Ufaaaaa…. finalmente estou postando o terceiro capítulo…. Please…. Não me crucifiquem…. pra tudo tem uma explicação!

Demorei pra postar pois estou totalmente sem tempo, comecei a trabalhar por esses dias e sabe como é a correria de final de ano… por isso não tenho parado em casa e não tenho conseguido atualizar o blog regularmente, peço que me desculpem pela demora… ^.^… Não prometo, mas vou tetar não demorar tanto pra postar o próximo Cap… OK???!!!

Bjos a todos e espero que curtão bastante o cap, que é bem legal!

3. Feliz

– Isso é bom – suspirei em resposta

Ele se afastou um pouco de mim, me olhando divertido, o sorriso enorme que eu amava voltou pro rosto dele enquanto ele passeava com os olhos pelo meu corpo. Então me dei conta… eu estava nua. Nem preciso dizer o quanto eu corei e estremeci com o olhar dele… Ele ainda repousava uma mão em meu rosto me acariciando com ela se aproximando dos meus lábios murmurando..

– Hmm.. eu estava esperando por isso – ele ainda soava divertido ao se deliciar com meu rubor

– Você é cruel – gaguejei.

– Você é perfeita – ele deu mais uma boa olhada em mim antes de pressionar de novo seu corpo no meu, o contato dos meus seios com seu peito exposto me fez apertá-lo ao o enlaçar pelo pescoço.

– Jake.. por favor..

Não precisei falar mais nada, ele já estava me beijando.. forte .. intenso .. como ele mesmo era, me permiti gemer em sua boca algumas vezes o sentindo me apertar pela cintura esfregando seu tórax nos meus seios os fazendo enrijecer. Cada toque.. cada suspiro me faziam sentir a alegria que emanava dele .. Jake parecia uma criança descobrindo seu mais novo brinquedo, a urgência dos beijos revezava-se com a delicadeza das caricias e mais uma vez me senti adorada, venerada em seus braços isso me emocionava e excitava… Subi minha perna o enlaçando pelo quadril, a boca dele alcançou um dos meus seios e eu me limitei a morder meus lábios para não gritar principalmente quando ele envolveu um deles em sua boca.. sugando.

Minha perna começou a ser massageada por sua mão quente.. estremeci em expectativa quando minha coxa foi acariciada também. Levei minhas mãos a suas costas as arranhando recebendo um olhar de advertência em resposta. Sua boca subiu lentamente por meu colo… me lambendo. Ele respirava pesadamente também e eu podia ouvir seu coração tão acelerado quanto o meu, que no caso acelerou ainda mais quando o senti apertando a parte interna da minha coxa subindo lentamente por ela… Senti sua mão me cobrir intimamente e um de seus dedos calmamente me penetrar… fechei os olhos cravando minhas unhas em suas costas fazendo com que gemêssemos os dois, juntos e alto.

Era incrível como cada mínimo toque, cada resvalar de sua respiração na minha pele tinha o poder de me enlouquecer, abri meus olhos e o encontrei me encarando enquanto colocava mais um dedo em mim, ele começou a distribuir pequenos beijos pelo meu rosto suspirando meu nome em meio deles, me fazendo acreditar que tudo estava sendo tão intensamente prazeroso pra ele quanto pra mim, o que eu não podia acreditar não quando seus dedos me incitavam daquela forma… me fazendo ficar cada vez mais molhada…

Eu queria que ele sentisse o que eu sentia agora, foi com esse pensamento que reunindo muita coragem e controle enquanto me contorcia em baixo dele, deslizei minhas mãos por seu peito e abdômen chegando ao cós da calça de moletom que ele vestia.. uma de suas mãos me parou enquanto a outra intensificou os movimentos de vai-vem dentro de mim quase me fazendo gritar.

– Ness.. eu ainda acho que não é a hora..

Confusão nublou minha mente, confusão e um sentimento inexplicável que tomou conta de todo meu corpo, partindo do ponto que os dedos dele me estimulavam.

– Jake – dessa vez eu gritei cravando mais uma vez minhas unhas em suas costas, sentindo-o morder o lóbulo de minha orelha, meu corpo relaxava agora e eu tentava acalmar minha respiração ouvindo-o rir, rouco e baixo no meu ouvido.. Eu não me importei mais, não depois daquilo levei minhas mãos abaixo do abdômen dele outra vez, mais de novo fui parada.

– Ness – ele me chamou retirando os dedos de mim, me fazendo gemer baixinho..

– Pensei que você fosse me provar – sussurrei em sua orelha tentando ser provocante.. ele levou os dois dedos que estavam em mim a pouco para a boca os chupando me fazendo prender a respiração, ele me encarava com um sorriso no mínimo safado agora.

– Há varias formas de provar você Ness – acabando de dizer isso ele lambeu minha bochecha corada, descendo beijos, mordidas e lambidas por meu pescoço, colo e seios perdendo algum tempo nesses últimos, me fazendo agarrar seus cabelos com força.

Eu podia sentir sua excitação roçando contra minha perna enquanto ele dava beijos agora em minha barriga e umbigo.. foi quando eu me dei conta de onde ele chegaria.. tentei me mexer para que ele não conseguisse mais quando senti sua língua em mim.. quente… forte, não me restou mais nada além de deixar que meu corpo e mente entrassem num mundo paralelo onde só existiria Jake, eu e o prazer que sentíamos agora, conforme ele me estimulava ora me lambendo ora me chupando de leve aquela sensação de que meu corpo todo explodiria voltou… então arquei violentamente minhas costas gritando o nome dele quando mais uma vez meu corpo relaxou sob o seu.

– Você é deliciosa Neess – foi o que ele sussurrou ao voltar a beijar meu pescoço. Eu não consegui responder não para aquilo pelo menos, subitamente eu estava cansada demais e isso ele notou – vamos dormir agora esta bem..

– Acho que é a única coisa que consigo fazer no momento – minha voz ainda estava tremula e falha.. ele riu no meu ouvido de novo – não seja convencido Jake!!

– Me desculpe, só estou feliz.. você não tem idéia.. mais durma ..eu também estou cansado – dessa vez fui eu que sorri ao me virar de lado me ajeitando melhor na cama puxando um lençol para me cobrir.

Jake logo colou seu peito em minhas costas envolvendo minha cintura com seus braços.. mais ele não aproximou seu quadril permanecendo ligeiramente afastado… eu não pensei muito quando levei o meu próprio quadril mais para trás para encostar no dele, foi um movimento involuntário de minha parte e prazeroso pra Jake, ele gemeu longamente no meu ouvido, sem me dar conta eu o havia estimulado, eu sentia seu membro contra meu quadril entendendo porque ele estava afastado inicialmente. Então não resistindo eu me mexi de novo o sentindo apertar minha cintura

– Ness – ele me chamou quase num sussurro – pare, por favor.

– Acho que não Jake – eu disse rebolando, me esfregando em seu quadril o ouvindo gemer mais alto, me sentindo poderosa, me mexi de novo..

– Por Deus – a voz dele parecia presa na garganta

– Shh Jake – eu disse me remexendo mais uma vez, o sentido beijar meus ombros e pescoço.. ele tinha se rendido ..então cada vez mais eu me esfregava fazendo-o me apertar pela cintura ou a segurar um dos meus seios com força, me fazendo perder o ar.

– Ness – ele gemeu suplicando quando eu já me mexia continuamente e então ele me parou segurando meu quadril com força soltando um quase rosnado junto ao meu pescoço. Ele estava ofegante e ao mesmo tempo relaxado quando me abraçou de novo – Voc… – ele tentou – Você.. sim .. é c-cruel Ness..

– Eu desconfio que você gostou –desdenhei enquanto ria baixinho.

– Você sabe o quão perto eu estive de tirar minha calça e.. – a voz dele ainda falhava em algumas partes e estava muito mais rouca eu amei esse efeito em Jake, meu efeito.

– Eu não reclamaria – desafiei.

– Por Deus Ness.. durma.

– Me beije – mandei virando meu rosto pra ele, que o segurou com suas enormes mãos, e lá estava ele me devorando com a boca de novo me fazendo ofegar e gemer baixinho, quando ele me largou eu estava quase sem ar e ele com o enorme sorriso no rosto – isso é covardia!!!

– Não, isso é justiça..

– Jake – chamei manhosa procurando os lábios dele de novo.

– Ness .. durma.

Bufei irritada, virando meu rosto pra frente, logo o senti me apertando ainda mais em seus braços me fazendo relaxar com o roçar de seu nariz por meu cabelo e nuca.

Quando eu acordei no dia seguinte a primeira coisa que senti foi Jake… eu estava de bruços na cama enquanto ele usava minhas costas de travesseiro, suspirei inteiramente feliz pela primeira vez na vida.. tudo estava completo… certo. Senti breves beijos sendo distribuídos por minhas costas, me arrepiando e me acordando definitivamente..

– Eu te amo – disse ele no meu ouvido fazendo meu coração disparar – eu te amo – ele repetiu me virando na cama me fazendo encará-lo – Renesmee – tremi com a pronuncia do meu nome completo – Eu te amo!!!

– Acho que já entendi – falei rindo abertamente.

– Não você não entendeu.. nem eu entendo .. – beijos no meu pescoço, ombro.. aconteciam enquanto ele falava empolgado – Eu te amo demais .. eu te desejo demais .. garota você esta perdida comigo.. – eu segurei o rosto dele em minhas mãos nesse momento.

– Eu te amo – eu disse o olhando fixamente – e garoto você esta definitivamente perdido comigo – ele me beijou daquela forma que nós sempre nos beijaríamos eu tenho certeza, afinal minha tia tinha que estar errada em alguma coisa: eu e Jake nunca nos acalmaríamos.

– Hmm… venha você tem que comer alguma coisa – disse ele levantando-se.

– O que? – eu ainda estava zonza pelo beijo, devia ser proibido beijar como Jacob Black.

– Levantar… vamos Ness já são 4 da tarde – dei quase um pulo na cama me sentando

– Como… como eu dormi tanto? – o sorriso malicioso e presunçoso que ele me lançou me fez revirar os olhos – Ah por Deus, venha aqui e pare com isso – me irritei.

– Eu não vou ai..

– Jacob Black venha aqui!!!

– Não. Se eu for ai vou te fazer dormir por uma semana depois.. – estirei minha língua pra ele enquanto procurava meu sutiã e minha calcinha por perto…

– Você já estava acordado então?

– Sim eu já assaltei sua cozinha, e tomei banho ao voltar de La Push – eu estava confusa por que ele foi à reserva?

– Por que você saiu?

– Eu tive que trocar minhas roupas .. você deixou minha calça não muito apresentável ontem

– Oh! – corei furiosamente ao lembrar de como havia rebolado e me esfregado em seu quadril…

– Você não está com vergonha esta? – ele parecia incrédulo, sentou no sofá na parede contraria a minha cama rindo descontrolado – Claro, claro agora você cora.

– Dá pra parar! – gritei pra ele, me levantando indo em sua direção.

– Ei o banheiro é por ali – disse ele apontando a porta próxima a minha cama de forma frenética, parecia com medo? Eu estava rindo..

– Mais eu não vou ao banheiro – falei da forma mais inocente que consegui

– Você poderia vestir algo pelo menos – ele gemeu

– Não eu estou bem assim.. – disse maliciosa – além disso – me aproximei mais dele me inclinando pra falar em seu ouvido – você não viu minha calcinha por ai.. viu?

E como eu havia previsto ele me agarrou pela cintura me sentando em seu colo, passando suas mãos por todo meu corpo beijando de forma violenta meu pescoço.. nuca…

– Por que você não cora agora? – ele perguntou contra a pele da minha clavícula, de uma forma quase irritada.

– Por que você não cala a boca agora? – rebati alcançando seu pescoço com minha boca..

– Certo… certo – ele começou depois de alguns minutos – você precisa se arrumar, comer algo …

– Não estou muito convencida disso – e ele também não parecia, uma de suas mãos apertava inconscientemente minha coxa enquanto a outra segurava com força minha nuca fazendo minha cabeça pender para traz assim o permitindo lamber meu pescoço.. eu comecei a rir baixinho de algo que acabei de constatar pra que eu não me permitisse gemer.

– O que é engraçado?

– Hmm você e essa sua mania de lamber…

– Ahh .. bem eu sou um lobo certo? – ele falava perto do meu ouvido – prefiro lamber a morder – e pra dar ênfase ao que dizia ele virou meu rosto lambendo minha boca e bochecha.

– Eu gosto de morder – dei uma pequena mordida em sua orelha ouvindo uma exclamação de dor em resposta – ops sem morder.

– Você tem dentes afiados – reclamou ele massageando a orelha – mais talvez eu seja masoquista,

– Hmm – não perdi muito tempo avançando sobre ele mordendo os seus lábios e pro meu êxtase ele gemeu em minha boca me apertando ainda mais em seu colo..

– Owww – começou ele depois de mais alguns minutos – vamos lá Ness, você deve estar com fome – me levantei emburrada, indo em direção ao banheiro, saindo dele meio minuto depois, tomada banho e com um vestido qualquer que achei ao passar pelo closet.. oh claro minha disposição pra usar minhas habilidades vampiricas haviam milagrosamente voltado… ele já estava no andar de baixo, podia ouvi-lo mexendo em algo na cozinha então me encaminhei pra lá.

– Uhu vestido! – ele me abraçou pela cintura enquanto falava.

– O que tem ele?

– Deixam suas pernas de fora – ele disse sorrindo em meu pescoço – eu amo suas pernas.

– Eu acho que notei isso – me soltei dele corando, me sentei na mesa para comer, eu realmente estava morta de fome.

– Você é estranha… você se joga em cima de mim nua e tudo bem.. agora eu elogio suas pernas e você cora!!! – ele fazia isso realmente ser um absurdo.

– Quer parar de dar importância ao maldito sangue nas minhas bochechas – falei baixo mais irritada.

– Eu só não entendo – ele estava rindo… otimo!

– Quando sou eu que digo ou faço a coisa eu estou segura o bastante pra não ter vergonha.. mais quando é você..- a ultima parte eu falei bem baixo, ele se aproximou de mim pra ouvir

– Hmm, tudo bem, eu te deixo tomar a iniciativa sempre então – ele ainda estava divertido, mais mesmo assim me fez arrepiar com as idéias que tive por causa de suas palavras…

– Gostei disso – falei dando um sorriso enorme pra ele, enorme e maldoso.

– Se bem – ele parou como se tivesse considerando algo – Você corada é tão… excitante. – por que ele fazia essas coisas? Eu pra variar fiquei sem ar… – como agora – ele acrescentou sorrindo e se inclinando beijando meu pescoço…

– Ok, eu deveria comer algo certo?

– Hum hum – ele respondeu ainda beijando meu pescoço.

– Jake!

– Desculpe, é o seu cheiro.. é tão..

– Jake! Corar com o que você fala lembra?

– Ahh claro claro … coma então.

Não demorou muito também pra eu já estar na sala onde ele me esperava.

– E então o que vamos fazer?

– Vamos fugir? – ele me abraçou

– Como?

– Quer casar comigo? – me desvencilhei dele com os olhos extremamente abertos.

– Que?

– Ness você acordou? Case-se comigo.. – ele se aproximou de mim.

– Você esta louco – droga eu estava gritando!

– Eu não estou louco – ele resmungou

– Sim você esta – a ficha caiu pra mim – primeiro me peça de uma forma mais decente ok – me irritei de novo – segundo meu pai vai te matar esqueceu? Terceiro minha mãe piraria e também mataria você e quarto e mais importante minha tia Alice me mataria.

– Você não se importa realmente com isso se importa?

– O que? Alice é psicótica!!! – ele olhou divertido pra mim

– Se prepare então.. vou pedir de uma forma mais decente mais tarde e só vou querer ouvir o aceito.

– Jake é serio..

– Eu também falo serio – agora ele parecia irritado

– Meu pai – eu gemi – imagine .. quando ele ver o que aconteceu ontem.. – me sentei em um dos sofás da grande sala dos Cullen, pra variar quase chorando, eu odiava ser tão emotiva ..fraca.

– Ele vai ter que aceitar Ness, eu não vou mais deixar você nem um segundo – aquelas palavras me alegraram, mais a lembrança do que havia acontecido nessa mesma sala quando meu pai viu o nosso beijo na mente de Seth me atormentava.

– Eu não quero quase atacar meu pai de novo Jake – desabafei, então ele já estava do meu lado me estreitando em seus braços fazendo carinho com uma de suas mãos no topo da minha cabeça.

– Eu lamento por aquilo.. eu não sabia que você reagiria daquela forma..

– Nem eu!! – gritei abafado em seu peito – eu não sabia o que fazia Jake eu só via você morto na minha mente.. e de alguma forma era o meu pai que fazia aquilo ..e então eu não ia deixar, só isso .. só isso vinha na minha mente .. “Eu não vou deixar”.

– Shh não fale mais Ness – ele começou a nos balançar como se estivesse me embalando.

– Eu quero falar.. eu… nunca me senti tão confusa na vida .. eu quis matar ele .. e ele viu isso na minha mente.. só que eu não estava pensando eu só agi por instinto ..como se a idéia de não ter você mexesse com meu organismo inteiro .. e agora você brinca com isso .. droga Jake!!

– Ei eu não estou brincando com isso – ele segurava meu rosto entre suas mãos – eu quero você pra mim..

– Eu já sou sua!!! – cortei.

– Me desculpe de novo, mais eu vou ter que enfrentar Edward e não vai ser do jeito dramático dele, nós vamos falar serio dessa vez fique calma – ele me abraçou de novo.. só que mais apertado, mais forte – fique calma amor – meu coração falhou uma batida com aquela palavra saindo dele, eu o abraçava agora e o fazia como se minha vida dependesse disso.

Ficamos alguns minutos assim, até eu me apavorar de novo.

– Jake e se ele aparecer aqui .. nós ..

– Eu duvido que seu pai apareça.

– Como pode ter tanta certeza?

– Emmett esta fora Ness, o único que poderia perguntar ou constranger seus pais por estarem tanto tempo trancados naquela casa, então acho que eles estão aproveitando..

– Eca .. eca .. ok eu entendi – Jake soltou uma alta gargalhada.

– Você é estranha já disse isso?

– Já – respondi manhosa – e não gostei se quer saber.

– Venha vamos – ele já estava me puxando para fora por uma das grandes janelas.

– Onde vamos?

– La Push, as pessoas querem te ver sabia?

– Temos mesmo? Eu prefiro a minha cama..

– Ness ..

– Ta, mais estou indo só porque tenho que matar Seth .. – ele pareceu confuso – foi na cabeça daquele idiota que meu pai viu tudo.. e além disso ele te chamou de volta ..eu me prometi matar ele duas vezes.

– Oh certo eu te ajudo.

Sorri pra ele, me atirando para as arvores o deixando pra trás o que não durou muito, pois logo um lobo enorme e avermelhado corria do meu lado. Eu já podia ver algumas casas da reserva quando percebi Jake parando atrás de uma arvore.

– Isso é tão injusto – bufei – você me viu nua… onde estão os direitos iguais?

– Estão em algum lugar eu acho – sua voz rouca e humana chegou aos meus ouvidos.

– Sabe eu poderia te ver se eu quisesse.. sou mais rápida que você em pequenas distancias – ameacei.

– Tente – certo ele me provocou, em menos de um segundo eu estava de frente pra ele, mais ele pra minha decepção já estava com a maldita calça jeans. – Você é tão boba.

– Boba estranha que mais? – perguntei num tom de tristeza, ele me abraçou por atrás nos encaminhando para um das ruazinhas de La Push.

– Louca.. linda.. quente… – tremi ligeiramente em seus braços.

– Tampinha!!!

– Certo eu vou matar o Seth três vezes – cochichei arrancando risos de Jake – Hey Seth – falei da forma mais entediante que consegui

– Me permite chefe? – nessa hora Jake me soltou então Seth me agarrou como se eu fosse de pelúcia ou algo parecido me levantando e girando no ar – saudades de você pentelha – eu queria sentir raiva dele, mais já estava rindo ao ser colocada de volta no chão.

– Certo certo acho que já deu – foi Jake que disse ao me abraçar pela cintura de novo.

– Uhuuu ele tem ciúmes Nessie – Seth zombou.

– Claro que tem – comecei falsa ofendida – eu sou boba, estranha e linda com licença..

Seth não entendeu, mais eu e Jake entramos na casa que ele dividia com o pai rindo muito.

– Nessie – era meu avô Charlie, era tão obvio encontrá-lo aqui – como você esta garota? Deixe me ver ..humm linda como sempre.

– Puxei ao meu avô sabe – lhe falei já indo abraçar Billy.

– Hmm vocês se acertaram? – foi a primeira coisa que ele perguntou olhando de mim pra Jake, me fazendo virar um pimentão instantaneamente.

– Oi pra você também pai – Jake disse – e sim estamos juntos agora.

Esse momento foi tão estranho e único, pela primeira vez me senti realmente com Jake, não que ontem não tenha sido a melhor coisa que já aconteceu.. mais era como se agora, assim com as pessoas sabendo, tudo tinha mais chance de não ser um sonho ou uma patética fantasia da minha cabeça… claro seria um sonho bem bizarro afinal tinha Leah nele … ela entrava agora pela porta como se fosse dona do lugar me fuzilando mais que o de costume…

– Droga – sussurrei ao sair da casa em direção a praia com todo o bando. Sim não foi só Leah, Enbry e Quil também estavam conosco.

– O que foi? – Jake perguntou próximo a minha orelha

– Nada.. – tentei parecer despreocupada, mais eu havia me dado conta, não seria só o meu pai que veria o que aconteceu ontem e pela cara de Laeh ela tinha visto “Porcaria de consciência coletiva”.

– Jake pra variar Sam está te chamando – ela disse mais uma vez me fuzilando com os olhos. Idiota. Se foi o tempo que eu tinha medo dela, agora era uma coisa mais parecida com ódio mortal será que era só eu que percebia.. que ela esperava a menor, a mínima bobeira de Jake pra atacá-lo. Mais ela não ia conseguir.. não mesmo.

– Eu já volto – Jake me deu um breve beijo e saiu seguido por Quil e Embry, ficamos só: Seth, Leah e eu na praia, isso não daria certo.

– E então pirralha – ela começou – aproveitou bastante ontem a noite? – Seth nos olhou confuso por um tempo, mais acho que ele ligou as coisas.

– Leah não comece!!!

– Cale a boca Seth, eu só quero saber.. como é se esfregar no chefe? – ela me olhava debochada como se aquilo fosse me afetar como eu disse uma idiota.

– Por que a pergunta? Você deve ter visto certo? Visto o quanto foi incrível!!! – Seth se espantou com minha resposta me olhando incrédulo enquanto a mal amada da irmã dele começava a tremer ligeiramente.

– Você se acha não é garota.. acha que só por se esfregar com ele é alguma coisa – eu tive que respirar bem fundo antes de levantar meu rosto e responder da forma mais calma e mais definitiva também.

– Vamos esclarecer as coisas garota.. de uma vez por todas? – falei me aproximando dela enquanto um ainda espantado Seth não se movia – não adianta ficar pelos cantos se fazendo de coitada, esperando uma chance, essa chance não vai acontecer, eu não vou deixar que ela aconteça e pense: se você não conseguiu nada quando eu era um bebe o que muda agora? – ela ia falar algo mais eu a cortei – ele é meu deu pra entender? E não é o que aconteceu ontem que define isso mais se você quiser se convencer por esse lado eu posso com MUITO prazer editar varias noites como essa só pra você ter certeza, afinal você me viu não é? Eu sou MUITO como foi mesmo que o Jake disse? Cruel? É acho que foi isso…

Nesse momento eu ouvi um rosnado alto vindo de Leah , ela mostrava os dentes pra mim enquanto tremia violentamente, eu também estava rosnando e os meus dentes também estavam a mostra.

– Você .. você.. – ela tentou

– Leah! – era Jake – se acalme agora!

– Vá pros diabos Jake!! – ela rosnou.

– Leah – ele repetiu de uma forma bem assustadora até pra mim, ele estava entre nós duas, só que mais próximo de mim como se me protegesse – eu estou mandando Leah, se acalme!!

Ela não se acalmou ao invés disso correu rumo as floresta sumindo entre as arvores.

– E você – ele virou pra mim com aquela voz assustadora ainda, seria essa a tal voz de alpha? – Não precisava disso!

– Precisava sim! E não venha com esse tom pra mim sou sua mulher não mais uma do seu bando!! – ele arregalou os olhos com o que eu disse e eu francamente não sabia se era pela minha petulância ou por ter dito ser mulher dele.

Ele me pegou nos braços me jogando pra suas costas como meu pai fazia comigo, então ele correu e quando paramos reconheci o lugar rapidamente, era o nosso lugar de sempre..

– O que… – ele não me deixou terminar me beijando vorazmente me apertando pela cintura enquanto batíamos contra uma arvore.

– Você.. ainda me mata garota – ele disse arfante desistindo da minha boca um pouco ao descer a dele lambendo meu pescoço.

– O que eu fiz? – perguntei mais prestando atenção na mão dele que subia a barra do meu vestido. Ele parou de repente colocando meu rosto em suas mãos me olhando tão intensamente que eu tive medo que minhas pernas cedessem.

– Você é tudo o que eu tenho Ness, tudo que realmente importa. Eu quase enlouqueci esse ano pensando o quanto eu iria esperar pra ter você.. por causa daquele maldito trato com seu pai .. por não ter certeza se você se sentia como eu me sinto por você e agora .. que eu sei … que você me ama também ..agora que eu mandei o trato do seu pai pro inferno eu pergunto de novo: você quer casar comigo? Eu não quero mais esperar.. não quero mais adiar eu só quero… você… e te dar a certeza que eu vou te fazer feliz pra sempre…

Uma maldita lagrima rolou no meu rosto quando eu joguei meus braços em volta do seu pescoço, o beijando e dizendo o mais alto que pude.

– Eu quero! Eu quero agora! Eu aceito! – ele me beijou de novo me tirando do chão, e estávamos os dois rindo como bobos no meio do beijo.


6 meses mais tarde

– Hey senhor Black! – sussurrei no ouvido dele fazendo-o se arrepiar

– Ola – ele me abraçou, me beijando logo em seguida.

– O que foi Jake? – ele parecia aéreo e realmente surpreendido comigo ali, como se não tivesse me ouvido ou sentido meu cheiro.

– Nada – respondeu se afastando de mim sentando contra uma arvore.

– Jake – exigi me sentando entre suas pernas.

– Não é nada demais Ness só alguma coisa se alimentando de animas grandes na floresta perto daqui.

– Vampiros?

– Não, se fosse nós reconheceríamos…

– Pode ser outro animal então, um urso perdido que desceu o lado errado da montanha.

– Não é… seu pai viu os animas ele se alimenta como vocês.. mais não é um vampiro.. isso esta me preocupando.. essa coisa esta perto demais.

– Relaxe.

– Estou tentando..

– Acho que posso te ajudar.. – falei maliciosa virando meu rosto, beijando o queixo dele, uma de suas mãos deslizou de onde estava na minha cintura pra as minhas pernas..

– Uhu vestido – ele disse feliz, rolei meus olhos.

– É só um vestido Jake.

– Não é só um vestido senhora Black .. é facilitação – beijos começaram a ser distribuídos por minha nuca e pescoço enquanto sua mão subia por minha perna levando o vestido junto.

– Jake.. pare ok, estamos no meio do nada.

– Melhor ainda – ele riu perto da minha orelha.

– Jake!!

– Certo certo, para qual assunto vamos agora? – ” Ahh não! Droga” eu conhecia bem demais esse tom .. – quando Ness?

– Jake eu já disse seria muita confusão se contássemos, meu pai minha mãe..

– Por quanto tempo então? Quando terminar sua escola ridícula?

– Seria um bom tempo..

– Que droga Renesmee!! – ele gritou – Você é minha mulher! Estou cansado de ter que pular a janela antes de amanhecer só pra que não nos encontre de manhã… estou cansado de fingir e pedir permissão pro seus pais pra sair com você!!!

– Eu sei Jake mais ..

– Por que você tem tanto medo por Deus, não é como se seu pai fosse me matar ou matar a você… já são 6 meses Ness.

– Eu sei – falei mais baixo por causa da vergonha, esse meu pânico era inexplicável, eu não entendia eu só queria que nada atrapalhasse, e contar, pra mim, era como se nós colocássemos um letreiro enorme em cima de nós “Venham atrapalhar a nossa felicidade”, além dos motivos óbvios: meu pai, minha mãe.. não seria tão fácil

– Feliz 6 meses – ele sussurrou no meu ouvido, me apertando ainda mais em seus braços.

– Você lembrou – sorri feliz por ele também não estar mais bravo.

– Claro que lembrei, que espécie de marido você acha que eu sou?

– Da melhor espécie com certeza – ele voltou a beijar e a lamber meu pescoço – nham lobisomem. – acrescentei divertida.

– Você não vai me morder vai? – me perguntou rindo.

– Hmm se você pedir.

– Talvez eu peça hoje à noite quando te der o seu presente.

– Ahh não Jake combinamos sem presente até 1 ano!!

– Eu não obedeço muito às regras sabe.

– Idiota! Agora eu não tenho o que dar a você – dei um muxoxo, eu estava realmente chateada nos havíamos combinado!!

– Você poderia dizer a todos que somos casados de uma vez, seria um ótimo presente!! – ele ainda estava bravo – Ness? Diga alguma coisa?

– Eu não vou contar – falei depois de muito tempo de um silencio horrível

– Merda!!

– Jake – chamei

– Não tem Jake, não comece com esse tom meloso achando que vou cair de novo… – me separei dele me levantando indo pra perto de outra arvore.

– Por que você faz tanta questão? Eu não entendo. Não é a droga de um papel que define o que somos Jake, o que eu e você somos!

– Eu não vou discutir o porquê da droga do papel é importante não mais.. isso já deu .. que droga Renesmee!!

– Ness Jacob é Ness!!

– Me deixe sozinho.. eu estou preocupado com essa porcaria de coisa ai no meio da floresta .. eu .. estou de saco cheio de como a gente esta levando isso .. e não ajuda você aqui falando “droga de papel”

– Jake… – me aproximei dele me sentando no meio de suas pernas me abraçando a ele – me desculpe… – pedi baixinho o sentido me envolver pela cintura e a roçar seu nariz por minha nuca.

– Você tem vergonha? – ele perguntou.

– Não seja idiota!!

– Medo? – eu me apertei a ele – Do que você tem medo?

– De que acabem com a gente, de que nos separem…

– Ninguém vai fazer isso Ness… é impossível

– Só me beije então.. – virei meu rosto encontrando os lábios dele a poucos centímetros, então ele os roçou nos meus e não era o suficiente – forte Jake… me faça perder o ar.

Ele agarrou a minha nuca no mesmo instante com força, com raiva e me beijou do mesmo modo.. com intensidade, sua língua macia .. quente, era tudo que eu queria, tudo que eu precisava, não era necessário mais reconhecimento só era necessário isso: eu e Jake e mais nada. Ficamos assim por algum tempo até que ele parou para o meu total desgosto.

– Vamos embora… vai anoitecer daqui a pouco – ele tentou levantar mais eu o impedi

– Eu não quero ir – falei manhosa – eu preciso dar o seu presente primeiro.

– Você disse que não tinha presente.

– Mais eu tenho um presente – falei me esticando, ainda com as costas contra o peito dele, me esticando até alcançar sua orelha e morde-la o sentindo estremecer.

– Ness estamos no meio do nada lembra? – ele falou enquanto eu dava um pequeno espaço entre minhas costas e seu peito..

– Melhor ainda – repeti as palavras dele, colocando minhas mãos para trás alisando o seu abdômen. A respiração dele ficou pesada e falha quando ele iniciou beijos por meus ombros e pescoço.

Eu vagarosamente deslizei minhas mãos até tocá-lo. Jake suspirou alto subindo uma de suas mãos para apertar um dos meus seios.. com vontade enquanto a outra subia devagar por minha coxa.

– Ness – ele chamou lambendo minha orelha – não me torture – no mesmo instante eu consegui deslizar uma de minhas mãos pra dentro de sua calça fazendo-o gemer rouco contra meu pescoço. Comecei a estimulá-lo dando leves apertadas ou apenas alisando, Jake gemia mais me mostrando que eu estava fazendo certo… – vou me vingar sabe.

Congelei com a ameaça e com a mão quente que brincava com o elástico da minha calcinha. Ele a retirou de mim enquanto gemia alto pelas estocadas que eu comecei a investir nele.

– Vire-se – ele me pediu num sussurro

– Não se atreva – falei ao intensificar mais os movimentos de vai-vem em seu membro, ele pendeu a cabeça para trás grunhindo coisas que eu não entendi.

– Vire-se, por favor – ele pediu de novo penetrando um de seus dedos em mim me fazendo arquear, mais eu não me virei continuando a estimulá-lo – Ness – suplicou ele agarrando minha cintura com suas mãos, me girando de uma maneira violenta, e antes que minhas costas encostassem na grama ele já estava dentro de mim.. quente… pulsante me fazendo gritar.

– Droga Jake – soltei ofegante, ele mordia e sugava meus seios agora, meu vestido como sempre foi rasgado, mais eu não me importei não quando ele começou a investir dentro de mim.. forte… fundo. Eu arranhava suas costas e mordia sua orelha e seu ombro para que não gritasse enquanto ele investia cada vez mais rápido. – Você vai me fazer gritar – consegui dizer irritada.

– Eu gosto quando você grita – ele lambeu meu rosto investindo ainda mais forte me fazendo arquear inconscientemente o quadril, o ajudando – grite – ele me provocou indo cada vez mais rápido colocando minhas pernas em volta de seu quadril.

– Não – sibilei pra ele o mordendo no ombro fazendo-o soltar um gemido alto antes de me beijar.

A velocidade aumentava à medida que ele me devorava com a boca, a sensação de aperto no meu baixo ventre já era nítida, eu chegaria ao limite logo, eu podia sentir.

– Grite – ele mandou entrando cada vez mais fundo me fazendo gemer alto e a cravar minhas unhas em suas costas. Eu não poderia mais evitar meu corpo começou a ser balançado por espasmos quando ele abriu ainda mis minhas pernas… indo com mais força..

– Jake – eu finalmente gritei sentindo a familiar explosão de sensações enquanto meu corpo começava a relaxar, Jake apertou com força meu quadril ao dar sua ultima investida rosnando alto no meu ouvido e soltando um pouco de seu peso em cima de mim. Eu amava essa parte, amava ter Jake cansado e ofegante em cima de mim, amava esse meu efeito nele. Ele saiu vagarosamente de mim me fazendo arquear as costas e a morder seu ombro mais uma vez.

– Você ainda vai me arrancar um pedaço…

– Quieto não estrague o momento com gracinhas.. – ele riu baixo contra meu pescoço me puxando pro seu peito enorme – São por momentos assim que eu tenho medo… – desabafei.

– Mais não é preciso… – ele me estreitou ainda mias nos seus braços – como eu já disse amor… é impossível nos separar.. – ele me beijou calmamente agora doce como o mel, eu também amava essa parte – é impossível – ele repetiu começando a acariciar meus cabelos com uma de suas mãos. E como sempre, assim aninhada em seus braços o medo passava…

Anúncios