POV Bella

Minha vida como humana havia acabado, sim meu tempo já era. Eu descobri uma coisa: nasci para ser vampira, e agora eu me sentia viva, como se cada parte de mim estivesse ligado em uma alta voltagem.

— Bella o que você… O que você fez?

— Resolvi nosso problema Damon. — Me direcionei até ele, dando a volta, e passando minha mão em seu peito. Eu escutava e sentia a pulsação que ele emanava, meus sentidos estavam perfeitos, mas faltava alago, faltava o calor, e somente o sangue poderia me dar isso que faltava.

— Bella você…

— Desliguei aqueles sentimentos que estavam me atrapalhando, me enlouquecendo, Damon. Veja bem eu sempre fui a detetive, destemida, não seria agora que me deixaria ser fraca.

— Bella sabe o que pode acontecer tomando essa atitude? Sabe que pode não voltar e se tornar uma…

— Fera! Como  você! — Pendi minha cabeça para trás e dei uma gargalhada, olhei em seus olhos, e o encarei. O puxei para um beijo eu fui lasciva, mas não sentia nada, simplesmente nada. Sorri assim que deixei seus lábios. — Você é patético!

— O quê?

— Sua atitude, ser guiado por sentimentos fracos. Sim claro! Essa maldição, mas se não fosse ela, estaria por aí sem dó matando, fazendo o que é de sua natureza, saciar a sede.

— Bella esta não é você.

— Ah! Por que não estou chorando? Por que não estou toda melodramática? Poupe-me Damon, se você foi obrigado a se tornar esse vampiro patético! Eu não.

Virei para o lado Lexy estava com uma bolsa de sangue.

— Muito obrigada, mas isso é mais patético que um animal, eu quero algo mais quente.

Sorri para ela, e saí.

— Aonde vai? — Damon vinha em minha direção.

— Preciso me alimentar, caçar.

— Aonde vai? Espere não pode!

Virei-me antes mesmo de chegar à escada e o encarei com a maior fúria que podia.

— Tente me impedir! — falando isso eu desci com velocidade pela escada, ser vampira tinha vantagens inigualáveis.

— Stefan a segure!

Damon vinha atrás, mas eu sorri para Stefan assim que ele largou o livro e vinha em minha direção. Porém eu o empurrei com toda a minha fúria para longe, cheguei até a porta e saí. Pude ver o olhar de frustração tanto de Damon quanto de Stefan que se olharam, mas nenhum veio em minha direção.

Saí pela floresta, minha sede estava em um grau alto, eu necessitava saciá-la, precisava de sangue.

Vaguei por um bom tempo até escutar uma música ao fundo, fui caminhando até que encontrei um bar de motoqueiros e caminhoneiros afastado, dentro deste local poderia se ver sempre muitas pessoas que não prestam.

Não que estivesse ligando, no entanto eu sabia um pouco sobre leis e sabia que tais mortes poderiam chamar atenção, e eu claro não queria que impedissem minha caçada.

Mas eu estava com muita cede.

Caminhei a passos humanos até o estabelecimento. Entrei, dei uma varredura geral, observei a maioria dos homens de má índole, isso estava estampado em suas faces.

A música de fundo estava me irritando, fui entrando.

“Gostosa”.

Minha audição de vampiro ouvindo os murmúrios os mais baixos.

“Essa eu dava um trato”.

Esse seria o primeiro a morrer.

Direcionei-me a maquina de música observei as porcarias que ali tinham e achei uma seleção a qual combinaria com meu objetivo.

Olhei para a mesa de bilhar quando a música começou, eu peguei um dos tacos.

— A gata vai se arriscar?

— Sim. – Encarei o homem que estava me observando de forma mais vulgar existente.

Sorri maliciosamente para ele, e assim comecei a jogar.

Olhar agora com a visão vampira me dava uma vantagem, eu podia calcular facilmente o trajeto da bola, e até mesmo ter a força no grau correto.

— Para uma mulher você joga bem. – Disse o homem chegando mais próximo a mim.

— Obrigada. – Sorri maliciosamente novamente.

— Ei gata, que tal a gente ir lá no fundo, hein?! – O meu próximo alimento encostou-se às minhas costas e deu uma leve pressão, ele não sabia que estava chamando a morte, sentir aquela aproximação me dava nojo.

— Vamos logo. – Pisquei sedutoramente e o agarrei pela mão, levando-o para fora.

Já fora olhei para todos os lados procurando um beco e não demorei a achar. Ele estava vazio e escuro, o que seria ótimo, sem testemunhas, sem crime.

— Safada! – Falou ao me prensar na parede do beco.

— Só quero privacidade. – Sussurrei.

— Perfeito! Pois você vai gritar muito. – Ele veio para me beijar, mas com minha força e agilidade, inverti as posições.

— Quem vai gritar será você! – Disse sentindo meu rosto já se transformando.

Sem pensar duas vezes, ataquei seu pescoço, sugando o sangue.

O sangue era vicioso. Descia pela garganta como vinho para humanos, ele me deixa mais forte, mas os olhos apavorados e arregalados daquele homem sempre irão ficar na minha mente.

Mas quem liga? A vida é bela e eu sou uma nova e forte vampira.

Não preciso me importar com o que os outros falam e deixa de falar, a vida é minha e eu sou dela!

Depois de sentir todo sangue drenado, eu estava me sentindo mais forte, mas algo estava crescendo em mim, a vontade de mais, sim eu queria mais.

— Chega Isabella! – Ouvi alguém e logo o homem foi retirado dos meus braços caindo no chão.

— Mas que palhaçada é essa? – Damon, Stefan e Lexy estavam na minha frente, me olhando atentamente.

— Nós só queremos te ajudar. – Damon falou.

— Ajudar?! Você tirou o meu alimento de mim, isso não é ajudar.

— Bella…

— Não Damon, agora Bella não é a Bella e… – Lexy disse ao Damon tentando consola-lo.

— E quem é? O bobo da corte? Agora que eu mal saí de visão, já dá em cima do Damon! _ olhava para Lexy. — E eu achava que você fosse minha amiga. – Ri sarcasticamente.

— Eu jamais faria isso com você.

— Ai cala a boca e guarda o teatrinho para mais tarde, agora eu vou achar outro alimento. Já que esse acabou. – E saí os deixando ali, ou pelo menos tentei.

— Você só sai daqui com a gente. – Stefan segurava meu braço.

— Sempre te achei um babaca, mas agora tenho certeza.

Saí de lá os deixando para trás, percebi que eles me acompanhavam, mas nada fiz somente entrei e peguei um dos tacos. Observei que as pessoas me encaravam de forma temerosa agora, mas foi somente quando olhei para uma parede espelhada que vi em meu reflexo que estava com meus lábios sujos de sangue escorrendo.

Sorri para meu reflexo e olhei novamente para os homens em volta, o cheiro de medo deixava tudo mais interessante.

Damon e os outros entraram e vinham em minha direção, um instinto de proteger a caça me dominou.

Quebrei o taco em meus joelhos e fui em direção a Stefan sendo segurada por Damon.

Vi Lexy mandando sair os homens do bar, mas não ia deixar isso acontecer, eu praticamente joguei Damon que foi parar na mesa de bilhar e voei em cima do barman, e quando minha boca salivou, e eu podia sentir o gosto do veneno acumulando em minha boca, senti um cheiro característico, e logo senti meu corpo sendo jogado.

— Jeremy. — Um coro em uníssono falou seu nome, eu o encarei.

Vi que realmente era ele, o irmão de Elena, estava me pressionado no chão, mas a fúria me dominou e eu o joguei longe.

Voltei a pegar um dos tacos quebrados, e tentava me defender, mas Damon veio para cima de mim, e eu o ataquei, enfiei a estaca em seu ombro, mas assim que o vi sangrar, algo falou dentro de mim.

“Damon não!” e minha subconsciência me alertava, eu via tudo escuro, como se não pudesse suportar ver Damon ferido, mas eu lutava contra a Bella fraca que queria se rebelar, e enfiava o pedaço de madeira mais fundo.

Mas logo algo segurou minha cabeça, e senti meu pescoço estralar e não vi mais nada.

(…)

POV Damon.

 

— Por que fez isso Lexy? — Ai que droga a madeira em meu ombro estava doendo, puxei com força.

— Da próxima eu a deixo te matar, simples.

— Mas precisava quebrar o pescoço dela?

—Damon ela é vampira, logo acordará, e sugiro que quando o fizer ela esteja em casa longe de humanos.

— O que houve com ela Jeremy estava ao meu lado, olhei para ele e senti o cheiro de caçador.

— Problemas.

— Ela matou, eu vi, e minha obrigação é mata-la.

Não podia deixar isso acontecer.

— Você não vai fazer isso.

Avancei em Jeremy.

— Damon, acalme-se!

Era Alaric entrando, vindo em nossa direção.

— ele quer matar Bella!

— Damon é nosso trabalho, não posso fazer nada, olha vamos relevar por hoje.

— Alaric. — Jeremy se espantou.

— Jeremy, era um sem lei, olha Damon, vou dar uma chance, segure a Bella, ou eu mesmo acabo com ela.

 

Peguei o corpo de Bella do chão e fui saindo, ninguém vai tocar nela.

Deite-a em minha cama. Fiquei observando a sua beleza que aumentou significativamente com a sua transformação, e agora se alimentando, estava cheia de vida, mas eu sabia que não era a minha Bella ali.

 

POV Bella

— O que…? – Abri os olhos e me deparei com dois olhos claros, os azuis de Damon, mesmo no escuro eram visíveis.

— Xiiii… Você só precisa descansar que tudo vai ficar bem. – Damon me olhava carinhosamente.

— Obrigada. – Sorri angelicalmente.

Descansar! E eu estava mais acordada que nunca e o Damon aqui, na cama e sem camisa. Como eu nunca percebi que ele era tão hot assim? E agora que sou vampira, o sexo deve ser melhor… Já que não preciso dormir.

— Eu só estou cuidando de você. – Sorriu de volta.

— Sabe Damon… – Coloquei minha mão no seu peitoral e desci e subi novamente. – Eu não estou com sono, então podemos aproveitar o que acha?

Apertei seu membro gentilmente e os olhos dele, se possível, escureceram. Ele veio para cima de mim de um jeito animal, me beijando com um fogo, que acendeu tudo e se alastrou por mim.

Eu tentava toca-lo em cada parte e ele fazia o mesmo comigo, o desejo nos dominou.

Era realmente verdade, a intensidade dos sentimentos vampiro era enorme, eu o desejava, sim, meu corpo pedia por alívio, eu queria saciar como a sede por sangue eu queria sexo.

Minha blusa logo estava no chão por algum lugar, abaixei minhas mãos na esperança de jogar seu jeans fora do corpo para fazer companhia a minha blusa, mas para minha infelicidade não foi isso que aconteceu.

— Ai! – Disse caída no chão. — Idiota!

— Não faça teatrinho. Você não é a minha Bella, não por enquanto. – Disse se levantando sem mais nem menos e passando por uma porta.

O que deu nesse homem? Ele tomou sangue estragado? Só pode!

Ah Damon Salvatore, você não me escapa, eu vou te fazer me possuir, e vai ficar tão feliz que eu terei a Fera, pois é o Damon Fera que eu quero.

Anúncios