Galerinha como prometido estou postando mais um capítulo de starless Night, este capítulo é muito especial para mim, escrevi ele quase chorando, leiam que vão ver por que!

outra dica é quando chegar a hora deixem a musica tocar pois para mim ela me ajudou muito no clima do momento, vou parar de tagarelice e ai vai o capitulo especialmente emocionante

e Bom feriado galera…

Decisão.

*Capitulo especial: carregue a musica para o momento :

http://www.vagalume.com.br/coldplay/fix-you-traducao.html

Após contar a Luciola minha história e o motivo de estar tão longe de casa, sua mente foi invadida por um sentimento estranho aos vampiros comuns, pena.

-Uma Humana??  E eu achando a minha história trágica,Edward, eu só posso dizer uma coisa você se meteu em um caminho se volta mesmo, mas me responda, não seria mais fácil se você simplesmente a …

Não deixei que terminasse, era o que quase todos pensavam, ser mais fácil transforma-la, no entanto seria o ato de mais puro egoísmo.

-Não, absolutamente não, me responda, você é feliz com essa vida?

-Bem, eu aceitei, mas feliz..

-Então você entende meu argumento, eu não quero tirar dela a coisa mais preciosa somente por egoísmo, por simplesmente um capricho, seria fácil para mim, e para ela?

-sim entendo seu argumento, mas a garota pensa como?

Eu sabia o que ela queria dizer, sem mesmo ler os pensamentos de Bella, eu sabia exatamente sua opinião,

-É relativo, simplesmente pelo fato que ela não entende a real situação de nosso mundo, ela viu e conviveu somente com nossa família, nossa singular situação, nossa dieta não tradicional, a convivência pacifica com os humanos.

-Mas quando ela viu aqueles nômades?

-Sim ela percebeu um pouco do perigo, mas mesmo assim estávamos lá para lhe assegurar segurança, ela não sabe exatamente às consequências, como a dor na transformação a agonia da sede, a luta constante que sofremos para não sermos assassinos…

-Meu caro Edward, nunca podemos saber exatamente como cada um vai reagir, e o livre arbítrio?

-Não, só que há coisas que não mudam, Bella me considera como um anjo salvador, como até mesmo um super- herói, o que ela não sabe é a constante luta interna a agonia que sinto.

-Edward e ela como acha que ela está? Se você está aqui nesta agonia.

-Ela é humana, sabe que para os humanos as lembranças são peneiradas e logo se dissolvem.

-Bem, mas pelo que me contou ela não é exatamente como todos, ela pode reagir diferente, há certas coisas que podem nos marcar para sempre, no caso da humana por toda sua vida.

-Sim, isso é verdade sempre  achei que a mente de Bella funcionasse ao contrario. – dei um leve sorriso lembrar-se de como sempre me surpreendia com sua perspectiva das coisas.

-Então pense como seria para alguém como ela, depois de entrar em contato com o mundo em que vivemos você ainda acha que a mente dela peneiraria fácil? Se ela o considera como algo precioso, você acha que não deixará marcas dolorosas, há lembranças que os humanos nem sempre esquecem com facilidade, elas assombram como fantasmas o restos de suas vidas.

-Pensando por este lado, sei que não seria fácil, mas ela vai superar, Bella é forte, sentimentalmente falando, é dona de uma maturidade incrível.

-E você já pensou, e se ela realmente o tem como um tipo de Anjo, o amor dela se apagaria tão fácil?

-já vi muitos relacionamentos humanos e percebi que nem sempre o que acham ser forte o bastante é Realmente?

-como pode ter certeza?

-Bem, como você eu tenho um dom.

-Interessante! – Ela não perguntou, mas senti em sua mente a duvida.

-Eu leio as mentes de todos!

-Muito, interessante, então foi assim que eu não conseguia entrar na sua mente!

-Creio que sim.

-E a mente desta Bella, então você viu que não era tão intenso, conseguiu perceber que para ela as lembranças e seus momentos não se tornaram tão intensos?

-não, a mente dela é um enigma para mim, eu nunca consegui ler, e para falar a verdade eu me surpreendia sempre com seu modo de ver certas coisas e encarar certos momentos.

-Isso é mais interessante, Então como ter plena certeza de que você vai estar apagado da mente Dela, tão facilmente? Edward para que se enganar assim?

-Eu não tenho certeza, apenas a esperança de que ela aproveite para ter uma vida plena e feliz como humana.

-Edward, está enganado novamente, se ela é sua razão de existência, e se a ligação de vocês é tão forte para ultrapassar a Barreira de humanos e seres místicos, não se apagará facilmente, nem em você e nem nela, outra coisa é você tentar colocar sua frustração nesta vida como se fosse dela, talvez as coisas não sejam tão impossíveis como você pensa?

-Eu não quero tirar dela algo que considero tão precioso!

-Se se refere ao fato de achar nossa alma perdida, acha que ter uma vida sem estar com sua razão por existir não é castigo pior? Você se coloca em um inferno particular, no entanto egoísmo maior é tirar-lhe o amor! Pense Edward, uma vida Eterna ou não, não pode se chamar de vida sem ter a luz para ilumina-la, sem ter com quem partilhar sua felicidade ou sofrimento, já vi humanos sofrerem por menos, e já vi imortais desejarem o fim por motivos mais triviais.

-Eu sei de tudo isto.

-Então pense melhor em sua decisão, e análise se realmente escolheu o caminho certo, Bem meu caro amigo, é bom ter companhia, mas logo o dia chegara, tenho que me esconder.

-Te verei novamente?

Em sua mente tive a resposta, Luciola era uma nômade solitária em busca de sua própria redenção por se sentir culpada , ela gostava de ficar só. Suas palavras sobre não se ter uma vida eterna completa sem amor ou uma companhia se aplicavam a ela também, ela vagava só por ter que conviver com a dor de perder a única pessoa ou ser, que um dia se preocupou com ela, seu criador e seu único amor era assim que sua mente lembrava dele.

Vendo esta angustia em sua mente pensei em mim depois de séculos de escuridão, quando encontrei a verdadeira luz, era algo impossível, me vi na mente de Luciola como eu mesmo me tornaria, alguém só e sem rumo.

Voltando ao hotel, eu fiquei pensando em tudo que Lucíola deduziu.

E junto comecei a lembrar-me de conversas com Bella.

 

“(…) – Que foi? Hoje não tem vinte perguntas?”

“-Minhas perguntas o incomodam?-ela indagava…””- não tanto quanto suas reações.- ela me surpreendia a cada descoberta.”

“-eu rajo tão mal assim?- suas reações eram sempre estranhas, qualquer um fugiria.”

“Não é este o problema. Você leva tudo com tanta frieza…Não é natural. Fico me perguntando o que realmente está pensando.”

“-Sempre digo o que penso.”

“-você edita…(…)”

 

Realmente a resposta estava bem ali na minha cara…

O calor da cidade do rio, invadia minha mente, eu estava próximo a janela da sacada do hotel e o sol refletia em minha pele, como diamante.

Eu sabia que meus dias de abstinência já estavam insuportáveis.

Um dia de cada vez, é assim que um drogado em recuperação se sente, eu já estava decidido a deixar de viver assim.

Viver? Eu já havia desistido de tentar viver.

Já não lembrava quantos dias estava sem caçar.

Eu já não lembrava quanto tempo eu estava ali, atolado nas lembranças.

Em minha mão a foto que tiramos na sala de sua casa.

Um monstro assassino ao lado de um anjo perfeito.

No cd player uma cópia da canção que campus para ela.

Para tortura ficar maior ainda, minha mente era repleta de imagens e momentos juntos.

eu há disse um dia: – Eu não valho tudo isso.

Mas ela em sua perspectiva invertida das coisas me respondeu:

-Lembra de quando você me disse que eu não me via com muita clareza, você obviamente tem a mesma cegueira.

É claro que ela não sabe um terço da gravidade.

-Eu sei o que sou.- respondi para tentar esclarecer meu posto de monstro da história.

Mas o que mais me deixava intrigado era seus sentimentos:

Ela me tocou o rosto e disse:

-Olhe, eu o amo mais que qualquer coisa no mundo isto não basta?

Claro que isso bastava, sempre bastou.

-Sim basta, Basta para sempre.”

 

Com estas lembranças eu custava pensar em motivos para continuar afastado, se realmente Bella me amava e eu a amava a ponto dela ser a razão por eu estar vivo.

O que então eu fazia aqui longe de minha vida,longe da única coisa boa que me ocorreu em anos.

Eu me rastejaria se preciso para lhe pedir perdão.

Só que a coerência vinha a minha mente e  novamente eu me sentia egoísta.

Já se passaram meses e eu já não tinha mais a força necessária.

Resolvi falar com alguém conhecido.

No terceiro tok o telefone foi atendido.

-Olá maninho, não era sem tempo.- a voz animada de Alice mostrava que minhas oscilações de humor já tinham chegado as suas visões.

-Alice, porque atendeu eu quero falar com Carlisle. – eu sabia que a persistência de minha irmã  seriam como mais lenha na fogueira que meu peito acendia.

-Eu sabia que era você, já está na hora Edward, Bella sofreu muito já. – essas palavras eram como uma espada cortando meu peito.

-Já disse para deixar ela em paz, não fique bisbilhotando o futuro dela. – Alice tendia a inconveniência.

-Eu não estou fuçando o futuro de ninguém,não tenho culpa de estar tão ligada a ela,  e para seu governo ela até some de minhas visões, há momentos em que penso..

-Chega Alice. – Tinha que interromper, eu jurei me manter afastado. – Chame Carlisle, por favor.

-Antes tem alguém querendo falar com você:

Não precisava estar lá para saber quem era, Ela sentia minha falta mais do que qualquer um naquela casa.

-oi, querido. – sua voz ao telefone me causava mais dor, este era o motivo que pelo qual eu evitava ligações constantes.

-Oi mãe, está tudo bem por ai?- tentei parecer o mais normal ao telefone.

-Sim, estão todos bem, Terminei um projeto novo, seu pai está se dando bem no hospital, Rose e Emmett estão quase voltando de mais uma lua de mel.

-Que bom que as coisas estão normais.- tentei parecer indiferente, mas no fundo sentia falta de estar com minha família.- E Jasper?

-Está muito bem, depois de ter feito o curso de Designer De Moda com Alice, ele se diverte com as loucuras dela,. – Esme esboçou um breve sorriso que logo foi seguido por um suspiro. –Mas nem tudo está normal.

-Algum problema?

-Filho, quando vai voltar, sei que prometi te dar o tempo necessário e Carlisle não quer que eu fique te aborrecendo, mas sinto sua falta.

-Também sinto. – isso era a verdade, sentia falta deles todos.- mãe tenho que desligar, já vi que Carlisle não está em casa.

-Não, mas falo que você ligou.-a voz de Esme era um apelo emocional enorme.

-Mãe, eu te amo, prometo voltar logo.

Desliguei o telefone e angustia me tomou, percebi que e não estava somente ficando sem vida eu estava fazendo muitas pessoas sofrerem.

Os dias se tornaram cada vez mais longos.

(***)

(MUSICA Cold Play “Fix You”

Nada!

Um nada Completo, como um fantasma, um zumbi, exatamente, o monstro dentro de mim havia se metamorfoseado  de assassino cruel á um zumbi sem vida, se é que algum dia estive vivo nessa forma.

Sim, eu já estive vivo em um momento de minha existência, eu soube o que era viver  e foi em seus braços quentes, com a eletricidade de seu corpo, ali eu tive vida, foi em seus olhos  que encontrei a luz aonde só havia escuridão.

Um par de olhos castanhos, eles invadiam minha mente com frequência, era a minha única ligação de vida.

Somente com seu rosto em minha mente, eu sabia que ela foi real e ela era minha vida, eu não suportaria nenhum momento a mais sem essa vida.

Em meu peito a ideia crescia, nesse momento era dela que eu necessitava, era dela que meu corpo ansiava minha Bella.

Eu estaria disposto a rastejar, a implorar se necessário.

Se ela me perdoasse, se ela me amasse novamente.

Estava com medo de não conseguir juntar meus pedaços,eu estava em cacos.

Estou com medo de machucá-la mais, pois já a machuquei em tantas maneiras, mas é inevitável.

Estou com medo de ela não sentir mais amor por mim, sei que não é importante depois do que eu fiz, mas é assim que me sinto.

Sinto muito o que fiz, será muito para perdoar, mas ela vai ter que acreditar que sempre a amei.

Quando  souber que realmente tentei, tentei ser alguém melhor para a satisfazer , tentei realmente proteger sua vida, será que  vai me desprezar ?

Há Bella Swan, se você me perdoasse eu realmente faria tudo para você, há Bella Swam me perdoe por ser egoísta e te amar, me perdoe por ser covarde e não conseguir fazer o que é melhor para você.

Tenho que tentar! Eu tenho que correr!

Não pensei em mais nada deixei rapidamente o hotel, é claro que Alice ao ver minha decisão ficaria feliz.

A vida começou a fluir em meu peito, não me importei com nada, se estavam me olhando, se esbarrava nas pessoas, eu tentei manter a velocidade humana, o que era impossível  visto a urgência em minha decisão, a urgência que sentia em concertar o buraco em meu peito, a minha urgência por ela crescia.

Corri em direção ao aeroporto, não peguei taxi, o fim do dia deixava as ruas lentas, e sobre as marquises tentava não chamar atenção para meu brilho, se eu pudesse eu voaria.

A minha mente foi invadida por esperanças, o tempo que passaria no avião seria maior que os meses que fiquei longe.

Tentei colocar minha mente no lugar para tentar pensar em como pediria perdão.

Chegando ao aero porto tentava achar conexões disponíveis, o que parecia algo impossível, os voos lotados, eu gritava com as atendentes para conseguir nem que fosse a casse econômica.

Logo um voo com muitas conexões ficou disponível.

Enquanto aguardava decidi que ligaria para Carlisle, mas meu telefone tocou, Alice devia ter me visto e foi rápida:

– Alo! Carlisle? – Mas não era Carlisle. –

-Edward! É Rose, que bom que te achei. – a voz dela era de urgência. _

– Que houve rose?

Anúncios