Tags

, ,

Entregue

POV Edward

Ao entrar em meu carro e escutar que o garoto sentiu meu cheiro, não pude deixar de sorrir sabia que meu plano daria certo, sim ele logo seria um lobo, a minha competição não seria tão desigual, monstro por monstro seriamos dois.

-que sorriso é este Edward? – Hum entendi! Você não acha que está brincando com fogo?

-Alice, com aquele tratado ele não pode fazer nada!

-Mas o tal tratado não diz nada sobre querer roubar a namorada do lobo.

Saí do estacionamento cantando pneu.

-Alice ele me roubou ela antes!

-depois de você a deixar, lembre-se.

Sabia que tinha sido um completo idiota, mas mesmo que a perdesse não seria sem antes lutar e jogar com todas as minhas armas.

Ao chegar em casa a família inteira estava preocupada com as visões constantes sobre tânia, outro problema que teríamos que  resolver.

Ela não levou muito na boa como achei, o termino de nossa relação.

Ela sempre soube que nunca gostei dela o suficiente. Todos estavam ficando preparados, pois seus planos eram muito ruins e pior que ela incluiu em sua vingança alguém inocente que agora virava nossa inimiga, e pior ela incluía em sua vingança a morte de Bella.

POV Jacob

Pela manha decidi cabular a aula, queria preparar a surpresa para Bella.

Ela achava que iriamos a algum lugar especial, mas sabia que tudo teria que ser perfeito.

Como éramos de menor os dois, Motel era algo fora de meus planos.

Decidi fazer algo bem romântico, eu estava preocupado com a volta do Cullen, mas teria que confiar nela.

Ele a deixou, seria estupides dela querer voltar com ele.

O dia não poderia estar mais perfeito, sem chuva, o único problema era que desconfiava de que estava adoecendo, o que era difícil, desde pequeno minha saúde sempre foi de ferro, raramente adoecia.

Quando fui ate a escola pegar Bella, ao se aproximar de mim percebi estar nervosa.

-oi linda, que foi?

-Nada, por quê?

-Esta nervosa!

-Nada, só a educação física me irrita. – devia mesmo, eu devia parar de ser paranoico.

A puxei para um Beijo, mas algo me incomodou, Bella devia estar usando um perfume diferente, era doce que chegava a arder  meu nariz.

-Que foi?

-Nada, está usando algum perfume diferente, seu cheiro está doce de mais.

-Talvez seja o sabonete novo, sei lá!

Ela subiu em minha garupa, e vi o Cullen sair do estacionamento cantando pneu, ele devia estar bem irritado com a cena.

-Que foi isto? –

-Ele é idiota mesmo.

Ele deve ser mesmo, saber desta reação de Bella me deixava confiante de sua indiferença com ele.

Depois de avisarmos a Charlie que estaríamos juntos e não tínhamos hora para voltar, levei Bella a praia, confesso estar muito nervoso com tudo, eu chegava a ter uma tremedeira estranha, resolvi que caminhar me acalmaria.

O problema era que eu continuava nervoso, ao avistar o penhasco que costumava pular convidei Bella, e ela acetou.

Depois de pular o penhasco e deitarmos nas pedras, eu já não estava tão nervoso.

Sua camisa molhada colada ao corpo me causou uma excitação sem tamanho.

Fiquei em cima de Bella e pude sentir seu corpo contrair-se devido a meu calor, a beijei, e nunca cansaria de provar seus lábios doces e delicados, minha mão chegou a seu seio, e a outra cheguei a sua intimidade, mesmo molhada do mar pude sentir seu calor sabia que ela estava muito excitada.

Eu a queria e senti que ela enlouquecia de prazer, resolvi parar.

-vamos para minha casa, ai você se troca e vamos sair.

-você quer me enlouquecer?

-isso é parte do plano. – sorri para ela, sim eu queria ela totalmente entregue.

-Sei ,por que está conseguindo.

Ao chegarmos em casa, mostrei a ela o banheiro, meu pai estava na casa de Hary Pai de Leah, sabia que ficaria lá para ver os jogos como iam pescar no sábado ele decidiu dormir lá.

Enquanto Bella tomava um banho não pude deixar de ter imagens dela, resolvi me juntar a ela.

POV Bella

Ao entrar no banho, tentava relaxar meus músculos, Jacob preenchia minha mente naquele momento, o calor da agua dava-me sensações boas.

Quando percebi ele encostado na parede me observando.

-Que faz ai?

-Tendo uma ótima visão.

-quer se juntar a mim.

Observei seu corpo,  estava completamente nu, e muito viril.

Seu peitoral definido eu já conhecia de cor, mas fui descendo o olhar até sua virilha, e me deparei com seu membro, OMG.

Ele me puxou para junto de seu corpo e uma eletricidade percorreu minha espinha, ele tocou meus lábios de leve, diferente do que o de costume, foi a meu ouvido e sussurrou.

-Não fique nervosa.

Eu nada disse deixei-me entregue ao momento. Ele beijou meu ombro, e onde seus lábios encostavam era como brasa, ele subiu beijando meu pescoço, minha mandíbula, e encontrando novamente minha boca.

O beijo novamente começou lento, mas logo se tornou urgente faminto como habitual.

Envolvi meus braços ao redor de sua nuca, ele estava com suas mãos em minha cintura, e logo desceram a minha bunda, ele apertou firme.

A excitação era total, gemíamos entre nossos beijos, intensamente e incontrolavelmente.

Jacob virou seu corpo e se apoiou na parede, me virou pressionando meu corpo de costas ao seu, quente fervendo, minhas costas encostavam em seu peito e minhas nádegas eram pressionadas ao seu sexo.

Ele girou meu rosto encontrando meus lábios, e suas mãos encontraram meus seios. Minha respiração estava descompassada e intensa.

Uma de suas mãos chegou a minha intimidade, neste momento parei de respirar por uma fração de segundo, o que me deixou tonta.

Ele sentiu minha própria umidade, e seus dedos começaram com movimentos circulares, eu gemi.

-Jacke…

E seus movimentos intensificaram tanto em minha intimidade quanto em meus seios, sua língua quente invadiu minha orelha, me fazendo perder o equilíbrio, ele me apoiava.

Ele introduziu seu dedo dentro de mim lentamente, ele desceu sua outra mão estimulando meu clitóris com uma de suas mãos enquanto a outra fazia movimentos frenéticos e circulares.

Enquanto ele me estimulava, com movimentos de vai e vem fui praticamente desfalecendo, minha pernas se abriam para lhe dar mais passagem.

Ele me virou de frente e colou sua testa na minha, a agua do chuveiro caia em minhas costas e ele observava meu êxtase com prazer. Minha respiração se acelerou, eu gemia seu nome e cravei minhas unhas em seu braço. –jacke…

-Bella, goza para mim, vai…

Ele falou sussurrando em meio a meus cabelos, eu enterrei meu rosto em seu peito, e gritei, internamente eu estava totalmente contraída, ele segurou o peso de meu corpo que se desfaleceu de prazer. Ele me apoiou em seu peito e beijou novamente meu cabelo.

-um orgasmo dos muitos de hoje já foi.

Eu estava com minha respiração ainda descompassada, olhei para cima e encarei ele com um sorriso imenso.

Saímos do banho ambos enrolados na toalha.

-que roupa eu coloco? Preciso saber aonde vamos?

-vou te levar a um lugar que vocês esta perfeita sem roupa.

-Jacke? Não íamos sair?

-Eu bolei algo melhor, assim tenho você só para mim.

Falando isto, ele me ergueu em seu colo e levou-me ate a porta do fundo que dava acesso a garagem.

Quando entrei nem acreditei, ele tinha feito um trabalho impressionante. No chão estava um colchão, e ao redor varias luzes pequenas, ele cobriu todas as paredes com algum tipo de tecido, formando uma tenda que com as luzes tinha um toque magico.

-Jacke… eu estava sem palavras.

-gostou? Ou preferia sair?

-Eu amei, estou sem palavras, é perfeito, é claro que prefiro estar aqui a sós.

Ele me colocou no colchão, eu rapidamente me desenrolei da toalha, ele repetiu o gesto, e eu poderia olhar aquele corpo todos os dias que não me cansaria.

Sua boca chegou a minha, e nem parecia que eu acabara de ter um orgasmo, somente com seu beijo a umidade chegava novamente.

Ele passou sua mão por meus seios e logo sua boca estava ocupando o lugar delas, sua mão desceu ate minha intimidade, e mesmo com meu seio em sua boca ele falou.

-já está molhada Bella.

Eu nada disse simples gemidos saiam de minha boca.

Sua boca decresceu minha barriga e logo chegou a minha intimidade, sua língua ocupou o lugar de seus dedos, fazendo movimentos circulares e me sugando intensamente, senti que estava totalmente molhada.

Ele subiu os beijos e encontrou minha boca, e seu membro encostou em minha intimidade e gemi.

-Jacke…

Ele abafou meu gemido   com seus lábios e seu membro entrava lentamente em mim.

Senti um leve ardor e me contrai.

ele chegou a meu ouvido.

-Calma, cadê a Bella corajosa agora? Eu vou bem de vagar, dói só no começo.

Meu coração estava acelerado, ele foi bem lentamente introduzindo seu membro em mim, logo a dor passou dando lugar a um prazer imensurável.

Fechei os olhos por um instante, mas ao abri-los me deparei com os olhos de Jacke me encarando, apoiando-se com os cotovelos, uma de suas mãos acariciou meu rosto.

-Bella, você é linda. – seus olhar era intenso carinhoso.

Seus movimentos eram lentos, com muito cuidado, o prazer que sentia ia cada vez mais aumentando.

Agora eu estava realmente entregue a Jacke, ele percebeu que relaxei e intensificou seus movimentos, eu com minhas mãos cravava minhas unhas em suas costas, ele gemia juntamente comigo, seu calor me fez suar.

O carinho deu lugar a luxuria, eu abria mais minhas pernas dando passagem a jacke, eu me arqueava.

Seus movimentos me fizeram se contrair de prazer, ele juntamente chegou ao ápice.

Desabou ao meu lado, e me puxou para deitar em seu ombro.

Ficamos ali parados por um tempo até ele quebrar o silencio.

-Foi Bom?

-Bom, foi maravilhosos, ual.  – eu estava sem folego.

Ele acariciou meus cabelos, e beijou o alto de minha testa e logo encontrou meus lábios, desta vez ele me puxou para cima dele e ali descobri que podia ter controle da situação.

Não sei quantas vezes fizemos sexo, e nem quantos orgasmos eu tive, sei que pegamos no sono, mas antes liguei para meu pai e disse que dormiria na casa de jacke.

Ele não gostou muito da ideia, mas ficou por isto mesmo.

Chegando o dia, jacob ainda estava dormindo, levantei-me e fui ate a cozinha fiz um café, ao voltar jack não estava fui ate a casa e percebi ele sair do banheiro com uma cara de dor.

-O que foi Jacke?

-Nada, me deixe Bella, não estou bem.

Suas palavras saíram com tom alto.

-Que foi, posso fazer alguma coisa? – cheguei perto dele, e estava mais quente o de costume, ele fervia, o pulo do penhasco ontem pode não ter feito bem.

-Posso fazer algo? – fiquei preocupada, pensei em leva-lo ao PS. – Jacke vamos eu te levo ao médico.- peguei em seu braço, ele me empurrou.

-Não, eu não preciso de Médico, Bella é melhor você ir embora, agora!

Neste instante a raiva me consumiu, eu fui ate seu quarto trocar de roupa e pegar minhas coisas, a raiva era tanta que enfiava tudo de qualquer jeito na mala, foi quando uma blusa minha caiu no chão perto da lixeira, me abaixei para pegar e em meio a alguns papeis um me chamou atenção, quando li o nome Leah.

Ao abrir o bilhete amaçado a frase: “ Foi muito Bom!! Espero ter mais! Beijos Leah “

Abri outro papel e li : “Jack, hoje foi especial, espero sempre repetir, Leah.”

Tudo se encaixou, o que Leah disse outro dia sobre eles, este bilhete e a forma que Jacke me tratava, não contive as lagrimas.

Jacke entrou no quarto.

-Olha Bella desculpe é que eu realmente estou mal. – Ele percebeu meu estado.-  ei você está chorando?

-Não. – sequei as lagrimas e me coloquei de pé.- eu estou com raiva de ser tão estupida.- joguei o bilhete nele.- então Leah tinha razão você e ela tinham alguma coisa!

-Calma Bella eu posso explicar…

-Não tem que me explicar nada, Jacke você pode ter tido quantas garotas quiser, mas mentiu para mim,  e deve ter mentido também por tudo, e Leah pode ter razão no que me disse.

-O que ela disse.

-Nada de importante, o que importa é que você mentiu para mim, eu vou para casa já que não quer ajuda, espero que melhore logo.

Sai correndo, Peguei as chaves de minha caminhonete, lembrei que meu pai viria esta manha se encontrar com Bily e Hary para pescar, então segui para direção da casa dos Clearwater.

Eu não lembrava de que lado seguir, La push era grande, então decidi ir pela rodovia, assim me lembraria do caminho.

_ que porcaria. – a minha sorte começou, a caminhonete ficou sem gasolina.

Peguei meu celular para ligar para meu pai.

-Que merda esta porcaria esta sem batearia.

Desci da Chev eu iria caminhando pelo acostamento.

Começou a chover, e a chuva se tornou intensa.

-Só eu mesmo para ter toda esta sorte! – praguejava sozinha.

Foi quando eu já nem sabia que caminho tomar, uma poça de lama em minha frente juntou-se com minha sorte do dia em um complô, ali estava ensopada, caída no chão e cheia de lama até os joelhos. Um carro conhecido parou ao meu lado e abriu o vidro.

-E ai quer uma carona? – a voz maravilhosamente cantada saiu de dentro do volvo prata.

Não era a voz do dono do carro, felizmente era Alice.

-Eu vou ensopar todo o carro.

-Não importa entre.

-Ao entrar no carro, Alice ligou o aquecedor, o que foi muito bom.

-E ai o que faz aqui sozinha?

-Nada, eu gosto de caminhar na chuva, principalmente pela manha é revigorante.- Rimos as duas, Alice me tranquilizava, realmente gostaria que nossa amizade desse certo, se não fosse o empecilho de seu irmão idiota.

-Quer que te leve onde?

-Acho que posso ir para casa, meu pai com esta chuva vai adiar a pescaria.

-Garanto a você que se seu pai te ver assim, ele não vai mais permitir que durma fora de casa.

-Como??  Hãm sei você viu o que ele irá fazer.- Alice sorriu em resposta.

-Posso te levar até minha casa, assim você se troca, toma um banho, depois te levo para casa.

-Sua casa? A mesma que seu irmão mora? _ Isso não vai dar certo.- Não acho uma boa ideia.

Anúncios