Olhar aquela campina era sentir como se novamente estivesse tudo bem,era ao mesmo tempo irracional e libertador, olhei para Edward que estava atento ao que eu ia começar a contar a ele.

Bem era o ano de 1986.

–Quando completei 10 anos, os pesadelos começaram.

–Quando tinha completado 14 anos, meus pesadelos vieram com força total, eram noites que minha mãe passava acordada velando meu sonho.

–Sempre tive a sorte de nascer em famílias carinhosas e que tinham uma posição social razoável, no entanto, nesta minha vida minha mãe fora uma mulher que ligava demasiadamente a sua posição social, e ao que os outros iriam pensar, então depois de muitas tentativas em livrar-se de meus pesadelos, ela resolveu tomar a decisão mais drástica possível, ela me internou em hospital psiquiátrico.

Pude perceber o olhar de Edward mudar ele estava completamente perturbado tentando imaginar como fora minha vida passada.

–O hospital de nada adiantou, pelo contrário, os pesadelos pioraram e ainda começaram a vir acompanhados das visões, era tão amedrontador, pois nunca a minha memória voltava primeiro com as situações boas e sim sempre a morte é a primeira memória que tenho. A medicação também não me ajudava muito, estava cada vez pior, e os tratamentos cada vez mais radicais.

–Com muito custo consegui descobrir uma forma de esconder os comprimidos, e aos poucos eu retomava meu estado, e mesmo com as visões e sonhos, eu decidi que aquele não era meu lugar, um dia decidi fugir, o muro era alto, mas consegui.

–Você sempre foi boa em escaladas, às arvores eram sempre seus lugares favoritos.

–Para loucura de Alice não era. Mas continuando, vivi nas ruas por um período, até que Daniel me encontrou.

–Grigori?!- pude ver olhar de ódio assumir as feições perfeitas de Edward, sua mão serrou em punho, mas continuei.

–Até então não sabia quem ele era, mas ele foi o pivô de minha destruição, foi através de Grigori que me envolvi nas drogas.

–Drogas?!- o espanto de Edward foi tão grande, pude ver dor e amargura em seu semblante, mas sabia que como um curativo, a verdade devia vir de uma só vez.

–Edward eu me prostitui, acabei com minha vida, e a cada dia meus pesadelos piorava, eu tentava me manter o maior tempo acordada possível, estava acabada, e quando cheguei aos meus 17 anos, podia dizer que estava mais acabada que uma velha, minha vida, pele, saúde, tudo tinha ido para o espaço.

–Bella se soubesse disso, como Alice não a viu nesta vida?

–Porque nenhum de nós procurava o outro, esta é uma teoria que tenho, mas voltando a minha decadência, a minha vida estava destruída, quando Cam me encontrou.

–Cameron. – seu olhar de repulsa foi maior ainda.

–Edward pare com esta implicância com Cam,

–Sei toda aquela historia de guardião e tal, mas Bella, ele sempre tem que ser tão insuportável.

–Edward você tem esta implicância com Cam desde nossa primeira vida juntos, quando soube de meu casamento arranjado com ele.

–Certamente Bella, não o suporto.

–Ele nada tinha haver com aquilo, o arranjo era de família, e ele já nos ajudou muito.

–Não nego que Cameron sempre foi um bom protetor seu…

–Me responda o porquê à implicância com ele? Você já sabia quem ele era não sabia?

–Por isso mesmo, se ele não gostasse da cidade logo iria embora, eu tinha uma certeza que se Briel estivesse na cidade você certamente chegaria logo. E ainda mais ele realmente nesta vida veio insuportável. Mas continue.

–Depois que Cam me encontrou, ele me ajudou com a reabilitação, e aos poucos ficou claro que os sonhos eram lembranças, se minha cabeça não estivesse tomada pelas drogas eu teria percebido antes. Foi aí que começamos uma busca por você, Cam me ajudou muito, o dinheiro era escasso, e as buscas não eram fáceis.

–Bella se soubesse…

–Alice me contou que você passou por algo parecido.

–Sim, eu também tentei afogar minhas lembranças.

Nossos olhos se encontraram, peguei em sua mão, deitei em seu ombro.

–As buscas foram em vão Edward, o poço sem fim que se instalou em mim foi tão grande.

–Sei que não posso falar de sonhos verdadeiros, pois na realidade nem durmo, tem sido assim a minha existência até o momento em que você entrou nela, Bella Swan, se não fosse minha memoria perfeita, eu mal lembraria seu rosto, sempre fora desta forma, em cada vida, e a todo o momento que te encontrava. Realmente aqui ou finalmente eu consigo sonhar? Que estou com você em meus braços.

– Quando estava sozinha, a distância causava esse silencio, eu não tinha sua voz, sê não fossem as lembranças, me restaria apenas o vazio, pensava em você sorrindo, com orgulho não seus olhos dourados, como um amante que suspira. Eu pensava será que ainda me quer como te quero, será que iria me desprezar? Eu tinha muitas duvidas de qual seria a sua reação meu senhor.

–Eu estou realmente ficando louco, pois sonho acordado, e a vejo aqui em minha frente, eu preciso realmente pedir perdão, realmente eu nesse momento preciso de seu perdão Bella.

Nossas falas eram semelhantes á de séculos passados, nossa forma de se comunicar era tão singela sempre.

–A dor em meu peito era de certa forma a maior Edward, eu sentia que seria esmagada pela dor, senti que tudo estava perdido então eu só tinha uma forma de ter a certeza que te veria novamente.

Ele nada disse, fiquei ali tentando medir as palavras, mas elas não poderiam ser medidas, eram palavra duras, mas eu teria de dizer.

–Edward, eu coloquei um fim a minha própria vida, me suicidei.

Ele me abraçou forte, à medida que sua força não me machucasse, passou as mãos em meus cabelos.

_Oh tão bela criatura, tão delicada, – ele passava as mãos em meu rosto enquanto seu olhar era de dor. -Como foi?

– Não há como usar palavras bonitas nesta hora, estava no Canadá, tínhamos visto umas reportagens sobre algumas atividades suspeitas, mas mesmo assim fora inútil, eu estava cansada, eu tinha 20 anos, minha vida não tinha sentido, te encontrar estava sendo um fardo enorme, então um dia subi o penhasco e orei tão forte, naquela vida não tive coragem em momento algum de falar com os céus, mas eu pedi uma nova chance, e se não fosse eu sabia que minha atitude de acabar com a minha vida podia então dar um fim a este ciclo, Cam não soube e se soubesse ele me impediria, certamente, pois como você sabe assim que morro, ele morre também.

Edward me abraçava forte, e não tinha como explicar a gratidão que tinha dos céus por ter novamente a chance de estar com ele, eu pedi esta chance e a tive, e as lembranças vieram a tona:

 

Learn to Fly – Foo Fighters

http://http://www.youtube.com/watch?v=0E89RAcXKDg

 

Flash backOn

Subi a trilha que daria no penhasco, estava andando e sentindo a leve brisa que vinha do mar, eu podia sentir o cheiro da agua salgada, e minha garganta podia sentir a maresia.

As vozes em minha mente estavam cada vez mais fortes, elas diziam que não, que aquilo era errado, que eu não poderia fazer tal ato, era contra todas as leis nem os anjos poderiam me salvar.

Então tentei não escutá-las, ai como eu queria que Grigori tivesse feito o serviço logo, e não me colocado neste poço sem vida ao qual eu estava.

Um dos mensageiros, eu sabia que sempre estava ao meu lado, então comecei a falar sabendo que ele me escutaria.

–Corra e conte todos os anjos, isso pode durar anos e eu não o encontrarei.

Eu falava com as vozes, alguns diriam que era loucura, mas sabia que eles estavam ao meu lado, só não podiam me impedir.

–Acho que preciso de um demônio para me ajudar a acertar as coisas, pois os céus, óh céus, eles não me ajudaram até agora – onde está escrito que eu devo encontrá-lo sempre? Porque essa é uma mentira.

Blasfêmias saiam de meus lábios, eu estava atordoada com cada lembrança invadindo minha mente, e saber que o único motivo de meu sofrimento era a minha estupidez.

Neste instante cheguei ao penhasco olhei para baixo, a agua batia nas pedras, eu continuava a falar com os anjos, ou para quem fosse que estivesse me ouvindo.

–Estou procurando no céu algo pra me salvar, procurando um sinal de vida, pois minha vida já não tem sentido sem ter alcançado meu amor, procurando algo para me ajudar a acender o brilho, eu perdi meu brilho nesta vida, e não posso alcançá-lo mais. Estou procurando por complicações, quero respostas, quero vê-lo, quero ter a chance de tentar.Procurando sempre uma saída, porque eu estou cansada de tentar, cansada de ser em vão, cansada de ser o problema e nunca a solução.

Foi neste instante que fechei meus olhos, e fiz um pedido:

–Quero fazer com que minha alma ganhe redenção, e que meu espirito ganhe a chance de tentar novamente, sei que é loucura por fim a tudo, porém não consigo fazer meu caminho pra casa, quero aprender a voar.

E saltei no penhasco.

A queda foi tranquila, nada de lembranças ruins assumiam a minha mente, e somente as lembranças boas, nosso primeiro encontro, nosso casamento, nossa primeira vez juntos, rodavam em minha mente enquanto eu sentia o vento soprar, escutava a agua batendo nas pedras.

–Voe por aí comigo, não vou conseguir fazer isso sozinha. – eu imaginei claramente suas feições e ele estava ali comigo, caímos na agua, e eu estava tranquila, nada me assustava.

Eu sabia que tentar e viver minha vida sozinha, não era mais a solução.

Foi quando uma onda me levou para trás, e senti minha cabeça bater na pedra, e não me lembro de mais nada.

 

 

 

Flash Back Off

–Entende agora porque não adiante nos mantermos separados?

–Sim, minha vida não foi das melhores desde que..

–Pode falar Edward.

–Desde que você morreu no perto de nossa filha e então..

–Silas a levou.

–Bella, eu sinto tanto.

–Shi, Edward já sofremos muito por isso ter acontecido.

Então as lembranças claras de meu parto estavam em minha mente, Edward tentando me salvar.

Depois a lembrança da minha vida seguinte, a que o mantive afastado.

–Bella, quando Silas conseguiu pegar nosso bebê, eu tentei, mas foi em vão, ele já havia coberto todos os possíveis rastros, e os Anjos, eles não deram à mínima, estava sozinho, uma alma fugitiva, você tinha ido embora e sabia que poderia não mais voltar, sua parte estava feita, e não havia motivo para voltar.

–Mas voltei, e sabe o que me doeu? – Não foi ter a deixadoela ser seqüestrada, foi o que você falou.

–Bella eu falei no impulso, não sinto verdadeiramente isso.

–Eu me lembro de cada palavra.

– E eu me arrependo de cada uma.

–O ano era de 1912, estava indo a feira com minha mãe, na época estava tranquila os pesadelos ainda não eram parte de mim, era tudo mais simples.

–Quando eu vi você Bella, foi como todos meus medos se dissolvessem.

–Mas eu não sabia quem era você, até aparecer em meus sonhos.

–E depois em sua janela.

–Foi mágico como sempre, mas quando as lembranças voltaram foi somente dor.

–Bella, eu só disse que preferia que o bebê estivesse morto, pois assim a teria novamente, mas eu realmente não queria aquilo nunca. Jamais.

–Edward eu entendo, naquela vida eu era jovem e a dor foi tamanha como se arrancasse um pedaço de mim, então eu pedi que se afastasse de mim.

–Eu a vi se casar.

–Você estava lá?

–Sim, não resisti, eu tinha que vê-la, e esta ali e ver entrando na igreja, eu não podia entrar pelo fato de ser território proibido aos vampiros, mas pude vê-la entrar e depois sair, com seu marido.

–Ele foi um bom marido, entendeu que eu não queria filhos.

–Jacob era um bom homem, se fosse o contrario não teria permitido jamais.

–Edward – aproximei-me e depositei minha cabeça em seu colo, estávamos sentados agora, eu olhava cada feixe de luz em sua pele, – Ele foi um bom marido, mas nunca foi você, e isso me matou sabe, a dor, e foi por isso que fiz a estupida atitude de te pedir a promessa.

–Achei que me odiasse.

–Não, pelo contrario, eu te amo tanto que dói, e a dor era a única coisa que me lembrava de nós, e viver uma vida inteira até a velhice com esta dor, é pior que viver uma vida curta, mas ter você ao meu lado.

Foi quando uma luz invadiu a clareira, e escutei os velhos sussurros, Edward levantou-se e me abraçou protetoramente, envolveu seus braços em mim, e ia correr quando algo o parou.

–Bella não posso me mexer.

–Edward…

–Bella, Bella… – avoz doce ecoava, eu olhei para todos os lados e reconheci, era uma mulher que vinha em minha direção, ela era linda, loira e novamente olhei firme para sua direção, reconheci Rosalie, a garota da biblioteca.

–Rose é você?

Ela se aproximou como se flutuasse, chegou a nossa direção.

–Você!

Edward estava espantado, como se a conhecesse.

–Bella, eu vim para alertar vocês.

–Alertar, alertar do que?- a revolta me consumiu, eu vi que ele estava sem forças diante a presença da mulher, me soltei de seus braços, e comecei a dizer tudo que estava entalado em meus pulmões.

–Porque eu deveria escutar, eu ando vagando pela terra há séculos, e não sei entender exatamente o que querem de mim, na hora de me proteger ninguém esta aqui, mas para me cobrar a tal cura? Eu não aguento mais, que força superior é esta que quer só meu sofrimento? Que tipo de força maior permite que duas vidas, sim duas, pois se eu sou humana e a tal escolhida de que tantos falam, ele é minha alma gêmea e mesmo sendo um vampiro ele sofre e nós sofremos.

–Oh querida eu disse sempre isso ao seu pai.

–Meu pai? Eu tive tantos!

–Não seus pais biológicos, seu primeiro pai, o que te fez, aquele que te deu o poder do espirito imortal, Gabriel?

–Gabriel? Não o anjo?

–Sim ele mesmo, eu sempre quis evitar isso e por isso eu fiz tudo errado.

–Do que esta falando? Como sabe de tudo isso? Quem é você?

–Sua mãe, sua primeira mãe, sua e de Cameron.

–Cam?

–Sim querida, vocês foram concebidos como uma só vida ligada, mas você é a chave e ele é seu guardião.

– Coisas complicadas sempre, não era mais fácil contar tudo de uma só vez? Séculos e eu só sei agora, e como você…?

–Eu fiz uma das piores coisas, e fui punida Bella, mas eu vim para te alertar, eu fui solta do purgatório somente para poder te alertar, poder te ajudar a chegar à verdade o mais breve possível.

–Purgatório?

–Sim estou lá desde que minha alma foi perdida, Bella há muitos como eu, muitos que dependem de você, eu não entendia isso, não queria aceitar, e por isso eu quis me tornar uma vampira, mas depois de minha morte, eu fui para lá aonde todos vão, e não há salvação é uma eternidade sem sentido Bella, e tudo depende de você

–Sempre depende de mim, isso não é novidade.

–Não Bella, você foi arraigada com o dom da volta mesmo tendo cumprido sua parte, pois ela ainda não se concluiu

–Sei, tive o tal bebê da profecia, mas ele foi morto.

–Está enganada, você veio para achá-lo.

Este instante a escuridão veio de outro lado.

–Não tenho mais tempo Bella, eles não querem que saiba a verdade.

A voz de Rosalie estava longe, e logo sumia, eu a vi indo embora e eu tinhas tantas duvidas, tantas perguntas, mas a escuridão estava vindo com força total.

Foi quando Edward recuperou suas forças, ele me pegou com um impulso, e em instantes estávamos correndo, tentando mais uma vez fugir das sombras, que no perseguiam.

 

Anúncios