Jasper levantou-se e fez questão de ir pagar meu suco, embarcamos no carro de Alice e misteriosamente eu não estava com medo, era como se a conhecesse há anos e pudesse confiar nela de olhos fechados.

Durante o caminho não fiz perguntas, no entanto Alice estava interessada muito no livro.

_Me diga, e você conseguiu ler o que está escrito aí?

_Sim, ele é escrito em várias línguas, e uma delas é o inglês.

_Impressionante. – Jasper estava extasiado também.

_Entendeu alguma coisa do que leu?

_Bem, na verdade me deixou mais confusa.

_Ai, vou querer que leia para mim, sempre tive curiosidade, mas não passava de uma lenda. É tão bom saber de suas origens.

_Suas origens?

_Ah Bella, você sempre foi inteligente, e se está intrigada, é que já desconfia de algumas coisas.

Chegamos a uma propriedade linda, a casa era ostentosa, estilo retro, no entanto com um ar moderno, percebia-se que a originalidade dela fora mantida, mas as janelas eram totalmente de vidros modernos, uma mistura interessante.

_Que casa…

_Linda eu sei, Esme é muito boa em reformas.

_Esme?

_Nossa mãe Bella, na verdade nossa mãe para efeitos, vamos entre.

Entramos na residência e uma mulher linda, com cabelos ruivos e pele clara, seu rosto em formato de coração a deixava jovial, não poderia dizer que era mãe deles, estava arrumando flores nos vasos quando me viu abriu um sorriso branco e largo, deixando as covinhas aparecerem.

_Bella. -ela disse meu nome como se fossemos velhas conhecidas e com uma velocidade além do normal chegou ao me lado e me abraçou. – Que saudades.

_Esme, calma. – Jasper a repreendeu.

_Ops, desculpa, ela ainda não se lembra não é mesmo, minha cabeça, séculos não fizeram muito bem a memória.

Cada vez ficava mais confusa com tudo.

_Vamos Bella, sente-se vamos conversar.

Sentei-me no sofá da sala de estar e observei o piano de calda.

_Quem toca?

Todos se olharam, e Esme fez uma cara de preocupação, enrugou a sua testa, parecia impossível formarem-se rugas em um rosto perfeito daqueles.

_Quem tocava, não toca mais.

_Oh desculpe-me.

_Não, na verdade Edward não chega perto do piano há quase um século.

_Edward?

Levantei-me e fui até o piano, toquei a madeira lisa, e fui passando a mão ate chegar às teclas que estavam fechadas com a tampa, abri, era como se algo meu estivesse ali, ao tocar na primeira tecla, o som ecoou e foi mágico.

MUSICA 1

A melodia era iniciada de forma lenta, e as mãos de Edward lentamente se moviam sobre as teclas, foi quando eu entrei com minhas mãos e começamos a tocar juntos, e o som de nossas mãos juntas eram esplendorosos, na sala grande e iluminada estavam Alice e Jasper sentados, admirando, Carlisle estava ao lado da lareira, e Esme sentada ao seu lado, todos admiravam a nossa pequena apresentação.

Em cada troca de mãos nossos olhos se encontravam, era o momento mais singelo e único de todas as minhas vidas.

As preocupações eram como se não existissem, meus dedos eram delicados e se moviam com uma agilidade.

A lembrança veio simples assim, e como se tentasse resgatar parte dela, sentei em frente ao piano, e comecei com a mesma melodia, e era natural, podia dizer que nesta vida nunca tive uma aula sequer de piano, mas ali estava eu sentada e tocando facilmente, era uma composição única e distinta, era nossa composição, fechei meus olhos e deixei que minha mente fosse invadida pelas lembranças, sim agora entendia tudo, eram lembranças, e não visões e não pesadelos, todas as minhas vidas passaram como um filme em minha mente.

Ano de 1817

Quando estava na casa de meu tio e o vi pela primeira vez, no jogo de cartas tradicional dos cavaleiros.

Assim que terminei iniciei outra música.

MUSICA 2

Esta por sua vez era mais animada, e as lembranças vinham com força agora.

Ano de 1832

Estava em meu baile de debutante, dançando com Edward pela primeira vez, nossos passos e olhares em sincronia.

Ano de 1897

Um filme passava em minha mente, e a cena de meu casamento era o momento mais emocionante, ver os olhos de Edward me aguardando na pequena nave montada no jardim da mansão Cullen na Europa.

Nossa primeira noite juntos, e o acontecimento que mudaria o rumo de nosso futuro, de minhas próximas vidas.

 

Terminei a musica e fechei a tampa lembrando daquilo que me deixava estagnada e revoltada.

 

_Ela lembrou!

_Sim creio que sim.

Abri meus olhos, e como sempre acontecia, era como o peso de séculos estivesse em meus ombros.

_Bella!- Alice estava ao meu lado com suas mãos em meus ombros.

_Está bem?- a pergunta de Alice informava que ela já sabia que minhas lembranças estavam voltando, sentia a umidade de meus olhos, e naquele momento os braços que queria estar, que queria conforto eram os únicos que não estavam ali, levantei-me e subitamente estava abraçando Alice, sentia o conforto de novamente ter minha amiga ali ao meu lado, sim deu certo, Deus e os anjos me concederam mais uma chance, mesmo que eu não a merecesse.

_Bella, também senti sua falta.

Esme estava ao meu lado, e troquei de abraço, Esme sempre fora como uma mãe para mim, desde que Carlisle a conheceu, e a transformou quando estava entre a vida e a morte.

_Bella temos tanto que conversar, ahh como você fez falta…

_Alice, Edward está caçando?

_Sim, e disse que iria ficar uns dias longe.

_Me dê um tempo a sós. – saí da grande sala, a arquitetura de Esme era sempre um padrão, mas mesmo contendo as mesmas características, ainda sim eu me maravilhava com seu trabalho, segui pelo belo jardim da parte externa da grande casa e me direcionei até próximo a floresta, sentei-me em uma pedra e ali fiquei lembrando tudo, era sempre muito estranho este momento, por mais que tivesse passado por ele muitas vezes não é algo se acostume facilmente.

Todas as sensações são extremas e reais, as dores, as alegrias, o sofrimento, é um misto de emoções, juntando tudo era quase como se eu fosse uma vampira e vivesse eternamente, pois tudo se juntava em uma única vida.

Mas o pior eram as lembranças destas minhas ultimas vidas, não eram bem agradáveis, eram as mais difíceis, as mais tensas, e as mais complexas, e a vontade de concertar os erros do passado me consumia.

Sim erros, tantos meus como de Edward, ele pode ter errado, mas eu errei mais em fazer aquele pedido absurdo achando que tivesse mesmo como nos afastarmos, como se fosse simplesmente uma escolha, e não, era maior que isso.

Meu peito fumegava com as chamas da dor, agora era invadida pela dor da perda, a perda de um ser que sequer conheci.

Fui invadida pela dor da lembrança de minha vida mais longa, aquela que consegui chegar à velhice, mas, no entanto a dor era grande, pois esta vida não teve a presença de Edward e a escolha foi minha, pior a dor da minha ultima vida.

Entrei novamente na casa e todos me olhavam pasmos.

_Bella, me diga que decidiu deixar de lado aquela ideia absurda de promessa?

_Me diga você, a vidente aqui não sou eu.

_Essa é a minha Bella, bem eu vejo o futuro de acordo com as decisões e você esta tão confusa que seu futuro está obscuro.

_E é exatamente assim que me sinto.

_Bella uma dúvida?

_Fale Alice.

_Sempre você volta certinho, nesta idade entre 15 ou 17 anos, Edward sempre te encontra, mas desta vez demorou, no entanto você tem apenas 16, o que houve?

_Não é obvio?

_Você teve uma vida antes desta que não nos encontramos, como isso ocorreu?

_Alice não quero falar nisso agora, não antes de falar com Edward, e não quero que ele saiba disso pela sua mente quero que ele ouça de minha boca, quero que ele saiba o porquê não podemos manter esta promessa.

_Ele está decidido a ir embora Bella, você tem que fazer algo?

_O que eu posso fazer Alice, a não ser tentar esperar que ele volte e possamos tentar conversar.

_Não vai ser fácil, ele esta irredutível, e mesmo Alice não tem tido muito sucesso. Não posso imaginá-lo novamente perdido. – Esme estava visivelmente preocupada.

_Novamente? Como assim.

_Bella, Edward não é mais o mesmo, desde… Sabe o ocorrido..

_Conte-me tudo.

_Bella!! Que surpresa!!

Carlisle chegou pela porta e percebeu que eu estava novamente. _ Como está?

_Confusa!

_Sempre, não é mesmo.

Sorri para ele, a cada vida eu ainda me surpreendia com a falta de envelhecimento de um vampiro.

_O que é isso?- Carlisle avistou o livro em cima da mesa da sala ao lado de minha mochila. – Não pode ser, como o conseguiram?

_Bella!- Alice respondeu. _E não pense em tocá-lo, é verdade que não podemos nem se quer chegar perto dele.

_O que este livro tem de tão especial?

_É a Bíblia.

_Bíblia?

_Na verdade, a bíblia dos vampiros.

_Bíblia dos vampiros? Mas espera aí, vocês têm uma bíblia e por que nunca soube disso?

_É uma lenda muito antiga, diz à lenda que a bíblia foi escrita pela própria Lilith antes de sua morte sacrificial, a mãe dos vampiros originais, era para ser a luz a salvação a palavra escrita aos vampiros que quisessem a cura que esperam, mas Silas estava revoltado e não queria que se soubesse da tal cura, então ele buscou até os confins da terra e achou o livro, ele iria destrui-lo, mas Rebeca sua irmã que herdou o dom das Bruxas, lançou um feitiço para que nenhum vampiro pudesse tocar no livro, assim Silas não poderia o destruir.

_E onde eu entro nisto tudo?

_Bem, eu sei parte da lenda, e pelo que os anjos já revelaram, você é parte importante para o caminho da cura, no entanto, eu nunca estudei verdadeiramente sobre o assunto, adoraria ler.

Carlisle queria que eu viesse pelo menos algumas horas do dia para ajudá-lo a ler a tão famosa bíblia vampiresca.

_Bella, venha tenho algo que quero contar a você.

Deixei o livro aberto para Carlisle nas partes que ele queria ler, o problema que ele resolveu ler todas as línguas.

_Diga Alice

_É sobre Edward e o que ouve com ele depois de tudo.

Sentei com Alice do lado de fora da casa dos Cullen, pela reação de todos saberia que não vinha coisa boa.

 

POV Alice (Especial)

_Bella, entenda que tudo que aconteceu, Edward estava realmente magoado e foi à forma que ele conseguiu de eliminar sua dor.

 

_Conte-me tudo Alice, por favor, sem rodeios.

Como começaria aquilo? Eu estava vendo dois possíveis futuros em Bella, e dependia de uma palavra errada minha ou da forma que ela interpretasse a situação, o futuro de Bella nunca fora certo para mim, hora ele se destacava hora ele sumia, era como se algo nela me bloqueasse assim com Edward é bloqueado a ler sua mente, mas mesmo assim quando ela estava mais próxima de mim, quando nossos vínculos se ligavam, eu conseguia ver claramente seu futuro.

_Bella, lembra quando te encontrei no ano em que você acabara de ficar viúva.

_Sim claro.

_Eu estava com Edward…

Flash Back On:

Edward e eu estávamos em uma caçada quando do nada o futuro de Bella ficou visível para mim, vi o marido morrer e ela dedicando-se a ele cada minuto de sua doença, mas eu via também um provável futuro em Bella, que estaria sozinha e terminaria seus dias em solidão, me senti na obrigação de ir até minha amiga.

Depois de anos vivendo somente Bella, eu e Jasper em uma casa de campo próximo as antigas fazendas que foram um dia o local onde Bella cresceu, ela me fez um pedido:

_Alice mande chamar Edward. – a voz estava fraca e o corpo debilitado estava em seu fim de vida.

Então mandei Jasper atrás de Edward, Jass o encontrou em bares locais de brigas onde ele estava começando sua decadência.

Ele chegou a um estado lastimável.

_Edward vá logo tomar um banho, ela quer te ver e você vai chegar assim depois de tanto tempo.

Ele imediatamente lavou-se.

_Como ela esta Alice?

_Ela não tem muito tempo, seu futuro já sumiu completamente, e sabe o que significa!

_Por que ele me chamou? Depois de tantos anos, só agora?

_Não sei, os humanos tem esta tendência de querer resolver seus assuntos antes da morte.

Edward chegou à porta do quarto, Bella dormia.

_Ela ainda está linda!

_Para a idade dela, confesso que está muito bem, mas vamos entre, vou estar lá fora, e quero vê-la, antes, você sabe…

_Não quero pensar nisso Alice, a única coisa que me reconforta é que ela conseguiu viver uma vida longa e feliz, pelo menos uma vez.

_Não se iluda meu irmão, a felicidade pode ser somente aparência.

Depois, em seu leito de morte pude ver que estava delirando já, pois sempre você voltava no mesmo assunto, a dor de sua perda. Edward carregou Bella, e depois de algumas horas ele voltou com o corpo já sem vida dela, foi quando ele me contou da promessa estupida que Bella o fez jurar cumprir.

Edward deixou o corpo de Bella em seu leito, e durante os preparativos do funeral ele ficou calado, seu futuro estava muito confuso em minha mente.

Logo após o enterro, Edward deixou de se comunicar de vez conosco, não demorou muito até termos as noticias de seu paradeiro, os jornais relatavam que um justiceiro estava na cidade e Carlisle lançou-se por uma busca, mas durante anos não tivemos sucesso, até que o encontramos, ele estava vivendo como animal, literalmente e a noite ele caçava…

Flash backoff

Engoli seco o veneno que se acumulava em minha boca, Bella olhou para mim apreensiva.

_Bella ele estava se alimentando de humanos.

_Céus Alice. Humanos?

_Sim, na verdade a pior das espécies, ele caçava o tipo de ser humano que não deveria nem nascer, estupradores, assassinos, enfim ele estava sendo considerado pela cidade um justiceiro, os jornais tratavam de um possível resgatador do mal, mas outros o chamavam de estripador, ele dilacerava suas vitimas, sem dó nem piedade, aquele Bella, não era meu irmão.

_E como conseguiram?… Fazê-lo parar?

_Foi muito difícil, mesmo todos nós tentando, mas ele estava muito mais forte com o sangue humano, mas conseguimos o imobilizar, e Carlisle o trancou.

_Como? O Trancou? O porquê?

_Bella, era como um drogado em recuperação, o sangue humano não é fácil de abster depois que se começa a se alimentar, mas aos poucos ele foi voltando, mas na verdade ele não voltou totalmente para nós, ele se tornou este Edward, frio, sem sentimento, e um dos dias em que ele foi solto do cárcere, ele olhou para piano e Bella, nunca vi Edward agir desta forma, foi triste, ele começou a quebrar tudo, se não fosse Carlisle o segurar, mantivemos o piano depois do concerto que Esme fez, mas ele nunca mais chegou perto.

_É tudo culpa minha Alice, se eu não fosse tão egoísta.

_Bella calma. – ela estava com os seus olhos cheios de lagrimas, me abraçou.

_Alice, eu sei por que não o encontrei na outra vida, foi por isso, nós dois chegamos ao fundo do poço Alice, nos destruindo, e por que tudo isso? Por que eu fui egoísta em achar que podia evitar, não posso, e eu terei de resolver isso.

_Bella, Edward esta pensando em partir. – falei para ela, e percebi que ficou visivelmente nervosa.

_Não posso deixar isso acontecer.

(FIM POV ALICE)

 

POV Bella

Cheguei em casa de carona com Alice, meu pai estava na sala vendo um documentário de esportes, era diferente ver as pessoas despreocupadas com suas vidas assim que eu recuperava minha memória.

 

_Bells, vi que não estava em casa e resolvi pedir uma pizza.

_Isso é bom, desculpe eu estava… Na casa de uma amiga.

_Sei que não devo me intrometer você é responsável, mas posso saber qual?

–Sim, claro, Alice Cullen.- a cara de Charlie foi a mais estranha que já vi, ele teve várias expressões, do espanto ao preocupado.

_Mas filha e o …

_Calma pai, estava com Alice, seu irmão nem em casa estava, e bem ele pode até não ser tão mal, pai de uma chance para as pessoas, cada jovem tem seus problemas.

_Certo filha você tem razão, mas me prometa tomar cuidado.

Esta era uma promessa que não poderia saber se cumpriria, pois tomar cuidado era diferente de ter certeza que estaria bem, eu sabia sempre o resultado.

Meus pais sempre foram pessoas boas, homens honrados, e de bom coração, Charlie não era diferente, podia dizer que algumas de minhas características adquiridas nesta vida eu herdei dele, dificilmente julgava uma pessoa precipitadamente, e não era muito de especulações, geralmente Edward encantava todos os meus pais, esta vida não podia ser diferente, esperava eu.

Depois de comer a pizza, arrumei o pouco da bagunça que fiz, subi ao meu quarto, eu queria pesquisar mais sobre a história daquele livro, mas o sono estava me vencendo.

 

Anúncios