Cap 6. Segredos

Foi tão de repente que nem me dei conta, de um minuto para o outro meu quarto estava lotado e eu era o centro das atenções de todos, me tratavam como um bibelô de porcelana minhas tias e minha avó queriam saber cada detalhe de tudo o que eu sentia, se eu estava bem e como tinha sido meu encontro com Adam e a medida que eu contava tudo como havia acontecido surgiam mais e mais perguntas, eu amava todos, mas já estava ficando cansada de tudo aquilo e pra complicar mais meu estado, Jacob havia desaparecido eu não queria ficar longe dele, aquele deveria ser um momento nosso, especial para nós e todo aquele tumulto a minha volta e o desaparecimento repentino de Jake me angustiavam, olhei em direção ao meu pai que mesmo sem poder ler minha mente me conhecia como ninguém mais  e percebendo meu incomodo tratou de vir em meu socorro.

-Então família, acho que Nessie já contou tudo – falou meu pai chamando a atenção de todos – sei que é tudo muito novo, pra todos nós, mas ela tem de descansar não é verdade!

-Aaaaaaaaaaaa Edward, você é um estraga prazeres – disse Alice, toda tristinha de repente, adoro minha tia e detestava fazer com que se sentisse daquele jeito, mas eu precisava de um pouco de sossego agora, meu coração estava apertado e eu sabia que Adam compartilhava de meus sentimentos. – agora que estávamos curtindo nossa Nessie.

-Terão tempo mais tarde pra curtir tudo Alice, ela não vai se afastar de nós nunca mais.

-Edward, ela precisa descansar sim, mas eu acho que devo realizar alguns exames para saber como proceder diante do estado em que ela se encontra – Carlisle finalmente se manifestou, meu avô como médico iria se dedicar ao máximo para que eu ficasse perfeitamente bem

-Sim, Carlisle tem toda a razão, vamos deixar que ele realize os devidos exames em Ness – disse meu pai – depois todos terão tempo pra paparicar a futura mamãe.

-Edward está certo – disse minha mãe, vamos deixar que ela fique a sós com Carlisle – todos começaram a se retirar apesar de ainda emitirem alguns protestos baixinhos.

-Precisa de alguma ajuda Carlisle?

-Creio que você poderá ficar e me ajudar Edward

E assim pelo menos o tumulto se desfez e a seção de testes e exames se iniciou

-Como se sente minha filha? – perguntou Carlisle

-me sinto bem vô, – realmente fisicamente eu me sentia muito bem

-Ok, então vamos tirar um pouco de sangue e fazer uma ultrassonografia pra ver se está tudo bem com você e o bebê – meu avô se dirigiu a bancada montada ao lado da minha cama para providenciar os exames e meu pai sentou ao meu lado

-Não se preocupe, ele não vai demorar

-sei que os exames não vão demorar

-me refiro ao Jacob – mesmo sem ler meus pensamentos meu pai me conhecia tão bem – ele só está assimilando a novidade, ele está muito feliz, e já já estará ao seu lado novamente.

-Obrigada pai, não se preocupe, eu estou bem

-sei que está bem, mas seu coração está se perguntando por que ele não está aqui. Te conheço melhor que você mesma querida –  como ele estava certo, meu pai sempre foi meu cumplice e sempre soube o que vinha dentro do meu coração, eu nunca escondi nada dele literalmente.

-Não se preocupe pai, sei que ele vai voltar, só queria que ele não tivesse saído de perto de mim

– eu sei meu anjo, mas por hora relaxe para que possamos fazer todos os exames, logo Jacob estará aqui com vocês.

-Pai, eu te amo!

Quando o assunto era medicina, meu avô e meu pai se entendiam muito bem, concentrados em todos os testes e exames que realizavam em mim, se distraiam em suas descobertas e constatações, eu me sentia bem fisicamente e sabia que não havia nada de errado com Adam tão pouco, o tempo passava e nada de Jake aparecer, a minha angustia só fazia aumentar, eu sabia que não era bom para o meu bebê que eu me sentisse desse jeito, mas eu simplesmente não conseguia evitar.

Dizem que as grávidas têm o sentimento a flor da pele, será que eu estava exagerando um pouco? Até pode ser isso, mas eu não conseguia evitar de me sentir assim.

Tentei reunir forças para agüentar pacientemente todo o processo da bateria de exames, isso realmente não me incomodava eu só queria que Jake estivesse ao meu lado nessa hora tão especial e estou certa de que esse sentimento era dobrado devido ao desejo que compartilhava com Adam, nesse momento eu não conseguia me comunicar com ele, mas de certa forma eu sabia o que ele estava sentindo.

-Pai, ainda vai demorar muito? – eu já estava exausta e só queria ficar sozinha o mais rápido possível

-Já está quase acabando minha querida, falta pouco agora – meu avô respondeu, ele estava com a voz meio estranha, eu diria que ele estava preocupado.

-Vô, tem algum problema com os exames?

-Problema nenhum filha, você só está cansada, em breve vai poder descansar e se recuperar, os exames já estão terminando.

-tem certeza que está tudo bem?

-Sim Ness, esses são apenas exames de rotina, não se preocupe.

-tudo bem então – meu avô parecia muito sincero, mas algo me dizia que ele estava me escondendo alguma coisa, só que por hora, eu precisava dormir um pouco.

Não sei ao certo em que momento aconteceu, mas eu acabei pegando no sono durante a realização dos exames e quando despertei tudo já havia terminado, por incrível que pareça dormi tão bem, um sono profundo como a muito tempo não conseguia, sem pesadelos e sem angustias foi realmente reconfortante esse tempo que passei dormindo.

Parece que passei um longo tempo adormecida, quando acordei, toda aquela parafernália de hospital havia desaparecido do cômodo que antes era conhecido como meu quarto, aparentemente tudo tinha voltado ao normal, só que agora no lugar de minha velha cama de solteira estava uma cama enorme de casal, macia e muito aconchegante, confesso que encontrar as coisas dessa maneira me fez muito bem, quase me fez esquecer de tudo que havia acontecido, não fosse pelo fato de Adan estar tão presente em meus pensamentos e Jake não estar ao meu lado eu acharia que tudo que aconteceu não passou de um sonho, de um pesadelo que só trouxe uma coisa boa… Meu Adan.

Levantei da cama e me dirigi ao aparador acolchoado da minha janela sentei-me abraçando os meus joelhos, como fazia quando era criança esperando que Jake chegasse pra brincar comigo e me levar pra caçar, eram tardes muito divertidas, minha mãe quase sempre participava das nossas brincadeiras, era tão divertido, minha infância apesar de curta foi plena e muito aproveitada.

O sol se punha por entre as árvores que rodeavam a casa dos Cullens refletindo por entre as folhagens as cores do crepúsculo, era tão lindo e hipnotizante mais uma vez aquela cena me remetia a tempos que não voltariam mais.

Passei pelo menos uma meia hora a observar o jardim e o por do sol, era como se ali naquele lugar eu estivesse inacessível e protegida de qualquer coisa, lógico que nada se comparava aos braços de meu Jake, mas nesse momento eu não queria pensar nele, não queria cogitar o motivo pelo qual ele não estava ao meu lado, eram muitos questionamentos em minha mente, e naquele momento eu queria pensar simplesmente em nada, queria apenas relaxar e curtir a beleza da paisagem.

Depois de algum tempo ali parada contemplando a beleza do crepúsculo eu fiquei com fome, que coisa tão simples e banal não é verdade,…  mas me fez sentir vontade de rir, antes eu não dava valor a essas pequenas coisas, e agora com Adan em minha vida eu simplesmente pensava em saciar-me rapidamente para que ele não passasse nenhuma necessidade, ou privação de coisa alguma, tratei de descer da janela e fui ao closet procurar algo decente para vestir dei uma olhada em tudo e nada me agradava até que pus os olhos em algo que pra ser sincera eu nunca cogitei em vestir antes, sempre fui muito básica, uma camiseta de algodão com um jeans sempre foi mais do que bom para mim, só que quando coloquei os olhos naquele vestido, ele era absolutamente lindo nas cores Vinho e branca, marcava um decote discreto em “v” justo embaixo dos seios e solto em nesgas até a metade da coxa, eu sei que ainda não tinha barriga nenhuma para exibir naquele vestido, mas pensando bem, por que não? O vestido era lindo e eu estava muito afim de usá-lo, então realizei meu capricho e o vesti, imaginei o que Alice ia dizer ao me ver naquele vestido e me deu vontade de rir, fiz uma maquiagem discreta, por que já fazia muito tempo que eu não cuidava de mim um pouquinho e prendi meus cabelos em um rabo de cavalo, pronto, estava apresentável outra vez.

Sai de meu quarto em direção a cozinha a procurar algo que pudesse comer, estava com fome, mas não fome de sangue e sim de comida humana, desconfio que Adan tivesse uma bela parcela de culpa quanto a isso, prossegui pelo corredor e quando cheguei perto da biblioteca, senti a presença de meu pai lá dentro, não sei bem por que, mas comecei a andar mais devagar, não que enganar um vampiro fosse coisa fácil, mas afinal de contas eu vivi minha vida inteira em uma casa cheia deles e como uma criança travessa e talentosa tive que desenvolver alguns truques a habilidades se eu quisesse me divertir sem que eles soubessem, então continuei cuidadosamente e parei a uma distancia que julguei ser segura, apurei meus ouvidos e fiquei em silencio, percebi que meu pai não estava sozinho, lá também estavam Carlisle e Jasper, pelo que pude perceber eles conversavam a respeito de meus exames.

-Edward, ainda é muito cedo pra dizer qualquer coisa – disse meu avô

-Você sabe que com ela não teremos outra chance Carlisle, esses exames tem de ser muito precisos. – disse meu pai, com um tom preocupado.

-Sei disso Edward, e pode ficar tranqüilo que estarei monitorando todos os resultados com muito cuidado – disse meu avô

Com certeza eles se referiam a mim e a meus exames, mas o que será que deu de errado nos resultados? E por que tanto segredo entre eles, sim por que nem minha mãe participava daquela conversa, estava tudo muito estranho, isso não estava me cheirando nada bem.

-Jasper, obrigado por ter nos ajudado, ela estava muito nervosa – espera um pouco o que meu tio Jasper tem haver com tudo isso?

-Não se preocupe Edward, estarei sempre por perto, cuidando dela.

-Sei disso, só não se esqueça de que tem de ser discreto, ela não pode se preocupar com nada disso, ela não pode nem desconfiar, você sabe bem disso – disse meu pai.

O que estava acontecendo aqui? E por que Jasper tinha de me vigiar?

Claro, eu dormi tão bem, só pode ter sido obra do meu tio.

Mas por que tanto mistério? O que eles estão escondendo de mim?

Não sei o que esta acontecendo, mas pode ter certeza de que vou descobrir, só que por hora, vou me fazer de desentendida e fingir que não sei de nada,…Só por hora!

Anúncios