Genteeeeeeeeee…. Mil perdões, mas é que agora que todos estão de férias eu estou trabalhando e meu tempo está super apertado…. mas finalente aqui está o cap 4…. boa leitura a todos   bjs galera! 

4. Preparação

– Jake – gemi ao ser empurrada contra mais uma arvore, ele beijava e lambia meu pescoço enquanto enroscava uma de minhas pernas nas suas, aproveitando pra alisar minha coxa me fazendo ofegar – Jake já estamos perto de casa pare por fav…

Ele invadiu minha boca com sua língua quente e urgente, eu estava perdendo o ar, eu podia sentir sua ereção contra meu sexo enquanto ele fazia com que nossos quadris se chocassem.

– Jake – tentei mais uma vez, se não parássemos agora, isso não acabaria tão cedo… ele começou a repuxar o elástico de minha calcinha. Deus! Isso era muito injusto.. – podem nos ver aqui!

– Dani-se – ele sibilou em minha orelha deslizando sua mão para dentro de minha calcinha me fazendo gemer alto.

– Jake! – minha voz sairia mais irritada se os dedos dele não tivessem começado a me estimular no mesmo instante.

– Você me deixa louco sabia? – ele intensificou os movimentos de seus dedos em mim, eu estava mordendo e beijando seu pescoço agora – só a sua voz já me excita isso não é normal..

– Nós não somos normais – rosnei – e por Deus Jake! É serio.. pare..

– Você não quer que eu pare – os movimentos se intensificaram ainda mais – não de verdade..

– Jake nós acabamos de transar.. eu .. eu.. – não pude terminar eu estava gritando no momento, um prazer já familiar passava forte por mim enquanto ele lambia meus seios me fazendo perder a força nas pernas.. ele me segurou pela cintura tirando seus dedos de mim me olhando divertido.. – eu te odeio!

– O grito que você deu agora me diz outra coisa – ele estava rindo.. eu fiquei irritada

– Eu ainda te odeio e não se engane você é só um corpo pra mim, apenas sexo… – ele ria alto agora dando beijos pelas minhas bochechas.

– Eu te deixo ir agora..

– Idiota – sibilei

– Isso é hilário! E você é estranha Ness, eu não entendo o porquê da irritação mais você fica ainda mais linda irritada..

– Eu não sou estranha – me afastei dele, os beijos que ele dava por meu pescoço eram perigosos.. – e eu me irrito porque é sempre você em mim Jake.. agora a pouco eu tentei o contrario e você não me deixou humpf – eu parecia uma criança mimada, realmente a situação era hilária.

– Ahh é esse o problema? – ele me perguntou me enlaçando pela cintura me colando a ele, a frente do meu vestido permanecia totalmente rasgada fazendo o contato de nossas peles gerarem inúmeros arrepios em mim e nele – menina boba – os lábios dele estavam grudados em minha orelha – se você soubesse o quão prazeroso é pra mim te dar prazer você não reclamaria..

– Ei eu não estou reclamando – me permiti sorrir antes de jogar meus braços em seu pescoço o puxando pra mim – muito longe disso.. alias muito longe mesmo – agora nos dois riamos – só queria comandar o jogo as vezes..

– Hum talvez eu deixe isso acontecer, se você for boazinha e for pra casa antes que eu te agarre de novo – rolei meus olhos pra ele.

– Jacob você esta tão pornográfico! – acusei com uma cara de tédio.

– Eu? – ele parecia realmente surpreso eu já estava começando a rir.

– É você, onde esta o romance que você me prometeu seu tarado? – eu estava gargalhando agora a cara de ofendido que ele fazia era ótima.

– Espere ai, se eu não estou louco foi você que me atacou semana passada quando eu queria fazer apenas um pic nick, isso era romântico sabe? – ele sussurrava em meu ouvido me provocando.

– Certo isso foi só uma vez… – fiz a cara mais inocente que pude.

– Uma vez?!?! Tenho que citar o banheiro da minha casa? Eu quase morri, eu estava tomando um inocente banho e você me atacou!!! – eu bati em seu braço

– Exagerado, mais certo, duas vezes… – meu rosto estava um pouco vermelho agora ..

– Cozinha da sua casa.. – ele lembrou malicioso passando suas mãos por minhas costas as descendo até apertar minha bunda.

– Três vezes.. – suspirei

– Sofá dos seus pais semana passada… seu quarto ontem a noite.. agora a pouco naquela arvore..

– Ta ok eu já entendi.. – já estávamos rindo de novo – somos um casal pornográfico… mais a culpa é sua!!

– Por quê? – ele estava confuso agora.

– Você é bom demais.. – admiti mordendo seu pescoço – isso devia ser proibido..

– Vou anotar isso – ele ria alto – e usar contra você mais tarde

– Te odeio!! – emburrei largando-o

– Te odeio mais… – ele me puxou pra ele com um sorriso enorme antes de me beijar, daquele jeito que eu nunca me acostumaria, tenho certeza. Demoramos mais alguns minutos ali, investindo forte um na boca do outro até ele parar com o beijo me olhando com um ar de vitoria e presunção – estou indo… mais não sinta tanta minha falta ok – eu bati em seu braço com uma falsa raiva mais uma vez antes de vê-lo correndo para o meio da floresta.

Eu ainda estava encostada na bendita arvore tentando me recuperar do ultimo beijo quando ouvi um barulho, próximo demais…

– Droga! – sussurrei.

– Ele tem sempre que rasgar seus vestidos? – a raiva e a irritação eram palpáveis naquela voz, meu rosto pra variar queimou..

– Err.. foi um acidente.. e…

– Um acidente que acontece sempre? Interessante… como ..como você consegue? – o nojo era nítido e isso me ofendeu..

– Pare com isso!! – gritei – Já chega dessa birra idiota com o Jacob tia!!

– Talvez não chegue Nessie não enquanto você estiver fazendo isso!! – Rose olhava pra mim de uma forma furiosa e ao mesmo tempo decepcionada, eu não queria entender..

– Tia.. – gemi

– E eu não estou me referindo ao sexo se é o que acha.. estou me referindo a mentira Renesmee, como você pode?! – eu congelei, ela.. ela não poderia saber.. como?

– Do que esta falando tia? – tentei me passar por desentendida.

– Da mentira Nessie, da mentira que seu pai finge não saber.. da mentira que você insiste em continuar ..

– Eu.. eu..

– Você realmente tem a ilusão que Edward não sabe? Eu não sei por que mais ele esta fingindo não saber e isso eu não entendo.. – tinha ainda mais raiva nessas palavras

– Talvez ele entenda a mim – desafiei

– Ou talvez ele esteja decepcionado demais com a sua insistência nisso! – lagrimas instantaneamente correram em minhas bochechas por essas palavras.

– Por quê? Eu odeio aquele cachorro idiota mais todos sabem que iria acabar nisso Nessie.. a gente não finge que não liga dele dormir com você a toa …

– Eu sei.. – admite, ela tinha razão, Jacob tinha razão, nós dormíamos juntos todas as noites, não que fizéssemos algo já que todos podiam ouvir facilmente, mais mesmo assim só dormindo continuava óbvio não?

– Então por que casar assim? Por que mentir? – Mais mesmo com essa obviedade toda, saber que éramos casados era demais.. como.. ela..

– Eu não sei.. – sussurrei

– Será que não vê que esta magoando Edward que ira ferir a sua mãe? – mais palavras me machucando, quem era ela afinal? E o que fez com minha tia Rose?

– Eu só.. – tentei

– Você só está acabando com a confiança Renesmee, até o cachorro vai se cansar será que não vê?

– Ele já se cansou – admite deixando o choro me dominar..

– Então por que você insiste? – ela ainda estava com raiva. Que droga era essa afinal? Desde quando ela realmente se importava comigo e com Jake?

– E por que você se importa? Não é como se ver eu e Jake separado fosse doer em você tia! – gritei com raiva e tristeza, ela pareceu engolir em seco minhas palavras então ela se aproximou de mim se abaixando, eu já estava agachada como uma bola encostada na arvore chorando como uma idiota.

– Eu posso odiar aquele cachorro Nessie, mais eu sei que você o ama e não é o amor normal e recomendável certo? Não .. não, você tinha que puxar algo mais, alem do gênio esquisito do seu pai, você tinha que amar desse jeito doentio como ele ama. É por isso que estou aqui, é por isso que segui vocês a semanas atrás e acabei descobrindo o segredo que vocês tanto tentam bloquear de Edward, eu sei que isso não vai acabar bem.. não se você não terminar com essa mentira antes..

– Eu tenho medo tia.. – gaguejei – medo que algo ruim aconteça com a gente eu sei que vai acontecer.

– Eu também tenho – ela dizia baixinho agora – e eu também sei.. é por isso que vocês precisam contar.. quando essa coisa ruim acontecer Nessie é bom que você tenha Edward e Bella do seu lado, como eles tiveram a gente quando as coisas ruins aconteceram pra eles.. Só pense nisso..

Com essas palavras ela se afastou, indo em direção a nossa casa, eu não demorei a me recompor, me levantando e a seguindo.

Quando cheguei no meu quarto, corri para o banheiro eu queria um banho queria pensar, as verdades que tia Rose me disse ecoavam na minha cabeça e eu agradeci a Deus por meu pai não estar na mansão, aquilo foi tão inédito, eu estava tão acostumada a nunca levar broncas ou ser repreendida por Rose ela sempre me mimou e ela nunca ..nunca havia sido tão dura comigo antes .. mais eu a entendia ela me amava tanto que precisava abrir meus olhos me fazer enxergar a idiotice que eu estava fazendo por mais que isso doesse em mim.. eu mereci.

Logo que sai do banheiro com um pijama folgado de calça e blusa, só me permiti sentar em minha janela e olhar pra floresta eu não queria tomar decisões agora mais eu sabia que elas teriam que acontecer. Um medo e uma angustia me invadiram de novo.. aquela idéia absurda que não era bom contar me acertou, eu era patética mais.. eu não conseguia controlar eu só sentia.. sentia que o ato de contar era como abrir uma porta pra que as coisas ruins acontecessem .. o medo e angustia aumentaram então não foi com muita surpresa que vi meu tio Jasper na porta do meu quarto.

– Hey Nessie – com ele não adiantaria fingir então só levantei minha cabeça o fitando brevemente

– Hey tio… – ele estava do meu lado agora, surpreendentemente passando seus braços por meus ombros, tio Jasper sempre foi adepto da distancia.

– O que foi querida? Sinto medo em você..- como eu disse não se podia fingir pra tio Jasper, eu não respondi apenas deitei minha cabeça em seu ombro deixando que algumas lagrimas caíssem – um pouco de paz que tal?

– Eu preciso disso – falei num sussurro – e calma também obrigada – não demorou muito pra que eu me sentisse tomada por uma calma e paz, ele me apertou mais um pouco em seus braços, beijando minha testa e saindo logo em seguida, me obriguei a descer para pegar algo para comer depois disso, afinal com essa ajudinha do meu tio eu não estaria tão horrível quando passasse por eles lá embaixo, e foi o que eu fiz desci as escadas em poucos segundos, me encaminhei pra cozinha pegando um lanche qualquer que já estava pronto na geladeira, o cuidado que minha avó Esme tinha comigo era às vezes até sufocante, retornei rapidamente ao meu quarto os efeitos do abraço do meu tio estavam passando e meu estado de duvida e medo voltava com força total me fazendo desistir do lanche pra me atirar em minha cama, esperando que o restante de minha família se recolhesse para seus quartos.

Não demorou muito para que eu os escutasse subindo as escadas indo cada um para seus quartos… não que eles fossem dormir mais mesmo assim eles sempre se recolhiam numa determinada hora.

Não demorou muito também e eu podia ouvir Jake como lobo lá fora.. em pouco tempo ele já estava pulando minha janela em sua forma humana, eu suspirei alto e aliviada quando o vi.. essa noite eu precisava adormecer nos baços dele, precisava que meu medo fosse embora, Eu estava de lado com meu rosto virado pra parede de vidro perto da minha cama, e como sempre senti Jake entrar em baixo do meu edredom e colar seu peito em minhas costas. Ele cheirava meu pescoço e cabelo roçando seu nariz por eles me encontrando tensa…

– Ness? . O que foi? – sua voz rouca me tranqüilizou e me fez relaxar em seus baços, mais não era o bastante eu me sentia apavorada de alguma forma..

– Nada – minha voz era apenas um fio, eu sentia as lagrimas querendo nascer.

– Ness, por favor, o que houve? – ele falava baixinho próximo ao meu ouvido era tão bom…

– Não aconteceu nada ainda, mais vai acontecer – as lagrima começaram e ele me apertou ainda mias em seu peito – escutem – eu pedi com uma voz normal mais que eu sabia que todos eles poderiam ouvir – por favor, amanha eu vou precisar da ajuda de cada um de vocês – Jake se ergueu na cama pra tentar ver meu rosto, eu podia sentir a confusão nele – vou precisar ainda mais de você tio Jasper, e de você vovô, vou contar algo importante para meus pais amanha, acho que vocês já desconfiam do que seja – nesse momento senti Jake se afastar de mim, ele sentou de maneira tensa na cama enquanto eu continuava deitada falando – eu já agradeço a todos, e principalmente a você tia Rose – minha voz já era estranha pelo choro – muito obrigada eu te amo muito também.

Jake permanecia estático sentado ao meu lado, já eu tentava a todo custo me recuperar mais as lagrimas ainda desciam em cascatas por meu rosto. Eu precisava que ele me abrassace agora, eu tinha tanto medo, me sentei também me aproximando dele o tocando no ombro.. ele se afastou de mim meu choro aumentou, era patético, eu estava soluçando.

– Ja-a-k-ke?

– É tão ruim assim contar? – a voz dele estava num baixo profundo e rouco eu podia sentir a raiva borbulhando embaixo dela.

– N-n-ã-ã-o! N-ã-o-o é i-i-ss-o-o

– É o que então? – ele perguntou de uma forma dura, o que acompanhava facilmente a expressão que ele estampava em seu rosto ao vira-se pra mim – Eu posso ..posso.. posso rasgar a droga do papel se quiser.. ele nem é valido mesmo, tanto os seus documentos quantos os meus eram falsos não é? Seria como se nunca tivesse acontecido. – eu via dor nos olhos dele mais isso não me impediu de entrar em pânico, eu limpei minha garganta e me controlei ao maximo pra não gritar.

– Não faça isso! Não repita isso, se quer pense nisso me ouviu?

– Por que não Ness? Olhe o seu estado! Parece que você vai para a forca amanha. Eu não quero isso.. não quero que seja assim… então pra que insistir em algo que você luta tanto contra.. que você não quer.. – a dor tomou conta da voz dele também.

– Mais eu quero! Eu quis e vou querer sempre!

– Então por que você esta assim? Você não quer contar e eu posso entender o porquê.

– Não tem um porquê, eu só ..só.. – como eu poderia dizer a ele? Explicar que o que eu sentia não era medo do meu pai, quer dizer era medo mais .. não de contar aos meus pais, e sim do ato de contar isso me atormentava, eu só não entendia, essa sensação era dominante demais, me sufocava, era doentio ..por que eu tinha uma certeza na minha mente: certeza que se contasse, tudo daria errado dali em diante, eu não entedia isso como eu faria ele entender?

– Tudo bem Ness, eu já disse, eu entendo, não é como se eu não soubesse que isso poderia acontecer – ele não disfarçava mais a tristeza, levantou-se calmamente, ele iria embora?

– O que você entende? – perguntei confusa e desesperada, ele não podia ir embora eu precisava dele.

– Entendo que não é a mesma coisa pra mim e pra você.. somos apenas diferentes, você é minha impressão… e mesmo assim se eu tivesse escolha eu sei que amaria você da mesma forma… mais você… – Eu não o deixei terminar.

– Como? … como você ousa? – as lagrimas pararam eu estava com raiva agora, muita raiva, ele teve a coragem de insinuar que eu não o amava? Idiota! – Cala a boca!

– Ness..

– Se você terminar essa frase Jake, eu juro que mato você! E ai sim seremos diferentes eu estarei viva e você morto!! – gritei

– Não encare isso como se fosse um absurdo ok? Tudo se simplifica quando eu vejo por esse lado, – ele estava com raiva também e triste… droga! A tristeza nos olhos dele me davam mais raiva, ela me mostrava a certeza que ele tinha nessa idéia ridícula.

– Eu amo você seu idiota! – rosnei

– Talvez não… talvez seja .. paixão ou apenas costume… falta de opção chame como quiser – ele gritava comigo me fazendo chorar de novo apesar da raiva que eu ainda sentia.

Eu não iria discutir por isso, não iria discutir pra convencê-lo, eu iria mostrar a ele.. foi o que fiz.. eu me levantei cambaleando da cama eu estava soluçando de novo, o meu choro era forte e alto agora, a respiração raivosa dele também, me aproximei dele o tocando em um dos braços ele se afastou de mim, me rejeitando de novo, como se fosse ainda possível meu choro aumentou, eu puxei o braço dele mais uma vez ele se virou pra mim ele estava chorando também.. lobo idiota!

– Eu juro que entendo Ness – ele falou com cada vez mais lagrimas descendo pelo rosto – vou me obrigar a entender…

– S-s-sh-h-hh-h J-j-j-a-k-k-e-e – consegui sussurrar em meios aos soluços ao abraçá-lo.

Então eu levantei minha mão e a encostei em seu pescoço, e comecei a passar todas lembranças dos momentos mais felizes da minha vida, o que obviamente eram com Jake. Mostrei minha primeira lembrança dele, eu era apenas um bebe e estava no colo de Rose quando ela me ergueu até a altura de seu ombro encostando sua face gelada em minha bochecha, então eu o vi ele estava tremendo como louco e inclinado pra mim, então foquei meus olhos nos seus na verdade eles me chamavam, agora eu podia entender, a sensação de paz e um sentimento maior e estranho na época me invadiram… mostrei o quanto foi confortante estar nos braços dele minutos depois e como isso era apenas perfeito, o mostrei cuidando de mim e como aquele sentimento maior e estranho aumentava, mostrei o passar do tempo.. nos dois caçando, ele me ajudando .. mostrei a chuva e como a gente gostava de ficar nela até minha mãe brigar com a gente, mostrei o quanto era divertido irritar Alice com ele.. mostrei o quanto eu detestava as brincadeiras dele e de Emmett por medo que ele se machucasse.

Mostrei o tempo passando mais uma vez .. mostrei como eu amava o sorriso enorme dele, especialmente quando era pra mim .. mostrei que eu começava a entender aquele sentimento grande e estranho por que cada vez eu precisava que ele me abraçasse mais.. mostrei o dia que enfim eu entendi ao me ver querendo arrancar a cabeça de Leah por ter beijado o rosto dele.. mostrei o quanto eu havia pateticamente chorado divagando do porque ele não negou o maldito beijo.. mostrei Alice tentando me convencer que era apenas um beijo no rosto … mostrei o quanto eu tentei que ele me visse não como criança porque eu já não o via mais como meu “irmão”.. mostrei como eu ficava feliz a cada abraço, a cada simples beijo na testa, mostrei como eu amava a certeza de amá-lo .. mostrei o plano que eu bolei e que Alice me ajudou … mostrei eu mesma colocando aquela santa camisola e achando que nada daria certo.. mostrei as sensações novas que eu senti aquela noite quando pela primeira vez ele realmente tocou em mim… mostrei a minha vitória ao vê-lo tão afetado.. mostrei minha irritação e tristeza por todo um ano que ele fingia que nossos toques não nos abalavam, que cada palavra dita entre nós não tinha o triplo de expectativas e importância, mostrei a noite que ele desobedeceu meu pai e entrou pela janela .. o quanto aquilo tinha me alegrado.. o quanto o descontrole dele me fez feliz.. mostrei a tristeza de não o ver direito na semana depois daquilo.. mostrei o nosso primeiro beijo, e o quanto meu coração acelerava, minhas pernas tremiam, o como ele mexia comigo.. mostrei como havia doído ele ter me deixado depois disso ..

Mostrei a minha mente ao quase atacar meu pai naquela semana e como amá-lo já fazia parte do meu organismo.. mostrei aquela primeira noite o quanto o beijo dele era.. era perfeito, o mostrei me pedindo em casamento e como eu pensei que explodiria de felicidade.. mostrei nós nos casando naquela capelinha, o quanto nós riamos nervosos.. mostrei o hotel para o qual eu o arrastei depois .. nossa primeira vez .. a certeza de estar completa com ele dentro de mim.. o quanto eu amava aquele beijo sempre muito doce que ele me dava antes de dormirmos, o nosso esforço insano pra esconder tudo aquilo na nossa mente e o quanto riamos disso .. mostrei o quanto era bom ser dele e isso era tudo .. mostrei nos dois correndo pela floresta .. apenas felizes demais o mostrei quando eu o provocava e o quanto isso era engraçado .. mostrei que os braços dele era o meu lugar favorito no mundo .. e que o beijo dele sempre me faria perder o ar .. mostrei como eu tinha medo, não de contar mais do que viria depois… mostrei que toda a minha vida era ele .. e que eu não queria mudar isso .. mostrei o quanto eu o amava em simples coisas .. a forma que ele segurava forte minha mão quando corríamos.. como eu amava jogar meus braços em seu pescoço e puxá-lo pra mim.. como a voz dele me derretia.. como a risada dele me irritava mais na verdade me fazia rir também ..como tudo simplesmente tudo, era certo só por ele estar comigo..

Quando terminei, eu abri meus olhos sendo que nem havia reparado que os tinha fechado, ele estava parado eu o abraçava mais ele ainda estava com os braças ao lado de seu corpo, ainda tinham lagrimas em seus olhos quando ele os abriu lentamente me encarando, ele não disse nada não era preciso dizer… eu também amava isso em Jacob ele não fazia discursos enormes e românticos ele só fazia o que era preciso no momento, então não me surpreendi quando ele levou seus braços até minha cintura me puxando violentamente pra ele e então me beijou mais forte do que nunca ele queria me sufocar .. ele queria me fundir a ele, levei minhas mãos para segurar seu rosto nelas e passei pra ele um pensamento fixo que estava em mim agora, não um pensamento na verdade uma certeza.. “eu te amo ..eu te amo seu grande idiota .. eu te amo pra sempre” ele me apertava ainda mais fazendo minhas pernas amolecerem, eu sentia o gosto das lagrimas dele e minhas no beijo .. o que nós faríamos com nós mesmos? Dois tolos se beijando e chorando que nem loucos.. éramos perfeitos.

Nem me dei conta quando e como ele tinha nos levado até a cama, mais nós já estávamos nela agora, nós ainda nos beijávamos e eu pensei como isso milagrosamente estava acontecendo sem eu ter desmaiado ainda.. as mãos dele abandonaram minha cintura pra passear por meu corpo eu apenas suspirei em resposta, ele deixou minha boca e eu senti sua respiração próxima a minha orelha.

– Eu também amo você – ele desceu com sua boca por meu pescoço o lambendo e beijando me fazendo arfar – me desculpe – ele pediu contra minha garganta – eu te amo demais isso ainda vai acabar comigo…

– Que seja – falei o puxando pra mim, uma de suas mãos subia por baixo de minha blusa pra acariciar meus seios por cima do sutiã enquanto a outra apertava ferozmente minha coxa, mais a lembrança de que estávamos em casa com toda a minha família a poucos metros me fez chamá-lo – Jake minha fam-

– Shhh eles não estão mais aqui – ele sussurrou contra minha boca – eles nos deixaram sozinhos.. você é minha agora.

– Não só agora – consegui dizer antes dele voltar a me beijar.. devorando minha boca, sua língua me incitava, eu já espalmava minhas mãos por todo seu peito, minha blusa foi rasgada junto com o sutiã me fazendo rir em sua boca – por que você sempre rasga minhas roupas? – perguntei arfante quando ele se separou de mim pra me encarar.

– Porque é mais fácil – ele disse sorrindo – e mais excitante também – o sorriso se tornou malicioso, eu estremeci com a forma que ele me olhava eram amor e desejo nos olhos dele – você é minha – ele repetiu ao se inclinar e alcançar meus seios com sua boca, eu gemi alto arqueando meu corpo pra ele.

Minha calça foi arrancada rapidamente, a dele já estava no chão.. tinha desespero em cada toque como se nós não nos víssemos a muito tempo ou como se não fossemos nos ver mais… minhas mãos voaram pro seu cabelo o puxando, eu queria… eu precisava da boca dele na minha, ele me entendeu,, mais antes de me beijar subiu com ela por meu pescoço me torturando fazendo com que eu me contorcesse em baixo dele, suas mãos massageavam minhas coxas de uma forma… eu estava gemendo quando ele alcançou minha boca mordendo meus lábios me fazendo gemer ainda mais..

– Jake .. por favor..

– Shhh eu não vou obedecer a sua pressa hoje.. – e como pra deixar isso bem claro ele lentamente tirou minha calcinha roçando sua mão quente por toda minha perna, e então ele a subiu apertando com força cada centímetro até encontrar o meio de minhas pernas – hummm.. você já esta tão molhada.. – eu quase gritei

– Por favor – eu pedi de novo mordendo seu pescoço o fazendo respirar pesadamente..

– Já disse – ele me beijava mais uma vez – hoje vai ser no meu tempo – então ele desceu com sua língua de novo por todo meu corpo, me fazendo gritar quando chegou naquele ponto, ele me lambia e chupava de uma forma tão.. lenta, considerei a idéia dele querer me matar, inconscientemente eu arqueava meu quadril o ajudando e pro bem da minha sanidade os movimentos se intensificaram, eu estava gritando de novo enquanto ele segurava com força minhas coxas pra eu não me mexer.

Meu corpo já se balançava em espasmos enquanto eu cravava minhas unhas em sua nuca gemendo o nome dele. Ele estava me encarando de novo agora e eu já não sentia mais o desespero nas mãos dele que faziam círculos por minha coxa e barriga.

– Jake? – chamei ainda ofuscada demais pelo orgasmo..

– Não fale nada – ele me pediu, se afastando um pouco tirando sua cueca, quando voltou ele afastou delicadamente minhas pernas ficando no meio delas, ele levou uma de suas mãos para meu rosto a passando por toda a lateral dele me fazendo fechar os olhos – olhe pra mim – eu abri meus olhos, ele estava a centímetros de minha boca agora e eu podia sentir seu membro pulsando na minha entrada – eu te amo.

Ele me beijou cuidadosamente entrando em mim devagar.. bem devagar, nossos gemidos foram simultâneos, ele me beijava de uma forma tão intensa não tinha aquela loucura que eu amava, mais tinha algo mais .. tinha amor .. eu podia sentir em cada movimento que sua língua fazia junto da minha, era isso então? Ele não tinha um dom tão fácil e ilustrativo como o meu então ele me mostraria agora enquanto estávamos unidos o quanto me amava, e eu podia ver.. em cada beijo, em cada toque, em cada investida dele em mim… ele me amava. Me emocionei com a forma que seus olhos se fixaram nos meus.. era desconcertadamente bom.

Ele baixou sua boca pra beijar meu pescoço enquanto suas investidas se intensificavam, mais antes que ele fizesse isso eu pude ver o desejo aumentando em suas íris negras, ele me amava eu tinha certeza disso, mais agora meu corpo precisava dele, precisava que ele fosse mais rápido, mais forte.. e eu sabia que ele precisava disso também.

– Mais forte Jake – falei chupando o lóbulo de sua orelha – mais rápido – era como se ele tremesse com minhas palavras, ele já deixava marcas em meu pescoço tenho certeza – me faça gritar..

A mão que apertava minha cintura, agora fazia com mais força, isso me deixaria marcas também, os movimentos dele aumentaram me fazendo arranhar suas costas largas, ele já arrasava minha boca com mais um beijo quando eu enlacei minhas pernas em sua volta, o deixando entrar mais fundo.. mais forte… ele gemia em minha boca me excitando ainda mais, me fazendo gemer também..

– Grite – ele mandou contra a pele do meu pescoço, entrando mais rápido em mim.

– Jake! – ele subiu uma de suas mãos, ela segurava minha nuca se enroscando em meus cabelos me puxando pra ele.

– Mais alto – ele ia cada vez mais fundo, cada vez mais forte, eu sabia que não agüentaria mais.

– Jake!! – eu mordi sua orelha enquanto arranhava seu peito.. abdômen me arqueando ao encontro dele ..me mexendo .. rebolando deixando ele no limite também..

– Ness – ele enfim gemeu alto apertando com violência minhas coxas e nuca me fazendo gritar seu nome em resposta. Nós tremíamos como loucos enquanto ele saia de mim me fazendo gemer longamente pela ultima vez

– Jake – tentei falar, minha voz estava tremula e falha.

– Não precisamos dizer nada agora.. – ele disse enquanto carinhosamente tentava desvencilhar sua mão dos cachos do meu cabelo, isso me fez rir levemente, eu o ajudei e quando sua mão ficou livre eu o abracei forte levantando meu rosto pra beijá-lo. O beijo doce e calmo que eu também amava

Na manha seguinte ele estava lá em minha volta, me apertando inconscientemente a ele, eu sorri abertamente me inclinado para beijá-lo, ele não tinha ido embora antes de amanhecer antes que meus pais chegassem como sempre fazia ele ficou, e isso me alegrou imensamente, ele estava lindo dormindo, só que ele estava me enganando eu pensava que ele estivesse dormindo mais quando encostei meus lábios nos seus ele me agarrou nos girando na cama rindo alto com o meu susto, ele estava em cima de mim agora, e então me beijou do jeito forte e “desmaiante”. Foi nesse instante que ficamos rígidos e imóveis, um alto rosnado veio do andar de baixo..

– Meu pai – falei em pânico saindo da cama correndo até o banheiro para me trocar.. eu pude ouvir claramente quando meu pai falou já que ele o fez mais alto que o necessário..

– Jacob sala agora!! – eu congelei na porta do meu banheiro me virando pra Jake.

– Merda! – Jacob sussurrou antes de levantar da cama – Daqui a pouco Edward nós precisamos tomar um banho antes – meu pai rosnou ainda mais alto ao ouvir o “nós” enquanto Jake ria disso, e da cara que eu fazia.

– Você esta louco! – gritei.

– Não oras, nós precisamos de uma banho só isso – ele ainda ria enquanto os rosnados de minha mãe se juntavam ao de Edward.

– Não – falei confusa pela proximidade dele agora, ele enlaçou minha cintura enquanto roçava seu nariz por meu pescoço – eu juro que você é louco, pare com isso – me afastei.

– Claro claro, eu só vou colocar as roupas, mais você precisa tomar banho… meu cheiro esta em cada centímetro do seu corpo… eles não vão gostar disso – ele se divertia dizendo isso, pelos arrepios que ele via que causava em mim e pelos rosnados que aumentavam lá embaixo.

– Droga Jacob tente não ser morto antes de eu terminar – falei enquanto entrava no banheiro, pude ouvir meu pai gritando mais uma vez lá embaixo.

– Jazz mande essa sua calma pro inferno! E Bella por Deus bloqueie a mente daquele cachorro ou eu juro que vou matar ele!

– Talvez eu queira que você mate – desdenhou minha mãe.

– Mãe!! – eu gritei do chuveiro assustada.

– Certo, eu vou fazer garota!! – ela me chamou de garota? Ok isso vai ser complicado.. muito complicado…

Meio minuto depois eu e Jake descíamos as escadas, ele estava milagrosamente vestindo uma camiseta, era preta como a calça jeans que ele também estava, já eu vesti uma bermuda e uma camiseta qualquer.

A sala estava quase silenciosa agora, os rosnados dos meus pais eram baixos mais aumentaram um pouco ao verem Jake me puxar pra junto dele. Minha mãe era praticamente segurada por Esme e Alice, meu pai estava rodeado por Carlisle, Emmett e Jasper enquanto minha tia Rose ficava entre os dois semi círculos criados em volta deles…

– Desfaça o bloqueio Bella – meu pai grunhiu

– Eu acho que ainda não é a hora – Jake zombou me fazendo bater em seu braço e olhá-lo com reprovação.

– Não brinque com isso Jake – consegui dizer apesar da vermelhidão do meu rosto e as falhas em minha voz – Mãe.. Pai .. eu preciso contar algo a vocês…

Anúncios