O Veneno

 

POV Edward.

Quando a vi, ali caída e com sangue, eu fiquei por frações de segundo imóvel, e Benjamim quem me chamou atenção.

_Edward, rápido o veneno está se espalhando.

_O quê, veneno?

_Sim veja você mesmo.

Afastei a pelagem presente na região, e sim, era com certeza o veneno, não foi uma mordida profunda, foi um raspão, só que infelizmente havia veneno suficiente.

Meu coração foi esmagado, não poderia ser, quando eu achava que a felicidade estava ao meu alcance ela seria tirada de mim.

_Edward se concentre, temos que retirar o veneno antes que atinja o coração.

Era benjamim que novamente me trazia para realidade, mas o que poderia ser feito, a morte lhe batia a porta, e em minutos o veneno chagaria a seu coração.

_Edward vamos temos que tentar retirar o veneno, pense é como retirar o veneno de uma cobra, tem que sugar, você é único que não tem repulsa ao cheiro que conseguirá.

A minha mente clareou, sim, retirar, sugar o veneno.

Imediatamente coloquei minha boca no pequeno ferimento e suguei com força, mas sangue dos lobos era denso e diferente de humanos ou de animais comuns, sugava e cuspia, eu tentei e consegui retirar uma parte.

Achei que seria o suficiente, mas ela ainda estava desacordada, e na forma de lobo.

Alice e Jasper estavam cuidando dos restos de Tânia e uma fogueira queimava, os lobos tomaram a forma humana e a única coisa que podia ser feita era levá-la a La Push o mais rápido possível.

A coloquei na garagem de seu pai, eu podia sentir sua respiração fraca, e seu coração estava igualmente sem forças.

O desespero me tomou, eu só pensei em uma coisa.

“Alo”

_Carlisle, eu preciso de sua ajuda, e urgente, em quanto tempo você consegue chegar a Forks, e vir a La Push.

“Edward, acalme-se o que está acontecendo? Eu estou em Denali e estão todos preocupados com o que aconteceu com Tânia.”

_Eu te explico tudo quando chegar, mas venha logo, Belinha se feriu, e foi algo que só juntos podemos achar uma solução.

“Tudo bem Edward, pego um voo, e corro até ai.

(***)

 

Em toda a eternidade eu nunca senti que o tempo passou tão devagar, o dia pareceu que não passava, e a cada hora sentia Belinha mais fraca.

Quando a noite se esvaia e a madrugada entrava, senti a presença de Carlisle.

_Que bom que chegou, venha.

Carlisle observava, enquanto eu lhe contava todos os detalhes, o imprinting, a vinda dos Volturi, sobre Tânia, sua morte, e sobre o veneno.

_Meu filho acalme-se, não podemos fazer nada sem saber o que realmente está dentro dela, se ainda tem veneno suficiente para ele morrer, isto é grave, no entanto não se sabe ao certo se a quantidade de veneno que ficou persente em seu corpo é mortal ou fará algum efeito ao qual não temos conhecimento.

_Sei, é um tiro no escuro.

Neste instante, algo acontecia com ela, seu corpo começou a tomar a forma humana, e ela estava ali desprotegida, simplesmente desacordada, e imóvel, eu tentava entrar em sua mente, mas estava tudo tão escuro, eu não obtinha respostas.

_Edward, vamos colocá-la em outro lugar, e você já avisou os pais dela?

_Não, nem tenho ideia de como fazer isso, temos tanto a contar, que não sei se é certo fazer já.

_Mas eles devem saber o quanto antes. – Carlisle colocou a mão em meu ombro e vi o que pensava.

“Temos que nos preparar para tudo, até para o pior.”

Não, eu não queria pensar assim, já tínhamos vivido tantas dificuldades, eu ainda sentia que podia haver uma luz no fim do túnel.

Arrumei seu quarto, e quando tudo estava em ordem a vesti, e coloquei-a deitada, ao lado de fora da casa todos da matilha aguardavam respostas, na sala da casa Alice e Jasper estavam igualmente aflitos, Alice a amava também, e Jasper lhe dava o conforto necessário.

_Edward, retirei sangue dela, leve ao hospital e faça alguns exames.

_Não, eu não quero me afastar dela. – eu queria estar ao lado dela a todo instante.

_Filho, pense, você é único que tem acesso, eu não poderia simplesmente entrar lá agora, não trabalho mais lá, e já se passaram anos, as pessoas vão desconfiar se o Dr. Carlisle aparecer depois de anos e não ter envelhecido nada.

Entendia perfeitamente esse argumento, então com muita dor eu fui até o hospital, tive que dar várias explicações por minha ausência, e quando consegui acesso ao laboratório fiz os exames.

Algo estava diferente agora, seus cromossomos tinham mudado, e eu não sabia ao certo o que significava aquilo.

Voltei até La Push, e a situação era a mesma.

_Não sei o que isso pode ajudar, mas a contagem dos cromossomos dela está totalmente diferente, nem pares humanos, nem pares de lobos, estão únicos.

_Filho qualquer informação ajuda, isso quer dizer que ela esta passando por algo diferente, e sim é único, só nos resta esperar.

O telefone da casa tocou, e Alice atendeu.

_Alô.

“Alice o que faz ai?”

_Vim… visitar..

“Chame Belinha, estamos no aeroporto, tentei ligar em seu celular, mas está desligado.”

_Bella… Belinha… – fiz um sinal para que Alice enrolasse Bella.

_Bem, ela está ocupada, mas já resolvemos isso.

Ela desligou o telefone e eu me prontifiquei a buscá-los.

_Edward fique, eu vou. – Alice se ofereceu, sabendo que eu não queria ficar um minuto se quer longe dela.

_Eu vou, tenho coisas a conversar com eles.

Carlisle chegou até mim e vi em seus pensamentos preocupação.

“Seja paciente conte somente o necessário agora.

Peguei o carro de Carlisle, e fui até o aeroporto, o caminho era longo, e me deixava agoniado, quando cheguei vi a preocupação na mente de Jacob e percebi que Bella estava igualmente transtornada.

_Fale logo sanguessuga, alguma coisa aconteceu?

_Jacob, Tânia já deu o ar de sua visita com os Volturi.- ele me lançou um olhar de acusação.

_E o que houve Edward, onde está Belinha agora?- Bella gritava agora.

_Fiquem calmos, eu conto tudo.

(***)

Pelo caminho contei-lhes tudo, exceto a parte do imprinting eu sabia que seria difícil absorver tudo de uma vez.

Depois de ouvir toda e qualquer acusação de Jacob calado, pois eu sabia que era culpado realmente por tudo, chegamos a casa.

Bella desceu impetuosamente do carro, e Jacob não me dirigiu nem um olhar, somente a seguiu.

 

MUSICA:the-red-jumpsuit-apparatus/your-guardian-angel

 

No quarto estávamos todos ao redor dela, aquilo era triste parecia um funeral.

Não podia aguentar esta cena, era triste e revoltante, me retirei, e fui para fora.

Em mim somente as lembranças de minha Belinha.

A menina inocente e bela, que dançava em meus braços.

A garota que aceitou o que somos.

A jovem que fez meu coração traiçoeiro se apaixonar, e inocentemente estávamos se envolvendo, a melodia que compus para ela ecoava em minha mente.

E a loba feroz que se tornou impetuosa, protetora e acima de tudo, minha.

O momento magico que compartilhei com ela, sim ela é minha e eu sou dela.

Absorto em todo pensamento, foi quando Carlisle me chamou, com um pensamento intenso, algo estava acontecendo.

“Rápido Edward venha.”

Corri porta adentro, e chegando ao quarto, a cena era torturante.

Belinha começou a se contorcer, seu corpo tinha espasmos, e convulsões.

Mas ela permanecia desacordada, era torturante, ver ela se jogando de um lado para o outro.

Tentamos segurá-la, mas nem nossa força era suficiente, Carlisle e eu fomos jogados longe.

Ela estava realmente sentido dor de alguma forma, e eu não podia fazer nada.

Quando minha mente conseguiu entrar na dela vi que algo certamente estava acontecendo, eu só não sabia exatamente o que era.

Anúncios