1080693_1394042550813425_1306658376_n

 

 

Noel Gallagher

If I Had a Gun

 

 

POV Damon

Assim que vi Bella acabar com Rose, me livrei do galho que estava enfiado em minhas entranhas, a dor foi imensa, joguei longe o pedaço de madeira, e corri ao lado dela, que estava descontrolada, ela arrancava membro por membro da Loira.

— Bella chega!

Assim que olhei para o lado Emmett Cullen estava correndo e indo embora, fiz sinal para Rick que estava tudo bem. Ele somente correu atrás dele.

Olhei para Bella e seu olhar era de espanto, eu conhecia essa sensação, era tudo multiplicado por mil.

Bella se alimentou de um cervo eu o vi ali caído, mas realmente seu corpo pedia sangue humano, dei graça de Rick ter cheiro de caçador, o que impedia dela ter uma sede mais forte, mas assim que se completa a transformação nosso organismo sente a sede, dor, nostalgia, adrenalina, medo, e tudo isso junto a uma força e sentidos inigualáveis.

Bella estava em estado de choque encarando o que tinha feito com Rose, eu olhei bem fundo em seus olhos.

— Não se sinta mal, você fez o que deveria.

— Mas… Damon… Eu… — Ela suspirou fundo e deitou sua cabeça em meu peito, e deixou o seu choro vir, era forte e sentia-se uma dor forte nele.

Acariciei seus cabelos, ela foi aos poucos se acalmando.

Segurei-lhe em meus braços tentando dar o conforto que ela necessitava, mas eu sabia que o único conforto agora será Bella se alimentar corretamente, ela deveria urgente o fazer.

Peguei em meu bolso um isqueiro e ateei fogo nos pedaços da loira. Peguei Bella em meus braços e fui me direcionando a minha casa.

— E o carro?

Bella do nada levantou sua cabeça, eu sabia que sua mente poderia se distrair facilmente com tudo.

— Pode deixar, pedirei a Lexy e a Stefan que deem um jeito nisso.

— Eu sempre vou dar trabalho a todos.

— Bella acalme-se você agora faz parte de nossa família.

Ela suspirou, mas deixou que o cansaço a dominasse e fechou os olhos, eu a carreguei até em casa.

— Ela está…?

Lexy vinha em minha direção assim que entrei em casa.

— Não está, Lexy escute o coração dela, e sinta seu cheiro.— Stefan a confortava.

— Enfim conseguiu irmão?

— Foi um pouco mais complicado que isso.

Assim que soltei Bella dormindo no sofá de nossa sala, Stefan viu minha ferida em minha barriga e se espantou.

— O que foi isso?

— Um Cullen, na verdade dois Cullen, uma loira e o grandão.

— O que queriam?

— Se vingar da suposta morte do irmão.

— Então eles não sabem dele.

— Fica quieto, vou levá-la para o quarto, e aí falamos sobre isso, ela agora é uma vampira, ela pode ouvir muito bem.

— Deixem, eu a levo, fiquem aí e coversem, mas saibam que vão ter que contar a ela, agora que ela é uma de nós.

Lexy pegou Bella nos braços e a carregou.

— Ela se alimentou de sangue animal, ela não está forte ainda, tenho que resolver isso.

Falei para Stefan enquanto servia um uísque peguei dois copos, um eu dei a ele e sentei na poltrona encarando meu irmão.

— Voltando, se os Cullen não sabem de Edward, o que houve? — Stefan falava preocupado.

— Não sei, eu só sei que não há sinal dele, nem rastro, nem sinal de uma morte ou de uma fuga.

—isso é preocupante. — Stefan falava assim que o uísque era levado a sua boca.

Quando Bella desmaiou no dia em que a salvamos e Edward a mordeu, eu havia sido atingido por uma estaca, caí no chão, mas Rick foi mais rápido e conseguiu imobilizar Edward, só que ele foi mais ágil e esperto, e mesmo Stefan o atingindo com uma estaca, ele pulou a janela e sumiu.

Durante o sono de Bella não vimos mais ele, e nenhum dos Cullen o que deduzimos que foram em bora.

Mas agora essa revelação que nem os Cullen sabem dele.

— Eu creio que se ele não apareceu até agora ele não vai dar as caras tão cedo.

— Mas sabe que terá de contar a verdade a ela né?

Olhei para Stefan eu sabia como Bella reagia a mentira, e com os sentimentos ainda mais arraigados e fortes ela poderia ter a fúria dobrada.

Então meu medo dela saber essa verdade era grande.

— Mas eu tenho que contar, mas antes tenho que fazê-la se alimentar.

— Como ela se alimentou?

— Um cervo passava.

— Damon isso é perigoso, ela não pode brincar com a sede.

— Não vai! Eu vou fazê-la se alimentar tem muita bolsa de sangue aí.

— Damon, sabe que os ideais dela são o pior.

— Sim, mas podemos tentar fazer a transição junto, eu a levo para caçar e ela se alimenta de bolsas, e sangue quente de animal, isso deve funcionar.

— Sabe que ela vai ser uma criatura noturna não sabe?

— Outro problema a ser resolvido, mas está raro encontrar Bruxas.

— Sabe que tem uma linhagem de bruxa aqui em Mystic Falls, não sabe?

— As Bennett, eu sei, mas como chegar a uma bruxa e dizer: Oi sou um vampiro, olha não mato mais, e quero um amuleto para a nova vampira da cidade.

— Damon, essa bruxa em questão, é amiga de Elena, e ela por sua vez poderia pedir.

— Mas tem certeza que vamos conseguir?

— Tentaremos.

Stefan imediatamente ligou para Elena, o problema seria contar a ela que além de um namorado vampiro, ela tinha uma melhor amiga bruxa, e sem contar de seu irmão que logo se revelaria o seu destino.

 

POV Bella

 

Acordei e minha cabeça doía tanto, mas levantei e encarei Lexy estava sentada em uma poltrona, identifiquei rapidamente que era o quarto de Damon, eu sempre reconheceria aquele cômodo mais que qualquer parte daquela casa.

Lembrei-me de tudo automaticamente, de Damon, do carro, dos Cullen, e da morte da Loira.

Olhei para minhas mãos ainda tinham barro e sangue o que me deu asco, mas ao mesmo tempo atingiu um instinto.

Eu senti o cheiro de sangue e senti minha feição mudar.

— Bella está com sede, eu vou buscar uma bolsa de sangue.

Olhei para Lexy.

— Não.

— Como não, você precisa disso, ou vai sentir mais e mais sede.

— Mas é sangue de humano, isso não vai me deixar com mais vontade de me alimentar.

— Bella você é uma vampira agora, sempre vai querer se alimentar, e por isso tem que manter sua sede saciada.

Ela levantou-se, eu segui o gesto, e ainda me vendo toda suja eu só queria um banho, olhei no espelho meus olhos já não estavam mais vermelhos estavam normais, mas assim que cheguei perto de uma réstia de sol da janela, senti minha pele queimar.

Vi um vulto passar por mim, e meus olhos com a nova visão mais melhorada identificou e como câmera lenta eu vi Damon fechar melhor a cortina escura.

Foi ali que notei, nunca mais poderia ver a luz do dia, o sol agora era meu inimigo, eu era um ser da noite da escuridão.

Olhei novamente no espelho, e vi meu rosto mudar assim que escutei as batidas na porta da frente da casa.

Minhas narinas inflaram, e meus sentidos aguçados, fizeram meu rosto se deformar, parte de mim não acreditava em tal mudança, sim presas estavam em meus dentes, e agora eu podia ver, eu era a fera, a qual eu temia ser.

Um desespero se formou em mim, eu queria deixar de ser, mas eu conseguia claramente escutar o batimento do coração da pessoa que estava batendo na porta.

— É a Elena Bella, fique aqui eu vou dizer a Stefan que a mande ir embora, não é bom ela estar aqui.

— Agora é assim eu sou o monstro que não posso ver ninguém que vou querer matar, era isso que eu temia.

— Bella, me escute isso passa! Tudo bem, eu já volto fique aqui.

Foi o que fiz fiquei ali, mas ainda assim, meus sentidos estavam ligados em se focar no coração pulsante, mas veias que bombeavam um líquido para o corpo, eu consegui sentir o cheiro, a pulsação.

Tentei focar em outras coisas, fui deixando que meu instinto não me dominasse.

Mas eu ouvi meu nome, sim ela perguntava por mim.

Fui deixando outros sentidos me dominarem, a audição em lugar do olfato.

As conversas giravam em torno de algo sobre eu sair ao sol, mas eu não conseguia ouvir, pois novamente o sentido de caça me dominava.

Eu poderia me controlar? Não eu não poderia.

Mas algo falou mais forte assim que escutei um copo cair no chão, e um cheiro bom, e somente senti que fui levada pelo instinto.

— Mas que droga Stefan ela se cortou.

— Lexy Corra ver se Bella está bem, Stefan tire Elena daqui!

Mas era tarde, meu lado indomável já me trouxe para sala, e a única coisa que via era vermelho em minha frente, o cheiro de sangue, era doce deixava minha garganta seca e eu só pensava em me saciar.

Então fui em direção ao único ser com sangue quente daquela sala.

Mas senti meu corpo sendo jogado e eu me chocava contra uma mesa.

— Stefan não tão forte, leve Elena daqui.

Vi Damon dando as ordens e vindo em minha direção, mas um instinto de caça me dominou, e eu o ataquei.

Mas senti mais um braço me segurando, era Lexi me imobilizando, Damon a ajudou e me carregaram para o quarto.

Foi quando me dei conta do que fiz.

— Não eu não pude atacá-la, Elena não.

O choro intenso me dominou, eu me encolhi feito uma bola, agarrando maus joelhos, e ali com corpo e força de um vampiro, eu nunca havia me sentido tão frágil em minha vida humana como estava me sentindo agora.

— Bella vá tomar um banho, vamos eu vou com você.

— Não, saia daqui, vai embora.

Ele me encarou nos olhos.

— Desculpe por isso, eu queria evitar a vinda de humanos aqui, mas Elena veio por um bom motivo.

Ele estendeu uma joia, uma pulseira que continha um brasão.

— O que é isso?

Ele sorriu.

— Sua pulseira do sol, enquanto usá-la, pode ser livre ao sol.

— Como? Digo, quem fez?

— Há muitos anos havia um clã de bruxas aqui em Mystic Falls, esse clã eram as Bruxas Bennett.

— Bonnie é uma Bennett!

— Isso mesmo. Então sabíamos que ela era uma bruxa, hoje Stefan pediu a Elena esse favor, Mesmo Bonnie ainda estar começando com seus dons ela conseguiu.

— E Elena veio me fazer essa boa ação e eu acabei fazendo isso com ela. Pode me deixar sozinha Damon, eu tenho que me recompor.

Damon nada disse, ele sabia que eu necessitava de meu tempo, sozinha.

Decidi que realmente eu necessitava de um banho, a lama, o sangue tudo estava em mim, eu estava suja.

Mas era minha alma que estava mais negra.

Livrei-me da roupa suja, e fui até o banheiro, a água quente, ela me fez sentir um pouco da humanidade que ainda restava em mim.

— Quem disse que é humana?

Olhei para todos os lados e nada, não havia ninguém, então achei estar ouvindo vozes, sim, além de vampira é louca.

— E fraca.

Novamente olhei para todos os lados, até que me deparei com uma cópia de mim, sim outra Bella estava ali do meu lado imponente, não como a fraca aqui ela tinha razão.

— Você é fraca quando pode ser forte, quando pode dominar.

Resolvi falar com a outra EU.

— Não sou fraca, mas eu não domino.

— E o que há para dominar? Isso não se domina, põe em sua cabeça, você é uma vampira.

Ela falou pausadamente, eu fechei meus olhos e a outra Bella sumiu.

Alem de atacar minha amiga agora estava ficando doida.

Eu tinha atacado Elena, não, eu poderia tê-la matado.

A dor me invadiu, eu encostei minhas costas no azulejo e deixei meu corpo escorregar, senti quando sentei no chão do Box e a água ainda escorria, eu abracei meus joelhos e deixei a dor me dominar.

Eu era um monstro, eu podia matar as pessoas que amo eu não podia estar perto delas.

Abracei meus joelhos e ali fiquei, nem percebi o tempo, eu só deixei que a dor passasse o mais possível, já que totalmente ela não passava.

Ao sair do banho, sentada em cima da cama estava novamente a outra Bella, sim a minha visão.

— Bella fraca, até quando vai lutar, vai chorar?

— Eu quase matei uma pessoa.

— É um risco, mas se souber quem matar não há remorso!

— Não se mata e fica sem remorso!

— Como se nunca tivesse matado antes.

— Aquilo foi diferente era uma vampira e ia matar Damon.

— Estou falando antes disso.

Foi quando me lembrei, sim eu já matei, mas foi em um caso, era diferente.

— Não foi diferente, era humano, mas um humano que não tinha valor, um assassino que você perseguiu.

— Como sabe disso? Como sabe o que penso?

— Bella boba, eu sou você.

— Não é não!

— Sou sim, sou seu lado detetive, o lado forte, aquele te fez investigar a morte de sua mãe até o fim, aquele lado que te deixou ser forte esses anos todos.

— Isso é uma piada! — A miragem ainda tinha argumentação isso só podia dizer que eu estava louca.

— Não sou uma piada, e se me deixar dominar mais que esse lado infantil e emocional eu te garanto, não vai sofrer.

— Como assim?

— Suas emoções humanas estão muito ligadas, essa não é você, não vê? A Isabella, a detetive Swan essa sim era mulher de fibra e onde está vendo ela aí?

— Em nada.

Realmente não via nada de mim mesma, aquele meu lado tinha razão, eu estava sendo uma fraca.

O que fazer para não deixar essa dor me dominar essa parte fraca, olhei no espelho eu via uma Bella fraca e que podia explodir.

Olhei para o lado e ali estava uma Bella imponente a qual eu fui durante toda minha vida, aquela que foi a forte a detetive.

Se ela fui eu durante humana, eu deveria ser ela enquanto vampira.

— O que eu tenho que fazer para ser assim novamente e não sentir mais essa dor?

— Desligue o que sente, desligue essa dor, desligue os sentimentos humanos e fracos.

Olhei no espelho novamente, olhei para a Isabella que estava de jaqueta de couro bota e toda imponente, eu não queria ser essa Bella fraca eu queria ser a Bella forte, não deixar meus sentimentos me dominarem.

— Eu desligo.

E nesta decisão eu olhei novamente para o espelho, agora era eu que estava ali, de couro e bota, estava sorrindo maliciosa, e imponente, e não sentia mais nenhuma dor, ou fraqueza.

Nenhum sentimento me dominava mais.

Não estava sentindo nada!

Notas finais do capítulo

N/I:E agora? Bella desligada?
O que vai acontecer?
espero os comentários de vocês
N/V: Ai minha nossa! Bella desligada! Tá todo mundo fudi…
hashuashuas nada não!
Ooi lindas e lindos (eu sei que há boy lenndo!)*-*
Tudo bem? Um att ! VIVA!
Sorry a demora… mas sabem néh?
Enfim, beijos e nos vemos nos reviews :3

Anúncios