As coisas aconteceram mais rápido ainda dessa vez. Tio Emmett já estava na frente de Nahuel antes que eu terminasse meu grito, Jake hesitou mais não pode evitar se chocar com meu tio, o barulho foi alto e ensurdecedor.

– Você esta louco cachorro!! O que deu em você?! – era minha tia Rose que berrava ao tentar arrastar Jake dali.

Meu pai apareceu frações de segundos depois arrastando Jake de uma vez pra fora, Vi Jake se soltar dele com violência e entrar na floresta com meu pai atrás, eu os segui enquanto escutava um “esta tudo bem.. lobos são assim mesmo não é?” de Nahuel, meu sangue ferveu.

– Foi ele Edward!! Eu sei que foi ele! Você sabe que foi ele! Que merda é essa? Porque você não arrancou a cabeça daquele maldito logo que chegou aqui!! – os gritos de Jake podiam ser ouvidos de longe, quando enfim cheguei onde estavam eu via Jake nu, tremendo como louco, com uma raiva que nunca tinha visto antes nele, enfrentando meu pai de frente.

– Não seja tolo Jacob, se fosse ele eu teria feito algo não acha? – meu pai tentava ser acido mais eu podia sentir a dor por baixo daquele tom – além disso, nada aconteceu! Eu teria visto não seja idiota!

Jake estava pronto pra rebater aquelas palavras mais ele me percebeu ali, sua expressão mudou, ele demonstrava mais raiva ainda, ele me assustou quando veio em minha direção me segurando com força pelos ombros me chacoalhando.

– Por que você esta mentindo? Me diga o que aconteceu? Vamos Renesmee estou mandando me diga! – eu engoli em seco as lagrimas viriam logo? Como sempre eu era apenas fraca…

– Eu não sou mais uma do seu bando Jake – sussurrei o fazendo me largar – você não MANDA em mim, eu sou sua mulher lembra? – eu fingia um tom de ofendida enquanto ele arregalava os olhos pra mim.

– Eu… – ele tentou – não da.. sabe essa historia não da mais .. te vejo mais tarde.. agora eu não consigo, realmente não consigo – meio segundo mais tarde ele já estava no meio das arvores correndo como lobo.

As lagrimas vieram fortes eu logo senti seus braços frios me sustentando. Ele me pegou no colo correndo na direção oposta de Jake.

– Calma querida só estou me afastando mais .. – Edward deu um leve beijo no topo da minha cabeça, havia tanta dor em sua voz..em seus gestos, isso só me fez chorar mais – precisamos conversar não é? Não chore querida, por favor, não chore.

Ele parou milhares de quilômetros depois, se sentando em um tronco qualquer comigo ainda em seu colo, eu não conseguia falar eu apenas estiquei minha mão e a coloquei em seu lindo rosto.. pedindo desculpas por ser tão tola, tão fraca.. tão vulnerável.

– Não ouse pedir desculpas Nessie – ele falava baixo enquanto me embalava – querida você não tem culpa, por favor, não puxe essa mania insuportável de se culpar por tudo de mim – ele sorriu de lado me fazendo rir um pouco de maneira forçada.

– Eu lamento por você pai, lamento por tudo isso.

– Shh não terá “isso” pra você lamentar querida – eu entrei em pânico o que ele quis dizer?

– Pai o que vai fazer? – eu não pude evitar gritar as palavras ao agarrar com força a camisa que ele vestia.

– Você não acha que eu vou deixar ele levar você acha? – a acidez que ele fingia com Jacob era verdadeira agora.

– Você prefere todos mortos? – gritei novamente saindo de seus braços.

– Nessie isso não vai acontecer! – ele me puxou pelo braço pra encará-lo.

– Vai sim pai, claro que vai! Eles vão matar vocês e você pode ver isso! – eu gritava ainda mais ao socar o peito de pedra – E eles não vão me matar junto pai – as lagrimas me faziam soluçar alto – e-l-e-e-es v-ão m-me de-i-x-x-a-r v-vi-v-va e-eu n-ão v-vou su-upo-rtar p-pai n-não v-vou.

– Eu não posso deixar que ele te leve, eu não posso! – foi a vez de Edward gritar e eu tenho certeza: se ele não fosse vampiro estaria chorando agora.

– Você não pode deixar que todos morram! – uma careta se formou em seu rosto perfeito – pai.. na vida é preciso se sacrificar por quem amamos – ele me olhou incrédulo – por favor, eu entendo que tudo será pior pra você mais é melhor assim… é melhor.

– Não é melhor Nessie, não quando é você que vai sofrer – havia um pouco de irritação agora.

– Eu agüento – falei baixinho.

– Não Nessie Deus eu não vou permitir uma loucura assim .. não vou ..

– Pai – o cortei – o que você viu na mente dele em relação aos Volturi? – ele me olhou de forma triste.

– Eles vão nos matar – ele disse vencido – Aro falou isso claramente para aquele maldito pra que eu visse na mente dele.

– Ent-ta-ao pai – voltei a gaguejar – só tem uma solução.

– Não, não você não vai com ele Nessie!

– Eu tenho que ir.. eu tenho, eu já disse pai eles na vão me matar eles vão me deixar viva e então se vocês morrerem imagine como eu vou viver pai .. se é que pode se chamar de vida.

– Imagine Jacob Nessie… imagine ele quando você for! – aquilo me acertou com força, ele não tinha o direito de dizer isso eu cambaleei pra trás me sustentando numa arvore.

– Ele não ficara pior que mamãe quando você foi embora – soltei sem pensar me arrependendo logo ao ver sua expressão – desculpe,

– Eu sempre vou pagar por esse erro não é? – os olhos dele estavam mais tristes do que nunca – Eu só esperava que você não o cometesse também, Ele não terá um Jake pra ajudá-lo filha ele estará apenas sozinho.

– Mais vivo pai.. ele estará vivo!

– Não, não estará, será que você não vê? A vida dele é você e quando você for… ele estará acabado.

– Mais estará vivo .. isso me basta – sussurrei – isso me basta.

– Eu sei que não basta Nessie, não engane a si mesma. Vocês podem fugir, eles nunca encontrariam vocês, vá eu te ajudo filha. – eu o olhei horrorizada.

– Que espécie de monstro você acha que eu sou? Fugir com Jake enquanto vocês morrem? Uma lua de mel que tal? – berrei tomada pela ira.

– Não veja dessa forma

– De que forma eu tenho que ver então pai? Diz!

– Na vida é preciso se sacrificar por quem amamos – ele deu de ombros – Bella não recusaria.

– Não ouse!! – eu me atirei em cima dele batendo de novo com mais força, mais desespero – Não ouse ouviu! Você não vai fazer isso! Eu não vou deixar! Eu não vou deixar – ele agarrou forte meus braços me apertando contra si eu apenas chorava – não diga que será melhor pai .. não diga, mamãe merece o pra sempre… ela merece….

– Eu sei – ele falou com uma voz enrolada ele estaria chorando de novo… se pudesse.

– Diga que vai me deixar ir pai.. por favor.. diga..

– Eu…

– Por favor, pai.. eles vão me levar de qualquer forma.. por favor.

– Eu não sei se vou conseguir Nessie mais eu prometo tentar – ele me abraçou ainda mais forte.

– Diga que vai cuidar dele – eu levantei meu rosto pra encará-lo. – por favor, pai diga que vai cuidar do meu Jake…

– Como se fosse um filho.. amor.. eu prometo – me vi chorando ainda mais com essas palavras, tudo estava certo então, mais nove dias e tudo acabaria eu não teria mais tio Emmett e tio Jasper, nem Vó Esme ou Võ Carlisle, não teria mais as loucuras de tia Alice nem o abraço forte de minha tia Rose .. não teria mais meu pai, me apertei mais ele, nem mamãe e seu sorriso doce e sua expressão sempre preocupada, minha família.

Minha cabeça girou quando pensei no mais importante: Jake. Seu sorriso, seu abraço, seus lábios tudo teria um fim.. eu não pude mais pensar pois logo senti meu pai enrijecer todo seu corpo me soltando, ele nos virou me deixando à suas costas quando encarou uma parte da floresta soltando um grande rosnado .

– Pai o que…

– Veja só estão tendo uma reunião e nem me chamaram..

Nahuel, se meu pai não estivesse me segurando com tanta força junto a ele, seria eu a pular na garganta daquele maldito agora.

– O que quer aqui? –gritei

– Participar da reunião.. preciso dar algumas instruções.

– Ela não vai concordar com isso – meu pai avisou

– Concordar com o que? – eu ainda estava irritada.

– Ele teve a brilhante idéia de insinuar que vocês têm algo pra que seja mais fácil com Jacob – a cara de puro desdém que meu pai fazia só me fez achar a historia mais absurda e patética.

– HÁ como se num universo paralelo eu teria algo com você –debochei – Jake sabe que eu sou dele idiota!!

– Sabe seria melhor se você e o seu pai guardassem um pouco as gentilezas para si mesmos.

– Nessie tenha calma – meu pai sussurrou

– Assim é melhor – Nahuel falou de forma convencida.. ódio. – eu não quero que nós tenhamos um caso Nessie pelo menos não ainda – como ele ousa? Meu pai rosnou baixo enquanto aquele maldito ria satisfeito – eu só quero que, por exemplo, quando você sumir durante o dia todos pensem que você esta comigo.

– Eu tenho colégio durante o dia.

– Ahh mais você já esta há três dias sem ir.. não precisa ir mais..

– Ele vai desconfiar

– Mais eu quero que ele desconfie

– Esta entendido Nahuel mais alguma coisa? –meu pai perguntou de forma seca

– Rosalie.

– O que tem minha tia?

– Eu não preciso ler mentes pra perceber que ela desconfiou de algo – ele respondeu com sarcasmo – então por que não voltamos pra casa de vocês agora e não viramos os melhores amigos do mundo Renesmee? Para que ninguém mais desconfie ou ache muito mais estranho do que vão achar quando nós dois sumimos daqui a nove dias.

– Certo pode ir, nós já vamos.. – minha voz saiu baixa e vencida, não havia muito que ser feito afinal.

– Nessie – meu pai me segurou antes que eu começasse a correr – não precisa ser assim filha eu já disse vocês pod…

– Não termine a frase pai, eu não vou fugir e deixar que os Volturi matem vocês por isso, eu vou ficar bem pai, pelo que entendi: eles precisam de mim para alguma coisa então depois de fazer essa coisa eles vão me soltar e aquele maldito pensa que é pra ficar com ele mais é ai que eu vou fugir.

– Talvez na seja assim tão fácil Nessie.

– Vai ser pai – tentei me convencer – eu sei que vai.

– Me desculpe – ele sussurrou

– Pelo que?

– Por Jacob, se eu não.. fosse tão idiota vocês poderiam ter vivido mais … juntos.

– Ahhh pai – eu o abracei forte – isso é tão engraçado e triste – deixei lagrimas caírem de novo mesmo sorrindo pra ele – tudo foi tão certo pai, não se culpe, foi no tempo certo só isso e algum dia eu vou voltar pra ele.. eu vou..

– Sim você vai.. – ele sorria pra mim também quando me puxou pra suas costas e enquanto ele corria comigo eu não pude deixar de lembrar

– Jake!!!

– Shhh eles vão ouvir.. – a voz rouca dele tão perto do meu ouvido me trouxe arrepios instantaneamente, sem contar todo o corpo dele que estava colado ao meu por baixo do edredom, ele me abraçava tão forte – senti tanta saudades – ele dizia enquanto parecia cheirar meu cabelo

– Eu também eu também – eu estava meio desesperada ao me virar de frente pra ele, ele sorriu abertamente pra mim enquanto eu me atirava contra ele como eu sentia falta daquele calor, da voz dele, do corpo, de tudo! Eu queria me juntar a ele agora, ser grudada a ele pra que nunca mais se afastasse de mim, eu sei que estou exagerando afinal só foram 11 dias mais parecia uma década – e só pra saber eles já sabem que você esta aqui – falei de forma divertida.

– Dani-se, nem Edward me tira dessa cama hoje – ele me abraçou fortemente mais uma vez – eu preciso ficar assim com você, você me fez tanta falta Ness Meu Deus!

– Eu também te amo – sorri ainda mais, com ele assim comigo, eu não parava de sorrir era até constrangedor.

– Eu também – ele respondeu um pouco serio – e você nem tem noção do quanto – eu me virei de novo na cama ficando de costas pra ele de novo, ele rapidamente passou suas mãos por minha cintura nos colando de novo eu apenas suspirei.

– Talvez eu tenha – sussurrei, ouvindo sua respiração pesada.

– Er Ness – eu não esperei ele falar qualquer baboseira eu peguei uma de suas mãos e a coloquei em minha coxa exposta pelo short curto, ele tirou a mão de forma rápida e imediata me fazendo gargalhar – Ness – ele repetiu me repreendendo, eu não liguei, eu peguei sua mão de novo voltando ela para minha coxa mais dessa vez eu a movimentei devagar por toda a extensão da minha perna, Jake suspirou pesadamente contra meu pescoço – pare com isso – ele pediu.

– Então faça você – falei de forma irritada.

– Eu não..

– Jake… apenas me toque – falei baixinho ao soltar sua mão pedindo aos céus que ele não a tirasse de mim de novo.

Sua mão permaneceu parada em minha coxa por algum tempo, como se ele estivesse avaliando aquilo, isso já estava me irritando eu já ia me levantar e berrar pra ele ir pro inferno quando ele me apertou de forma forte… quente, então ele a movimentou por toda minha coxa sempre me apertando forte.. sua outra mão encontrou um espaço entre o meu short e minha regata e começou a massagear a pele à mostra, minha respiração ficou rasa e falha.

– Respire Ness – ele sussurrou de forma muito rouca no meu ouvido, minha costas se arquearam em reação, eu fui puxada pra ele de novo de forma possessiva, a mão que alisava a pele da minha cintura subia pelo meu corpo encontrando a lateral de um dos meus seios, a outra continuava em minhas pernas enquanto ele iniciava beijos por minha nuca e pescoço, ele me virou lentamente beijando meu maxilar eu podia sentir seu hálito próximo a minha boca, isso e a forma com que suas mãos passeavam por meu corpo me fizeram gemer baixinho…

Tudo parou..

– Qual é o seu problema? – gritei com raiva, minha voz saiu enrolada e falha.. patética.

– Seu pai – ele falou já do outro lado do quarto, maltratando os cabelos de forma nervosa.

– O que aconteceu com o “nem Edward me tira dessa cama hoje”?

– Ness isso é loucura eu.. me perdoe .. me desculpe eu estou louco .. eu..

– Não me peça desculpas Jake droga!! Volte aqui!

– Eu não posso, eu tenho que ir..

– Não você não vai..

– Jacob fora desse quarto já – era meu pai rosnando lá embaixo. Merda! Jake olhou pra mim de forma implorativa enquanto saai pela janela, meio segundo depois meus pais entravam pela porta do meu quarto.

– Ness, precisamos te contar algo – minha mãe falou de forma seria, eu pude ouvir um uivo irritado na floresta meu pai foi até a janela a fechando mais antes disso gritou pra floresta.

– É isso mesmo vamos contar a ela cachorro e a culpa é só sua, e a propósito não quero suas patas perto dela de novo.

– Contar o que?

– Sobre uma coisa chamada impressão – começou minha mãe.

Sorri ao chegar a essa parte da memória, meus pais.. ingênuos como sempre, pensaram o que? Que eu ficaria mal ou não aceitaria a historia da impressão? Me vi rindo alto pela primeira vez nesses dias enquanto meu pai ainda corria.

– Não – meu pai respondeu aos meus pensamentos me deixando vermelha por ter lembrado de tudo aquilo com ele tão perto – na verdade nós só tínhamos a esperança de que vocês se acalmassem – não pude conter outra risada alta.

– Você não é o primeiro a dizer isso pai.

– É eu sei, o pior é que também sei que vocês não vão se acalmar, eu só me pergunto pra que amar deixe jeito desesperado de vocês?

– Talvez a gente soubesse que algo assim aconteceria – sussurrei quando ele me colocou no chão perto da casa de meus avôs.

– Se não quiser não precisa continuar com isso querida.

– É a única solução pai, eu sei que no fundo você me entende.

– Não eu não entendo – eu tinha que ser forte a partir de agora então simplesmente dei de ombros.

– Que seja.

Eu me forcei a entrar em casa e fazer como aquele miserável disse, eu me esforcei tanto que até pude ouvir um “nossa a Renesmee simpatizou com o Nahuel não é?” de minha mãe, ela recebeu um “é” bem azedo do meu pai.

E tudo ocorreu infelizmente dessa forma durante toda a semana eu ficava grande tempo fora com a mentira de estar com Nahuel, na maioria das vezes eu escalava a janela de Jenny pra ficar conversando em seu quarto, ela inventou uma desculpa qualquer para não ir a escola e escapar de Seth ao mesmo tempo, eu não contei muita coisa a ela só disse que todos deveriam acreditar que eu estava com Nhahuel aquele tempo todo e que ela nunca deveria contar a verdade pra Seth e muito menos pra Jake, ela entendeu, afinal ela não compreendia muito bem esse mundo recém descoberto, se apaixonar por um lobisomem e descobrir que a melhor amiga é meio vampira foi demais pra ela.

As coisas com Jake estavam cada vez mais difíceis, ele simplesmente não se conformava com a minha súbita amizade com Nahuel, era tão estranho eu só tinha mais alguns dias com ele e justo esses dias nós vivemos meio brigados. Às vezes eu só tinha vontade de seguir o conselho egoísta do meu pai e fugir com ele pra longe, mais a imagem de minha família vinha sempre em minha mente e principalmente a imagem de minha mãe.. ela nunca fugiria se estivesse no meu lugar, eu sei disso.

Oito dias se passaram, amanha eu teria que encontrar Naheul perto de Port Angeles e lá ele daria mais instruções longe de meu pai obviamente, eu não posso dizer que chorava, as lagrimas já não vinham eu estava num estado mal definido, na verdade uma mistura de depressão, tupor e choque totalmente camuflado por uma aparente irritação pelos ciúmes tolos de Jacob, e isso era o mais doido: usar as reações dele com disfarce.

Eu estava voltando pra casa de mais uma das muitas conversas que eu tinha com meu pai durantes esses dias, antes de chegar me vi apagando uma por uma das minhas dores e angustias, eu tinha que seguir um último conselho de Edward, eu devia isso a ele, a mim mesmae a Jake.

Ele me abraçou tão forte parecia que iria me partir ao meio, ele também beijava varias vezes a minha testa e bochechas.

– Pai, por favor.

– Me desculpe eu só amo você demais.

– Eu também te amo pai… demais e a mamãe também, lembre isso sempre a ela mesmo quando ela se decepcionar comigo amanha.

– Querida..

– Por favor.

– Eu ainda não sei se concordei com isso..

– PAI não me faça ir embora zangada com você.. só entenda eles me querem .. eles vão me ter, a escolha de isso acontecer com vocês mortos ou vivos que cabe a nós.

– Eu entendi essa parte…

– Por favor.. eu não suportaria pai eu morreria..

– Então siga um ultimo conselho meu..

– Eu não vou fugir

– Infelizmente eu sei mais não é isso, o meu conselho é: seja você filha… só por hoje se puder, apague essas coisas de sua cabeça e só seja você e não essa sombra.

– Eu vou tentar.

– Jacob merece que você tente. – eu engoli em seco. Jake… sim ele merecia.

Entrei de forma apressada na casa que dividia com Jake eu estava sorrindo? Milagres simplesmente aconteciam. Passei como um flash por ele na sala sem lhe dar tempo de fazer perguntas, eu já estava no quarto com um lençol branco dobrado ao meio e amarrado em meu pescoço como se fosse uma capa de super-herói, eu estava tão idiota me vi rindo abertamente quando ele apareceu na porta.

– Ai esta você – falei com uma voz mudada. – venha terráqueo nojento eu o levarei ao nosso rei – ele me olhava de forma confusa enquanto eu abria a janela o puxando pra sair por ela.

– O que deu em você?

– Quieto Jake não estrague a brincadeira – eu o beijei longamente antes de continuar – vamos terráqueo me leve em suas… uhh!!! Largas costas até o lago.

– Tudo isso só pra nadar? – ele já sorria também eu amaria aquele sorriso pra sempre.

– Eu gosto de idiotices esqueceu? – ele me colocou em suas costas e iniciou a corrida, não demorou muito e nós já estávamos em um lago que ficava depois de umas montanhas ao norte. – Certo já que você acabou com minha brincadeira idiota sim eu só quero nadar – falei de maneira emburrada.

– Esta frio… não – ele balançou a cabeça – esta congelando. – eu já estava tirando minhas roupas enquanto ele falava.

– Você me esquenta – pisquei pra ele ao dar um grande salto no lago já totalmente nua, eu podia ouvir a gargalhada dele era tão bom – Hei venha logo aqui – gritei.

– Eu não vou ai – ele queria que eu implorasse?

– Jake eu estou começando a congelar!!

– Eu não vou ai já disse – ele mostrou a língua pra mim me fazendo dar um grito de puro ódio.

– Jacob Black venha aqui!!

– Renesmee Balck eu não vou!! – ele gargalhava enquanto eu bufava.

– Você não quer me esquentar? – perguntei manhosa.

– Ahh não, não use essa técnica é golpe baixo.

– Jaaaaaake – eu meio que ronronei isso, seria hilário se não fosse sexy pra ele?

– Não!! – ele gritou tentando se convencer, então não me restou outra saída a não ser a velha e boa câimbra eu era humana também não era?

– Jake eu estou congelando! AAAIII!! – gritei ao afundar, não demorou nem meio segundo eu senti seus braços quentes me rodeando.

– Sua louca!

– Você sabe que estou fingindo não sabe – perguntei enquanto o enlaçava pelo pescoço.

– Pior que eu sei – a risada que ele deu foi alta e confortante. – eu te odeio.

– Te odeio mais – me soltei dos braços dele pra nadar para a margem – vamos Jake… vamos pular.

– Você ‘ta parecendo uma criança.

– Eu sou uma criança – pisquei pra ele de novo ao subir numa pedra qualquer e dando um grande salto.

– Não você não é – ele falou ao me pegar no colo de novo, dessa vez ele me levou pra fora me colocando no chão logo que saímos – chega de água congelante por hoje, esta de noite e frio.

– Ok pai – falei de forma ranzinza enquanto estendia o lençol no gramado ali perto – dormir ao ar livre pode? – fiz beicinho e manha ao perguntar.

Eu me deitei de lado o sentindo me abraçar rapidamente.

– O que deu em você? – ele perguntava baixo próximo ao meu ouvido me fazendo arrepiar.

– Eu só quero dorm..

– Não digo agora Ness, digo essa semana? – aquilo me pegou desprevenida toda minha animação e alegria se esvaíram por um segundo, tudo voltou: a tristeza, o “ir embora amanha”, eu engoli algumas lagrimas que ameaçavam nascer, eu as tranquei de novo dentro de mim, então me virei pra ele e pedi a única coisa que me faria esquecer de tudo aquilo de novo.

– Jake? Me beija?

Ele não hesitou nem sequer um segundo pegando meu rosto em suas mãos me beijando daquela forma “não acalmavel”, eu podia ouvir meu coração batendo como louco, batendo como o dele batia, minhas perna amoleceram instantaneamente o efeito de Jake em mim era cruelmente obvio. Mais eu não queria o desespero não hoje, teria que ser diferente, teria que ser único. Eu me separei dele puxando algum ar pra que eu pudesse falar.

– Faz amor comigo Jake? – consegui sussurrar – eu nunca pensei que pediria isso mais… seja calmo.

Ele me encarou por um tempo, eu tenho certeza que ele considerava me refazer aquela pergunta ou me atender, então eu covardemente fechei os olhos enquanto ele decidia mais logo senti sua respiração muito próxima de novo.

– Abra os olhos Ness – ele afastou os cachos do meu rosto com uma de suas mãos enquanto a outra fazia movimentos lentos por minha coxa – eu quero você olhando pra mim enquanto eu amo você.

Todo meu corpo reagiu a essas palavras: meus olhos se abriram prontamente o vendo se aproximar de mim, o beijo foi tão doce que eu me segurei de novo.. segurei as lagrimas. Tudo era apenas perfeito: a forma com que sua mão foi para minha nunca me puxando mais pra ele, o seu corpo colado ao meu, sua outra mão que subiu calmamente até os meus seios me fazendo gemer em sua boca.

– Abra as pernas amor – ele pediu baixinho descendo beijos e lambidas por meu pescoço e colo, eu estava arfando quando ele voltou a me encarar se colocando no meio de minhas pernas me fazendo segurar ainda mais o ar – respire Ness – ele sorriu pra mim, eu apenas mordia meus lábios pra conter os gemidos ao senti-lo me invadir daquela forma tão lenta.

Minhas mãos se apossaram de suas costas o fazendo gemer pra mim também, ele me beijou docemente mais uma vez quando iniciava suas investidas, meu corpo se arqueou em reposta e eu senti suas mãos ajudando minhas pernas a enlaçar sua cintura, Deus ele estava devagar… mais ia tão fundo, tão forte ao mesmo tempo, era intenso demais… era Jake. Suas mãos voltaram a acariciar meus seios enquanto ele descia com sua boca por meu pescoço mais uma vez me deixando respirar.

As investidas cresceram em velocidade e força enquanto eu gemia alto em seu ouvido, o mundo estava girando e eu podia sentir que já estava perto, ele me apertou ainda mais em seu corpo indo de uma forma profunda que me fez gritar ao arranhá-lo, ele segurou meu rosto para que eu olhasse pra ele e tudo de repente explodiu, eu tremi violentamente enquanto ele investia pela ultima vez em mim, ele me beijou gemendo alto em minha boca me fazendo tremer ainda mais agora acompanhada por ele.

Houve mais inúmeros beijos antes que eu dormisse abrçada fortemente a ele enquanto ele mexia de forma detraída nos cachos do meu cabelo.

Eu acordei na manha seguinte já com um bolo enorme na garganta, eu agradeci aos céus quando levantei minha cabeça de seu peito e o encontrei ainda dormindo, eu levantei da forma mais silenciosa possível e coloquei minha calça e camiseta correndo logo em seguida, teria que ser assim sem despedidas sem palavras que machucam ainda mais, eu cheguei logo em nossa casa pegando algumas mudas de roupa e as colocando de qualquer forma dentro da minha mochila do colégio com os meus passaportes falsos – uma das instruções de Nahuel – então eu já estava correndo de novo dessa vez até Port Angeles pra dar um fim nisso de uma vez por todas.

O bolo na minha garganta aumentava conforme eu deixava Forks pra trás, eu não teria mais vida de agora pra frente miais eles estariam vivos, eu já estava quase chegando no lugar certo quando eu senti o seu cheiro.. o bolo só aumentou quando eu parei perto de uma arvore e o vi aparecer.

– O que você esta fazendo? – ele não estava bravo ele só estava confuso.

– Estou indo…

– Indo? Como assim indo?

– Eu estou – eu tive que usar toda minha força pra me virar e encará-lo, as palavras que machucam teriam que ser ditas afinal – eu estou indo embora Jake. – ele pareceu levar um grande pancada cambaleando um passo pra trás.

– Que idiotice é essa?

– Não é idiotice eu estou indo embora.

– Sem mim? Sozinha? O que raios esta acontecendo?! – dessa vez ele gritou.

– Eu não vou sozinha – disse baixinho, então ele arregalou os olhos parecendo enfim compreender tudo.

– Desde quando exatamente? – ele tentava ser casual.. eu sentia a dor e o ódio debaixo daquelas palavras. Meu coração estava se partindo agora eu podia ouvir cada pedaço sendo esmagado como eu podia ouvir os pedaços do dele também .

– Não tem uma data exatamente – tentei falar aborrecida e parece que consegui, ele atravessou o espaço que nos separava rápido me segurando firme pelo braço quando eu tentava me virar pra correr dali.

– Que merda é essa que você esta dizendo?

– Eu vou embora Jake apenas isso – gritei pra ele também.

– E ontem? – ele continuava com raiva machucando meu braço – E nós.. você? Você não me ama? – ele sussurrou as ultimas palavras.

– Amo – respondi automática vendo ainda mais confusão em seus olhos – mais talvez você tenha razão Jake – comecei a contornar já me arrependendo do que diria – talvez não seja do mesmo jeito que você..

– Ness – ele tentou não me deixando outra solução, eu me refiz por dentro respirando fundo me virando pra ele com uma expressão nula no rosto.

– Talvez eu só estivesse acostumada.

Ele me largou parecendo ter nojo de mim, o bolo na minha garganta me sufocou enquanto ele se afastava, e eu quase desabei quando vi a primeira lagrima descer por seu rosto, o rosto que eu sempre lembraria, eu me virei de forma brusca correndo logo em seguida, e eu corri muito até sentir Nahuel ao meu lado, ele milagrosamente não comentou nada apenas sussurrou um “norte” enquanto eu me obrigava a correr ainda mais rápido.

As lagrimas não vieram de novo, mais o bolo permanecia lá ainda maior tomando conta de mim eu me forcei a não pensar, a não raciocinar, eu só sentia o vento em meu rosto enquanto eu me afastava ainda mais dos cacos que sobram de nós dois, eu não era mais nada agora, eu só era aquele maldito bolo… apenas isso.

Anúncios