POV Damon

 

Eu não estava calmo, pelo contrário eu estava muito nervoso, a última vez que estive com uma humana o resultado final não foi bom com a mulher. Tentei me livrar das imagens que me atormentavam há anos, desde a maldição, meus pesadelos, minha consciência me afetava, mas ali com Bella, eu somente queria sentir o momento.

Isabella Swan. O nome dela rodava em minha mente, inúmeras vezes. Por fora eu estava calmo, mas por dentro os pensamentos se agitavam.

Entregara-se a mim de uma forma que pertencia somente a ela; integralmente, apesar de tudo que nos separava.

Era tão difícil resistir. Eu queria me deixar levar pelo desejo, abraçá-la, tocá-la, afundar meu corpo no seu, sentir o calor que emanava dela, fazê-la sentir o prazer que ela queria sentir, e que eu queria sentir.

Mas era nesse momento de felicidade que a sede por sangue voltava tão forte que esta droga de maldição não me deixava esquecer a fera em mim.

Havíamos chegado a um ponto sem volta, eu a desejava, ela me desejava, e era isso que importava.

Eu via em seus olhos que ela queria aquilo tanto quanto eu, mais, até. Tudo estava indo bem, bem demais, desliguei o chuveiro, ela me encarou.

E eu não podia lhe negar nada. Não depois de tudo que ela sofrera por mim, enfrentar um caçador, ela esteve cara a cara com um, e tentar de todas as formas me defender, depois que eu passei todos esses anos a defendendo, nem imaginaria que um dia eu seria salvo por ela, para mim não existia perfeição além dela.

Seus olhos brilhavam, e via pureza e felicidade, tinha medo de me entregar a este momento, no entanto não resisti e meus lábios chegaram aos dela com luxúria e com desejo.

Enquanto nossos lábios brincavam entre si, entre o misto da presa e o predador, suas mãos chegaram a minha nuca, o mundo se transferiu para aquele ponto onde nossos corpos se tocavam. Se for assim o simples toque de sua mão, diante de tanta expectativa, o que não seria o resto?

– Acho que devemos fazer isso na cama. – Falei para ela no instante em que o ar foi necessário a Bella.

– Por mim faria aqui mesmo. – Ela estava incendiando.

Não era um vampiro puritano e muito menos inexperiente, mas minhas experiências depois de se tornar uma criatura noturna foram raras as vezes que tive um contato íntimo, e as vezes que tive foram antes de adquirir minha consciência, antes de sentir a emoção envolvida.

– Vejo que não tem experiências com vampiros. – Sorri com a piada estúpida e em má hora, mas Bella era maravilhosa, ela simplesmente sorriu meio corada.

– Não mesmo, e você com humanas?

Fiquei tenso com a pergunta, eu podia mata-la somente com um movimento errado, eu teria que me controlar ao máximo.

Como vampiro as emoções e sensações são multiplicadas, e agora com emoções tão forte envolvidas medo e desejo se misturaram, deixando minha garganta seca.

Afastei-me um instante, encontrando seu olhar de frustração, coloquei uma mecha de seu cabelo atrás de sua orelha, e encarei seus olhos.

– Você é linda e perfeita!

Vi tudo dentro daqueles olhos expressivos, desejo, medo, expectativa.

– Damon, você é lindo! – Ela encarava meu rosto, e a lembrança de qual ela já vira a fera em mim, me fez recuar por um instante.

– Não Bella, há uma fera em mim. – Não era minha intenção estragar aquele momento, mas as lembranças, as mortes, o meu passado pairava em minha mente. – Você não sabe de meu passado, não sabe o que eu fiz.

– Não me importa, me importa o que você é aqui. – Sua mão chegou a meu peito, e ao ver seus olhos, eu não podia resistir aquele olhar.

Colei meus lábios novamente nos dela, e a abracei forte, enlaçando minhas mãos em sua cintura, suas mão foram a meus cabelos na nuca, gemi entre os lábios, era a sensação mais forte que senti em todos estes meus anos de existência.

Enrolei-a na toalha, e saímos do banheiro, nós fomos até meu quarto, eu a puxei novamente em meus lábios, eu estava me viciando nisso sim, eu a desejava intensamente.

Com a velocidade de vampiro, a levei para cama, ela sorriu com minha impetuosidade, deitei-a sobre os lençóis, e admirei cada linha de seu corpo perfeito, agora não conseguia mais parar, não tinha mais forças para isto, beijei-a na clavícula sentindo o fluxo de sangue que passava por ali, a sede misturou-se com o prazer, o autocontrole estava quase indo ao espaço, e se eu não me controlasse e se eu a machucasse?

Mas seus gemidos não me deram a razão, eles me incentivaram a continuar, e meus lábios desceram pela clavícula, e chegaram a meu objeto de desejo, os seus seios.

Eram doces e macios, meus lábios e língua sugavam e lambiam, e sentia que ela estava gostando.

.

Deitei-me sobre ela, para sentir seu corpo todo colado no meu, e a abracei. Mergulhei o rosto em seu pescoço, em seu cabelo.

Senti uma sede chegando, tentei evitar isso, eu não podia deixar meus instintos me guiarem, não os instintos vampíricos, e sim deixar os instintos de homem que restava em mim me dominar.

Dei leves mordidas em seu pescoço, e ela praticamente saiu de si com aquilo. Seu corpo reagiu arqueando e deixando nossos corpos mais colados

E colei os lábios em seu pescoço, senti a pulsação do sangue em suas artérias, mas deixei com que somente o senso de desejo e prazer me guiasse.

Ouvi um suspiro abafado no momento em que todo o seu corpo se contraiu, e depois ela relaxou, eu queria possui-la, mas estava somente testando, deixando nossos corpos se moldarem.

Meus lábios chegaram aos dela novamente, eu queria tudo, cada ponto dela, cada pedaço.

Foi quando me encaixei nela, Bella suspirou, e gemeu coisas desconexas.

– Damon.

Meu nome em seus lábios, em meio a gemidos era música para meus ouvidos.

– Bella.

Naquele instante em que sentia meu membro dentro de Bella, sentia suas paredes quentes, suas contrações internas, o raciocínio coerente se esvaiu, e eu tentava concentra-me em que debaixo de mim estava uma humana frágil, enquanto meu corpo lutava com vontade de intensificar os movimentos e sair do controle, naquele instante teve um sentimento que tomou conta do momento.

Eu gemia também seu nome, eu a desejava intensamente, e estava a possuindo ali naquele momento único, senti que minha força relaxava com o prazer, então me apoie na cabeceira da cama, e com a força. Senti quando a madeira antiga e forte fora quebrada sim, minha força, ela me encarou.

– Não se preocupe você é forte, mas não vai me machucar eu sei.

Ela voltou a se movem embaixo de mim, quando explodi em prazer, ela arqueou seu corpo e sentindo-me totalmente dentro dela.

Era um misto de sensações e do desconhecido, meu carinho por ela, minha determinação em mantê-la segura agora tinha uma explicação, eu a amava, sim com toda a minha força eu amava Isabella, e agora éramos um só, os movimentos, o choque de meu corpo com o dela, os movimentos que ela fazia embaixo de mim, tudo era um misto de sensações, e mesmo segurando toda a minha força sabia que este era o melhor momento que tinha em toda minha vida de vampiro.

Continuamos assim até que senti a liberação dela, senti meu corpo chegar a um limite intenso de prazer.

A Bella e a fera, em um único momento, a intensidade de emoções me tomou chegando ao ápice, juntamente. Aquele podia se dizer que era o momento em que estava completamente feliz. Deitei-me ao seu lado e a puxei para meu ombro, sentia que ela ainda estava cansada, sua respiração estava lenta e rítmica, sentia seu coração bombeando sangue para seu corpo descompassado, e sentia o suor de sua pele.

– Damon. – Sua voz doce e cansada me tirou de minha concentração.

– Sim.

– Foi maravilhoso.

Ela se aconchegou em meu peito, e logo pegou no sono, igualmente fiz o mesmo, o sono de um vampiro não é igual o de humanos, mas desta vez eu estava me sentindo mais humano que vampiro, o que me deixou relaxado e feliz.

A noite caiu e eu igualmente me entreguei ao sono, mas ao abrir meus olhos pela manha era difícil acreditar que tudo aquilo fora verdade, olhei na cama e estava vazia o que me fez acreditar menos ainda, senti o cheiro de Bella o que me trouxe lembranças, levantei meu rosto e me deparei com visão mais perfeita da face da terra: Bella saindo do banheiro e me olhando linda e perfeita pela manhã.

– Bom dia. – Sua voz cheia de luxúria mostrava que não estava satisfeita com a noite, ela veio até mim e pulou na cama, encarei seus olhos e vi amor neles, eu a beijei, quando separamos em busca de ar ela acariciou meu rosto.

– Damon, eu descobri uma coisa, descobri que te amo.

Aquilo soou verdadeiramente em mim, senti que merecia aquilo sim eu podia ser amado, eu podia amar, e quando ia dizer a ela as palavras, ia me declarar, algo estranho ocorreu em mim, a fera dentro contida, a vontade do assassino prevaleceu, e eu não pude conter e meu rosto transformou e estava prestes a atacá-la, quando algo me interrompeu.

Escutei somente ela gritar.

– Damon sou eu! – Mas estava dentro de meu próprio corpo preso, ele comandava sozinho, e quando quase a ataquei, senti-me ser jogado para longe, demorei entender o que acontecera, e ao notar que naquele momento em que senti a plena felicidade, em me senti livre da fera, ela retornou, era o preço a pagar era a maldição, eu não podia ser feliz.

 

 

POV Bella

Meus sonhos foram bons, eu sentia meu corpo dolorido sim eu realmente tinha me entregado a Damon, e diga-se que um vampiro ganha muitos pontos neste requisito.

Levantei-me enquanto Damon ainda estava dormindo, e me direcionei ao banheiro, meu corpo estava cheio de marcas, mas sorri para isso, nada estava mais feio que meu corte no braço. Pensei em jogar uma água rápida no corpo.

Saí do chuveiro e me deparo com o olhar de Damon sorrindo para mim olhei e sorri também.

– Bom dia. – Olhei com luxúria e desejo e neste instante eu fui a seu encontro, em seus braços, estando ali, eu sabia o que sentia, sabia que era verdade.

– Damon, eu descobri uma coisa, descobri que te amo.

Quando disse essas palavras poderia jurar que ouviria uma resposta igual, mas não fora o que aconteceu. Vi que seus olhos estavam diferentes e seu rosto estava desfigurado, suas presas expostas, ele rapidamente me imprensou na parede.

– Damon sou eu! Mas estava dentro de seu próprio corpo preso.

–Ora, ora, agora seria o momento do café da manha amor?

Eu sentia-me com um pavor, este não era Damon.

– Damon está me machucando

– Não minha cara, eu estou machucado. – Ele sentiu meu cheiro perto de meu pescoço, e voltou a me encarar.

– Bella, tão apetitosa!

– Damon! – Eu agora gritava por socorro.

Ele fora quase a me atacar quando foi jogado longe.

– Stefan?

– Saia Bella! AGORA!

Sua voz era urgente, eu somente peguei o roupão e saí do quarto.

Escutei uma luta, mas logo vi Stefan correr com ele, imobilizado até as escadas, eu tentei acompanhar, mas eles eram rápidos demais. Então fui somente descendo, eles foram até uma escada que levava até embaixo da casa, eu os segui e vi quando Stefan jogou Damon dentro de uma sala e o trancou.

– O que acabou de acontecer aqui Stefan?

– Nada Bella! Já fez estrago demais, vá embora!

_ Não, eu saio daqui agora se tiver minhas respostas!

– Você é teimosa mesmo, vamos, mas para isso terá que tomar uma bebida.

Falou isso se deslocando até o bar e servindo dois copos de uísque.

 

Anúncios