PF 3 capítulo 1

Mente aberta.

Como você se sentiria deitada ao lado de Edward Cullen, não, deitada ao lado do “Tio” Edward Cullen? Não me diga, espere…

Abri meus olhos e lá estava os olhos dourados me fitando, Como? Como posso dormir com esse homem na cama, Meu Deus? Depois das noites quentes que tivemos, eu tive que desmontar igual. Um lobo? Não, uma loba.

– Bom Dia – Disse Edward interrompendo meus pensamentos. O sorriso brotou em meus lábios, como não poderia sorrir?

Minha barriga estava embrulhando, Edward percebeu.

– Vamos para as necessidades matinais. – Isso não era uma pergunta, acho. Não entendo Edward, ele é meio misterioso?

Mas assenti.

(…)

Já estávamos na cozinha, e como sempre, ele preparando o café para a Loba faminta, eu podia me alimentar com ele em uma caça, mas eu gostava do sabor das panquecas e dos ovos de meu marido, nossa como isso soava interessante em minha mente apesar não ter dito isso em voz alta ainda o suficiente para me acostumar.

– Oque você quer fazer hoje?- Ele sabia muito bem oque eu queria.

– Hun… – meus pensamento voaram para o mar e nadar nua, que eu amava, só que agora com a companhia.

– Para de pensar em bobeira, Belinha. Hoje vamos fazer outra coisa.

Ele me pegou pela cintura e nossos lábios estavam tão perto.

– Não é isso que está pensando, ó mente poluída!- Ele pode ver meus pensamentos bem claramente, meus pensamentos eram abertos a Edward, mas eu conseguia selecionar algumas coisas, mas estes pensamentos mais pervertidos eu deixava a todo tempo escapar.

Ignorei essa, e o puxei para mais perto. Começamos ao nos beijar, ele não estava correspondendo! Oque ele queria?

– Me fale sua proposta de hoje, então!- Eu me rendo! – ergui minhas mãos em sinal de que desistia.

– Vamos fazer coisas diferentes!- ele me encarou, eu juro que vi um olhar malicioso e um sorriso maroto naquele rosto lindo e perfeito.

– Como assim?- Nem preciso dizer que minha mente voou longe em ideias.

– Para de pensar em bobeira, Belinha! Parece que deste que você virou “loba”- Ele fez a forma entre aspas. – Você ficou mais quente?

Entendi entre os dois sentidos.

(***)

Nunca esperava que Edward quisesse. Nadar com os golfinhos? Ou só eu? Porque parecia que os golfinhos saíram de vista depois que Edward apareceu. Parecia que viram um tubarão atacando num aquário gigante onde nós estávamos.

Realmente era lindo, eu por outro lado tinha minha parte loba que me fazia ter uma relação com os animais mais fácil, era incrível como isso me dava uma vantagem na caça, e sempre que disputava com Edward eu acabava ganhando.

Cheguei próxima a ele, e me enganchei em suas costas, ele começou a nadar em uma velocidade impressionante, na agua mesmo com minha parte vampiro eu ainda era mais lenta que ele.

Em instantes estávamos à beira da praia, eu não pensei duas vezes ao retirar meu biquíni, e fiquei de frente a ele.

–Vamos Edward, já nadamos com golfinhos agora quero algo realmente diferente.

Ele me encarou e seu olhar de luxuria era intenso.

Ele não demorou a capturar meus lábios, e traçar o contorno de meu corpo com suas mãos frias, que eram agradáveis a meu corpo quente.

Em instantes estávamos caídos na areia, e ele observava o sol bater em minha pele, eu não brilhava como ele, mas alguns raios de sol deixavam algum brilho violeta.

–Acredita que minha cor favorita sempre foi o azul, mas agora descobri que é violeta.

–sei, – pisquei meus olhos para ele, eu sabia que meus olhos violetas eram diferentes, mas ele amava e isso me fazia amara a cada dia mais estas mudanças.

Ele mordeu de leve meus seios, arrancando gemidos de meu interior.

Eu estava entregue absolutamente, ele me tinha em suas mãos, eu amava mordidas ele desceu seus lábios por todo meu corpo, mas evitava onde estava meu ponto quente.

Aquilo estava me enlouquecendo.

Mas logo ele chegou ao lugar exato do prazer, e ali mesmo na areia, ele estava sugando toda minha excitação, ele era habilidoso e sentir sua língua gelada, era tão prazeroso, era o misto do quente e do gelado, fogo e gelo.

A ilha era deserta, o que nos dava a privacidade de estará li ao ar livre desfrutando do prazer.

Ele voltou seus beijos ate meus lábios e se colocou em cima de mim.

–Belinha era isso que queria?

–Isso, sempre

–Como vamos nos controlar em?

–eu não quero me controlar.

E então senti que seu membro me penetrou, sempre era a melhor sensação de todas, e seus movimentos eram sempre vorazes e impetuosos, dignos de um vampiro, eu não deixava pra traz eu intensificava os movimentos arrancando gemidos de Edward.

 

Quando o prazer foi liberado de ambos, deitamos ali na areia e eu fitava o céu.

–Belinha sério! Terá que controlar-se, sabe que depois que a lua de mel acabar estremos novamente ao mundo real.

–eu sei e não quero pensar nisso agora.

Fechei meus olhos eu tinha muitos motivos para querer evitar a nossa volta

–o que esta me bloqueando?

–Como?

–Você esta me bloqueando, isso quer dizer que me esconde algo!

–Nada de mais, eu só não quero voltar, podemos ficar aqui por quanto tempo?

–Meu amor, o tempo que desejar, no entanto temos uma família que certamente você quer aproveitar.

–sei, aquela historia que minha mãe um dia vai morrer, sei disso, mas é que.

–o que? Diga-me ah algo te incomodando

–Edward eu somente… – não podia esconder isso dele, eu sabia que devia falar a ele, então suspirei e encarei.

–Edward olhe para mim, a algo que tenho que te falar, é o motivo que estou com tanto medo de voltar.

Continua…

Anúncios