ILF cap 11

Lucinda Price, sim o nome me veio à mente e imediatamente as lembranças de outra vida, outra vida que tive. Uma vida sofrida.

Flash back on

1867

Eu vivia com minha mãe, novamente meu pai era um militar, ele estava em uma guerra, quando recebemos a carta anunciando a sua morte no campo de batalha, eu tinha apena 10 anos, quando ele entrou em nossa casa, Daniel Grigori, ele estava disfarçado de soldado, e foi muito cordial em suas apresentações e condolência, mas infelizmente a situação fora outra.

Minha mãe ofereceu abrigo para ele durante a noite, eu ainda nem em meus sonhos ou qualquer vestígio das lembranças de minhas vidas vinham em minha mente, então não sabia de quem se tratava e quem ele era, e foi assim que tudo aconteceu.

No dia seguinte eu fui ao campo com minha amiga Luci, sim ela a mesma Lucinda Price, no entanto era loira de grandes olhos azuis marcantes, gostávamos de colher flores e frutas, e imaginar como seria nosso futuro, Cameron meu primo era da mesma idade nossa, ele chegava e gostava de brincar junto conosco, mas a sua preferencia era me irritar constantemente.

Neste dia estávamos os três no campo, quando avistei o soldado Grigori se aproximando, e foi quando tudo aconteceu:

–Bella o que esta acontecendo? Quem é aquele homem?

–É o soldado que trouxe a carta sobre meu pai.

–Mas estas coisas o que são?

Luci estava apavorada.

Uma rajada de vento veio em nossa direção e o campo estava tomado por um furacão pequeno, Grigori se aproximava e juntamente várias sombras estavam se espalhando pelo campo, elas giravam em torno de nos três, Luci já estava chorando, eu abri meus olhos e consegui ver claramente as sombras, era horripilante.

Foi quando uma luz surgiu, a luz era tão forte que nossos olhos arderam, eu tentei focar no que acontecia quando meus olhos se obrigaram a fechar.

Escutei vários barulhos e gritos tanto de Cam como de Luci, meu peito estava esmagado, eu abri meus olhos e via que as sombras tentavam guerrear com as luzes, olhei para o senhor Grigori, ele estava próximo de mim, e foi quando asas se abriram, asas negras brotaram de suas costas, e ele estava prestes a me pegar, quando uma das luzes o jogou para longe, neste instante uma sombra me envolveu e meu corpo ficou totalmente imóvel, e senti que tudo se apagou.

(***)

Acordei estava em um lugar úmido, observei aos redores não havia muitas coisas, uma cama, uma lareira, e todo revestido de pedra, nas janelas tinham grades, levantei sentindo-me tonta, olhei para o vestido que minha mãe tinha bordado e estava em farrapos, olhei em volta e nada me lembrava algo conhecido.

Fui em direção a porta de madeira, mas como uma parte que tinha grades, tentei abrir o trinco, mas nada. A porta estava trancada, a dor me invadiu. O que queriam de mim? E Cam e Luci, onde estavam?

Minha mãe estaria procurando por mim?

Comecei a chorar e sentei na cama, em alguns minutos senti uma mão pegando em meu ombro.

–Olá pequena Bella.

Olhei para cima e meu coração saltou era o Senhor Grigori, as lembranças do que aconteceu no campo invadiram minha mente, o medo era o único sentimento que eu podia ter, o coração martelava freneticamente.

–O…- engoli seco- … O que o senhor quer comigo? – gaguejava.

–Não posso fazer nada a você, se não eu posso alertar os anciões e aí eles me encontraram também, e não temos forças suficientes pequena, ainda não.

–O que esta falando?

–Pequena, ainda é jovem de mais, 10 anos de uma vida miserável, mas nem sabe que já viveu muito pequena, eu tenho pena de que tenha que passar por tudo isso..

–Então porque esta fazendo?- eu chorava sem entender uma palavra sequer do que ele dizia.

–Porque é o que tenho que fazer, veja bem, eu quero minha vida Bella, eu amo a Terra e se para isso eu tenho que mantê-la aqui é isso que farei, olha… – ele passou a mão e meus cabelos.- …Sempre linda e vai ser mais linda ainda, só que jamais verá lá fora.

Ele colocou em cima da cama uma muda de roupas, e se retirou.

O que eu fiz para merecer isso? O choro intenso me tomou, mas nada mudou, eu passei os anos da minha vida presa naquela sala, sem companhia, somente Daniel Grigori que sempre vinha me visitar, ele me contava como andava o mundo sempre muito educado, me deixava ler, e o que me dava esperanças era ler nos livros sempre a salvação da donzela por um príncipe…só que a realidade sempre fora outra…

FIM DO FLACH BACK

 

–Senhorita Swan!

O professor me chamou atenções e Edward me deu um leve cutucão e sussurrou alguma coisa sobre as células que eu rapidamente só repeti mesmo sem saber o que se tratava.

Olhei em direção de Lucinda, ela estava prestando muita atenção na aula, no entanto eu comecei a reparar em seus traços, da ultima vez que a vi fazia só mais de um século, como ela podia ser tão jovem e linda, suas feições e traços eram mais perfeitos, e seus longos cabelos agora negros.

Olhei para Edward que mesmo sem ler minha mente entendeu minhas duvidas e olhou novamente em direção ao professor que ainda fazia perguntas aleatórias a turma, ele perguntou a Edward algo sobre a corrente sanguínea vi em seus lábios brotarem um leve sorriso, ele respondeu corretamente eu acompanhei seu olhar, e logo ele sorriu

–Bem esta pergunta me deu sede.

–Edward como pode?

–Veja Bella ela não é humana mais.

Olhei novamente e agora sua mudança fazia sentido, ela não era mais humana.

–Edward ela é uma vampira? Mas por quê?

–Lembre Bella e entenderá.

Neste instante eu não pude me lembrar de mais nada, pois as perguntas estavam mais difíceis e o ritmo do professor atrapalhou meus pensamentos, era estranho como agora estar ali e estudar não era algo de importância significativa sabendo que nossa vida era este misto de complicações e que tínhamos um destino a cumprir.

Depois de mais umas aulas chatas e entediantes, estávamos no intervalo, antes que Jessica se aproximasse para mais observações ridículas, eu encontrei Edward e logo me enlacei nele, esquecendo até que estávamos em publico e na escola, eu lhe dei um beijo que só não intensificou, pois ele me lembrou onde estávamos.

Depois de pegar meu almoço muitas lembranças invadiram minha mente, mas antes que pudesse viajar em meus devaneios Luci aproximou-se de nossa mesa, juntamente com Alice.

–Olha quem esta aqui, isso não é uma maravilha Bella?- Alice estava muito empolgada de Luci estar ao seu lado, e ao invés de tradicionalmente estarem enganchados em Jasper, seus braços envolvia agora Luci.

–Porque esta animação toda?- Edward estava sorrindo como se fosse à coisa mais normal do mundo, eu ficava perdida, em minhas vidas eu perdia coisas partes entre nascer, ser criança, até chegar à puberdade e encontrar as lembranças e Edward, mas o que ocorria neste meio tempo eu era totalmente alheia.

–Ai seu bobo, é difícil ser a única estranha.

–Eu sou estranho, Jasper é estranho e não reclamamos.

Estavam em uma conversa paralela esquecendo até que eu era a humana que voltava varias vidas, isso não é mais estranho?

–Edward, não digo de dons, mas eu sou uma vidente, Luci é uma bruxa, somos vampiras mais estranhas, isso nos une, ah Bella desculpe te excluir, mas você sabe que depois que a sua amizade comigo e com Luci nos aproximou somos muito parecidas.

–Espera aí? Bem eu ainda tenho coisas que nem lembro esqueceu? E ainda estou perdida com tudo.

–Relaxa Bella.- Luci sentou-se ao meu lado, ela era realmente linda e suas roupas coladas e seu ar gótico ajudava.- Tenho certeza que as lembranças voltam, sempre é assim com Edward, conosco não será diferente, mas me de uma braço que senti sua falta

Eu a abracei e mesmo ela sendo uma vampira eu sentia conforto, o mesmo conforto que senti quando fui resgatada de Grigori naquela outra vida.

–Lembrei de alguma coisa e tudo bem eu sei que vou lembrar o resto.

Foi quando Cam se aproximou de nossa mesa e seu olhar foi espantado, ele mal disse nada e ia se retirar quando Luci levantou-se e foi atrás dele.

–Acho que ele ainda não aceita bem isso!- Alice disse observando a cena.

–Estes dois ainda têm muito que aprender né meu amor?- Edward pegou em minha mão por baixo da mesa, e eu lembrei exatamente do dia de meu resgate.

Flash back on:

1870

Eu já estava com 15 anos, o único vislumbre que eu tinha da luz do dia, que eu podia ver lá fora era através da pequena janela que iluminava, eu sempre subia em algo pelo menos para alcançar e ver a luz do sol por mais simples que fosse, era significativo, pois mostrava que lá fora ainda tinha calor.

Naquele dia em especial eu me perdi em pensamentos observando o sol se por na colina, foi quando percebo que Daniel não tinha ido me ver aquele dia, então algo estranho, pois ele não deixava se quer de uma vez ao menos no dia aparecer.

Mas em instantes eu escutei um barulho forte e me lembrei do dia na clareira, eram as sombras elas faziam este barulho

Foi quando eu me assustei, a porta foi arrombada, e o vi, era lindo tinha os cabelos negros e levemente colados na testa, seria meu príncipe ao qual eu sempre sonhei?

Mas nem de longe ele parecia quem eu sonhava, mas ele estava ali, foi quando uma bela jovem loira de olhos lindos apareceu, ela estava com um tipo de luz em suas mãos e me olhou.

–Vamos Cam, não vou conseguir segurar as sombras muito tempo.

Cam, oh meu Deus, eu reconheci sim, o olhar e a fisionomia dos dois, eram Luci e Cam, eu corri em direção ao meu primo que me recebeu com um abraço.

Eu me senti segura, mas fui praticamente arrastada para fora, assim que saí do pequeno castelo antigo eu pude pela primeira vez em cinco anos ver a claridade do dia novamente.

Assim que estávamos longe do velho castelo perto de um riacho Luci veio em minha direção e me abraçou forte.

–Ai que bom ter te encontrado, sabe como foi difícil?

Sentamos-nos na beira do rio e ela me contou que depois do ocorrido na campina ela descobriu muitas coisas sobre ela, e dela ser uma bruxa, e com feitiços ela conseguiu fazer a memoria de Cameron voltar.

–Então é isso? Eu tenho várias vidas e este tal de Daniel que me afastar de quem é meu verdadeiro amor?

–Mais complicado um pouco, mas a base é isso – Cam dizia despreocupado, eu vi quando Luci se deitou em seu colo e ele afagava seus cabelos.

–Vocês?.. bem estão juntos?

Eles riram.

–Sim, nos aproximamos muito com isso e Luci é a pessoa mis altruísta que conheço, veja hoje ela se arriscou muito por você

–Estou cansada, usar magia contra as sombras me deixou exausta, não liguem se eu pegar no sono.

Cam depositou um beijo na testa de Luci, e logo ela fechou os olhos.

–Bella vai ter que se lembrar, temos uma jornada e você precisa de motivação para lutar.

–Por quê?

–Edward, sua alma gêmea, a quem Daniel quis te afastar ele esta prestes a fazer uma loucura.

–Como assim?

–Ele quer se matar, ele acha que se por fim na vida dele, Daniel vai deixá-la em paz.

FLASH BACK OFF

 

Escutei a cadeira ao meu lado sendo arrastada e Luci se afundou nela nervosa, olhou para mim e deu um sorriso torto.

–Ele jamais vai me perdoar Bella.

–Como assim? Ele te ama.

–Não, ele ama a Luci humana, ele não aceita o que eu fiz.

–Me refresque a memoria que eu só lembrei até nos decidirmos salvar Edward da loucura que ia fazer.

Olhei para Edward o recriminando, não gostava desta parte de nossa historia que louco imaginar que pondo fim a sua existência isso acabaria. Ele me olhou com olhar de perdão sabendo que eu odiava aquilo.

–Mas vejamos Bella, eu fiz a pior coisa, desculpe vocês vampiros, mas Cam é totalmente a favor de conseguir a cura, e sabe que ele acha que o vampirismo tem que acabar, e eu vou lá e me transformo em uma.

–Tá, mas já disse o que a levou a fazer isso?

– Bella você morre e Cam morre, mas aí me diga, vocês voltam, Edward sofre com isso, mas aí sabe que daqui a alguns anos vai te ver, mas o dia que Cam caiu duro morto ao meu lado no dia que você morreu de pneumonia, e ele também, eu não tinha esperança nenhuma, eu queria ele, e sabia que ele voltaria, então foi à alternativa.

–Bem, lembrei disso, ele não gostou desta sua atitude, e me diga qual é a da mudança?

Ela riu

–Não é obvio? Eu estava em busca de vocês e não queria que Daniel me encontrasse, eu já mudei tanto de cor de cabelo, de estilo que nem lembro.

– Certo, mas ele deve aceitar o que você fez por amor.

–Igual a mim quando fui fazer a loucura. – Edward se intrometeu no assunto.

E a lembrança desta loucura veio em minha mente.

Flash back on

Em dias de caminhada eu sonhava muito com um rapaz diferente que mexia comigo, até que Luci teve a ideia.

–Bella eu posso usar seus sonhos para voltar à lembrança, eu tenho certeza que sonha com Edward.

E foi assim que ela usou um dos meus sonhos.

“Estava em uma casa linda bordando ao lado da lareira, uma família estava ao lado de um piano, eles eram perfeitamente lindos, um homem de cabelos claros, ao lado de uma ruiva de sorriso meigo, uma garota baixinha sorria debruçada no piano, ao seu lado um rapaz loiro enganchava em sua cintura, ao piano estava ele, o rapaz dos meus sonhos, ele tocava uma melodia doce, e sorriu para mim que retribui, deixei o bordado e fui a sua direção sentando ao seu lado, e ali eu lembrei, era meu marido, eu tossi e ele me olhou preocupado e disse que eu deveria repousar, eu disse que ia ficar ali sentada ao lado da lareira que não aguentava estar deitada.”

Acordei lembrando Edward sim de outra vida, e a motivação me veio.

Chegamos a Volterra e foi difícil conseguirmos encontrar ele, mas assim que o encontramos ele estava prestes a fazer uma besteira.

Foi lá que Luci conheceu Alice e ali se tornaram amigas, depois de enfrentar a fúria de vampiros, nós ainda tivemos alguns anos juntos, mas a pneumonia me pegou e eu morri com vinte anos, mas eu poderia dizer que os 5 anos ao lado de Edward compensaram todos os 5 que fiquei presa.

Fim do flash back

–Entendo que você pensava isso, mas ainda acho que foi demais, mas temos que falar com Cam, ele não pode ser ignorante assim.

Foi aí que ele estava atrás de mim.

–Não estou sendo ignorante, eu só queria entender.

–Cam, pare de drama e sente-se aqui conosco.

Alice puxava a cadeira ao seu lado.

–Não, Luci,quero falar com você e á sós.

Olhei para Edward que se matava de rir.

–O que eu perdi?

–Ai Bella seu primo é um frouxo, ele tá com a maior vontade de pegar ela de jeito, ainda mais que convenhamos, Luci esta arrasando, e fica ai fazendo este drama.

–Seu idiota, está achando ela gostosa hein?

–Não Bella, a única que acho gostosa aqui é você- ele sorriu e sussurrou em meu ouvido.

–Onde aprendeu a falar assim, você costumava ser mais cavalheiro.

–Bem as coisas mudam, e sei lá, só de imaginar mais uma vez que você está virgem.

Eu me espantei com a forma que Edward havia mudado, claro que não importa, pois estávamos em vidas diferentes, mas aquilo estava sendo exagerado.

–Bella da um desconto a ele, desta vez demorou muito até vocês ficarem juntos de novo.

–Há entendo isso realmente.

Bem se contarmos depois que morri no parto de nossa filha eu tive uma vida inteira sozinha que casei, morri velha e depois a vida que me prostituí.

`-Bem, eu não fiquei este tempo sem nada, já você, entendo sim o porquê esta assim. – peguei o refrigerante em minha bandeja e fui colocá-lo na boca, mas antes eu disse: – Eu posso repensar em minha decisão de esperar muito.

E bebi o refrigerante ganhando um olhar de espanto de Edward e um sorriso malicioso.

Anúncios