Tags

Namoro

POV Bella                                                  

Enquanto estava com Jack pude perceber o quanto eu me sentia viva em sua companhia,

Jacob consegue deixar um ambiente iluminado e feliz, percebi quando ele foi ate a sua casa preparar um suco para nós que sua falta na oficina deixava tudo sem graça, não havia a magia que tinha com Jake.

Ao vê-lo entrar pela porta, estava animado como sempre, serviu o suco e continuava com explicações sobre peças que se não fosse por ele eu nem  daria atenção.

Eu o observava como sua pele de um tom amadeirado ficava levemente avermelhada com o reflexo da luz, não conseguia imaginar Jack como somente meu amigo de infância, ele me deixava nervosa com seus músculos definidos.

Eu ali viajando em imagens nada decentes em minha mente, derrubei uma chave no chão e quando fui pegar Jack juntamente se abaixou e nos olhamos muito próximos.

Sua boca ali a centímetros de distancia de meus lábios eu não resisti, logo eu o beijei.

E não foi um beijo qualquer eu praticamente tinha cede dele eu o agarrava, ele soltou a ferramenta no chão, e logo suas mãos estavam em meus cabelos era muito intenso, agarrei em seus longos cabelos negros.

Jacob era quente voraz ele logo me agarrou na cintura e ficamos em pé ele me apoiou no capo do rabitt e eu entrelacei minhas pernas em sua cintura.

Eu estava praticamente sedenta de Jack ele me preenchia sem culpa eu o desejava, meu coração podia pular pela boca naquele instante de tão acelerado.

Sua boca quente invadia minha, quando minha mente foi invadida por lembranças que evitava há dias,

Edward neste instante, entrava como um vírus em minha cabeça, não pude evitar as comparações entre fogo e gelo, eu me apertava mais a Jacob para que estas lembranças se dissolvessem, percebi que Jack estava excitado eu queria apagar Edward daquele momento então me apertava mais a Jacob.

Sim lembranças novas para apagar lembranças antigas, eu queria ser possuída ali mesmo ter Jack dentro de mim naquele instante, eu comecei a tirar sua camisa.

Logo minha boca estava em seu peitoral, quente definido, Jack nada falava, estava como eu entregue aquele momento.

Logo ele estava em minha orelha e sussurrou.

-Bella tem certeza que você quer?

-Sim Sim eu quero, falava ofegante me livrando da jaqueta.

Com o calor de Jack eu já estava suando.

Quando estava prestes a tirar a blusa Jack me afastou

-Bella não!

“porra “ que merda e agora o que era?

-Por que Jack eu sei que você! quer .

Ele levemente pegou meu rosto em suas mãos e me deu um leve beijo em meus lábios.

-Bella eu quero muito, te quero desde que me entendo por homem, sempre sonhei em te ter.

-então porque parou.- eu o agarrei na cintura e beijei seus lábios para que ele entendesse que eu queria aquilo, ali agora.

-Bella- ele me encarou nos olhos.- eu te quero tanto, mas se eu tiver alguma chance de que isso de certo, quero do jeito certo, não aqui na oficina, ou quando você ainda se recupera de um relacionamento.

-Pare de bobeira Jack eu estou bem e te quero agora.

Eu o agarrava, e beijava seu peitoral definido, ele me afastou

-Bella entenda eu quero você não só uma vez ,eu quero você para mim entende?

-Entendo!

Eu entendia, jacke era perceptivo e mesmo eu tentando me enganar eu sabia que ainda restava uma parte de mim que pensava em Edward.

-e então como? Vamos para o quarto se na oficina é ruim!

-Bella, vamos fazer assim a gente sai conversa pega um cinema.

-Como um encontro?

-isso, Bella eu quero você mais que tudo, mas tenho que ter certeza que você quer ser minha.

-Tudo bem.

Talvez essa fosse minha sina mais um que manda esperar, será que era eu ou o problema esta com esses homens.

Combinamos de ter nosso encontro na sexta- feira, e durante a semana o padrão ficou o mesmo.

Escola trabalho, e Jacke.

Na escola Jessica tinha pego três dias de suspensão, o que me incomodava era Alice, todos os dias ela insistia em ficar me encarando, eu sabia de seu dom de ver o futuro fiquei me perguntando se ela entrava em contato com Edward e já sabia de meu relacionamento com Jack, que alias estava maravilhoso.

As minhas tardes de trabalho eram exaustivas, mas a noite Jack sempre dava uma passada La em casa para um simples beijo, ele insistiu que eu falasse para meu pai que estávamos namorando.

Nos dias alternados na oficina a coisa era diferente agora, entre as ferramentas e concertos nossos beijos estavam me levando à loucura.

Na tarde de quarta depois de terminarmos boa parte da moto que seria minha, a vermelha, Jacob quis comemorar com um beijo, que logo esquentou.

Seus lábios ao tocar o meu era como imã, não soltavam, suas mãos habilidosas me levavam ao delírio.

Eu estava com uma calça colada de material muito fino e logo que ele me ergueu no capo do Rabitt sua mão passou por cima da calça em minha intimidade, me causando a sensação de prazer.

Logo a outra mão subia por dentro de minha blusa que era fina e chegava ao meu seio.

-Jacke tem certeza que quer esperar??

Eu falava entre gemidos de excitação eu sabia que ele estava a ponto de explodir, mesmo por cima de seu short eu percebia a dureza de seu membro, e mesmo sendo uma tarde fria ele insistia em ficar sem camisa.

Eu aproveitava seu peito à mostra com minhas mãos e meus dentes, o que estava o levando a quase desistir.

-Bella, não me provoque, eu não vou aguentar.

– e se eu não quiser que você aguente?

Logo suas mãos arrancaram minha blusa, revelando meu sutiã e sua boca desceu por minha clavícula e ele retirou um de meus seios  e sua boca quente os sugava, sua língua passava em meus mamilos .

Senti que eu já estava totalmente em êxtase, à umidade chegava rapidamente.

Ele me inclinou sobre o capo e seus beijos iam ate minha barriga, ele subiu novamente chegando ao meu outro seio e repetindo os movimentos com sua língua.

-Jack, eu não aguento, não quero esperar.

Suas mãos estavam chegando a minha cintura e descendo ate que meu quadril, ele iria retirar minha calça.

Escutamos alguém entrando.

Coloquei-me ereta e logo me virei colocando a minha blusa.

-Jack, que horror não tem quarto não?

-Quill, Embry, o que fazem aqui?

-Viemos ver as motos, mas percebemos que está era fazendo outra coisa.

-É, bem, já que atrapalharam, Quill Embry esta é Bella.

Eu estava totalmente constrangida e corada.-

-oi, para vocês, eu acho que já vou indo. – eu estava envergonhada.

Logo uma garota entrou também reconheci a filha do amigo de meu pai Leah.

-Você também Leah agora isso aqui virou exposição.

-Calma, que nervoso Jack, estávamos curiosos se você já montou sua moto!

-Ta legal, quando ficar pronta eu aviso, Bella já conhece a Leah?

-A sim eu a via quando éramos criança lembra?

-oi para você também! – ele me respondeu em tom ríspido, e me encarou.

Tratei de sair em direção ao carro logo.

-tchau  Jack, depois passa La em casa?

-Espera lá fora eu vou com você, só vou guardar as coisas.

-tudo bem!

Fui em direção a caminhonete enquanto Jack e seus amigos conversavam escutei um  “NOSSA” alto por parte do Quill, que como todo garoto agora queria saber dos detalhes.

Percebi Leah vindo atrás de mim.

-Ei Bella!

-oi, que foi?

– Eu queria mesmo falar com você.

-Sim fale.

-Eu só quero avisar, que você fique de olhos bem abertos e cuide bem do Jack se você se dizem namorados agora.

-por que esta preocupação?

-é que se você magoar ele eu vou acabar com você, pois quem estava com Jacke era eu, e outra coisa queridinha, eu não me espantaria de que depois dele conseguir o que sempre quis, ele não te deixe.

-Do que você tá falando?

-Eu só estou dizendo, que eu e Jacke temos algo melhor que um simples namorinho, e que ele já falava de você muito antes de você chegar, e da vontade que ele tem de te levar para cama, então fique ligada!

Ela não me deixou falar nada logo se virou a saiu.

Fiquei ali de boca aberta com aquilo, seria possível? Jack? Não, ela devia é ter ciúme dele só isso.

Quando ele saiu da oficina assumiu a direção da caminhonete

– e ai, desculpa pelo constrangimento,

-É! Se nós  estivéssemos no quarto não teria problema?

-Meu pai estava em casa se você não percebeu, e minha casa e pequena as paredes tem ouvido, eu estou preparando algo melhor.

-tudo bem! – Eu não conseguia tirar de minha cabeça a conversa de Leah e Jacke percebeu.

-O que foi Bella? Não vai demorar eu prometo, só quero que seja especial.

-Não é isso, é a leah.

-O que tem a Leah? – ele ficou visivelmente nervoso-

-Nada de mais, – resolvi falar somente o necessário. – ela me disse que vocês..

-Olha Bella.- Ele me encarou.- Não sei o que ela te disse, mas eu e lea não tínhamos nada, eu sempre quis você, e quero ainda.

-Tudo bem, se você diz, só peço que não minta para mim, e nem brinque com isso eu posso ser assim, aparentar durona, mas Jacke, eu estou gostando de você.

-Eu Também Bella, e eu prometo não te magoar.

Chegamos em casa e Charlie já estava nos esperando.

-olá crianças

-oi pai.

-oi Charlie.

Ele encarou minha ,mão na do Jack e deu um pigarro.

-vocês querem jantar, vou pedir pizza!

-hoje não vou recusar pai, não estou com vontade de cozinhar.

Depois de comermos a pizza e meu pai ocupar Jacke totalmente com assuntos esportivos.- me perguntei se era uma tática para não nos deixar sozinhos.

Acompanhei Jacke até a porta.

-Então sexta eu vou ter você só para mim.

-vai, e o que planejou?

Bem, acho que podemos passear, depois ir ao cinema e ai talvez ir a algum lugar especial.

-e que lugar, seu pervertido?

-surpresa!

E como vai embora?

-Bem, pensei em levar sua caminhonete e amanha eu venho cedo e te dou uma carona para escola.

-e você não vai para escola?

-eu posso entrar na segundo período, a aula do primeiro eu estou adiantado.

-tudo bem se você diz.

Dei-lhe as chaves da picape, e ele me puxou pela cintura e me deu um beijo que logo quando começava a esquentar Charlie tossiu para mostrar que estava de olho.

-Então até amanha.

-Até.

Subi, e ao ler meus emails tive uma surpresa um e mail de Alice Cullen?

“Bella, sei que não quer falar comigo, mas eu preciso muito falar com você. Amanha na escola, por favor,  vamos conversar”

Estranhei, mas decidi que se queria deixar Edward para traz eu não deveria me abalar com sua família.

A noite os sonhos foram estranhos

“ Eu estava na campina em que Edward e eu ficamos e nossos carinhos eram como de costume

E quando suas mãos estavam passando por me corpo elas ficaram quentes e percebi que logo não era Edward e sim Jacob que me beijava.

Acordei ofegante, se já era excitante sonhar com um, imagine sonhar com dois ao mesmo tempo, eu precisava de uma cirurgia cerebral.

Anúncios