Tags

POV Rose:

Desde o primeiro dia que Edward resolveu que sua existência dependia da Vida de Bella.

Desde que nossa família, foi ameaçada a ser exposta, pela insana tentativa de Edward manter a vida de Bella, a qualquer custo travando uma luta contra o destino da garota, que convenhamos, tem uma sorte e tanto para atrair o desastre.

Eu nunca simpatizei com ela, sabendo que essa humana insignificante era a razão de retirar nossa paz, não que nossa existência fosse uma maravilha, mas era fácil suportar e aceita-la até ela aparecer.

Desde então, pude perceber que minha beleza não foi suficiente para dar paz ao coração de Edward, não que eu quisesse, mas meu ego dizia que ela era insignificante e simples de mais para chamar a atenção de meu irmão.  Simples futilidade, pode ser.

O pior ainda era saber que ela estava disposta a perder aquilo que era mais importante, aquilo pelo qual eu daria toda minha riqueza, e até minha perfeita beleza em troca se eu pudesse, a sua vida humana, as possibilidades de escolhas, de ter uma família e até de ter filhos. Qualquer garota com um pouco de sanidade almejaria tais coisas, menos Bella, que pelo visto tinha a mente ao contrario.

Esta existência congelada no tempo, sem possibilidades, sem objetivo era fruto de seus sonhos, ela mal sabia o quanto lhe custaria, porém, eu estava acostumando com tudo.

Acostumei com a ideia de que Edward, a quem amava como irmão, estava feliz com ela, e ao vê-los tão realizados desde o dia em que Bella desceu as escadas de nossa casa, vestida de branco, ficou fácil aceitar suas escolhas, não concordar.

Ela era uma Cullen agora e em breve seria uma de nós, eu havia colocado como meta ser mais gentil com Bella, eu também lhes devia isso, desde aquele episódio com os Volture, que parte foi culpa minha.

Tentava me distrair com minhas próprias preocupações, estava planejando até uma viajem com Emmett, e ver Bella e Edward casando me dava mais vontade de organizar mais um casamento, estava distraída com minhas futilidades triviais de sempre quando fui interrompida por ouvir um telefonema.

Era a noticia mais estranha e bizarra que se poderia receber, Bella aos seus 18 anos com 17 dias de casada, e com um vampiro poderia estar grávida!

Carlisle rapidamente se movia pela casa, a fim de pesquisar e se organizar, o mais espantoso era  a rapidez com que chegavam a conclusão de que a “coisa” deveria ser retirada antes que fizesse algum mal a Bella.

-Patético, eles nem sabem o que é, pode ser simplesmente um bebê, e já ficam nesta euforia toda!

-Calma Rose, Carlisle sabe o que faz, e se for algo que pode mata-la.

-Como sempre a vida de Bella sempre é a prioridade, Emmett eu não quero fazer parte desta atrocidade, quero viajar logo.

-Não Rose eu quero estar aqui, dar apoio a Edward e a Bella.

-Você também tinha que se apegar a ela, como todos.

-Rose, Edward é meu irmão e o que eu puder fazer para apoia-lo eu faço, e Bella agora é da família.

-Patético, eu sempre soube de que Bella era insana em suas decisões, mas a isso, é de mais!

Emmett não concordava comigo, mas evitávamos discutir por estes motivos, e quando ele virou as costas para ajudar a Carlisle arrumar as aparelhagens médicas para o tal “ assassinato” eu fiquei ali, não queria me envolver nisso, quando surpreendentemente meu celular vibrou, ao ver o número no identificador a minha surpresa foi maior.

-Alo Edward?

-Rose, sou eu a Bella!

-Bella? – o meu espanto agora era maior! Bella sussurrava ao telefone, o que meu extinto me fez ir para fora longe de todos para ouvi-la.

-Rose, preciso de ajuda! Eles querem matar meu Bebê! Eu só pensei em você para me ajudar!

Naquele instante eu entendi tudo, Bella, não queria se livrar do Bebê, Edward era quem estava querendo isto, será que ele passaria por cima da própria Bella, a resposta era obvia, claro que sim, se fosse para o bem dela ela o faria.

Foi neste instante escutando suas suplicas, eu entendia o porque ela me procurou, ela sabia que minha opção neste caso era outra!

-Claro Bella, eu te ajudo, chegando ao aeroporto é só você ficar ao meu lado eu tenho um plano!

Após desligar o telefone, fui colocar meu plano em ação, Bella tinha razão eles queriam sem piedade matar seu bebê, nem pensaram em possibilidades, e neste milagre!

Pela primeira vez Bella fez a escolha certa, uma escolha pela qual eu me compadecia.

-Esme, posso falar com você!

Ao convencer Esme, que não foi difícil, pois ela como eu sabia a importância da escolha, e que uma vida estava em jogo, coloquei Emmett a par de minha decisão.

Eu poderia estar sendo egoísta em meus pensamentos, contudo eu traçava alternativas, eu poderia criar o Bebê se  assim fosse o caso, se todos o rejeitassem se algo ocorresse a Bella.

Os únicos a par de meu plano eram Emmett e Esme, ao irmos ao aeroporto a desconfiança pareou sobre todos quando peguei a Mercedes e os acompanhei.

Estávamos reunidos no portão de desembarque, quando Bella arregalou seus olhos para me encontrar.

Os olhos de Edward se estreitaram em minha direção, não consegui evitar pensar em minha conversa com Bella, e quando ela soltou a mão de Edward e veio a minha direção. O espanto foi geral.

-Bella, não o que está fazendo?

Edwarda em uma vã tentativa a pegou pela mão.

-Edward, desculpe, é o único modo de salvar meu Bebê.

-Bebê??? Você nem sabe o que esta “coisa” pode ser, Bella, ETA louca. – Alice suplicou entendendo imediatamente a situação, como não via o futuro mais de Bella, não pode saber antecipadamente de meus planos.

A partir dali a família se dividiu em opiniões e discuções.

Alice Edward e Jasper, tentavam convencer Bella a desistir da criança, Eu a apoiava, e Emmett não saia de meu Lado, Esme simplesmente se limitou a apoiar Bella em qual fosse sua decisão, e Carlisle que agia como médico neste momento tentava argumentar as dificuldades.

Agora tínhamos uma ligação, Bella Amava o seu Bebê, e eu a medida que os meses passavam amava também, e comecei a admirar Bella, a entende-la.

Ela não desprezava sua vida e sim queria ficar com Edward eternamente, mas estava deixando tudo isto de lado por um ser que todos insistiam em chamar de “coisa” “monstro”, ela era altruísta a tal ponto.

Nem Alice, que sempre foi sua melhor amiga estava entendendo seu ponto de vista, e por conta da criança ela se manteve afastada.

Eu, era eu quem estava ali ao seu lado, a protegendo e a confortando, e dando apoio a sua decisão.

(***)

O dia em que Edward ouviu o Bebê pela primeira vez, foi crucial, eu fiquei maravilhada com a situação.

E  ao ver meu irmão ali, ao seu lado e acariciar a barriga de Bella, me fez se sentir humana por um instante, sim uma milagre confirmado.

Ela gerava uma vida!

As coisas se tornaram mais fáceis dali por diante.

Mas infelizmente o dia do parto as coisas não foram tão bem.

Para não sair do lado de Bella me privei de caçar, o que foi um erro, pois no instante em que peguei o bisturi e cortei a barriga de Bella, o sangue escorreu, e o cheiro invadiu minha garganta me causando cede e me fazendo perder o foco.

-Rose Não!!! – só ouvi Edward dizer.

E no próximo minuto eu era arrastada porta a fora, e Jacke aquele cachorro me chutou, eu não resistia, parte de mim ainda estava lúcida, eu não poderia estar ali.

Fiquei o mais longe possível.

Estava impaciente, não temia mais pela vida do Bebê agora sabia que Edward o protegeria também.

Ao ouvir um choro diferente como sino, e coração como de um pássaro, se eu pudesse produzir lagrimas elas estaria escorrendo em meu rosto.

-Reneesme,- ouvi Edward dizer.

Sim uma linda menina, o milagre estava ali.

Mas algo saiu errado, ouvia a movimentação, o coração de Bella não estava reagindo bem, mas ela era forte, e Edward tinha que ajuda-la.

Entrei na biblioteca e pedi a Edward me entregar a criança.

-Me de ela, eu estou bem.

Reneesme era linda, me demorei encarando aqueles olhos cor de chocolate intensos, e logo o bebê sorriu para mim revelando dentes perfeitos e brancos.

Ela era única.

Lembrei-me de que bebês ao nascerem sentem fome, mas o que dar a ela?

Me veio a mente que Bella se alimentou de sangue o que seria obvio agradaria o bebe.

Então limpei Reneesme, e a enrolei em uma manta fina, sua temperatura era estranhamente alta.

Terminei de alimenta-la e senti um cheiro desagradável que percebi ser o cachorro.

Ao coloca-la sobre meu ombro, e tocar sua face com a minha, me deparei com uma cena inédita, era muito colorida e nítida.

Ela me mostrou uma ligação com Jacob, e me deparei com ele com um olhar de veneração, como um cego vendo a luz pela primeira vez.

Eu estava chocada.

-O que foi isto bebê lindo, – encarei os grandes olhos de cor chocolate.

Ela sorriu para mim, e tentava esticar-se, entendi e coloquei sua mão em mim, e ela me mostrara o que acabara de acontecer.

-Bebê você realmente é especial, reneesme, única!

Jacob aproximou-se e eu encarei com reprovação, mas reneesme mostrava para mim que queria estar com Jacob.

A imagem dela nos braços do cachorro ficou constante e impaciente.

-Você quer ir com ele? Com o cachorro?

Ela confirmou e reprovou meu modo de chama-lo.

-Cachorro veja bem o que vai fazer!

-Calma loira! – ele a pegou com muita delicadeza, e percebi o que acabara de acontecer.

-Ela é linda. Perfeita. Minha Nesie!

-Como assim sua nesie? E que modo de chama-la??? Seu… entendi você teve aquela coisa de lobo com ela! Sabe que Edward vai te matar, e se ele não fizer Bella faz o serviço.

-Ninguem vai me matar, não é Nesie???

Reneesme sorria para Jacob entendendo tudo que ele falava.

-è só o que faltava, temos que aguenta-lo agora!

Neste instante Emmett entrou pala porta.

-E ai cadê o garotão???

-Não é garoto, é uma menina.

-Mas o EDWARD não marca ponto mesmo.

Dei um tapa em Emeett.

-Pare com isso, ela é linda.

-E o que ela faz no colo de Jacob?

-Isso é uma longa história…

(***)

-Edward. A coisa ta feia em. Jacob não conseguiu sua mulher agora se contenta com a filha!!!

Emmett continuava com insinuações a Edward que até aquele momento estava levando muito na esportiva.

Isso se devia ao fato que ele podia ler a mente de Jacob e por incrível que pareça era muito pura ao assunto.

-Emmett, vê se cala esta boca suja.

-Edward, não liga, teremos sempre um cão de guarda agora!

Edward somente preocupa-se com o silencio durante a transformação de Bella.

Alias ate eu me surpreendia, lembro-me de como foi agonizante passar por aquilo, e pior foi ver Emmett durante sua transformação.

Enquanto emmett continuava com suas piadas, Reneesme que crescia em um ritmo acelerado, para alegria de Alice, era como uma boneca, trocava-mos de roupa nela direto.

O único problema era Jacob, que requisitava a atenção de Reneesme direto.

Queria que Bella desse um jeito nele quando acordasse, juntando sua fúria de recém criada.

Isso ate gerou uma aposta

-Eu aposto que ela arranca a cabeça dele. – emmett falava.

-Acho que Bella pode nos surpreender! – Jasper comentou

-Ela vai estar enfurecida como uma recém criada e não esqueçam que ela é durona, ela já socou o lobo uma vez, agora ela não vai quebrar a mão.

Alice parou a cima da escada.

-Esta na hora!!!!! Rose fique com a ibrida esquisitinha ai.

Todos se dirigiram até o gabinete, eu fiquei ali com Reneesme.

-Não vai lá ver sua amiga?

-Não vou ficar aqui alimentar ela.

-Cachorro você a alimentou já, é minha vez, e você a deixa agitada.

-Só vou deixar porque acho nojento, e não me acostumei ainda, não é melhor alimenta-la com leite.

-Carlisle já tentou.

-mas ela tem um gosto horroroso!!

-Claro que tem ela gosta de você.

Estávamos ali como sempre discutindo, quando algo nos chamou atenção.

A ausência do pouco batimento que o coração de Bella, ainda tinha.

Fim

Anúncios