As Escuras

POV Reneesme (Forks)

A conversa com Charlie ecoava em minha mente e ao entrar na Forks High School, senti como se estivesse acolhida, avistei de longe Susan que agora estava com cabelos mais curtos, e Megan suas roupas estava mais coloridas, eu podia até ver um lampejo de um sorriso em seus lábios.

Comparamos nossos horários e como uma adolescente comum eu tentei distrair minha mente com toda a história da Itália, o que não parava de me perturbar agora era outra coisa.

Na primeira aula como sempre as apresentações foram necessárias e os risos ecoavam na garganta de todos a cada pronunciamento de suas férias.

Eu podia imaginar o que dizer, deixaria a Sra. Sofia muito perturbada se eu me levantasse e aí começasse: “Meu nome é Reneesme Carlie Cullen,minhas férias foram maravilhosas, eu passei com meu namorado que alias é um lobo, e nadamos, fizemos piquenique e na maior parte ficamos na cama, “ já podia imaginar o rubor no rosto da pequena professora que usava óculos fundo de garrafa, e do espanto de todos, mas como sempre assim que chegou minha vez eu levantei-me e fiz mais um ato de meu teatro.

_Meu nome é Reneesme Carlie Cullen, e passei minhas férias na casa de meus avôs – não era mentira_ E cacei com meu tio, aproveitei um lago e me diverti muito.

Foi um dos discursos mais curtos, o que me impressionou foi o discurso de Megan, ela havia viajado, passeado, em tantos lugares, em um deslumbre de momento imaginei-me em seu lugar, ser normal, ter férias normais em uma praia cheia que se mal consegue lugar, nós geralmente passávamos nossos momentos de praia na ilha deminha avó esme, e deixávamos nossas muitas viagem serem escolhidas pelo tanto de sol que não estaria presente.

Imaginava-me em uma fazenda, ser criada caçando animais não me dava esta liberdade, seria hilário um bicho de estimação ou animais de fazenda, enquanto Susan relatava sua proeza de finalmente aprender a montar, eu não imaginava estando em cima de um animal tão lento comparado a um lobo que atravessava a floresta em segundos comigo em seus solavancos.

Depois de mais três aulas igualmente entediantes à hora do intervalo foi muito agitada, eram muitos cumprimentando, conversando, e dei graças quando as ultimas aulas passaram rápido, e estava novamente no estacionamento e ali Jacob me esperava.

_Oi gata!-abracei-o, por mais tempo que passava com ele mais tempo eu queria não era suficiente sempre queria mais e mais.

_Oi meu lobo!Vamos?

_Então, oficina?

_Não, gostaria que me levasse para falar com Carlisle, você pode ir para oficina.

_Então me deixe no caminho e aí você vai para cripta sozinha depois nos vemos.

Eu queria estar com ele, aproveitar cada momento sem pensar na Itália, agarrá-lo atrás dos carros, mas estava aflita.

Chegando a casa, sabia que Carlisle estaria no gabinete, então fui direto lá.

_Posso entrar?

_Claro querida, o que ouve?

_Preciso de sua ajuda.

_Pode falar.

_Bem é meio constrangedor, eu não sei, mas você é o único médico capaz de examinar.

_Umm, tudo bem.

Carlisle tomou uma posição mais formal agora falava como doutor.

_Eu tenho duvidas quanto a mim, e sabe Jacob…

_Sei, entendo, sobre a relação sexual?

Eu sentia que corava, meu rosto estava muito quente era constrangedor ter aquela conversa.

_Sim e sobre o que pode acontecer, sabe pela mamãe e como aconteceu comigo.

_Querida não posso te garantir nada, depois do que aconteceu com sua mãe, sei que o mais improvável pode ocorrer, precisamos fazer exames.

Foi estranho e bizarro, meu avô me examinando daquela forma, sempre tive consultas, mas esta era intima demais, e Carlisle pegou amostras de urina, sangue, que não foi fácil por minha pele ser quase impenetrável e disse que iria verificar o que pudesse.

_ E meus pais? Alguma noticia

_Creio que é cedo querida eles devem ter acabado de pousar e estão verificando as coisas.

Algo na voz de Carlisle me deixava desconfiada.

POV Bella.(Itália)

A falta visão de Alice me preocupou muito, não saber o futuro era o que mostrava a gravidade do problema, estávamos às escuras, eu me senti igual quando ela sumiu na vez em que Aro veio para julgar a situação peculiar de Reneesme.

O aeroporto estava lotado, muitos voltavam ou chegavam de suas férias, e nossa busca por algum carro com vidros escuros o suficiente pra nós parecia eterna. A eternidade nunca era tempo bastante quando estávamos em situações assim.

O carro encostou-se à entrada principal do aeroporto, e quando o vidro abaixou revelando Edward, meus medos eram dissolvidos, eu sabia que não devíamos nos afastar, sempre que o fazíamos a sensação de vazio sempre voltava, mesmo não sendo humana eu se lembrava de cada sensação que tive quando Edward um dia com intuito de me proteger foi embora, e como dejavú esta sensação me pegava cada vez que estávamos longe, mesmo que por pouco tempo.

_Vamos Alice.- entramos e Edward dirigia friamente prestando uma atenção a mais de necessária na estrada.

Chegamos perto dos limites de Volterra e o silêncio presente nos preocupava, não tínhamos um plano fortemente traçado por falta das visões de Alice, eu encarava Edward no volante rígido e preocupado, eu queria fazer algo para confortá-lo, então coloquei minha mão na sua e ele me encarou, e me deu aquele sorriso que mesmo sendo vampira ainda me fazia suspirar.

O celular de Edward toca, eu rapidamente atendo, depois de uma breve olhada no visor.

_Carlisle! É a Bella.

“Oi Bella, como vão indo as coisas?

Dei uma breve olhada para Edward que assentiu com a cabeça me encorajando a contar a verdade.

_Carlisle, está complicado, algo fez com que avisão de Alice sumisse, e eu não sabemos como agir daqui para frente.

“Entendo, eu acho que é hora de embarcamos e todos estarem juntos.”

Edward fez sinal para que eu ligasse o viva voz. Assim o fiz.

_Carlisle, não há necessidade ainda, mas fiquem de sobreaviso, já estamos próximo de Volterra.

Depois de uma breve despedida encaramos Alice que sempre estava apavorada, sem suas visões ela ficava vulnerável, e pior sem alguma ligação com Jasper, eu sabia que isso podia ser a coisa mais terrível, vivi na pele o que ela esta sentido agora, e como vampira minhas emoções mais intensas, era fácil de me compadecer dela.

A estrada parecia mais longa do que a ultima vez que estive aqui, onde em um porche amarelo corríamos contra o tempo para salvar Edward, no entanto agora sem saber onde procurar Jasper a situação era pior.

Quando avistamos os muros de Volterra, Edward entrou em uma estrada pequena, e contornou um dos campos, e estacionou perto de um arvoredo.

_Então agora teremos que traçar um plano, com o escudo de Bella podemos despistar Jane, no entanto não sabemos quantos da guarda estão com Ela.

Edward estava tentando resolver como seria este resgate.

_Alice qual foi sua ultima visão?

Edward já sabia, mas eu queria os detalhes.

_Bella, foi difusa, a visão que tive de Jasper, foi nublada, como se houvesse uma freqüência me atrapalhando, mas pude ver que ele estava ainda em Volterra, mas com a Jane foi estranho, ela estava com aquela hibrida, a Selena, e foi quando tudo se apagou.

_Sim Selena, foi ela que fez com que Reneesme ficasse em seu estado inanimado por um período, aí esta a resposta, híbridos, eles nublam suas visões.

Foi quando Alice se concentrou, e logo algo aconteceu.

_O telefone vai tocar! – ela disse animada!

E o celular dela tocou.

_Jasper!!!

“Alice, meu amor, que bom ouvir sua voz.”

_Jasper Halle, quero saber o porquê você não me ligou , estava super preocupada com você…

“Alice as coisas ficaram complicadas e estamos fora de Volterra”

_Jass eu vi, mas depois tudo se apagou, agora não sei onde achá-lo?

“Você está em Volterra?!!!

O tom de Jass era de preocupação, agora, ele estava fora de Volterra e mencionou“nós”, não estava sozinho.

_Onde está Jasper? Eu estou próxima a Volterra com Edward e Bella.

“Não , Não Alice, não fiquem próximos voltem eu te darei a localização, mas temos coisas a resolver, e sei que talvez Edward e Bella não concordem com minha atitude.”

(***)

Depois da localização dada, chegamos a uma pequena fazenda abandonada, era longe de tudo, descemos do carro, e nos deparamos com Jasper nos esperando, ele mantinha sua posição rígida igual à de um soldado, e sua vestimenta preta, o deixava com ar assustador, ele realmente estava levando aquela guerra a sério.

Alice correu a seus braços e sempre sendo mais discretos em seus afetos, agora era visível a falta que um fez ao outro.

_Vamos para casa Jass, antes que as coisas se compliquem.

A postura de Jasper ficou tensa, ele encarou a mim e a Edward.

_Não posso Alice, eu disse tenho algo a fazer.

_Explique melhor Jass, e porque eu estou totalmente bloqueado e não consigo ouvir a mente nem sua e nem de Alice.

Edward chegou ao meu lado, eu sabia que tinha algo errado, peguei a mão de Edward, e lembrei-me das palavras de Jass para Alice:”Edward e bella não vão gostar…”

_Edward, Bella. – Jasper com seu tom cortês nos dirigiu a palavra. _Eu tenho algo que preciso lhes falar, mas antes teremos de entrar, mas aviso, não se assustem com as pessoas que estão aqui dentro.

Encaramos-nos por um momento, e seguimos Jasper pra dentro da pequena casa abandonada da fazenda, e nos deparamos com quatro vampiros. Se eu fosse humana meu estomago estaria revirando e com a sensação de impotência diante de tais figuras.

Anúncios