregalou os olhos e fez um gesto para que continuasse.

— Esqueça! Eu sou pura e sentiria culpa. — menti.

— E você por um acaso ao invés de se importar somente com o que Hayley pensava, tentou ver o que eu estava pensando naquele momento?

Abaixei a cabeça, Klaus ergueu com as pontas do dedo, fazendo com que eu o encarasse.

— Pensei em como fui idiota por ter ficado com ela, pois a beleza dela não se compara a sua.

— Ah então acha ela bonita.

— Bella cala essa boca, eu pensava naquele instante que você é a única que me faz sentir o que senti e que nada nem ninguém vai estragar isso!

— Ah sim, agora me vem com esse papinho… — quando eu ia começar a argumentar as suas palavras Klaus não deixou, ele me agarrou me beijando, eu não resisti deixei, e ali eu lia seus pensamentos que estavam todos voltados a mim. Talvez ele tivesse um pouco de razão sobre eu matar a vaca da Hayley, não seria pelas mesmas razões e motivos os quais matei vários garotos insignificantes da faculdade. E a loba estava ali, convivia comigo infelizmente, mesmo que ela merecesse, eu não a mataria, mas não significa que não possa brincar com a vadia.

— Pare de ser ciumenta Bella.

Percebi que sem querer no beijo compartilhei minha mente com ele, eu tinha que me controlar.

— Não é ciúmes é saber cuidar do que me pertence.

— Sei, agora vamos que eu cansei desse povo falando de nós e achando que sabem algo é hora de enfrentar a realidade.

Klaus pegou em minha mão descendo as escadas, ao chegar ao final dela nos deparamos com três pares de olhos fixos em nós. Klaus estava firme e não soltou minha mão em momento algum.

— Caro irmão, vejo que temos novidades.

— Sim temos, mas nada que mude meus planos.

Neste instante percebi que mesmo juntos Klaus não ia abandonar seus planos de ser o líder supremo.

— E como faremos visto que as circunstâncias mudaram radicalmente?

— Nada mudou aos olhos de Aro, para os Volturi ainda estamos com a sua filha refém.

Soltei imediatamente a mão de Klaus, e fiquei analisando. Como pôde depois de tudo?

— Klaus, mas como vamos continuar isso? Eles não deram nenhum sinal de vida até agora.

— Parem! — gritei. — Parem de falar sobre esse assunto como não me afetasse, eu achei Klaus que estávamos vindo aqui e assumir algo, e decidir o que vai ser feito de agora em diante, mas não a dominação o poder isso é o assunto principal, sempre vai ser isso, minha vida inteira eu cresci rodeada com isso ouvindo isso, e vejo que você não é diferente em nada que meu pai!

Saí de lá em direção à porta dos fundos que dava acesso a piscina.

Percebi que Klaus estava vindo em minha direção, mas algo o segurou.

— Deixe-a Klaus, dê um tempo a ela.

Sentei a beira da piscina e fiquei analisando, esse era meu destino? Estar rodeada de pessoas que só querem dominar, ser o supremo? Klaus não percebe que é da minha família que ele está falando?

— Homens. Como sempre têm seu ego masculino e seu espírito de domínio.

Era Rebekah se aproximando e sentou ao meu lado na borda na piscina.

— Mas como vamos suportar isso?

— Temos que saber ser mais dominantes que eles, Bella pense nas possibilidades, você é a filha de Aro, e não uma criação, você é sangue dele.

— Mas ele não está nem aí para mim, pense todo esse tempo e nada!

— Bella fique calma, seu pai é inteligente ele não faria nada arriscado ainda mais se arriscasse a sua vida.

— Sei.

— E tem outra agora, nem Klaus vai querer isso, então como disse você tem a vantagem sobre eles.

— Do que em adianta ter essa vantagem? Eu não quero saber nada disso quero distância dessa busca por poder.

— Mas eu tenho uma ideia muito melhor.

POV Klaus

— Eu tenho que falar com ela, ela pensa que eu quero somente o poder, mas não é isso Elijah!

— Dê um tempo para ela.

— Bella não é alguém que precisa de tempo, ela é de momento.

— Mas tem certas coisas que é bom dar tempo.

— Elijah, eu quero isso para nosso bem, meu e dela, se o pai dela governa nunca poderemos ser felizes ou sequer pensar em nós dois, mas comigo no domínio as coisas e as leis serão diferentes.

— Meu caro irmão está confundindo as coisas.

— Meu irmão, pense bem, não é fácil escolher entre o amor e o poder.

— Isso sem duvidas.

— Então o que me resta é lutar pelos dois.

— Está pensando que essa luta pode ser mais que o poder dos vampiros.

— Elijah, pense eu sou híbrido de lobo e vampiro, quem mais pode governar o sobrenatural do que eu? E Bella sendo filha do próprio Aro, ela será a perfeita rainha ao meu lado, o rei e sua rainha, soa muito bem.

— Klaus, mas tenha cuidado, está mexendo não somente com a guerra agora, está lutando com um sentimento forte o bastante para cegá-lo.

— Não Bella não me cega pelo contrário ela me dá luz, e veja estar ao nosso lado só nos trás uma vantagem, ela é poderosa.

— Mas ela não está do nosso lado.

— E pelo que vi nem do lado do pai, é uma vantagem que tenho.

— Vai se aproveitar dela? Do amor que ela sente? Isso é baixo até para você Niklaus!

— Eu não vou me aproveitar, só estou usando as cartas que tenho. Não se diz que no amor e na guerra vale tudo?

— Mas não usar um para vencer outro.

— Elijah meu caro irmão, eu não vou usar Bella, jamais faria isso, eu só disse que é uma vantagem, uma carta na manga.

Depois da conversa com meu irmão, fui atrás de Bella ela já teve seu tempo, ela não podia ficar assim, sempre que falássemos sobre esses assuntos.

Chegando a porta dos fundos Rebekah estava entrando.

— Bem meu irmão, é a primeira vez que te vejo com alguém que verdadeiramente ama, e você consegue estragar no primeiro dia, parabéns.

— Saia daqui que eu não estraguei nada.

Fui na sua direção Bella estava linda ali com a luz da água refletindo em sua pele branca.

— Podemos conversar?

— Vai vir com aquele papo de dominação novamente?

— Bella entenda eu sou assim…

— Pare Klaus eu não quero falar sobre isso, olhe o que houve entre nós foi mágico, mas entenda…

— Não faça isso Isabella Volturi, não tente terminar antes de começar.

— Depois sou eu que interrompo. — ela levantou-se bruscamente e veio em minha direção rapidamente. — Entenda Klaus, apesar de tudo que temos contra, apesar da sua estupidez, de tudo que eu odeio em você, de toda essa vontade de dominar a qual eu sempre odiei em meu pai apesar de tudo, eu estou disposta a enfrentar sabe por quê?

Eu somente fiz que sim com a cabeça, encarei seus olhos.

— O que eu senti, me dá forças para enfrentar e passar por cima de tudo isso.

Continua…

Notas finais do capítulo

ual, bem três perguntas ficam no ar com esse capítulo:
1…O que a Rebeka e Bella conversaram?
2… Será que klaus ficará entre o poder e o amor?
e a terceira e ultima: quando essa Loba vai se tocar que esta sobrando????
kkkkk
bem ate o próximo que desta vez não vai demorar uma eternidade eu garanto
beijos

Anúncios