6. Plano?

– Você não se lembra? – ele fez uma expressão de ofendido – eu salvei sua vida pensei que lembraria.

– Desculpe mais não me lembro, então diga logo quem é você?

– Não precisa se irritar – ele se aproximava cada vez mais de mim e agora eu podia ver sua aparência de uma forma mais nítida, ele era grande e alto quase como Jake, tinha os cabelos na altura dos ombros muito pretos e exibia uma cor marrom na pele, marrom escuro, ele era bem bonito – alias será bem melhor se você não se irritar.

– Isso foi uma ameaça? – eu era louca “Não é hora de provocar Nessie sua idiota”,

– É um aviso – ele dizia me olhando de cima a baixo, me senti mal com a forma que ele me olhava.

– Quem é você? – insisti dando alguns passos pra trás, ele pareceu não perceber que eu queria me afastar ou fingiu não perceber, pois continuou se aproximando.

– Sou Nahuel já que faz tanta questão, sou o meio vampiro que te salvou a quase 7 anos – “meio vampiro” aquilo me confundiu eu lembrava das coisa toda.. quer dizer não de tudo, eu não tinha a memória perfeita de um vampiro, mais minha mente não era tão relapsa como a de um humano normal, no entanto eu nem sequer lembrava seu nome..

– E o que quer comigo?

– Muitas coisas – ele disse ainda olhando pra mim, na verdade ainda olhando para os meus seios eu os cobri ao cruzar os braços o fazendo me encarar.

– Seja especifico!

– Quero lhe propor um plano.

– Plano?

– Sim um plano, pra que todos da sua família não morram incluindo o cachorro que você cria – eu paralisei no lugar respirando bem fundo.

– Que idiotice é essa?

– Oh mão, não é idiotice é a verdade vim lhe propor um plano de como ir embora comigo evitando que sua família toda morra.

– E se eu não aceitar o plano? Por acaso é só você que vai acabar com toda a minha família e com dois bandos de lobisomens? – o sarcasmo explodiu em mim encobrindo aquele terror inicial, ele estava rindo quando começou a falar.

– Eu sozinho? Não não sou meio humano também, acho que esse trabalho fica com Demetri ou Jane – o terror voltou, Volturi?

– O que você tem a ver com eles? – não pude evitar que minha voz saísse tremula enquanto ele se aproximava ainda mais ficando apenas a dois passos de mim.

– Hum eles me mandaram, sabe sua tia vidente não pode me ver como também não pode ver você, então eles me avaliaram como a melhor forma de te tirar daqui sem suspeitas, sem alvoroço.

– Acho que eles esqueceram do meu pai – cuspi secamente me recuperando.

– Acho que seu pai pode ver se falo a verdade.. – ele deu de ombros – quando ele ver que Aro esta realmente disposto a matar todos vocês e principalmente a matar Bella .. – eu perdi o ar ele tinha razão, seria preciso apenas desconfiar que minha mãe correria perigo que meu pai faria de tudo pra evitar – então eu irei apenas convencê-lo da forma mais fácil que existe.

– O que eles ganham com isso? O que eles ganham comigo lá?

– Primeiro você não vai exatamente pra lá, segundo você ainda não sabe de muitas coisas e terceiro não é só eles que vão ganhar – ele disse a ultima frase com um sorriso cínico no rosto enquanto passava a ponta de seus dedos de leve em minha bochecha – linda – ele murmurou me fazendo dar um grande salto pra trás o fazendo rir – e rápida? Interessante…

– Mesmo que meu pai veja que você não mente o que impede ele de formar um exercito de novo pra enfrentar vocês?

– A certeza de que dessa vez Aro não vai conversar ou nem se quer parar pra ver quem esta junto á vocês ou não, ele saberá que se os Volturi vierem dessa vez eles virão para exterminar – eu engoli em seco. Um grande bolo se formou em minha garganta.

– Não..

– Dez dias – ele me cortou – você tem dez dias pra se livrar daquele cachorro e vir comigo, vou contar a partir do dia em que eu chegar na casa de seus avós.. – eu comecei a rir nervosamente as lagrimas aumentavam ainda mais o maldito bolo.

– O que você pensa.. que é simples assim:? Que é…

– Não me interessa como é – ele me cortou mais uma vez de forma ríspida – você virá comigo daqui a dez dias ou eu mesmo mato o seu cachorro e te levo comigo.

– Quero ver você tentar – não pude evitar um rosnado sair do meu peito.

– Eu avisei que não seria bom ficar irritada – ele rosnou também ao me prender com força contra uma arvore, me deixando sem movimentos, ele era mais forte, todos eram mais fortes, eu era insignificante – eu já disse o que precisava Renesmee, eu não gosto de ficar fazendo joguinhos, tudo é muito simples: você engana sua família e aquele pulguento e vai embora comigo ou eu mato ele sem precisar dos Volturi e te levo daqui.

– Você não conseguiria.. – consegui soltar.

– Não? Como sabe? Esses seis anos com os Volturi me ensinaram muito, além disso, seria um prazer matá-lo já, assim ele não teria mais esses dez dias pra tocar você..

– O que..

– Eu os vi ontem perto da arvore – ele pressionou todo o seu corpo no meu, ele era quente não como Jake, Jake fervia – mal posso esperar – a sua fala era lenta junto ao meu pescoço ele inalava meu cheiro, eu tentei escapar de seu aperto mais pareceu só ficar mais forte – tocar sua pele, humm seus gritos são excitantes sabia?

– Vá pro inferno – sibilei conseguindo me soltar, eu corri o mais rápido que pude conseguindo alcançar uma grande distancia, mais logo eu o senti ao meu lado, eu parei vencida aquilo não adiantaria ele estava raivoso quando agarrou meu braço colando seu peito em minhas costas, o cheiro dele me dava ânsias, tudo nele era apenas repulsivo.

– Eu já disse – ele aproximou sua boca de minha orelha – não é bom ficar irritada – ele apertava forte meu braço me machucando – quer as coisas de forma bem clara? Você é a única fêmea da minha espécie então eu não viria aqui à toa certo? – o aperto estava ainda mais forte, eu agradeci a Deus o fato dos roxos na minha pele não durarem muito – Eu levo você pra eles, você faz o que eles precisam e ai você é minha – sua outra mão subiu devagar por minha perna, eu respirava de forma falha, eu queria vomitar.

– Vá pro inferno – consegui soltar mais uma vez.

– Você o prefere morto então? – sua mão apertava minha coxa de forma indecente.. eu queria matá-lo, mais ele falava de Jake agora toda minha atenção voltou ao que ele sussurrava em minha orelha – Diga que prefere ser minha a ver o cachorro morto.. diga!!

– Eu.. eu..

– Nós vamos matá-lo Renesmee, matá-lo se você não der um jeito nele.

– Eu vou dar – o bolo em minha garganta era quase insuportável agora, eles não matariam Jake isso não pode, simplesmente não – eu vou dar um jeito.

– Bom – ele disse quando deu um beijo em meu pescoço fazendo com que eu me debatesse, ele me jogou no chão com força depois disso, eu bati no chão de folhas da floresta com violência – conversamos mais em outro momento, e só lembrando: você tem dez dias.

Ele me deixou ali no chão, sem palavras, sem ação enquanto se afastava de mim, o choro que eu segurava veio inevitavelmente forte quando percebi que ele não podia mais me ouvir, levantei de forma brusca tirando as folhas de minha roupa eu estava com nojo da minha própria pele.

Mil coisas passavam pela minha cabeça e todas elas acabavam em Jake Jake Jake Jake só Jake, meu choro aumentou, eu não sabia mais onde estava, minha cabeça estava girando eu iria desmaiar?

As lagrimas e os soluços aumentavam, eu me percebi gritando… gritando que fosse mentira, gritando pra que eu acordasse logo… isso só podia ser um pesadelo tinha que ser.

Eu tentava caminhar mais era com grande esforço que colocava um pé a frente do outro. Fechei meus olhos, eu queria esquecer.. esquecer tudo aquilo, esquecer que sai da minha bendita nova casa, esquecer que fiz a idiotice de recusar a companhia de meu pai, eu estava me xingando agora me amaldiçoando por ser tão burra e tão vulnerável o que eu vou fazer… o que eu vou fazer?

Gotas começaram a cair, a chuva começou fraca e fria pra logo aumentar, eu não liguei pra isso, não agora… minha camiseta branca já começava a ficar transparente, minha bermuda de tecido leve ficava pesada de uma forma que seu cós largo deslizava para o inicio do meu quadril, eu tentava raciocinar mais não conseguia não era possível então eu desisti…

Parei no meio de uma clareira qualquer levantando o rosto e meus braços pra sentir a chuva… a chuva… as lembranças que ela me trouxe me acertaram com força.

– Ahh droga chuva!! – eu tentei inutilmente cobrir minha cabeça com as mãos enquanto Jake ria alto de mim.

– Deus você é realmente estranha – eu olhei de forma venenosa pra ele – Amor olhe pra você, fugindo da chuva? Você nasceu em Forks você nasceu na chuva – ele ria mais alto enquanto me abraçava um pouco da minha raiva e desespero por causa do tempo foi embora com a palavra “amor” que ele soltou ecoando por minha cabeça era tudo tão perfeito eu me perguntava se um dia me acostumaria a tudo aquilo? Os beijos que Jake começou a dar em meu pescoço e a minha respiração extremamente falha me respondiam que não eu não me acostumaria.. sorri pra isso.

– Venha – ele disse me puxando pro meio da clareira.

– Ei eu estou tentando fugir da chuva lembra?

– Não estrague o momento Ness eu quero dizer coisas românticas pra você – ele ria muito me fazendo bater nele.

– Nunca mais eu me declaro pra você Jacob!!! – certa raiva era nítida em mim – nunca entendeu?- eu estava chateada nós tínhamos nos casado ontem… CASADO!!! E claro que eu tive que me emocionar e derramar um monte de baboseiras depois de.. de.. uauuu como diz minha tia .. eu tinha me entregado a ele… era errado ser romântica? Que saco, eu vou matar ele se ele continuar a zombar de mim por isso!

– Quieta! – agora ele estava serio e eu me controlei – abra os braços assim – ele pediu levantando os dele, seu peito ainda estava colado em minhas costas o calor dele me impedia de tremer pela água fria da chuva – levante o rosto Ness sinta a chuva!

O que era isso afinal nós não iríamos começar a adorar a natureza iríamos? Com muito tédio eu levantei meu rosto e braços permanecendo colada a Jake, a água escorria por meu rosto e cabeça desfazendo meus cachos.. era uma sensação muito boa ainda mais com ele ali tão perto de mim…

Ele apertou minha cintura de repente me virando pra ele, minha blusa muito fina estava transparente eu podia sentir o olhar de Jake em meus seios.

– Eu preciso te falar uma coisa.

– Fale – disse desatenta enquanto ele colava nossos corpos meus seios enrijeceram com o toque quente de seu peito nu.

– Eu queria falar como foi Ness.. a impressão – ele estava inclinado pra mim, nossas alturas eram tão desiguais.. suspirei ao mesmo tempo que a ficha caia, bati nele de novo dessa vez com mais força me separando..

– Vá pro inferno cachorro!! – ele me olhava confuso enquanto eu me preparava pra correr pra casa.. ele me segurou antes que eu desse meu primeiro salto..

– Inferno? – ele quis saber.

– É pra onde os maridos cachorros e insensíveis vão por tirar sarro de suas mulheres extremamente lindas e maravilhosas – falei sarcástica e ao mesmo tempo mimada dando mais ênfase a esse ultimo ao cruzar meus braços com força em meu peito. Ele se aproximou de mim sorrindo.. então ele me pegou pela cintura e me jogou em seu ombro!!!

– Jacob Black me coloca no chão agora!!! – ele ria alto enquanto corria comigo pela floresta. – Eu sei correr seu idiota!!

– Você é lenta. – ok agora ele me ofendeu.

– Eu não sou lenta!! Como se atreve? Eu sou filha de Edward! Sou tudo menos lenta! – gritei

– Ahh por Deus não fale o nome do seu pai agora

– Edward Edward Edward Edward Edward – começei a gritar como louca.

– Ugh! Estou tendo pensamentos meio impróprios com você aqui sabe me fazer lembrar dele não é muito legal – eu perdi a fala meu rosto foi instantaneamente pro tom de tomate maduro,

Ele parou de correr me colocando no chão perto de um rio.. Quanto tempo tínhamos corrido? Eu não reconhecia aquela paisagem! Ele entendeu minha estranheza com o lugar.

– Estamos a cinco minutos do Canadá – ele informou ainda risonho, eu queria brigar com ele mais tudo que consegui soltar foi um “lindo”, havia muitas pedras grandes, negras e lisas em ambas as margens do rio, mais afastados de suas margens arvores gigantescas cobriam todo o chão, dava pra ver um pequena queda d’agua mais adiante, era realmente lindo. Ele me puxou rodeando uma pedra enorme alcançando seu topo através das outras, ele se sentou me puxando pro meio de suas pernas e assim nós ficamos por um bom tempo sentados ali abraçados olhando o rio enquanto a chuva ainda nos castigava.

– Eu não queria te magoar ontem – disse ele jogando sua respiração contra meu pescoço.

– Tudo bem Jake eu só sou meio ridícula às vezes – minha vontade de brigar tinha desaparecido, eu estava nos braços dele eu não queria sair dali.

– Não você não é ridícula.. eu só estava feliz demais e histérico pra dizer a verdade.. você não tem a mínima noção do quanto mexe comigo não é? – por que ele tinha que perguntar isso de forma tão rouca no meu ouvido enquanto apertava minha coxa? Eu estava hiperventilando agora.

– Eu acho que tive um pouco de noção ontem – murmurei corando.

– Ontem foi maravilhoso – ele riu baixinho me puxando pra ficar de frente pra ele, me sentadando em seu colo – mais não é só isso.

– É o que então? – eu o enlaçava pelo pescoço enquanto ele tirava parte do meu cabelo já escorrido do rosto.. ainda estava chovendo.

– É o que você é pra mim.. – ele disse suavemente – eu não sei dizer palavras bonitas mais eu tenho que te falar tudo que sinto também de alguma forma.

Eu permaneci calada enquanto ele parecia tentar achar as palavras.

– Quando eu vi você a primeira vez foi a coisa mais assustadora, louca e… certa que aconteceu, não havia nada de romântico naquilo, você era apenas um bebe, mais você me mudou… mudou o mundo que eu conhecia..

Eu afundei minha cabeça em seu peito quente, ele não se importou, ele apenas tomou um novo fôlego continuando logo depois..

– Foi surreal entende? Tudo que eu dava valor, tudo que eu dava importância incluindo pessoas, coisas, sentimentos, valores, tudo de repente ficou sem foco, ficou como um borrão, eu não me importava nem mais com quem eu era por que tudo… .tudo se tornou como um pano de fundo, uma coisa que esta lá mais que você não se importa e nem se quer nota se desaparece, tudo se tornou um pano de fundo pra.. você.

Ele beijou suavemente o topo de minha cabeça, eu apertei meus braços em sua volta, arrepios subiam por minha espinha enquanto ele também me apertava.

– Eu vi que você fazia parte de mim naquele momento, então eu a vi crescer com esse pensamento e nunca estive mais certo, e então você é assim.. – ele fez um movimento vago como se me mostrasse a alguém – perfeita demais, eu costumava ter duvidas de quando foi mesmo que me vi apaixonado por você, mais na verdade eu nunca as tive realmente eu sempre soube sempre soube quando exatamente aconteceu… Ness? Você pode adivinhar que dia foi esse?

– Posso – sussurrei – foi no mesmo dia que eu também soube Jake… chuva – ele sorriu – estava chovendo muito, muito mesmo, tia Alice queria que eu cortasse um bolo comemorando os meus 15 anos físicos e eu fugi pra floresta com você.. eu estava em cima de um tronco alto quando a chuva realmente engrossou, você estava do meu lado só que no chão implorando pra eu ir pra baixo de uma arvore por que a chuva estava realmente grossa, eu me irritei e comecei a andar com raiva em cima do tronco batendo o pé então escorreguei, você estava lá me segurando mais quando eu cai em cima de você nós quase nos beijamos, você tentou disfarçar enquanto me colocava no chão, eu entendi na hora mais estava vermelha demais então eu coloquei meu rosto em seu pescoço ao me esticar pra abraçar você te passei uma imagem bem nítida de nos dois nos beijando enquanto eu beijava seu pescoço, você se separou de mim e disse que eu estava pensando besteiras – falei baixo a ultima parte abaixando meu rosto.

– Eu estava pensando em como seria beijar você… antes de você me tocar – ele disse baixinho ao levantar meu rosto para encará-lo – Daquele dia em diante a tela da minha vida não tinha só você de principal.. tinha nós dois. Daquele dia em diante eu tive que assumir a mim mesmo que eu não queria apenas proteger você ou te ver feliz… eu queria ver você feliz comigo. Por causa daquele bendito tronco escorregadio eu percebi que já estava irremediavelmente louco por você e que isso era assustadoramente independente da impressão e ai você faz aquilo – ele riu rouco me fazendo rir também – e trouxe toda a minha atenção para um lado da coisa que não era muito recomendável segundo o seu pai – ele riu mais alto agora – segundo elei pensar em você sexualmente não seria muito saudável pra mim – eu corei loucamente, ele me encarou ainda divertido – foi você que me provocou Ness, eu defino as coisas como.. bem eu amava você eu tinha acabado de descobrir isso mias eu ainda insistia na idéia que você era apenas uma criança e ai você uma semana depois decide me apresentar ao seu corpo!! – me arrepiei com as palavras dele – sua pele macia.. seu cheiro .. suas pernas.. eu definitivamente enlouqueci.

– Jake – sussurrei

– Eu estou acabando amor, – ele me abraçou forte mais uma vez – eu só quero que saiba.. que você nunca duvide, que você nunca pense que estou amarrado a você e apenas isso, se não houvesse a impressão .. se tudo não tivesse sumido pra você aparecer .. eu teria feito .. eu teria as feito sumir .. eu teria feito cada coisa perder o foco pra mim, cada coisa não significar nada como é agora só pra que você estivesse a frente de tudo como é .. como você sempre vai estar.. por que eu não consigo imaginar a mim mesmo sem você… você é uma parte grande demais do que eu sou, vital demais, você sou eu Ness apenas isso.

Lagrimas desciam quentes enquanto eu me estiquei pra beijá-lo, suas mãos voaram pra minha cintura me puxando mais pra ele, sua língua invadiu minha boca calma e intensamente..eu queria a força, queria que ele me devorasse então levei minhas mãos para o seu pescoço e agarrei a sua nuca arranhando-a ele gemeu auto antes de devolver o beijo com força total me fazendo amolecer em seu colo.

– Woow – ele disse quando me deixou quase sem ar me fazendo deixar seus lábios – vamos com calma Ness, temos que ir pra casa.

– Eu não quero calma – consegui murmurar enquanto ele nos levantava.

– Ness – chamou ele numa mistura de divertimento e aviso.

A chuva persistia forte em cima de nós e eu me perguntei se estava chovendo ainda em Forks? Nós estávamos descendo pela encosta da grande pedra quando eu me desequilibrei na ultima pedra caindo em cima de Jake, que me segurou forte colando nossos corpos me fazendo ficar a centímetros de seus lábios.

– Acho que isso é um sinal – falei seria antes de atacá-lo, ele não começou calmo dessa vez eu já estava pegando fogo desde o inicio, ele me colocou de uma vez no chão me empurrando contra a parede que a grande pedra formava, eu podia sentir cada parte do corpo de Jake colado no meu enquanto nossas línguas se movimentavam ferozmente, ele passeava com suas mãos por todo meu corpo me fazendo gemer e suspirar longamente.

Eu mesma desabotoei minha blusa deixando meu colo livre, sua boca quente desceu até ele lambendo-o me fazendo segura-lo firme pelos ombros, Jake tirou meu sutiã rapidamente não se importando em ainda me deixar com a blusa aberta, ele se inclinou mais pra mim se apoderando de um de meus seios sugando-o forte eu arquei meu corpo pra frente sentindo a excitação dele contra meu ventre enquanto jogava minha cabeça para trás gemendo alto.

– Você tem que aprender – ele disse raivoso contra a pele do meu pescoço – Você tem que entender o quanto mexe comigo garota, o quanto isso é injusto e covarde de sua parte mais eu vou mostrar a você – ele acrescentou já lambendo minha orelha suas mão desabotoavam minha calça jeans. Ele desceu com elas por minhas pernas quase as rasgando quando as passou com pressa por meus pés.

Eu estava semi-nua agora, ele se colou de novo a mim fazendo questão de colar ainda mias seu quadril me fazendo sentir o seu estado, eu arfava loucamente quando o puxei para me beijar. Eu comecei a desabotoar sua calça também, ele já descia com minha calcinha calmamente por minhas coxas tirando-a logo em seguida. Soltei quase um grito quando ele pos um de seus dedos em mim.

– Você já esta tão…

– Excitada… – terminei a frase de uma forma muito rouca em seu ouvido – Você também mexe demais comigo garoto – então eu mordi sua orelha enquanto movimentava meu quadril contra sua mão gemendo muito com o gesto, ele me parou de repente tirando o dedo de mim, ele levantou uma de minhas pernas me fazendo sentir que ele já estava totalmente nu eu prendi o ar quando ele me levantou contra a pedra se encaixando lentamente em mim, eu enlacei minhas pernas em sua cintura buscando sua boca a encontrado logo para mais um beijo desesperado. Ele estava parado dentro de mim o que me fez movimentar meu quadril, senti suas mãos segurando minhas coxas com força quando ele parou meus movimentos.

– Deus! – a sua voz era menos que um sussurro – Não se mova, por favor.

– Jake! – chamei ondulando meu corpo, ele jogou a cabeça pra trás respirando fundo e alto antes de me encarar, eu vi tanto desejo em seus olhos misturados com algo como raiva que me fez corar instantaneamente.

– Eu estou tentando ser gentil aqui – ele rosnou com a raiva que eu tinha visto.

– Eu não quero sua gentileza – rebati com raiva também, ondulando meu corpo mais uma vez o fazendo fechar os olhos.

– Foi o que eu pensei – então ele segurou minhas coxas com mais força investindo forte em mim de forma brusca e rápida.. eu gritei…

– Não precisa me fazer gritar – falei ainda com raiva mordendo seu ombro para que outro grito não escapasse.

– Eu vou te fazer gritar – ele sibilou indo mais forte mias fundo enquanto maltratava meu pescoço.

– Jake – gritei vencida.

– Ness – ele chamou próximo ao meu ouvido de novo – tão apertada… Deus – ele gemeu – tão.. quente. – eu estremeci ainda mais com suas palavras, ele me pressionou ainda mais na parede eu arranhava suas costas com violência, ele arrasou minha boca com mais um beijo quando a velocidade aumentou ainda mais, meus gritos foram abafados por sua boca e eu tive certeza que se ele não estivesse me segurando daquela forma tão forte eu teria caído.

– Jake! – eu gritei quando ele abandonou minha boca pra descer com a sua pro meu pescoço chegando aos meus seios, a força com a qual ele os sugava aumentava junto com as estocadas cada vez mais fundas, eu o puxava, precisava beijá-lo, aquela sensação tão nova e forte se aproximava eu podia sentir eu me apertei mais a ele o ouvindo gemer.

– Vamos Ness grite pra mim – ele provocou indo com mais força, Deus! Ele me mataria, eu já não tinha mais ar nos pulmões.

– Eu não gosto de gritar – falei cerrando os dentes pra que um grito não escapasse. A sensação estava maior eu já começava a tremer em seus braços.

– Mais eu gosto de te fazer gritar Ness…

– Jake!! – eu gritei finalmente não o deixando terminar a provocação, meu corpo tremia muito enquanto ele continuava com o ritmo forte – Vamos lá Jake – consegui dizer apesar da voz muito falha e tremula – Grite também – eu ondulei meu corpo o vendo tremer em resposta, ele olhou de uma forma incrédula pra mim enquanto eu me ondulava mais rebolando, eu arranhava sua nuca e sugava sua orelha ao mesmo tempo.

– Ness!! – ele rosnou de uma forma quase assustadora ao apertar com violência minhas coxas me fazendo gemer alto ao jogar minha cabeça pra trás, estávamos os dois arfando e tremendo, a chuva continuava fazendo o choque térmico com nossos corpos nos dar mais prazer, ele saiu lentamente de mim nos fazendo gemer mais uma vez, ele me desceu e quando eu apoiei meus pés nos chão eu o segurei.. minhas pernas estavam moles demais o que o fez rir levemente.

– O que vamos fazer com a gente? Se continuarmos nesse ritmo desconfio que viveremos assim sem roupas – ele falava risonho enquanto me apertava pela cintura distribuindo beijos por meu pescoço.

– Eu não reclamaria – falei rindo um pouco também, ele se afastou de mim abruptaente me fazendo soltar um resmungo, ele já tinha subido suas próprias calças e agora pegava as minhas do chão as estendendo pra mim.

– Vamos Ness precisamos voltar..

– Você terá que me carregar de novo – falei corando um pouco – não tenho a mínima força pra correr – ele me lançou o seu melhor sorriso carregado de presunção, eu estirei minha língua o fazendo rir.

– Eu amo você – ele me disse enquanto me puxava, me colocando em suas costas, eu o segurei firmemente – Nunca duvide disso.

– Eu sei Jake… eu sei – falei baixinho – Você também sou eu .. apenas isso – dei um leve beijo em seu pescoço..e então ele começou a correr.

A chuva ainda batia forte no meu rosto levantado, as lagrimas desciam livremente.. agora eu queria chorar.

– Você sou eu… apenas isso – sussurrei soluçando quando tudo de repente ficou escuro e eu senti o chão de folhas da floresta contra meu rosto.

Minha mente foi levada para o nada, um vazio de tudo.. eu me desesperei nesse vazio, eu queria Jake, senti uma língua áspera lamber meu rosto, uma espécie de choro bem baixinho se seguia.. eu lentamente tentei abrir meus olhos eu sabia que era ele, e lá estava junto a mim um gigantesco lobo marrom-avermelhado, quando ele viu que eu acordei de certa forma ele sorriu e então se afastou e eu pude vê-lo voltar a forma humana .. ele logo desamarrou uma calça preta de moletom da perna e a vestiu.

Quando se aproximou de mim me pegando em seus braços quentes, eu pude ver lagrimas grossas descendo junto com a água da chuva por seu rosto.. Jake estava chorando? Eu queria lançar meus braços em volta de seu pescoço mais eu parecia não ter força, senti outro toque quente segurar meu braços que estavam dependurados molemente e colocá-los juntos em meu colo, Jake me apertou mais enquanto passava um cobertor por minhas costas eu sentia tanto alivio eu estava em seus braços de novo mais nada importaria, vi pelo canto dos olhos Seth lhe apertar um dos ombros.. foi ai que percebi Jake ainda tremia muito ele parecia prestes a explodir em lobo.

– Jake tenha calma… ela já esta conosco, fique calmo. – Jake balançou a cabeça negando devagar pra logo gritar tão alto e de uma forma tão estranha.. com aquela voz .. de alpha? Eu me assustei.

– Não diga nada Seth! Entendeu? Não diga nada a mim agora! Eu não vou me acalmar! Pro inferno com a calma! Olhe pra ela!! – Seth abaixou a cabeça – Se você ou algum de vocês – ele olhava para as arvores agora, as lagrimas ainda estavam lá no rosto que eu tanto amava – me falar pra ter calma de novo eu juro que eu mato – ele rosnou muito alto as últimas palavras, eu devo ter resmungado algo, pois logo senti seu hálito muito próximo ao meu rosto, sua voz era calma e carinhosa pra mim – Shhh amor não tenha medo eu estou aqui .. eu estou aqui e vou correr com você esta bem .. eu vou te levar pra casa fique calma ..

Senti um beijo calmo e lento no topo de minha cabeça e alguns movimentos bruscos também, ele estava correndo, fui levada pra inconsciência novamente eu não tinha forças nem ao menos pra chamá-lo, eu apaguei..

Quando dei por mim eu estava deitada, era a minha nova cama.. minha e de jake .. estava escuro mais eu o senti em minha volta minha cabeça estava apoiada em seu peito quente ele me apartou ainda mais depois que me mexi, eu tremia loucamente mais não era frio eu estava com varias cobertas e ainda estava agarrada a Jake de uma forma até indecente… eu tremia de medo.

As lagrimas não demoraram a aparecer quando me dei conta de onde estava, Jake me abraçou mais forte..

– Shhh .. eu estou aqui .. eu estou aqui amor.

Eu me agarrava fortemente a ele, eu queria me fundir a ele pra que nada.. nada realmente pudesse acontecer.

– Hey – ele pegou meu rosto em suas mãos – o que houve? Como você acabou daquele jeito amor? O que aconteceu? Você ficou me passando imagens enquanto dormia Ness, sempre a mesma, o que significa?

Eu congelei

“Droga de dom idiota”, eu quase gritei com o aumento do choro o que eu tinha mostrado a ele? E se ele viu alguma coisa ele já estaria correndo perigo.. eu ..eu.

Respirei fundo tocando suas mãos ainda no meu rosto perguntando pra ele o que eu tinha passado..

– Chuva – respondeu – Aquele dia na pedra..eu não entendo por que?

– Eu só lembrei dele – consegui falar depois do alivio – só isso.

– Ness, por favor? Seu pai veio aqui – o frio na espinha voltou – ele disse que você havia apenas se perdido – alivio de novo, alivio e.. e Deus como meu pai? Nahuel realmente “convenceu” meu pai? Ele não estava mentindo então, o pânico me acertou com força total de novo eu enterrei meu rosto no peito de Jacob de certa forma o assustando – Ness você não se perdeu não é? Isso não aconteceu da forma que seu pai me disse.. diga o que aconteceu?

– Não… meu pai disse certo – eu falei abafado pelos soluços.

– Não, não falou Ness, por Deus!!

– Eu não sei o que você acha que aconteceu Jake, mais eu só me perdi apenas isso.

-Merda!! – ele gritou – o que você quer me diz? Me enlouquecer? Me pirar? Eu tive que te procurar por três horas naquela maldita floresta! Eu tive que te procurar pedindo a Deus pra que você estivesse bem e a encontro daquela forma… e você diz que só se perdeu!! Vá pro inferno merda! – o criado-mudo do seu lado da cama foi chutado contra a parede, Jake estava de pé gritando e tremendo nervoso.. ele chorava isso me machucou muito mais que suas palavras – O que aconteceu com você me diz por favor – ele estava do meu lado na cama de novo acariciando meu rosto, meus cabelos – me diga amor por favor, me diga.

– Não tem nada pra ser dito Jake –

Eu ignorei o tom de suplica dele eu tinha que ignorar. Tentei me levantar mais ele não deixou.

– Ness, por favor – as lagrimas ainda estavam no rosto dele eu não consegui olhar por muito tempo eu me afastei, mesmo com a reclamação imediata do meu corpo por ficar longe de Jake, eu coloquei meus pés pra fora da cama mais quando tentei levantar de fato minhas pernas cederam.

Ele já estava me segurando, forte… quente… me pegando em seu colo, me levando até o banheiro, ele me sentou na tampa fechada do sanitário, tão cuidadoso, como se eu fosse uma criança nós não falamos nada enquanto ele tirava minha roupa ainda úmida, ele jogou cada peça no chão não se preocupando por onde caia, me levantou me pegando no colo mais uma vez, ele já tinha ligado o chuveiro numa água bem quente então ele apenas me sentou no chão do box enquanto eu murmurei um “obrigada”

– Tudo bem.

– Me deixe sozinha Jake.. o banho eu vou melhorar com o banho – eu disse baixinho, seus olhos se fixaram em mim de uma forma sentida, então ele saiu.

Não demorou muito pra que eu voltasse a chorar, era mais que desespero agora: era dor. Ele tinha convencido meu pai.. minha única esperança se foi. Tudo estava tão confuso eu não teria mais o que fazer então? Só aceitar.. só enganar a todos e ir embora… isso me fazia chorar ainda mais, eu o machucaria? A ele e a minha família.. meu pai..

Eu não sei quanto tempo eu fiquei ali apenas chorando, eu o ouvia claramente enquanto isso, ouvia a respiração funda e pesada eu já estava o fazendo sofrer, uma urgência enorme de estar com ele, de estar em seus braços, de sentir seu gosto tomou conta de mim o medo que agora eu tinha o medo de perdê-lo, a quase certeza de isso iria acontecer me fez ficar apressada ao colocar a camisola amarela que ele havia deixado ali, sai rápido do banheiro me jogando em seu colo logo que cheguei em nosso quarto.

– Eu te amo – soltei em seu ouvido ao me apertar cada vez mais.

– Então me conte o que houve?

– Jake, por favor.. – eu me estiquei em seus braços alcançando sua boca, foi tão desesperado, ele também estava ansioso e urgente, o que me fez perguntar o quanto ele tinha se atormentado hoje comigo perdida na floresta. Lembrei do estado dele quando me encontrou: o nervosismo, as lagrimas, a raiva. Isso só me deu mais vontade.. mais vontade dele…

Eu abri meus lábios devagar o deixando me invadir com sua língua de forma rápida e descuidada, ele alisava minhas costas me segurando de uma forma.. parecia ter medo que eu escapasse, eu também tinha medo.. foi esse medo que me deu força pra movimentar minhas mãos, eu as deslizei de seu pescoço lentamente por seu peito … seu abdômen.. até chegar em sua bermuda…

– O que você acha que esta fazendo? – havia raiva nele e nas mãos que apertaram as minhas me impedindo.

– Jake – tentei.

– Eu não vou fazer isso.. meus Deus não agora .. olhe pra mim .. fale comigo!! – ele gritou, e adivinhem? Lagrimas malditas lagrimas começaram a deslizar por meu rosto. – O que fizeram a você Ness? – a voz dele estava controlada agora, era quase um sussurro junto ao meu rosto – me diga, por favor..

– Jake – chamei desvencilhando uma de minhas mãos de seu aperto, eu a desci de novo chegando ao cós da bermuda que ele usava, ele me impediu mais uma vez só que dessa vez muito serio.

– Renesmee pare!

– Por favor – pedi com as lagrimas aumentando – por favor – eu estava suplicando? Eu não me importava eu só tinha aquela maldita voz na minha cabeça me dizendo “dez dias” eu precisava dele.. precisava!! – Não me rejeite Jake, por favor – as lagrimas aumentaram mais – não me rejeite…

– Ness

– Eu preciso de você – consegui falar limpando mais minha garganta, eu passei meus braços em seu pescoço o puxando – preciso de você, por favor – ele fechou os olhos pousando com suas mãos levemente na minha cintura – Jake eu preciso de você dentro de mim.. agora.

Ele abriu os olhos instantaneamente as minhas ultimas palavras eu vi desejo queimar neles, fui segurada com força pela cintura quando ele me levantou de seu colo para me ajeitar me fazendo sentar de novo só que com cada uma de minhas pernas de cada lado de seu quadril. Ele me agarrou fortemente descendo com sua língua por todo meu pescoço me fazendo arquear, suas mãos subiram para minha camisola rasgando-a deixando meus seios à mostra, não demorou muito pra que sua língua chegasse até eles me fazendo gemer alto.

Minhas mãos foram impacientes ao também rasgar sua bermuda o fazendo rir de leve, ele atacou minha boca no momento em que comecei a me movimentar em seu colo, ele me apertava ainda mais enquanto nossos quadris se mexiam juntos. Suas mãos apertavam com violência minhas coxas.. eu queria mais eu precisava..

Bem devagar.. deslizei uma de minhas mãos de seu pescoço por todo seu peito e abdômen quando cheguei em sua cueca ele me encarou me deixando nervosa mais eu não parei ,, escorreguei minha mão pra dentro dela o encontrando totalmente excitado, ele grunhiu pra mim quando eu comecei a estimulá-lo.

Ele rasgou minha calcinha ao apoiar seu rosto em meu ombro gemendo muito, isso me excitou seus dedos já me estimulavam também, nos encontramos em mais um beijo enquanto intensificávamos cada um o movimento no outro, eu tinha um sentimento de urgência tão grande.. era constrangedor .. desci com minha boca mordendo sem cuidado todo seu pescoço ele respirava fundo lambendo meu colo eu estava no céu.

Um sentimento extremamente patético como eu, se apoderou de mim..

– Jake – minha voz estava muito rouca e ele gemeu só por ouvi-la – você.. você também quer não é?

– Hum? – ele estava realmente confuso, nós estávamos ofegantes agora, suando como loucos e tremendo muito, ambos estávamos muito perto de chegar ao limite eu sentia meu ventre se apertar cada vez mais.

– Você também me quer não quer? Diga que quer, por favor, diga que não esta fazendo só porque eu implorei – quão ridícula alguém pode ser? Eu havia pedido a ele e agora eu queria que ele também me quisesse? Isso era irracional eu estava omitindo coisas dele, eu estava enganando.

– Ness por Deus é o que eu mais quero.. em cada maldito minuto, estar dentro de você oh céus – eu aumentava o ritmo das minhas mãos em seu membro o fazendo suspirar pesadamente – estar dentro de você é a coisa mais deliciosa, incrível e perto de perfeito que pode existir.. eu..

Não permiti que ele terminasse com um movimento displicente eu me levantei de seu colo me abaixando logo depois enquanto me encaixava nele… devagar, ele agarrou minhas coxas com força enquanto lambia minha orelha.

– Deliciosa – ele sussurrou voltando com sua mão para meu sexo me fazendo gritar – humm incrível – ele chupava o lóbulo de minha orelha, as investidas que eu dava em seu colo se tornaram selvagens com a ajuda de suas mãos em minhas coxas – perfeito – ele disse por fim subindo uma de sua mãos para afastar os cachos que caiam descuidados por meu rosto, ele agora me acariciava enquanto continuávamos naquele ritmo intenso, sempre seria assim com Jake… amor e sexo juntos, sempre seria assim .. nesse sempre que duraria apensa 10 dias de agora pra frente .. lagrimas rolaram do meus olhos quando pro meu alivio ele me fez esquecê-las me levando pra um orgasmo forte .. eu cravei minhas unhas em seus ombros enquanto ele continuava a investir em mim..

Eu tremia muito em seu colo a sensação de prazer ainda era muito grande quando ele num movimento rápido nos fez deitar ficando por cima de mim, sua mão ergueu uma de minhas pernas até a altura de seu quadril o dando mais espaço, meu corpo ficou alerta de novo as estocadas cada vez mais fundas e rápidas me enlouqueciam ..

– Ness.. ohh vamos – ele dizia no meu ouvido gemendo muito, me lambendo ao mesmo tempo, me excitando ainda mais – goze de novo vamos … oh Deus .. vamos Ness goze pra mim – apenas as palavras dele já me fizeram gritar, eu me contorcia loucamente enquanto ele saia quase todo de mim pra entrar de novo de forma tão rápida e forte que eu tenho certeza que só ele poderia fazer, um humano normal não faria, não daquele jeito..

– Jake – eu gritei uma vez arranhando suas costas sem o menor cuidado, onde estavam minhas preocupações? Meus medos? Agora eu não sabia, eu só queria mais dele em mim apenas isso ..

– Vamos Ness goze pra mim – se isso era possível eu não sei mais ele colocou ainda mais força mais vontade em seus movimentos eu já me renderia.. seria logo – vamos por Deus eu já não agüento.

– Então goze – eu pedi, minha voz tremula e falha demais – vamos Jake goze… em mim!

Não demorou pra que eu ouvisse o seu rosnado, enquanto apertava com selvageria minhas coxas numa ultima estocada forte e funda que me fez arquear bruscamente levantando minhas costas da cama enquanto gritava muito.

Ele deixou seu corpo cair cansado em cima de mim, nós ficamos por um tempo assim: quietos, apenas esperando nossas respirações voltarem ao normal, ele se movimentou primeiro saindo vagarosamente de mim me fazendo arranhar suas costas enquanto gemia baixinho, seu corpo ainda ficou parcialmente em cima do meu quando ele me segurou bem forte pela cintura, parecia que de novo ele tinha medo que eu escapasse então eu levantei meus braços o envolvendo pelo pescoço deixando sua boca muito próxima do meu ouvido.

– Eu vou esperar – ele falou muito rouco me causando arrepios enquanto roçava seus lábios em minha orelha e pescoço – até você querer me contar amor… eu vou esperar.

Eu não me permiti chorar, não assim nos braços dele eu apenas virei meu rosto encontrando os lábios dele, ele me beijou calmo e doce.. me apertando ainda mais em sua volta, ele puxou as cobertas jogando-as em cima de nós, “Eu te amo” ele sussurrou em meu ouvido antes que meus olhos se fechassem pela última vez.

Eu acordei lentamente estranhando o fato de não o sentir em minha volta.

– Jake – eu pulei na cama ao me sentar de forma rápida.

– Eu estou aqui – ele já estava do meu lado se sentando para me abraçar forte. Eu me apertei a ele sentindo o alivio e a paz que esse gesto me trazia. Ele roçou seus lábios em meu pescoço me dando leves beijos… era perfeito. – Precisamos ir até a casa de seus avós, sua mãe já ligou umas trinta vezes ela esta furiosa porque seu pai não a deixou te levar daqui.

Eu não queria .. não queria ver minha família não queria ver a dor que estaria nos olhos de meu pai agora, mais eu me obriguei a murmurar um “ok” enquanto colocava um calça e blusa qualquer. Era noite ainda, de madrugada como Jake me informou antes de sairmos de casa, nós corremos de mãos dadas até chegarmos à mansão, eu soltei sua mão entrando rápido por uma das grandes janelas da sala.

– Renesmee – minha mãe gritou aliviada enquanto eu paralisava dois passos depois com a imagem alta e morena próxima a ela, Nahuel parecia muito a vontade rodeado por minha mãe, tia Rode e tia Alice, vi meu pai no canto mais distante da sala olhando de uma forma dolorosa e assassina para o meio vampiro.

Tudo aconteceu rápido demais, em um segundo Jake estava do meu lado percebendo o terror na forma em que eu olhava de Nahuel para ele… quase em pânico, em como inconscientemente eu dei um passo pra trás parecendo encurralada, para no segundo seguinte atravessar a sala de forma rápida, ele já estava gritando e socando Nahuel quando eu voltei a raciocinar.

– Foi você!!! Que fez aquilo com ela!!! Seu miserável você vai se arrepender entendeu!!

– Jake!! – consegui gritar um instante antes de vê-lo explodir em lobo e pular contra a garganta de Nahuel.

Anúncios