Então Galerinha eis o tão esperado último cap de Caminhos

Leiam e votem muito, quero saber a sua opinião a respeito do desfecho que a autora deu a fic e se vocês realmente querem um final alternativo escrito por euzinha que vos fala neste momento… rs..

quero muitos comentários e muitos votos hem pessoal, seja qual for a opinião de vocês, ela é muito importante para nós!

Bjos e boa leitura… vou parar de enrolar e deixar que leiam!

Nós saímos pela porta e todos da minha família ainda estavam ali nos esperando, eu sorri pra Jake, ele apertou minha mão em resposta e nos começamos a correr com minha família a poucos passos atrás de nós, a hora enfim havia chegado e eu me vi estranhamente tranqüila, eu já tinha meu Jake de volta e nada que acontecesse naquela clareira poderia mudar a verdade mais absoluta da minha vida: ele era meu e eu o amava mais do que tudo, eu só estaria indo pra lá agora definir por mais quanto tempo eu viveria isso.


15. Eu também te amo

Quando enfim chegamos na clareira foi inevitável o sentimento de deja vu, todos os lobos exceto Jake e Leah estavam transformados fazendo uma linha reta na beira das arvores enquanto os vários vampiros que Narciso trouxe se posicionavam mais a frente mais ainda assim atrás de nos.

Emmett, Rosalie, Jasper, Alice e Esme ficaram mais atrás enquanto Jake, eu e meu avô Carlisle formávamos outra linha, meus pais, Narciso e Leah estavam mais a frente e assim que esperavamos.

Alice nos disse durante a corrida que teríamos no maximo 5 minutos antes que eles chegassem…

Minha mãe parecia incomodada com toda a semelhança que essa cena tinha com a de anos atrás, senti em vários momentos seu olhar sobre mim e eu já sabia que estávamos todos protegidos por seu escudo,.

– Querida lembre-se você mais do que os outros tem que se manter calma – meu pai sussurrou rapidamente, mamãe balançou a cabeça de forma afirmativa enquanto respirava fundo por puro costume e me dava outra demorada e cuidadosa olhada.

– Bella – dessa vez era Jake que chamava – Não fique assim certo ela não é mais uma garotinha presa as suas costas, eu não vou deixar que nada aconteça você sabe – ele pareceu dar um sinal pra ela, pois logo Bella respirou fundo parecendo relaxar um pouco.

– Vou ficar bem mãe – eu quis garantir – se foque em todos nós e não apenas em mim ok.

– Isso mesmo amor foco e calma – meu pai pediu enquanto segurava a mão dela de forma carinhosa.

– Eles – Narciso disse em voz alta, segundos depois seguindo seu olhar podíamos ver ao longe como uma marcha, os Volturi estavam chegando…

A cada passo deles até nos vi com orgulho os olhos dourados de minha mãe ganharem determinação, ela poderia até estar com medo mais ela nunca deixaria eles verem isso nela. Alguns rosnados não puderam ser evitados e Emmett e Jake foram os que os menos disfarçaram. Em poucos segundos todos eles já estavam em nossa frente a uns 100 metros de distancia claro, mais próximo o bastante pra que todos vissem o olhar de espanto que Aro,, lançava.

– Narciso! – ele exclamou realmente surpreso, pude ver o deboche no rosto de Narciso ao encará-lo.

– Olá Aro. – Aro por sua vez não o respondeu se recompôs brevemente para logo depois focar meu avô.

– Olá Carlisle meu velho amigo, como tem passado?

– Olá Aro – Carlisle respondeu com aquela mesma voz calma e serena de sempre – hum não muito bem, afinal não se da pra ir bem quando você descobre que sua família esta ameaçada.

A maior parte da minha família arregalou os olhos pra tal reação do meu avô, menos Aro ele sorriu gentil e cinicamente e se virou para Narciso mais uma vez.

– Ora ora se enfim não chegou o dia em que vi Narciso Ignacios usando um frágil humano para beneficio próprio. – Aro fez questão de parecer ultrajado o bastante.

– Errado Aro, não foi para meu beneficio e sim o de Renesmee, então fique tranqüilo esse dia realmente nunca chegara.

– Você matou um homem Narciso fico feliz que enfim esteja se rendendo a hipocrisia.

– Fico feliz que esteja tão preocupado Aro mais eu não me alimentei dele ele só era necessário pra que Nessie pudesse voltar, vejo que deu brilhantemente certo – Narciso pausou por alguns segundos pra logo adicionar – Oh me desculpe por faze-lo de bobo – outra pausa – mais uma vez.

– Ora seu.. – os olhos de Aro se estreitaram e por um momento ele perdeu toda sua pose calma e fingida, mais como sempre ele percebeu a tempo de refaze-la – Narciso sempre tão arrogante lembre-se que sua extensa idade não quer dizer necessariamente sabedoria.

– E você Aro lembre-se que um dom não quer dizer necessariamente poder sobre as outras pessoas.

– Ora seu verme!! – foi Jane que guinchou apertando os punhos e deixando uma fileira perfeita de brancos e afiados dentes aparecerem.

– Jane querida, por favor.. – Aro pediu.

– Por que não acabamos logo com isso? – ela falou de maneira frenética e inteiramente irritada fixando seus olhos vermelhos não mais em Narciso e sim em Leah.

Vi Narciso instintivamente a puxar para mais atrás de si mesmo, não que ele pudesse protegê-la mentalmente do ataque de Jane caso ela tentasse fazê-lo, na verdade Narciso não conseguia jogar seu escudo como minha mãe fazia ele era o único protegido, quem evitava que Leah estivesse caída gritando de dor agora por um possível ataque de Jane era claro minha mãe.

– Você poderia se transformar, por favor – ele pediu numa voz muito baixa e bem rápida ao se virar pra Leah e a encarar com intensidade – ficarei mais tranqüilo se você estivesse como lobo é mais seguro.

– Ok – Leah sussurrou de volta quase como um suspiro, então ela apertou a mão de Narciso e o soltou indo em direção as arvores.

Todos observamos Jane dar vários passos a frente como se quisesse seguir Leah, mais então ela riu de uma forma alta e sarcástica voltando seus olhos para Narciso outra vez..

– Uma cadela? – ela ainda ria – isso é no mínimo tão trágico para não dizer cômico Narciso, esperar por tanto tempo para terminar com uma cadela suja – ela desdenhou finalmente e um rosnado automaticamente foi ouvido vindo do peito agora arfante de puro ódio de Narciso.

– O que você esperava Jane? Uma desequilibrada como você? – ele respondeu prontamente fazendo todos pararmos de repente surpresos demais, vi Jane dar um grande passo a frente.

– Jane querida – Aro a chamou em sua fingida preocupação era evidente que ele estava torcendo para que um de nós ou Jane começasse a luta que possivelmente nos mataria ou a eles, Jane deixou de avançar mais nem por isso deixou de rosnar em nossa direção e mostrar os dentes.

– Pra sua sorte eu não quero a sua vadia Narciso, pra sua sorte eu quero ela primeiro – todo o meu sangue paralisou ao perceber que ela apontava em minha direção então sem que eu pudesse evitar nossos olhos se encontraram brevemente – Você é minha – ela sibilou fazendo Jake apertar fortemente a minha mão enquanto se colocava a minha frente rosnado conforme tremia.

E no mesmo instante minha mãe também deu um grande rosnado

– É bom que todos se acalmem – meu pai tentou, no entanto surpreendendo a todos minha mãe deu um grande salto a minha frente e a de Jake ainda rosnando muito alto com os olhos fixos em Jane, ela estaria tentando me atacar?

– Sua criatura asquerosa a minha filha você não toca, eu não vou deixar!!

– Bella – meu pai suplicou

Jane gargalhou de uma forma amarga encarando minha mãe

– Seu poder acaba no mesmo momento que meus dentes encontrarem sua garganta Bella! Não se esqueça disso!

Foi a minha vez e de meu pai rosnarem.

Então de uma vez por todas Jane avançou…

Foi tudo tão rápido num instante eu estava tentando ver qual sinal minha mãe fez para Jake antes de sussurrar “agora” pra no instante seguinte estar jogada sobre o ombro direito de Jake enquanto ele corria.

Pisquei diversas vezes antes de entender o que realmente estava acontecendo..

– Jake!!! – gritei finalmente horrorizada demais – minha família minha.. – um bolo entalou minha garganta enquanto eu senti grossas lagrima caírem por meu rosto.

Ele não se importou com meu protesto continuando a correr de uma forma tão rápida mesmo não estando transformado que eu poderia apostar que ele acompanharia uma corrida de Jasper ou Emmett tranquilamente, ele estava realmente rápido.

Alguns estrondos incrivelmente altos como se montanhas se chocassem vinham em bom som do lugar em que minha família lutava, as lagrimas me cegaram enquanto eu começava a esmurrar freneticamente as costas de Jake o mandando parar.

– É minha família!!! – encontrei minha voz – minha família, Jacob pare!!

– Não. – ele respondeu simples.

– Jake temos que ajudá-los, pare!! – minha voz ficou grossa e falha novamente pelas lágrimas, isso pareceu tocá-lo, no momento seguinte ele estava me colocando de pé junto a uma arvore, ele trouxe suas mãos para meu rosto de forma quase nervosa secando minhas lagrimas enquanto acariciava minhas bochechas com as pontas de seus dedos.

– Não chore.. – havia certa dor na voz dele também – amor me diga o que adiantaria você lá?

Ele estava certo não adiantaria muita coisa, eu sempre fui fraca nessa minha bizarra condição de metade uma coisa metade outra.

– Ness, por favor ..

– Precisamos voltar – consegui soltar – nós já estávamos longe o bastante pra que eu não ouvisse mais nenhum barulho e isso me dava ainda mais pânico – Jake nos temos..

– Não – ele me cortou friamente, e algo que eu estava evitando até agora brotou em mim com força: raiva e irritação.

– Eu vou voltar!!! – gritei com toda força que tinha.

– Não! – dessa vez ele também gritou ao me puxar para próximo da arvore mais uma vez só que de um jeito bruto.

– Me solta!!

– Não!

– Não?? Qual é o seu problema?

– Não vou deixar – então ele enfim me encarou e eu senti a irritação e quase ódio nos olhos dele também, eu ficaria com medo se não ouvisse as palavras que seguiram aquele olhar intenso nos meus. – Eu não vou perder você!! Não outra vez!

– J-a-ak-kee-ee – gaguejei surpresa

– Me chame de egoísta, me chame de covarde eu não me importo, não se tiver você assim viva na minha frente, eu não vou perder você e não me importo de fugir pra que isso aconteça!!

Ele ainda respirava pesadamente quando terminou, foi engraçado me sentir mais sem fôlego que ele, eu realmente nunca teria noção do que causei a ele essa era uma verdade que eu teria que aprender a conviver.

– Eu sei o que aconteceu agora – ele começou dessa vez mais clamo – eu sei que você não me deixou por vontade própria mais isso infelizmente não diminui a dor de ser deixado Ness, eu não vou ser deixado de novo não se eu puder impedir..

– Mais.. eles..

– Amor – ele falou da forma mais carinhosa possível e eu me vi derreter na rouquidão que a voz dele sempre teve – sem ofensas mais você não conseguiria ajudar muito no fim das contas, você atrapalharia sua mãe ou seu pai.

– Então você.. – eu falei num impulso – você deveria estar lá não é? Mamãe sempre disse que você nunca fugiria de uma briga.

– As coisas mudam – ele suspirou – além disso, eu preciso estar com você, se viesse sozinha e alguém te seguisse? Mais se você realmente quer que eu volte pra ajudá-los eu vou voltar Ness.

Uma das únicas coisas que consegui ver antes que ele me tirasse de lá veio a minha mente: meu tio Emmett avançando enquanto 2 vampiros o atacavam, eu imediatamente entrei em pânico eu não queria Jake lá, eu também era egoísta? Num rompante bem típico de mim claro, eu me lancei contra ele, contornando seu pescoço o abraçando de forma desesperada.

– Não! Eu não quero você lá! Você não pode voltar! Não pode!

Sua risada foi suave quando ele contornou seus braços em minha cintura me levando mais perto.

– Por que será que eu sabia que você reagiria justamente dessa forma? – eu ri com ele fechando meus braços em seu pescoço.

– Porque você me conhece bem demais pra minha sorte – eu não lembrei que havia uma grande batalha a alguns quilômetros de nós agora, eu só sentia os lábios dele cada vez mais próximos e sua respiração quente batendo contra meu rosto, ele estava tortuosamente perto.

– Saudades disso – ele murmurou de uma forma tão rouca que me fez arrepiar, antes que eu tivesse qualquer outra reação ele me puxou com mais força pela cintura nos grudando e imediatamente investindo contra meus lábios.

Como eu senti falta exatamente disso: o meu lugar preferido no mundo, os braços de Jake, agora era natural não tinha o “fingir que nada esta acontecendo” dos últimos dois dias, éramos apenas nós e do nosso jeito.

Ele me apertou ainda mais em seus braços me apoiando contra o tronco da arvore atrás de nós, eu ri em seus lábios com a familiaridade da cena, no entanto suas mãos começaram a viajar de uma forma desconcertadamente certa e conhecida pela lateral do meu corpo me fazendo arfar, ele aproveitou o momento subindo umas das suas mãos pra segurar minha nuca com força enquanto sua língua invadia minha boca, forte, quente e com uma urgência que me vi surpresa em corresponder, minhas mãos ganharam vida se enroscando e puxando seus cabelos negros e ligeiramente crescidos.

Eu arranhei sua nuca, e estava pronta pra deslizar minha mão por seu peito quente até tocá-lo onde eu já o podia sentir quase excitado quando Jake parou completamente o que fazia ao tremer o corpo inteiro mais dessa vez com pura raiva. Eu estava ofuscada demais para perceber algo até ouvir aquela voz.

– Você realmente não achou que eu te deixaria escapar achou?

Jane

Suguei o ar com força enquanto via por cima dos ombros de Jake seus frios olhos cor de sangue me fitarem com ódio e seu rosto formar um sorriso de deboche.

– Olha só que interessante agora temos o cachorro pra brincar – ela sibilou com a vozinha de criança que tinha de forma totalmente doce e doentia.

Com as palavras dela foi minha vez de rosnar e tremer de raiva, ela não tocaria em Jacob pelo menos não antes de eu estar morta!!

No entanto Jake não me deixou nem mesmo pensar em agir, ele se soltou suavemente de mim murmurando um “desculpe” e ao se virar completamente pulou em direção a ela entrando em fase. O que ele não previa era que Jane o acertaria antes mesmo de explodir e foi exatamente o que aconteceu, eu vi com horror e desespero o corpo não transformado de Jake cair com uma baque surdo e forte no chão, tremendo por convulsões de dor.

Ele não gritava, Jake nunca gritaria eu tenho certeza mais eu podia sentir sua dor como se fosse minha.

– PARE!!! –gritei surpreendentemente já em meio a grandes soluços e grossas lagrimas, ela fingiu não me ouvir então eu corri até ele me jogando em sua frente – PARE!!!

Ela parecia realmente não me ouvir se deliciando com os pequenos gemidos que Jake deixava escapar, o rosto de boneca parecia iluminado e ainda mais glorioso. Ela era um monstro.

Não tive outra escolha a não ser me colocar por completo sobre Jacob assim ela teria dificuldade em fita-lo e faze-lo sofrer, meu plano deu certo, ouvi um bufar irritado e leves passos em minha direção, eu não estava olhando pra ela agora meu rosto estava praticamente grudado ao de Jake que ainda se remexia em espasmos.

– Você é patética! – ela praticamente gritou um pouco depois senti suas geladas mãos se fecharem em torno do meu braço, Jane simplesmente me jogou, sim era essa a palavra que definia o que ela fez ao me lançar contra uma arvore. Minhas costas bateram contra a madeira fazendo um grande barulho me fazendo gritar por algumas pontadas de dor que senti em meu corpo.

Jake a 10 metros de mim arregalou os olhos quando me focalizou, mais novamente não teve tempo algum de reação, pois Jane já o estava torturando mais uma vez, a minha dor misturada a dor muito maior que ele sentia com certeza me mataria, eu não conseguia me mover tudo parecia girar até que um som me despertou: era Jake gritando? Minha mente se dissipou de todo torpor enquanto eu via meu próprio corpo se balançar num choro alto e forte.

Meu Jake não…

Me forcei a sentar onde estava, minha cabeça também doía e continuava a girar enquanto a voz melodiosa de Jane formava um riso histérico, debochado e frio.

MALDITA.

Me escorei contra a arvore tentando acalmar os tremores do meu próprio corpo causados pelo meu choro, era tanta dor, ela tinha que parar eu tinha que para-la, minha mente continuava a girar até que uma lembrança veio até a superfície dos meus pensamentos frenéticos como uma salvação.

– Sinto que você ainda não se esforça tanto querida, tanto eu como Renata cegamente acreditamos que se você realmente se esforçasse você poderia anular até mesmo ofensores – Aro pausou brevemente me encarando de uma forma mais intensa – Talvez Renata tenha razão em outra coisa, talvez não seja esforço e sim um real motivo, fico triste por não ter um motivo forte o bastante aqui conosco pra que você possa evoluir

O sorriso falso aumentou em seu rosto translúcido enquanto ele parecia extasiado

– Oh mais seria realmente fascinante vê-la anulando todos os tipos de defesa e ataque, seria fabuloso!

Eu já estava de pé, as palavras de Aro flutuando em minha cabeça: “você poderia anular até mesmo ofensores”, meus pulsos se fecharam com força, eu me obriguei a levantar o meu rosto e encarar Jane. Ela estava de costas entre mim e Jake na verdade enquanto continuava a torturá-lo.

– JANE – gritei com as ultimas forças que tinha.

Dessa vez ela pareceu me ouvir ou foi o tom excessivamente de ódio que a fez despertar da sua doentia diversão, me senti aliviada de não ouvir mais nenhum grito de Jake, mais isso já não era o bastante ela tinha que morrer.

Me concentrei fitando-a intensamente como eu fazia quando queria anular a defesa de algum dos muito vampiros que ajudei Aro a matar.

– Uh! Você também quer brincar? – ela me perguntou diabolicamente inocente.

– Pode ter certeza Jane eu quero brincar – respondi afiada enquanto intensificava mais meu olhar sobre ela.

Então eu senti vindo, a onda de dor parecia vir se arrastando como uma cobra pelo chão até mim, era louco poder senti-la e até mesmo vê-la, ela me acertou se envolvendo por todo meu corpo e eu cai, não completamente, de uma maneira inesperada a dor que ela me fazia sentir não era tão insuportável como das outras vezes e pra minha súbita auto confiança a intensidade da dor parecia diminuir cada vez mais.

Eu estava caída de joelhos quando apoiei minhas mãos na terra e voltei a encará-la, ela pareceu ligeiramente surpresa conforme sua onda de dor em mim diminuía ainda mais.. havia uma chance.

Me levantei com dificuldade estudando o olhar de espanto que ela me lançava agora e sentindo sua onda de dor me abraçar com mais força, ela estava aumentando o seu poder sobre mim mais a minha vontade de faze-la pagar não me deixou fraquejar.

A raiva que borbulhava em mim me fez concentrar ainda mais quando pra meu êxtase senti a onda de Jane se despregando de mim, ela parecia atônita me deixando deliciada com isso conforme avançava para mais próximo, foi quando eu vi Jacob sorrateiramente se levantando as costas dela, Jane de maneira desesperada aumentava sua onda mais ela já não conseguia mais me envolver eu quase já não sentia mais dor conforme avançava ainda mais.

– Isso não esta acontecendo!! – ela gritou de forma histérica enquanto eu dava mais alguns passos e recebia um sinal de Jake, eu acenti pra ele milimetricamente.

– Ahh sim isto esta acontecendo vadia!!! – Jake cuspiu as palavras e no momento que ela girou seu corpo pra encará-lo ele já não era mais ele e sim uma grande lobo marrom avermelhado.

Foi rápido demais e Jake estava com seus afiados dentes no pescoço infantil de Jane.

Eu ainda tive tempo de ouvir um grito agudo de dor dela antes de fechar meus olhos pra logo ouvir um alto “crac”

Minhas pernas cederam instantaneamente depois disso, pontadas de dor por todo eu corpo me acertaram com intensidade, os giros que minha cabeça dava se tornaram um turbilhão e eu já não estava mais ali, só havia escuridão e através dela eu pude ouvir meus pais gritando meu nome ao se aproximar, pude sentir os braços de Jake ao meu redor, eu estava em paz na escuridão agora de uma forma ou outra Jake estava comigo…

– Ei eu não estou brincando com isso eu quero você pra mim..

– Sei que não é a mansão que você esta acostumada e não tem muito conforto .. mais é nossa Ness e eu prometo te fazer muito feliz aqui dentro…

– Eu definitivamente também gosto do seu jeito

– Você é minha

– Uma parte bem importante

– Pra sempre!. Seu Jake.

– Você é deliciosamente louca

– Shh… na droga do fim das contas eu estou aqui não estou?

– Por que eu ainda não agarrei você? Como estou louco pra fazer?

– Quando eu vi você a primeira vez foi a coisa mais assustadora, louca e… certa que aconteceu,

– Você não quer que eu pare, não de verdade..

– Claro claro, eu só vou colocar as roupas, mais você precisa tomar banho… meu cheiro esta em cada centímetro do seu corpo… eles não vão gostar disso

– Quem esta com medo de quem agora?

– Você.. ainda me mata garota

– Te odeio mais…

– Abra os olhos Ness eu quero você olhando pra mim enquanto eu amo você

– Você me basta!

– Ness vou me vingar sabe.

– Eu amo você

– Por que você me fez amar você? Pra que? Você fez eu me apaixonar por você, enlouquecer por você!!!

– O que vamos fazer com a gente? Se continuarmos nesse ritmo desconfio que viveremos assim sem roupas

– Isso esta ficando meio viciante.

– Você irritada só fica mais deliciosa!

– Por que você não cora agora?

– Dani-se, nem Edward me tira dessa cama hoje

– Eu juro que entendo Ness, vou me obrigar a entender…

– Me desculpe, eu não estava conseguindo dormir.

– Você é tudo o que eu tenho Ness, tudo que realmente importa

– Você…

Meu Jake… sempre estaria comigo

De uma forma misteriosa eu o ouvia outra vez…

– Ness meu amor, volte pra mim.. eu te amo eu preciso de você Ness…. Ness!!!

A inconsciência e o silencio me engoliram definitivamente enquanto eu tentava responder:

Eu também te amo…

Fim

Clique AQUI e confira Eternal Flame. A emocionante sequencia de Caminhos
Anúncios