ATUALIZADO! CAP COMPLETO…. A segunda parte, não é muito grande, mas o cap 20 já está em produção pra vocês…

Beijokas da Lana!!!

19 Minha Razão é Você

Renesmee.

Um cheiro de vida me invadiu de repente, toda a opressão a minha volta se dissipava lentamente e me sentia ser puxada de volta ao eixo de minha existência, a escuridão e as lembranças do passado estavam esvanecendo e a luz surgia ao meu redor dando forma ao quarto onde me encontrava.

Não era o meu quarto, muito iluminado, confortável, mas eu não estava em casa, um cheiro doce invadiu minhas narinas, alguém estava cozinhando, realmente não estava em casa, a cozinha dos Cullen não funciona regularmente. Onde será que estou? E por que estou de camisola?

Um tecido fino todo branco e muito delicado envolvia meu corpo, era linda, não podia negar, mas não é algo que uso regularmente, até porque Jacob não deixa muitas delas inteiras – a lembrança me fez rir e despertou uma dor profunda em meu peito – será saudade?

Levantei-me e segui até o próximo cômodo, uma sala ampla e bem arejada, não me era estranha, mas não conseguia me lembrar que casa era essa, segui mais adiante o cheiro vinha da cozinha – Bolo de chocolate – me deu água na boca. Que estranho, geralmente o que me desperta mais é sangue, mas por alguma razão o cheiro desse bolo está tão atrativo quando o sangue para mim.

Na cozinha me deparei com uma pequena senhora indígena, estava passando um café fresco e colocando calda quente sobre o bolo, a visão era tentadora e minha barriga roncou de Fome.

-Seja bem vinda criança, sente-se vou cortar um pedaço pra você – falou a índia com uma expressão de alegria legítima.

-Senhora, onde estou? – perguntei confusa, ela claramente me conhecia, por que eu não conseguia me lembrar dela?

-Sei que está confusa criança, mas não se preocupe, agora vai ficar tudo bem, logo eles estarão de volta. Sente-se aqui e coma um pouco, vejo que está com fome.

Concordei sem discutir, estava mesmo faminta, a índia me serviu um belo pedaço de bolo e café quentinho que comi muito feliz, como é engraçado que uma porção de comida te faça tão bem. Terminei meu bolo e agora precisava de respostas.

-Senhora, pode me dizer agora, onde estou e quem é a senhora?

-Me chamo Kaurê criança e sou uma amiga, estamos na Ilha de Esme.

-Ilha de Esme? Minha avó Esme?

-Isso mesmo! Olha sei que está confusa, mas logo vai entender tudo, os outros saíram para caçar e logo estarão de volta.

-Os outros? Minha família está aqui também?

-Sim criança, estão todos aqui a sua espera. – a minha espera? Que estranho – Mas tem alguém que esperou muito pra te encontrar e você a ele.

-É mesmo? E onde está senhora Kaurê?

 -Venha, já está chegando. – A pequena índia me pegou pela mão e me conduziu pela porta da cozinha até o pequeno lago nos fundos da casa, era realmente um lugar lindo, Carlisle, sempre tão romântico.

As árvores a nossa volta nos trazia uma brisa refrescante, as flores dos jardins tão coloridas e belas nos saudavam em seu esplendor da manha, tudo tão lindo, o sol refletindo seus raios nas águas do lago completando a paisagem exuberante a nossa volta, por alguma razão eu confiava naquela pequena mulher gentil que me conduzia pela mão, paramos perto do lago e ela apontou floresta adentro. Olhei-a sem entender.

-Chegaram criança. – e com essas palavras, uma pequena brisa me invadiu trazendo consigo o melhor cheiro do mundo, um cheiro de mar misturado com o verde das florestas e o odor imponente da madeira, tudo junto na fragrância inconfundível do meu Jacob. Meu coração acelerou no mesmo instante e eu me preparei para correr ao seu encontro, parecia que tinha séculos que não o via tamanha a saudade e o aperto em meu peito, mas Kaurê me conteve.

-Criança, preste atenção, percebe algo mais?

-É o meu Jacob Kaurê – do que mais eu preciso afinal? Que pergunta mais estranha

-Sim eu sei, mas consegue perceber algo mais? – prestando mais atenção, junto ao cheiro de Jacob havia mais um, um cheiro doce e aconchegante, cheiro de rosas e floresta, é estranho e ao mesmo tempo familiar.

-Quem está com ele Kaurê? – perguntei intrigada – tem um cheiro bom.

-Isso mesmo criança, eles já estão chegando olha ali.

E por entre as árvores pude ver o meu amado se aproximando com o olhar mais terno que já vi na minha vida, seu olhar trazia tudo, amor, veneração, medo, alívio, saudade e me hipnotizava completamente, foi então que seguindo seu olhar, contemplei o que trazia consigo em seus braços, naquele momento todas as lembranças explodiram diante de meus olhos e antes que eu pudesse cair Jacob me amparara em seus braços.

-Nessie meu anjo você está bem? – Jake me segurava e acariciava meu rosto com delicadeza.

-Jake, – olhei dentro de seus olhos não conseguindo impedir as lágrimas de transbordarem dos meus – Você voltou, Jake, está aqui comigo e nosso filho. – tentei levantar apressada, onde estava Adan?

-Shiii, se acalme, Adan está com Kaurê enquanto eu cuido de você, eles estão aqui ao lado – Olhei para ter certeza, e estavam sentados a beira do lago, Adan lindo rindo no colo daquela índia que fora tão gentil comigo.

-Jacob eu te amo tanto – com os olhos transbordando em lágrimas, pus a mão no rosto de Jake mostrando a ele tudo o que havia passado e toda a minha saudade dele, observei seus olhos transbordarem a cada lembrança minha em sua mente e juntos compreendemos as sequencias de erros cometidos e tudo o que não precisávamos ter passado se simplesmente conversássemos.

-Ah, minha vida! Minha Nessie, não pense mais no passado, agora estou aqui com você e vou cuidar de vocês dois pra sempre. – e com essas palavras Jake depositou o mais terno dos beijos em meus lábios. Ali era meu lugar, o meu lugar no mundo era os braços do meu Jacob.

Um mundo de sensações me invadiu naquele instante, mas eu precisava de algo mais pra ficar completo.

-Jake, nosso bebê,  – concordou com a cabeça e logo Kaurê estava a entregar o pequeno em seus braços – Aqui, me dê ele Jake – um sorriso bobo dançou em meus lábios quando Jake o colocou em meus braços.

-Nosso filho Nessie, nosso milagre. – Adan ria e me olhava com devoção, tão pequeno o meu bebê, tão lindo, tão perfeito.

Em fim minha vida estava completa, com meu marido e meu filho ao meu lado, o mundo não poderia ser mais perfeito.

***
Ver minha mãe com meu filho nos braços me emocionava de uma forma que não seria capaz de explicar, o cenário paradisíaco e o aconchego da Ilha de Esme era o lugar perfeito no mundo para mim. Agora que todas as minhas lembranças retornaram, sei o valor imensurável que é ter a minha família por perto, meus pais, meus tios e avós unidos e curtindo o mais novo membro da família Cullen, Meu filho lindo!
– Parabéns Nessie, ele é perfeito como você quando bebê – Rosalie parada ao lado de minha mãe admirava Adan.
– Ele é muito lindinho mesmo Nessie – cantarolava Alice saltitante de felicidade.
– É realmente perfeito meu filho – Disse admirada e continuei – Gostaria que todos pudessem me desculpar, se tivéssemos conversado, teria evitado todo esse sofrimento e angústia que lhes causei.
– Imagina minha filha, não temos do que lhe desculpar – Disse meu pai, tentando diminuir a gravidade da situação
– Não pai – fiz um gesto com as mãos ao mesmo tempo que ele lia meus pensamentos – preciso me desculpar, pois foi infantil de minha parte simplesmente fugir, deveria ter resolvido de maneira civilizada e sensata.
– Filha, esqueça – minha mãe entregou Adan a Rosalie e se aproximou – Fez o que fez pensando no melhor para seu bebê, mesmo tendo se equivocado, teve a melhor das intenções e tudo acabou bem afinal.
– Graças aos céus tudo teve um final feliz – Jacob falou aliviado – e agora estamos todos juntos novamente. Não se preocupe mais meu amor, todos aprendemos com o que aconteceu e crescemos com todo esse aprendizado.
– Sim Jake, aprendemos muito e estarmos unidos é o mais importante daqui pra frente. – Disse Carlisle encerrando de uma vez aquele episódio.
Depois de todo aquele período de angustias resolvemos curtir um pouco a Ilha de Esme, decidimos que passaríamos um tempo por ali, tipo, umas férias em família, minha mãe ligou para o Charlie e o tranquilizou a meu respeito, claro que o teimoso Charlie não se conformaria até falar comigo, então tivemos uma longa conversa pelo telefone, pelo menos o meu avô me deu o merecido sermão que ouvi sem contestar uma palavra se quer.
Os dias se passavam tranquilos e a cada dia me surpreendia mais com meu filho, seus dons e talentos, a atmosfera que aquele lugar tinha era incrível, a energia que sentíamos em toda a ilha nos trazia paz, foram dias mágicos como a muito não vivíamos.

Anúncios