Cap 3. Amor Incondicional

O nada, escuridão completa e tão profunda que seria possível segurá-la em minhas mãos, como um pedaço de metal atraído por um imã, meu corpo me atraiu de volta sem o menor esforço de minha parte, eu esperava encontrar minha família, meus pais, meu Jake, mas em vez disso, só tem escuridão, será que estou perdida para sempre e isso é que é estar morta? Agora nem mesmo os ouço, minha mente está totalmente vazia, como se eu estivesse sozinha a centenas de quilômetros de qualquer ser vivo, tudo desapareceu, nem meu corpo eu sinto mais.

-Paiiiiiiiiiiiiiiii… alguém pode me ouvir? Por favor alguém responda

Eu clamava desesperadamente por alguém que me escutasse, mas era inútil, eu tinha de me conformar que agora estava tudo perdido, eu estava perdida, não tinha nada além da escuridão apavorante e intimidadora a minha volta.

-Tem alguém ai? – Isso é inútil, por que eu continuo tentando? Conversar com o nada, com a escuridão? É muito estranho mais é como se eu conhecesse esse mundo, talvez ele sempre estivesse dentro de mim, talvez ele estivesse me esperando e agora finalmente tudo esteja em seu lugar certo, mas se é assim, por que eu ainda sinto saudades de todos e a dor física pela falta que o Jake me faz, Jake… ele é a razão da minha existência, como ele vai ficar sem mim?

-Aiiii… por que ta doendo tanto? Faz parar por favor, faz essa dor parar! – eu gritava sem nem mesmo saber se era ouvida, eu só precisava gritar e tentar amenizar um pouco a dor que me consumia, uma dor aguda e insuportável, era saudade, necessidade que eu tinha de Jake, mas era algo mais que eu não sabia explicar, só sabia que precisava desesperadamente de algo que nem ao menos eu sabia o que era.

As minhas esperanças de reencontrar minha família desapareciam a medida que meu desespero aumentava, eu finalmente me dava conta de que a realidade em que me encontrava não cabia felicidade, família, Jacob….. eu sempre fora incomum, devia esperar por um fim breve, devia saber que não havia lugar para mim num mundo já tão conturbado com seres extraordinários e temas de inúmeras histórias de terror que para os humanos não passam de contos provenientes de imaginações férteis. Tão ignorantes… Mal sabiam eles que estavam a mercê de perigosos predadores cruéis e indestrutíveis. Sendo eu o mais novo ser impensado e improvável não tinha lugar nesse mundo já lotado de tanta loucura e derramamento de sangue inocente, Agora sinto que retornei ao lugar de onde nunca deveria ter saído, a dor que eu sinto é imensa, mas parece que as coisas finalmente se encaixam, tudo está no seu devido lugar e talvez eu mereça sentir o que sinto nesse momento, essa dor, essa angústia, essa saudade e a necessidade de algo que nem mesmo sei o que é, talvez a morte seja assim, talvez eu simplesmente esteja morta. Só me resta esperar e torcer para que algum dia essa dor desapareça e meu coração pare de sangrar…

Meus pensamentos e sentimentos eram como gritos es lamúrias na escuridão que me cercava, eu estava pensando em silencio, mas minhas palavras não pronunciadas, ecoavam como a voz de um cantor em um anfiteatro onde as ondas sonoras são perpetuadas a longas distancias, e apesar de não ver ninguém ao meu redor eu podia sentir que não estava só naquele momento e o fato de saber que meus sentimentos e angustias estava sendo compartilhados, me trazia um desconforto extra, envolta na névoa da desesperança eu não fui capaz de mais nada além de chorar…

Uma luz surgiu em meio a escuridão e nela uma vozinha chamou meu nome, fazendo a dor desaparecer como mágica, simplesmente desapareceu e o vazio, a necessidade que eu tinha desaparecera por completo juntamente com a dor.

-Quem está ai? – perguntei tentando focar naquela luz, já que meus olhos não estavam preparados devido a escuridão anterior. -diga por que veio e como fez a minha dor passar?

-Não chore, isso dói em mim – a voz que vinha da luz soou triste ao pronunciar as palavras

-Mas, o que está acontecendo, não quero que sinta dor, – a constatação desta realidade me pegou de surpresa, eu não entendia por que a tristeza contida naquela voz me afetava tanto

– Só que eu também estou triste – o sentimento que reinava em mim agora era de proteção, pois, o medo e a tristeza que vinham da vozinha na luz me angustiavam e me faziam querer proteger algo que nem eu mesmo sabia o que era.

-Nessie, é assim que te chamam não é?

-Sim – respondi confusa, como ele sabia meu nome?

– Eu ouvi eles lá fora te chamando assim.

-Eles quem? E como você sabia o que eu estava pensando? – será que essa é mais uma armadilha de Aro?

Esse pensamento surgiu me trazendo uma onda de medo, que de alguma forma eu sabia que não era meu, o medo vinha da luz, o desejo de proteção crescia dentro de mim.

-Não ele é mau, – a voz soava assustada –  eu não gosto dele. – meu coração ficou apertado ao ouvi-lo falar assim.

Eu estava confusa, tentando me encontrar, voltar para os meus, mas algo em mim queria saber mais a respeito da vozinha inocente que eu escutava, uma voz de criança, muito angelical, que por mais que eu não soubesse a quem pertencia, parecia que ela fazia parte de mim e que eu tinha a obrigação de proteger o dono da voz, mas eu não sabia o que esperar, não tinha a menor idéia do que estava acontecendo comigo, eu precisava de respostas.

-Quem é você? E responda minha pergunta, como sabe o que estou pensando? Esse é um dom muito raro. – em nossa raça não são muitos os que tem dons, e os talentos não se repetem com muita frequência por isso Aro queria tanto a minha família, pois reuníamos dons raros e especiais.

-É como o de Edwa… não sei bem o nome dele

-Edward, ele é meu pai, como sabe o nome dele? Diga a verdade, foi Aro que o mandou?

-Não! Já disse que ele é mau e que eu não gosto dele, ele tentou ferir você! – essas palavras me pegaram de surpresa – Eu sei disso por que você pensa muito nele, mas eu gosto mais do Jake. – Tá certo, agora isso foi estranho.

-Você gosta? – eu preciso ir ao fundo disso –  Quem mandou você e por que eu sinto vontade de te proteger?

-Acho que você me chamaria de… Como é mesmo que a Bella te chama? Ah sim, filho… Isso é o que eu sou pra você Nessie.

Meu mundo girou com aquelas palavras, eu não posso ter filhos, como isso é possível? E se isso é verdade, como é que está falando comigo? A confusão e a esperança brigavam dentro de mim. Um filho? Como? Quando? É claro que eu sei como se concebe um filho e eu pratiquei muito nos últimos dias com Jake, mas sempre estivemos juntos e nunca aconteceu antes, por que eu não sou capaz de ter filhos, quando foi que isso mudou? Não aconteceu nada de diferente que pudesse… Espera um pouco…

***

…  logo que chegamos ao andar de cima Nahuel me jogou com violência contra a cama me fazendo bater com força em sua armação, ele trancou rapidamente a porta, eu respirei fundo tentando ganhar forças pra levantar da posição estranha que eu estava.

Lágrimas começaram sem que eu percebesse, meu choro aumentou quando senti uma pontada violenta em meu ventre, me movimentei fracamente para cima da cama sentido a dor aumentar.. o que Nahuel me fez? Senti um liquido quente entre as penas… me horrorizei ao sentir o cheiro de sangue! Levei rápido e desesperada um de meus dedos até o local.. eu estava sangrando!! Me obriguei a levantar, a dor ainda era grande meus movimentos foram lerdos até o bainheiro, entrei nele fechando a porta.. foi então que me deparei com um calendário preso ali atrás da maldita porta um choque imenso tomou conta de mim ao ver que hoje era exatamente 10 de setembro.

– Parabéns Renesmee – sussurrei pra mim mesma ao me deixar deslizar contra a porta, a dor que me invadia agora não era mais física – 7 anos!…

***

Depois disso… acho que me tornei fértil, não tem outra explicação, como eu não sabia, não me preveni com Jacob, Não acredito, eu estou grávida! Lágrimas escorriam por meu rosto sem permissão, só que essas eram de pura felicidade

-Não chore Nessie, eu te amo, por favor não fique triste. – aquelas palavras me retiraram de meus devaneios

-Você fica triste? Por que eu choro? Mas como é possível e por que eu não posso ver você direito?

-Tudo o que sente eu também sinto e não consegue me ver por que só tem como manifestar a minha mente já que eu ainda estou em processo de formação.

-Mas meu corpo não me obedece e estou desacordada a semanas, como posso ter uma criança sendo formada em meu ventre?

-Nessie, fui eu quem desconectou sua mente de seu corpo

-Foi você? Mas por que? Se você é meu filho?

-Pra te proteger, aquela moça malvada ia tira-la de mim e eu não podia deixar

Aquelas palavras caíram em minha mente como uma explosão de sentimentos que eu jamais havia sentido antes, meu mundo agora tinha um novo sentido e tudo girava em torno daquela vozinha sem rosto, aquela vozinha que tornava a minha vida completa como nem mesmo Jake jamais conseguiria, aquele pedacinho de Jacob que crescia dentro de mim.

-Você queria me proteger? Mas por que não me deixou voltar quando eu tentei? – perguntei confusa.

-Por que eu estava muito fraco e não conseguia traze-la de volta, eu senti muito a sua falta, então quando colocaram aquele caninho em seu corpo eu comecei a ficar forte de novo e pude te trazer pra mim de novamente, só não gostei muito daquele que saia uma coisa vermelha, o gosto não era bom.

Não pude conter o sorriso que brotava de meus lábios com aquelas inocentes palavras, mas ao mesmo tempo cheias de proteção e cuidado, eram proferidas pelo meu filho e eu o estava conhecendo tão intimamente sem nem ao menos saber que ele existia.

-Amor você estava me protegendo esse tempo todo e agora que ficou forte me trouxe de volta. Isso é tão lindo, mas por que meu pai não notou sua presença? E por que eu não consigo acordar, já que estou conectada ao meu corpo? São tantas perguntas que eu faço que deve estar tonto comigo, mas eu preciso saber, me entende?

-Sim entendo. Eu bloqueei a mente dele por isso não soube que estou aqui, e eu queria conversar com você pra te conhecer antes que voltasse pra eles.

Que lindo, meu filho queria conhecer sua mãe. Nem nasceu ainda e já está me protegendo, mas pra bloquear a mente de meu pai tem que ser muito poderoso, Meu bebê é extraordinário, e não teria que ser eu a protege-lo? Isso é muito contraditório

-Mas você me protege, mesmo sem saber que eu estava aqui, sempre esteve comigo me guardando e me protegendo Nessie.

-Eu preciso me acostumar com a ideia de você ler meus pensamentos. – com meu pai já era difícil, imagina agora! -Eu nem te conheço ainda, mas já te amo tanto.

-Te amo também, mas agora você tem que ir, Jake está te chamando Nessie, ele tá muito triste e eu não gosto quando ele fica assim.

Meu coração ficou apertado com a menção do nome de Jake, mas eu precisava ficar mais um instante ainda.

-Já vou, mas posso te pedir uma coisa ainda meu amor?

-Sim, o que quiser

-Me chame de mãe antes de eu ir.

-Eu te amo Mamãe

E com a emoção daquelas palavras inundando meu coração, tudo se escureceu novamente.

Anúncios