Este capítulo é um presente para meus leitores queridos, é um capítulo especial em Songfic. Sempre posto músicas para os momentos especiais, mas peço que escutem com atenção está canção que eu amo de paixão e foi minha inspiração para este capítulo. Ela reflete exatamente o que os personagens estarão sentindo.

Em especial este capítulo é bem diferente, pois trago a vocês o meu primeiro POV de autora, isso mesmo eu narrarei para vocês todo este momento mágico para Belinha e Edward.

Ofereço este capítulo as minhas leitoras Irene querida que tem me apoiado e me atentado muito pelo face hehe… Seus olhinhos surgem resultados, e para Glaucilene, sei que não gosta de música nos capítulos, mas este tinha de ser assim, espero que goste .

E ai vai as leitora queridas que sábado me fizeram chorara de felicidade com tantos comentários em um único dia:

Gisele, Larissa, Dayse, Mell Carollyne, Luane, Karol, paulinha, Larax e Bia oliveira.

Beijos a Lyne minha Betta querida que se não fosse por sua ajuda, ainda estava postando sem correção os capítulos.

 E para quem não curte Hentai aí vai uma dica, não leia..hehe curiosos…

Curtam meu presentinho:

Capítulo Especial Songfic

Imprinting

MUSICA: lifehouse:

Everything

MUSICA lifehouse everything-traducao.

POV Autora:

Edward estava em frente à casa de Jacob e Bella, e admirava o quão bem cuidado era o jardim, a cerca branca que Jacob com suas próprias mãos construiu, deixando a casa com ar de veraneio, pintado totalmente com tons claros para que a vida deles fosse iluminada, neste jardim que todos os primeiros passos de Belinha foram vividos. Ele não tinha duvida que sua escolha fora certa, e que ao deixar Bella viver uma vida humana simples e o mais próxima do normal foi à escolha certa.

Encontre-me aqui,
E fale comigo

Agora seus sentimentos eram voltados a Belinha, e mesmo com todas as dificuldades que se poderia enfrentar, ele estava disposto a lutar, em seu peito o coração não batia, mas sabia que o desejo e a paixão estavam presentes.

Eu quero te sentir
Eu preciso te ouvir

Mesmo ela sendo um dos Lobos, ele via esperança, uma luz no fim do túnel.

Você é a luz
Que está me guiando para o lugar
Onde encontrarei paz… Novamente

O que Edward estava querendo era simplesmente um momento a sós com ela, um momento para que ele pudesse esclarecer tudo, nunca foi uma substituição, ela nascera para ele, e certo desta verdade, seu único medo era de que os sentimentos de Belinha não fossem os mesmos, durante este período seus pensamentos estavam voltados nos treinamentos e isso não deixava espaço para ver se ela pensava nele.

Você é a força
Que me faz andar
Você é a esperança
Que me faz confiar

O carro se aproximou pela estrada, e quando Belinha desceu ele ficou esperando sua reação.

Você é a vida
Para minha alma

Belinha ao avistá-lo, estava decidida a enfrentar seus medos e confrontá-lo, eles não se encaravam nos olhos desde sua transformação.

Você é meu propósito
Você é tudo

E no instante que os olhos verdes de Belinha encontraram os dourados intensos de Edward, tudo ficou diferente.

E como eu poderia ficar aqui com você
E não me comover com você?
Diga-me, como isso poderia ficar melhor?

Belinha sentiu que a terra não mais a segurava, e com sua ligação mental Edward sentiu igualmente a sensação de voar, de estar livre da gravidade que o segurava na terra.

Você acalma as tempestades
E você me dá repouso

No entanto foi neste momento mágico como tudo que envolvia a tribo, algo mais forte segurou os dois, Belinha sentiu que seu corpo era totalmente preso pela simples existência de Edward, e Edward estando em sua mente sentia que em toda sua existência nunca houve tal sensação, a sensação de estar preso por algo mais forte.

Você me segura em suas mãos
Você não vai me deixar cair
Você roubou meu coração
E me deixou sem fôlego

Ele queria imediatamente estar ao lado dela, e que ela falasse algo para ele, queria a sentir, ouvi-la, ela agora era a luz que o guiava para algum lugar, um lugar de paz.

Você vai me receber?
Vai me atrair mais ainda?

Ela sentia nele a força que a fazia andar, que a fazia ter esperança, que a fazia confiar em um futuro, agora ele era sua vida, seu propósito, ele era tudo.

E como eu poderia ficar aqui com você
E não me comover com você?
Diga-me, como isso poderia ficar melhor?

Aquele simples olhar os fez sentir tudo de mais precioso, Edward agora tinha certeza, não era só desejo, e nem uma simples paixão, ela era a razão dele existir, era sua alma perdida.

E como eu poderia ficar aqui com você
E não me comover com você?
Diga-me, como isso poderia ficar melhor?

Os dois estavam igualmente perplexos com a sensação, e a única reação que ambos tiveram foi de correr um para o outro, e um abraço imensamente forte e aconchegante os envolvia.

Pois você é tudo que eu quero
Você é tudo que eu preciso
Você é tudo, tudo
Você é tudo que eu quero
Você é tudo que eu preciso
Você é tudo, tudo
Você é tudo que eu quero
Você é tudo que eu preciso
Você é tudo, tudo
Você é tudo que eu quero
Você é tudo que eu preciso
Tudo, tudo

Os braços frios de Edward envolviam a cintura fina e delicada de Belinha, que levou suas mãos ao pescoço dele, infiltrando seus dedos no emaranhado dos fios cobre e com prazer os agarrou.

E como eu poderia ficar aqui com você
E não me comover com você?
Diga-me, como isso poderia ficar melhor?

O cheiro, o ardor, havia sumido, a garganta de Belinha não estava nem um pouco seca, e Edward que nunca havia sentido nela o cheiro de cachorro presente da tribo, teve a certeza que jamais sentiria.

E como eu poderia ficar aqui com você
E não me comover com você?
Diga-me, como isso poderia ficar melhor?

A repulsa a que Bella um dia se referiu, não envolvia nenhum dos dois.

E como eu poderia ficar aqui com você
E não me comover com você?
Diga-me, como isso poderia ficar melhor?
Diga-me, como isso poderia ficar melhor?

Belinha deitou a cabeça no peito de Edward, ela sempre sentia paz mesmo com a ausência de seus batimentos, Edward acariciou seus cabelos loiros recém cortados na altura do ombro, por conta de sua pelagem.

Nenhuma palavra fora dita até ali, pois não havia necessidade de palavras quando algo mágico atingiu mutuamente os dois.

Belinha arriscou encarar Edward novamente nos olhos, e não percebera que os seus estavam cheios de lágrimas até as mãos frias dele as limparem.

_Não chore, está tudo perfeito. – Edward disse com sua voz suave de anjo.

_Não estou triste, estou feliz. – Belinha disse.

Os dois não se contiveram, e os lábios deles se tocaram com delicadeza, Edward que sempre tomou cuidado estava um pouco mais apreensivo em evitar a qualquer custo que seu dentes a tocassem.

Belinha traçava o contorno dos lábios lisos dele, com sede, por ela o beijo seria intenso e voraz.

Ela se lembrou de sua força, agora quase igual à dele, e o empurrou porta adentro, Edward sabia que era difícil o que ela estava querendo, pois lia sua mente a todo instante.

_Belinha… Não.

_Shi… Edward… Eu confio em você- ela disse encarando seus olhos.

Ele não se conteve, a ergueu em seus braços e a levou em seu quarto. Belinha rasgou a camisa que ele usava, enquanto ele fazia o mesmo com a dela, em segundos eles estavam desprovidos das roupas e não conseguiam se separar.

Edward tentava se concentrar e delicadamente beijava seu corpo, mas ela não estava nem um pouco cuidadosa, e cravou suas unhas nas costas dele causando uma sensação de prazer intenso.

Ele chegou a seus seios e os sugava com delicadeza. Um gemido tímido passou pela boca dela, enquanto Edward passava sua língua em seus mamilos.

O prazer invadia cada pedaço de seus corpos, agora tão conectados.

Belinha com sua velocidade e força o puxou para que ela ficasse por cima, e sussurrou em seu ouvido.

_Você não pode me morder, mas eu posso.

Edward não havia pegado este pensamento e ficou surpreso com sua impetuosidade, ela mordia seu ombro, e sentia a pele dura de mármore que com seus dentes agora fortes, lhe causava uma sensação inédita de prazer.

O calor encheu o quarto. Ele pegou delicadamente em sua cintura e encaixou nele, um gemido saiu entre seus dentes quando ambos sentiram que seu membro estava na entrada dela, de leve Belinha fez pressão sobre ele, e sensação se intensificou a certo grau que a velocidade e força dos dois fizeram a cama desabar ao chão.

Nem ele, nem ela pararam, eles curtiam o momento. Belinha deixou Edward a virar e se posicionar em cima dando-lhe um prazer imenso.

Mas algo em Edward estava intenso demais, e quando ele percebeu estava a ponto de se descontrolar, então praticamente se impulsionou para trás e como se voasse parou na parede, deixando uma pequena marca.

_O que houve?

_Sabe que não posso me descontrolar com você, é perigoso demais.

A sensação de rejeição invadiu Belinha, quando Edward percebeu, se aproximou, e se abaixou até ela, que estava em cima da cama que agora estava no chão.

_Não é com você, é por você, estava tão maravilhoso que eu cheguei a me descontrolar.

Ela se encolheu e encostou sua cabeça nos joelhos.

_Como faremos isso dar certo, você não pode dar tudo de si, sempre vai necessitar mais.

_Não é isso, entenda, meu veneno é mortal para você.

Mesmo com os olhos prestes a chorar ela entendeu, e ambos se vestiram, ela pegou roupas novas no armário, e ele vestiu seu jeans já a camisa estava inutilizada.

_Eu pego uma do meu pai.

_Eu prefiro ficar assim, o cheiro não seria muito agradável. Não leve a mal.

_Não ligo, o cheiro de vocês também não me agrada, a não ser no seu caso, por que será?

_E você ainda pergunta depois de tudo que acabou de acontecer?

_Sei lá, um imprinting é tão forte assim?

_Você acabou de sentir, na verdade corrijo, ambos sentimos, e ainda tem dúvida de quão forte é.

_Não forte o suficiente.

Ela se referia ao fato do veneno.

Edward chegou perto dela e colocou seu rosto entre as mãos e disse:

_Daremos um jeito, juntos.

_Juntos. – ela repetiu e o abraçou. -O que você quis dizer com “ambos sentimos?”

_Estou tão surpreso e perplexo quanto você Belinha, mas acho que por causa de eu ler mentes, estive ligado diretamente com sua mente no momento em que tudo ficou mágico.

E sim Edward sentiu igualmente a sensação de um imprinting, como se ele mesmo fosse capaz, era algo único e inédito.

Anúncios