Tags

, , , , ,

18 Um novo membro.

Reneesme:

A parte de contar para meu pai não foi tão difícil, como pensei, ele ficou meio azul, roxo talvez, será que vampiros podiam entrar em choque? Ou talvez esse fosse o momento em que vampiros dormiam, ficavam como pedra calados.

-Edward, fale alguma coisa Reneesme esta esperando.

-O que você quer que eu fale??

-Pai!!!!” “ Fale logo se posso namorar com Jacob.”

-E se eu dissesse não, mudaria alguma coisa?

-Edward, pare com isso. – minha mãe estava nervosa.

-se vocês insistem tanto, é claro que deixo, não tem como fugir disso.

-Edward!!!!]

-Tudo bem Bella, eu só posso dizer isso, espero que sejam muito felizes, e jacob se magoar minha Reneesme, eu vou retirar cada membro de seu corpo, parte por parte,

-Pai!!!- eu sabia que era o melhor jeito que meu pai poderia reagir, afinal sua filha de apenas seis anos estava pedindo para namorar.

-seis anos, isso mesmo… ele repetia meio que para ele mesmo, mas se dirigiu ao piano.

Jacob foi reorganizar as rondas com a matilha, iriamos fazer outro piquenique  no domingo em meu recanto.

Meu pai estava no piano e quando sentiu minha proximidade começou a tocar minha canção de ninar, eu sentei ao seu lado e tocamos a duas mãos, e como sempre o final eu tocava sozinha.

Ao final da musica ele me deu um beijo na testa. Meus pensamentos eram serenos, somente imagens de minha infância curta, de como eu sempre fui feliz.

-filha, desculpe se fui groso, é que para mim é de mais.

-“sei pai, sua garotinha .” o abracei forte. Mamãe entrou e juntou-se no abraço. E mesmo com nossos dons, agora não era preciso imagens e nem leitura de mentes, sabíamos que ali estava o verdadeiro amor de família.

Fui para meu quarto no chalé, hoje não tive pesadelos, meus sonhos foram preenchidos com minha família e meu Jack.

Pela manha a minha alegria preenchia cada canto da casa.

-Queridinha teremos que ter umas conversinhas. – tia Alice vinha pela escada.

-Alice, ainda não!!!

-há Edward, ela já é bem grandinha.

-Tia!!! Não precisa ter essa conversa. A mamãe já se adiantou há um tempo.

-Bella!???

-Edward, nossa filha cresce rápido e ela ficava curiosa o porquê mandávamos ela dormir na mansão.

-vocês podem parar, eu ainda sou de menor, pelo que sei, essa conversa já foi longe de mais.

Estava ficando tenso a situação quando fui salva pelo gongo.

-Jack!!!! A que horas vamos??

-oi Ness, eu preciso falar com você sobre isso.

-que foi?

-acho que vamos mais tarde, o rastro está forte e acho que o encurralamos , estou com todos na ronda agora e vim chamar reforço de seu pai e tios.

Naquele momento entrei no modo  “garota birrenta”, como ele podia fazer isso era nosso primeiro encontro de namorados,.

-Reneesme , Jacob esta certo, a matilha precisa da liderança.

-não, eles estão em muitos, porque tem que ser assim?

-Nesie querida, teremos oportunidade.

Eu não quis ouvir mais nada, eu sabia da importância só não queria aceitar, subi correndo para o quarto que eu tinha aqui na casa de meus avos  e bati a porta com força.

Porque tinha que ser assim, eu sei que ele tem seus compromissos, mas seria nosso primeiro encontro, esse rastro estava ai faz tempo, deixasse os outros atrás, talvez outro dia.

Eu sabia que estava agindo como uma criança birrenta.

-querida abra para mim!!!

Minha mãe batia na porta. Abr.i

-eles já foram?

-sim seu pai e seus tios também, seu avô ficou. Querida você tem que entender.

-mãe, me diga, como você se sente quando esta longe do papai?

-filha sei o que você quer dizer, quando estou longe de seu pai é como se parte de mim estivesse com ele eu só me sinto inteira ao lado dele, e sempre foi assim.

-sei jack me contou quando você ficou deprimida

-eu tento não me lembrar, as lembranças humanas são embaçadas isso ajuda, mas as lembranças dos momentos felizes eu me agarrei a elas para não esquece-las.

-eu quero ter minhas lembranças.

-você terá filha, tenha paciência, Jacob tem responsabilidades, e você vai ter que aceitar.

-tudo bem.

Ela me deu um beijo na testa e saiu do quarto, eu estava mais calma eu observava a floresta ao fundo quando tive uma ideia, tínhamos combinado o piquenique, e o invasor só ia ao lado sul da floresta perto de nosso território e perto de forks .

Peguei uma mochila e coloquei meu mp3 um livro, uma manta,  e pulei a janela eu iria ficar em meu recanto.

Chegando perto do pequeno riacho o lugar não era o mesmo estando sozinha do que quando estava com jake, coloquei a manta no chão e me deitei, liguei meu mp3 e fiquei ali vagando minha mente.

Estava tudo tão tranquilo que eu quase dormi, foi quando eu senti um cheiro diferente, meu instinto me alertou.

Eu levantei com um único salto, então o avistei.

Ele estava lá me observando, de longe, não era vampiro, e nem humano, ele acenou e foi se aproximando.

Por frações de segundo eu tentei analisar minhas opções, fugir, ficar e lutar?

Ele então falou.

-Não tenha medo eu vim em paz.

Pensei em correr, mas algo não deixava minhas pernas moverem do lugar, maldito traço humano de medo.

Ele se aproximou e continuou falando

-Reneesme, este é seu nome? O meu é Nolan, eu estava tentando falar com vocês, os cullens.

Algo em sua voz calma me deixou acreditar nele, o medo passava, pude falar.

-porque não foi a nossa casa?

-eu tentei  mas aqueles lobos

Lembrei-me do invasor.

-é você que sempre esta na floreta?

Nolan se aproximava, ele era alto e loiro, tinha feições adolescentes sua pele branca o denunciava,seu coração batia rápido como meu, ele era diferente.

-sei que esta se perguntando, e sim eu sou como você.

-você lê mentes por acaso?

-não eu só sinto o que você esta com duvidas e uma seria essa.

-o que você quer?

-se possível eu queria falar com seu líder do clã Carlisle acho?

-sim meu avô, o que quer dele?

Eu preciso de ajuda, meu pai e eu  ficamos sabendo que seu avo pode ajudar.

-como?

-temos um problema com os volture e soubemos de que seu clã já os derrotou queremos ajuda. Será que podem nos ajudar?

Quando ele se aproximou notei seus olhos de um verde intenso,

Algo em mim dizia que ele falava a verdade.

-eu vou juntar minhas coisas e podemos ir, você tem que falar com ele.

Quando eu estava juntado às coisas, senti seu cheiro então pulei imediatamente a frente de Nolan,

-se abaixe Nola. JACOB Não.

Ao mesmo tempo que saltei Jacob saltou em meio a floresta parando somente com sua proximidade de seus dentes de mim.

-você fala com eles?

-sim claro esse é meu namorado. Nolan, esse é Jake. Jake este é Nolan.

Nolan ficou me encarando e olhava o lobo enorme encarando ele.

-como você??

-Jake, pode fazer o favor de se transformar? – Jake me encarou serio – eu tenho certeza sim, pode se transformar que ele te explica.

Jacob foi ao meio das arvores e se transformou.

-Nesie você tem certeza?

-Cem por cento não, mas vamos levar ele até meu avô e meu pai, assim ele conta sua história.

Chegando em casa, todos se reuniram na grande sala e Nolan contou sua história. Enquanto meu pai lia em sua mente se ele falava a verdade.

-“  meu pai se chama joham, vocês conheceram meu irmão Nahuel. Até alguns anos meu pai não passava de um cientista, mas a seis anos quando ele conheceu minha mãe ele se apaixonou. Nahuel comentou com minhas irmãs sobre a criança hibrida daqui e que sua mãe tinha sobrevivido, meu pai teve esperanças, mas os volture aparecerão pedindo satisfação de suas experiências, meu pai prometeu não fazer mais nenhuma experiência e escondeu minha existência. Mas esses volture também queria estudar e aprender sobre os híbridos e descobriram que minha irmã tem um dom que meu pai escondia. Então eles a levaram.”

-Meu jovem, não sei se podemos ajuda-lo.

-vocês já venceram uma luta.

-não chegou a haver luta,

-vocês são a nossa única esperança.

-o que exatamente vocês querem de nós, e seu pai aonde está?

-meu pai quer sua filha de volta, e meu pai esta longe, ele tem um dom, que deixaria vocês desconfortáveis.

-que dom?

-Meu pai tem o dom de bloqueio, ele bloqueia qualquer poder.

-um escudo como a Bella e Renata? Interessante.

-meu pai é mais que um escudo, ele bloqueia mesmo, só estando perto de vocês ele já estaria bloqueando, como aqueles aparelhos que bloqueiam celular, ele não controla.

-interessante, Edward?-meu avô pedia a opinião de meu pai.

-Tudo que ele disse é verdade, mas não sei como ajuda-los.

-Mesmo que não possam lutar, meu pai não quer que os volture saibam de mim.

-isso podemos ajudar, ficaremos feliz em ter hospedes em casa, claro que seu pai teria que ter alguns cuidados.

– e sua mãe?

-Meu pai não conseguiu salva-la como vocês o fizeram, infelizmente ela se foi, meu pai mudou muito, ele me criou com amor, me ensinou a ser bom, a ama-la, me ensinou a caçar animais.

-e seu pai?

-ele achou difícil se adaptar a dieta, mas tenta, quando não consegue ele caça, mas tenta classificar sua caça.

Depois de Nolan contar sua história, jacob mesmo desconfiado avisou a matilha, do novo visitante, e da visita que iríamos receber, Joham viria falar com meu avô e meu pai.

Joham.. chegou e como já alertado, nenhum de nos conseguiu usar seus dons, nem minha mãe, nem tia, nem meu pai, nem eu e nem tio Jasper.

Joham não ficou muito tempo, ele só pediu para Carlisle cuidar de seu filho, e que ele viria visitar de vez em quando, não ficaria por conta do bloqueio, e ele queria despistar os volture.

O domingo foi acabando, então Jake e eu fomos curtir o final do dia sozinhos.

-Que loucura em?!!

-Nesie, não faça mais isso, não saia sem avisar, e se ele fos…

-desculpa, eu fui uma estupida.- peguei seu rosto nas mãos.- não faço mais.

-eu fiquei preocupado.

-Eu sei.

Eu o beijei, e agora eu sabia que sempre que eu quisesse eu poderia fazer sem culpa.

-Jake, posso te pedir algo?

-Claro.

-Me leva a escola amanhã?

-Claro, e eu posso te pedir algo também?

-claro

-fique longe do Nolan, algo me diz que tem coisa ai.

-Jacob, você está com ciúme?

-Não é ciúme, é preocupação.

-sei. – se fosse ciúme ou não eu tirei suas duvidas com um beijo delicioso.

Anúncios