Tags

, ,

16.Sem duvidas.

POV. Reneesme

Estava em um corredor sem fim, longo e escuro, as paredes eram de um tom de cinza escuro, e por elas escorria um liquido como se estivessem sangrando, eu ia caminhando neste túnel escuro ate que cheguei a duas grades enormes que se abriam, quando passei por elas pude ver a poça de sangue se formando e o sangue vinha de um corpo sem vida no chão, eu não entendia porque eu estava sozinha naquele lugar.

Aos poucos eu percebi que não estar sozinha meus familiares me encaravam como se eu tivesse feito uma traquinagem muito grande, os olhos dourados de todos transparecia dor, estavam ouro solido, meu pai me dirigia aquele olhar de reprovação e minha mãe com seus olhos duros com dourados intensos como se quisesse chorar.

Foi quando vi sangue em minhas mãos e o corpo sem vida no chão era de Rick, eu pude sentir o gosto do sangue humano em minha boca,

Um homem de cabelos longos e pretos de pele azeitonada e seus olhos vermelhos carmim me encaravam, pude reconhecer Aro ,eu só o vi uma vez e eu era uma criança mas reconheci seus olhos me reprovando.

Entendi que eu estava sendo punida então comecei a chorar e chamar aquele que era o único que poderia me ajudar neste instante

-JACK< JACK>>>>>

Acordei ofegante com a mão de meu avo Charlie afagando meus cabelos,

-calma! Querida o que houve?

-há vovô, era só um sonho!!!! Um pesadelo!!!!

O abracei, mais forte do que o necessário.

-AI !Calma,Nesie nunca te vi ter um pesadelo, parecia estar vendo sua mãe dormindo. Falando e gritando.

Pelos céus eu falei dormindo, o que posso ter dito será que disse algo que não deveria a Charlie.

-eu não sei o sonho ou pesadelo era estranho não fazia sentido algum

-percebi você falava coisas sem sentido e acordou chamado Jake, e por coincidência ele esta La em baixo querendo te ver.

-deixe ele entrar … – falei muito rápido.

-tem certeza?

-claro

Vou esperar lá embaixo.

Fiquei ali na cama sem fôlego para levantar nunca havia se sentido assim como se estivesse corrido uma maratona.

-posso entrar?

-claro

-o que foi isso Nesie?  Fiquei preocupado a noite toda, não pude nem vir te ver, Charlie não saia de perto de você ele tentou te acordar varias vezes e nada.

-há!!! Jack me abrace foi horrível, coloquei as mãos em seu rosto tentando-lhe passar aquelas imagens .

-Jacob ficou apavorado com tudo e me abraçou tão forte.

-Nesie querida isso não vai acontecer, vamos resolver tudo, e ate agora não teve bafafá nenhum você sabe noticia ruim vasa fácil.

Pensei em minha mente e decidi que teria que agir como adulta hoje, a verdade teria que ser minha salvação então depois de me arrumar eu desci e chamei Charlie para conversar.

-vovô eu preciso conversar com você.

Depois de contar o ocorrido, só omiti o que era necessário,  como o fato do sangue , Charlie ouviu pacientemente, não conseguia decifrar sua expressão.

-E ai vovô você acha que estou muito encrencada?

-Encrencada você? Claro que não é aquele garoto que vai leva um belo corretivo aonde já se viu forçar alguém a fazer o que não quer, filha você agiu certo se alguém faz o que não deve.

Agora ele explodiu.

-vovô só por favor, por tudo que teremos que passar não faça isso, eu resolvo, eu só contei porque antes que as fofocas cheguem e elas vão chegar você já sabe a verdade.

-mas filha…

-Charlie Nesie tem razão se você fizer disso maior do que é,as coisas podem complicar, tem haver sobre tudo referente aos Cullens. – Jacob ajudou

Charlie entendeu o argumento, mas exigiu que eu levasse na bolsa um spray de pimenta, que lógico era algo que eu não precisava.

Arrumei o resto de minhas coisas e coloquei no carro eu iria para casa dos meus pais e agora teria que enfrentar o outro lado da história.

Segurei firme o volante suspirei.

-vamos Jack, você vai estar comigo?

-claro sempre.

Entramos na grande mansão e estava tudo quieto quando Alice apareceu no alto da escada.

-oi querida!! Ela flutuou rapidamente em minha direção me recebendo com um beijo.

-oi tia, onde estão todos?

Ela pensou um pouco e ai falou:

-Emmett e Rosalie entrarão pela porta daqui a  pouco, Carlisle esta no escritório Esme no jardim e Jass há está ali- ela apontou para ele quando ele apareceu na escada com um sorriso para ela.

-e meus pais?

-bem… Ele estão no chalé e talvez demorem um pouco você sabe com você dormindo na casa de Charlie.

-Ui! Eca! Pare não preciso saber os detalhes, pois bem quero todos aqui agora quero contar algo e depois eu conto para meu pai.

Alice não entendeu muito bem, mas me ajudou ela chamou a todos, e quando todos estavam ali  comecei a passar por cada um colocando minha mão em seus rostos para lhes passar as imagens.

Espanto, duvida, preocupação eram essas expressões de todo, mas nada diziam esperavam que todos vissem.

-Agora que vocês conhecem o problema quero saber o quanto estou encrencada e o que fazer.

-querida você esta longe de ficar encrencada.- esme foi a primeira a falar

Então todos começaram a falar quase juntos eles estavam perguntando se eu estava bem, e sempre querendo me acalmar.

Foi quando eu percebi os dois parados na porta de entrada, meu pai e minha mãe.

Meu pai já estava ciente de tudo pelas mentes de todos com uma expressão que eu não reconhecia, ao seu lado minha mãe estava sem entender nada.

Quando eu estava com medo do que ele poderia pensar de mim, meus olhos já se enchiam de lagrimas, ele rapidamente soltou a minha mãe e correu ao meu lado e me deu um grande abraço.

-minha filhinha ele olhava em meus olhos e secava minha lagrima, não fique assim , vamos resolver tudo eu te amo.

Aquela abraço retirou todos meus medos era como se eu estivesse totalmente segura e nada fosse me atingir.

-é exatamente assim que você esta filha segura.

-Alguém, por favor, me diz o que está acontecendo?

Minha mãe gritou já ao meu lado.

Dei um leve sorriso para meu pai e coloquei minha mão no rosto de minha mãe.

Logico que a reação dela foi um pouco mais exagerada.

Quando os ânimos estavam acalmados fomos à famosa reunião de família.

-Acho que eu vou esperar lá fora.

Jacob falou de cabeça baixa

-Claro que não você é da família sente aqui Jake.

Meu pai o chamou a sentar ao meu lado, senti bem com aquilo, era a confirmação do eu já sabia Jacob faz parte de mim e sempre fará assim faz parte da família, ouvindo meu pensamento meu pai deu leve sorriso como se concordasse com tudo.

A reunião foi simples, meu avô, que agora trabalhava fora da cidade, disse que iria tentar ver alguma noticia.

Mas todos concordaram que aquilo logo passaria não se trataria de nada mais que um adolescente que avançou o sinal com uma garota que teve uma reação exagerada e depois veríamos o que acontece.

Quanto a meu conflito interno com a questão do sangue, meu pai me garantiu que era normal e que logo passava.

Jacob e meu pai foram conversar La fora sobre algo então aproveitei para chamar minha mãe.

-que foi?

-Faz aquilo?

-claro, mas por quê?

-só faça!

Minha mãe estendeu seu escudo ate mim então coloquei minha mão em seu rosto e passei as imagens de meu sonho.

-então será que tem algo a ver? Perguntei.

-claro que não querida, eu também tinha pesadelos quando humana e era muito pior, te garanto, isso não foi tão grava a ponto de algum volture se intrometer.

-se você diz.

-agora pare de bobeira e me diz você e o Jake como estão?

Mãe eu estou amando ele, e quero que ele saiba disso, saiba que eu o quero  ao meu lado como ontem, que eu não quero mais tempo nenhum, só que…

-só que???

-tem o papai?

-filha seu pai entende tudo o que se passa, ele só não aceita muito bem, ele tem seu jeito próprio de resolver e entender as coisas, meio melodramático às vezes, mas você tenha a certeza  de que ele te ama e vai te amar sempre e que ele ama tudo que a deixe feliz.

Abracei minha mãe e fui ver se Jack já estava livre.

– E ai?  Vamos passear?

-claro

O sábado foi maravilhoso fomos caçar, nadar e ao final do dia sentei com Jacob olhando o Crepúsculo chegar.

(Musica)

http:// www. vagalume.com.br/ bruno-mars/ just-the-way-you-are-traducao.html

Bruno Mayers “Just The you ar.” “Exatamente como você é.”

-meu pai sempre disse que essa e a melhor hora do dia, O crepúsculo.

-qualquer hora é a melhor quando estou com você Ness.

-então agora chega!!!

-chega de que?

-chega de fingir, chega de promessas eu desisto.

-Ness você esta fazendo de novo me deixando confuso.

-olha Jack, não tem jeito melhor de explicar.

Foi quando olhei em seus olhos e como esperado era automático, eu estava em seus lábios.

Era a confirmação de qualquer duvida, aqueles lábios eram meus, estando beijando eu sentia que nada podia nos atingir, meus medos eram dissolvidos, ele era meu Jake, sem medo, sem culpa, só amor.

Não precisava de cuidado, sua pele era forte o bastante para meus lábios. Meus dentes davam leves mordidas em seu lábio inferior.

Eu não tinha duvidas, eu poderia ficar ali eternamente, que eu sabia estar aonde deveria estar, como fiquei sem folego parei.

-e agora ness?

-Eu te amo, te amo, te amo- saltei de pé e gritei alto- EU TE AMO JACOB BLACK. Eu dava leves piruetas como uma criança feliz com um brinquedo novo. -E não quero mais tempo quero só você, para sempre..

O sorriso de Jack ficou largo e se levantou e repetiu minha palavras.

-Nesie, minha nesie eu também te amo.

Beijamo-nos novamente, agora mutuamente sem duvidas sem erro sem nada que me fizesse parar.

Sem duvidas ele era meu, seu sabor, sua pele, seu cheiro.

Tudo era perfeitamente compatível.

Eu poderia ficar ali, passar a noite se preciso.

A noite chegou, e junto às estrelas, mas eu não queria vê-las hoje, o brilho de Jake e eu nos beijando era maior.

Estávamos ali, ele deitado olhando o céu e eu deitada em seu peito.

-E agora?

-agora o que ness?

-você vai ter que pedir ao meu pai para a gente namorar.

-Ainda bem que eu me curo rápido.

Anúncios