Jacob -Eu disse não,mas toda escolha tem suas conseqüências….Umas mais que outras.

Bella – Não comece! Você vai ter que aceitar minha escolha.

Jacob para ,a proximidade deles é intima.

Jacob – Você pode amar mais de uma pessoa por vez. Eu já vi isso,com Sam, Emily

e Leah…

Bella – Eu não sou um lobo, não posso ter imprinting.

Jacob – Não é sobre imprinting. É sobre sentir algo por alguém. E eu sei que você sente

algo por mim.

Jacob – Eu posso perceber como você se sente. Fisicamente. Eu faço você ficar nervosa.

Jacob puxa ela pra mais perto, realmente, a fazendo ela ficar um pouco nervosa.

Bella – Jake, por favor…

Jacob – Não se preocupe, eu prometi eu não vou te beijar de novo,até você pedir para eu não

cumprir.

Bella – Você continuará mantendo essa promessa por muito tempo, Chefe Jacob.

Ele viu que chamou a atenção dela, e sorri.

EXT. CLAREIRA NA FLORESTA – DIA

DE VOLTA EM EDWARD e Jasper correndo para a floresta.

Jasper – Eu peguei todo o fedor dos lobos. Não da Bella. Este será nosso trabalho.

Edward (range os dentes) – Ótimo

EXT. CASA DE BELLA – TARDE

Bella desce de sua caminhonete, assim que Alice sai da casa com Charlie. Os dois estavam

rindo, divertindo-se um com o outro, Alice desce as escadas…

Charlie – Não seja estranha, Alice. Oi, Bells.

Bella surpresa, ver Charlie voltando para dentro de casa. Bella encontra Alice no jardim.

Alice – Seu álibi para a batalha está arranjado.

Bella – Sério?

Alice – Eu disse ao seu pai que toda minha família vai acampar este final de semana. Então

você e eu vamos dormi na minha casa.

Alice – A mim ele gosta. Na realidade, você e Edward vão ter a casa só de vocês hoje à noite.

Bella – Sozinhos?

Alice – Vamos todos caçar, ganhar energia para a luta. Você é bem-vinda.

Câmera na Bella, ruborizando em antecipação e nervosa.

COZINHA DA BELLA – TARDE

Charlie – A irmã, eu gosto.

Bella – Yeah, Alice é demais.

Ela vai para a pia, começa a lavar os pratos, demasiadamente casual…

Bella – Então, pai, eu estava pensando… Por que você nunca casou novamente?

Charlie – Eu não sei. Acho que nunca encontrei a pessoa certa. Por quê?

Bella – Eu achei que foi porque você, não sei, desistiu de tudo isso. De casar. Mas, você ainda

acha que tem valor?

Charlie (suspeitando) – Claro, casamento tem valor. Quando você é velho. Muito mais velho.

Como sua mãe, funcionou perfeitamente da segunda vez. Sabe, mais tarde na vida.

Bella – É, eu acho.

Charlie – Definitivamente você não quer se casar, porque você não foi… Cuidadosa.

Bella – O quê?

Charlie – Eu quero dizer,há coisas que você precisa saber quando você está…fisicamente

íntima.

Bella – Ah não, não me diga que nós vamos ter “A Conversa”.

Charlie – Eu estou tão envergonhado quanto você.

Bella – Eu duvido disso seriamente. E a mamãe bateu você ao fazer isso há dez anos.

Charlie – Você não tinha um namorado há dez anos.

Bella – Eu acredito que as coisas ainda funcionem do mesmo jeito.

Charlie – Então vocês dois estão tomando precauções?

Bella – Por favor… Digo sério, por favor, não se preocupe com isso. Edward é… Da

velha guarda.

Charlie – Eu… Eu não sei com que aquilo… Aquilo é parecido, uma técnica ou…?

Bella – Oh meu Deus! Eu sou virgem! Ok? E eu não posso… Acreditar que eu falei

isso em voz alta.

Nem ele pode.

Charlie – Sério? Oh. Eu estou gostando do Edward um pouquinho mais.

Bella ,constrangida, tranca a porta.

EXTERIOR – CASA DOS CULLEN – NOITE

Bella se aproxima da porta da frente, noite a fora, com uma bolsa no ombro. Ela está

nervosa. Desajeitada. Ela arruma seu cabelo. Endireita seu suéter. Checa sua respiração.

A PORTA DE REPENTE É ABERTA – para revelar Edward, preocupado.

Edward – Por que você está aguardando aqui fora? Algum problema?

Bella – Não.

Ele olha para ela interrogativamente, pega sua mochila e faz um gesto para ela entrar.

Bella respira fundo e entra.

INTERIOR DO QUARTO DE EDWARD – NOITE

Bella segue Edward pelo quarto até encontrar uma enorme cama, luxuosa, com cabeceira de

ferro. Ela para ao vê-la.

Bella – Uma cama!

Edward – Eu pensei que você precisasse. Para dormir um pouco.

Timidamente Bella se move até a cama e senta na beirada.

Bella – Apenas um colchão teria bastado.

Edward – Isto é demais?

Bella – Não… É perfeito!

Tomando coragem, ela se move para o centro da cama.

Bella – Preciso perguntar-lhe uma coisa.

Ele pressente algo e senta junto a ela na cama.

Edward – Qualquer coisa.

Bella – O casamento é ainda uma condição para você concordar em me transformar?

Edward – Sim…

Bella – Ok. Bem. Eu quero negociar a minha, você sabe condição.

Edward– Há outra coisa que você quer? É seu. Seja o que for isso.

Bella olha para ele. Então, inclina-se, beija-o. Sem jeito, ela se aproxima mais, o beija

novamente, mais profundamente… Ele retorna o beijo. Apaixonados. Mas, como ela tenta

desabotoar a camisa – ele a empurra para trás, percebendo…

Edward– Bella… não. Eu poderia machucar você.

Bella– Você disse que queria que eu tivesse todas as experiências humanas.

Edward– As únicas que eu não corra o risco de matar você.

Bella -Você não vai, e todos estão convencidos de que depois que eu mudar, tudo que

vou querer é abater a cidade e…

Edward– Essa parte não dura para sempre.

Bella– Eu quero estar com você enquanto ainda estiver assim, enquanto eu quero você desse

jeito.

Edward– É muito perigoso.

Bella– Tente, eu caso com você. Vou para a faculdade, deixo você me comprar um carro. Só…

tente.

Ele vê o quanto é importante para ela. Luta com seus próprios desejos conflitantes. Um difícil

debate interno.

Bella Por favor

Ela percebe que ele está em cima do muro. Ela timidamente se aproxima. Beija sua testa.

Bochecha. Sua boca… Ele permite-se beijá-la de volta, rígido.

A paixão se solidifica de novo… Ela tira a camisa dele com sucesso. Peito nu, ele a puxa para

mais perto. Eles voltam para a cama… Mas quando ela tenta tirar sua própria camisa – ele

finalmente se afasta, tentando reaver seu juízo.

Edward – Bella, Bella. Pare de tentar de tirar suas roupas.

Bella – …Você quer fazer essa parte?

Edward – Não esta noite.

Ela recua, extremamente humilhada. Rejeitada.

Bella – Você não quer. Wow. Ok. Isso é…

Ele rapidamente se move ao seu lado. Agarra-a, puxando para perto, intenso desejo em seus

olhos.

Edward – Oh, eu quero isso. Mais do que você pode imaginar. (ele pega suas mãos) Eu quero

que nos casemos primeiro.

Ele beija sua mão. Bella está tentando solucionar o caso.

Bella – O quê, eu sou alguma… Pervertida tentando surrupiar sua virtude?

Edward – Não é minha virtude que me preocupa.

Bella – Você não pode estar falando sério.

Edward – Eu gostaria de deixar essa regra intacta. (sai de seu olhar) Pode ser que seja tarde

para a minha alma, mas eu protegerei a sua, Eu sei que isso não é uma noção muito

moderna…

Bella – Isso não é precisamente moda antiga, isso é antiquado.

Edward – Sou de uma época diferente. As coisas eram… Menos complicadas. Por exemplo, eu

era considerado homem aos 18 anos. Se eu tivesse lhe conhecido, então…

Ele escorrega para fora da cama, ainda segurando sua mão… PASSA PARA O ROSTO DE

BELLA…

Edward – Eu teria cortejado você… E convidado você para minha casa. Faríamos passeios

acompanhado de nossos pais, ou tomar chá gelado na varanda. Eu teria roubado um beijo ou

dois. E depois de pedir permissão ao seu pai, eu estaria de joelhos…

Edward, agora está de joelhos…

Edward -… E ofereceria a você uma aliança.

… Ele pega de seu bolso uma pequena caixa preta e a abre para revelar…

INSERIR ANEL BRILHANTE – uma pedra comprida e oval com linhas inclinadas de pedras

brilhantes, no interior de uma teia frágil de ouro.

Edward – Este anel era da minha mãe.

O lindo anel literalmente tira o ar de Bella.

Edward a puxa enquanto ele permanece de joelhos.

Medo e amor batalham dentro dela.

Edward – Eu teria dito… Isabella Swan. Eu prometo te amar. Por todos os momentos da

eternidade. Você me daria à extraordinária honra de… Casar-se comigo?

Enquanto ele coloca o anel em seu dedo, ela está emocionada. Lágrimas em seus olhos,

finalmente, o amor vence…

Bella – Sim. Sim, eu aceito.

Ele levanta, radiante e a abraça, levantado-a. Ele está feliz. Ela vacila, emocionada, a

ambivalência ainda lá enquanto ela coloca o anel em seu dedo…

INT. SEATTLE – FÁBRICA ABANDONADA – NOITE.

Riley e Victoria abraçados, uma escura e desconcertante imagem da cena anterior. Eles estão

sobre uma passarela isolada, longe do exército de recém-nascidos. É um momento sensual,

íntimo.

Riley – Você não vem com a gente?

Victoria – Será uma decisão de última hora. Eu te disse como as coisas funcionam.

Riley (sorrindo forçadamente) – Certo. Os Cullen têm “poderes”.

Victoria se separa dele, irritadíssima com o som da voz de Riley.

Victoria – Não os subestime, Riley. Você terá os números, mas eles serão capazes de prever

qualquer movimento que você fizer.

Riley – Assim como seu amigo.

Ela olha pra ele, incerta sobre onde ele quer chegar com isso. Ela o rodeia.

Victoria – É. Meu amigo morto. Laurent descobriu coisas que eles poderiam fazer e eles os

mataram. Mas não antes de ele me contar.

Riley (cuidadosamente) – Talvez ele estivesse errado. (olha pra longe dela) Quero dizer…

Deveria ser o território dos Cullen. Mas nós estivemos conhecendo o lugar e eu nunca nem

mesmo tenho visto eles por aqui.

Flashes de fúria nos olhos de Victoria. De repente ela está de pé a poucos passos dele.

Victoria – Você não confia em mim.

Riley – Com a minha vida. Só estou dizendo que –

Victoria – Estou fazendo isso por nós. Para que possamos nos alimentar sem as retaliações

deles. Não posso mais viver do medo, esperando para que eles nos ataquem…

De repente, ele está ao seu lado, envolvendo-a com seus braços.

Riley – Eu não vou deixá-los. Eu vou acabar com o clã dos Cullen – eu juro.

Ela olha para ele, e então o beija.

Victoria – Eu te amo tanto

Ele abraça ela – mas por cima de seu ombro, nós vemos seus olhos e, assim, suas emoções

desaparecerem.

EXT. TRILHA NA FLORESTA – MANHÃ

CLOSE NO DEDO DA BELLA (sem aliança) – UM PINO A MACHUCA e uma gota de sangue

aparece.

CAMERA APROXIMA DE BELLA que toca em uma árvore. Ela se move pela trilha na direção de

outra árvore, também tocando. As nuvens acima estão escuras. Ela continua, fazendo caminho

até…

EXT. CLAREIRA – MANHÃ

Bella aparece num campo vazio. Ela toca em outra árvore. Edward aparece atrás dela.

Edward – Iremos pela borda.

Bella – Se é com tudo isso que eu possa contribuir. Eu quero seja perfeito.

Edward – Jasper ficará impressionado e os recém nascidos ficarão agitados. Agora, me deixe

colocar um curativo nisso.

Ele pega em sua mão. Ela recua, preocupada…

Bella – Eu posso fazer isso. Você não precisa ficar desconfortável.

Edward – Não se preocupe. Isso não me incomoda mais.

Bella – Desde quando?

Ele segura a mão dela, e coloca um curativo nela.

Edward– Desde que eu sobrevivi pensando que você estava morta.

Ele continua segurando sua mão. Dá a ela um olhar zombeteiro.

Edward – Você não está usando seu anel.

Bella – (pega de surpresa ) Eu não queria correr o risco de perdê-lo.

Edward – … Ou deixar Jacob vê-lo?

Bella – Seria melhor se eu falasse para ele, você sabe, depois. Após a luta de amanhã.

Edward – Se você tiver com segundas intenções…

Bella – Não. Eu só quero que ele tenha a cabeça limpa.

Jacob -A cabeça de que quem não está limpa?

Eles giram para encontrar Jacob através da clareira. Ele se aproxima…

Bella – Ninguém, eu espero.

Edward– Alice disse que vem vindo uma tempestade.

Jacob – Eu posso sentir isso. Nós devíamos ir andando…

Edward – Eu farei uma rota maior. Mas eu chegarei lá primeiro. Montem o acampamento.

Jacob concorda. Edward vira para Bella, procurando seu rosto por ambivalência e certeza.

Finalmente, ele beija sua testa.

Edward – Eu te verei em algumas horas.

Ele pega sua bolsa e vai embora. Jacob olha para Bella

Jacob – Aconteceu alguma coisa?

Bella – O mesmo de sempre; um bando de vampiros tentando me matar.

Jacob – O mesmo de sempre mesmo.

Eles dividem um sorriso, enquanto ele a carrega em suas costas…

UMA SÉRIE DE CENAS:

EXT. DÉPOSITO DE MADEIRA ABANDONADO – DIA

Riley lidera o exército de recém-nascidos por todo o quintal fantasmagórico. Eles se movem,

saltando sobre pirâmides de raízes apodrecidas. Enquanto eles vão em direção a água,

encontram em Bree, dúvida em seu rosto…

EXT. FLORESTA – DIA

Jacob corre com Bella, carregando seu corpo sem esforço algum. Ela se segura nele, sua mente

cheia de preocupações.

EXT. PRAIA – MAIS TARDE NAQUELE DIA

Na misteriosa e deserta praia… Riley surge da água. Encharcado, mas sem se importar com a

água gelada. Simplesmente vai direto para a floresta.

Um por um, o resto do exército aparece atrás dele. Eles seguem Riley, aumentando a

velocidade. Primeiro andam, depois correm… Uma força incomparável.

Atrás de todos, Bree.

FLORESTAS – MAIS TARDE

Câmera no Jacob carregando a Bella, escalando o interior da montanha, indo cada vez pro alto.

Corta a cena quando Jacob e Bella alcançam…

Montanhas – Manhã – Vista aérea até estabilizar.

Jacob e Bella alcançam o topo onde Edward espera próximo da barraca.

TOPO DA MONTANHA – NOITE

Neve cai solenemente agora, vento glacial sopra. Jacob coloca Bella no chão. Eles se apressam

para o abrigo do topo para encontrar…

Um local de acampamento – erguido na parte mais segura da montanha. Edward está ao lado

da barraca, andando de um lado para o outro, esperando. Fica obviamente aliviado ao vê-la.

Ele a abraça. Volta-se para Jacob.

Edward – Obrigado.

Jacob assente. Bella também se volta para Jacob.

Bella – Você deveria ir para casa antes que a tempestade chegue.

Jacob – Eu vou ficar. Vocês vão precisar da minha conexão com os outros lobos para saber o

que está acontecendo.

Edward olha para baixo, não está feliz, mas sabe que Jacob está certo.

Bella (esperançosa) – Você não vai… Lutar?

Jacob – Seth vai me amaldiçoar de manhã. Ele não está nada feliz em perder a ação, mas eu

vou mantê-lo fora dessa confusão.

Edward nota o desapontamento dela. Ele passa o braço sob seus ombros e a guia para a

barraca.

Edward – Vamos para dentro.

EXTERNA –BARRACA – NOITE

Neve assopra do lado de fora e o vento bate na barraca.Uma luz brilha do lado de dentro.

INTERIOR – BARRACA DE EDWARD E BELLA – MESMA HORA

Uma lanterna queima. Bella está embrulhada no seu saco de dormir, completamente

vestida.Mas seus dentes continuam batendo.Está frio.

Edward – Eu devia ter escolhido um lugar mais abaixo.

Bella – E-eu estou bem. Está… Bem.

Edward – O que eu posso fazer?

Ela apenas balança sua cabeça. Edward está em apuros.

INTERIOR –BARRACA DE EDWARD E BELLA – MESMA HORA

De repente, o zíper frontal é aberto, e Jacob aparece.

Jacob – Eu não posso dormir com toda essa bateção de dentes.

Jacob começar a subir na barraca. Edward lê sua mente.

Edward – Esqueça isso.

Jacob – Ela poderá precisar dos seus pés um dia. E vamos esclarecer isso: eu sou mais

quente que você.

Jacob começa a se rastejar pro lado de Bella, mas a mão de Edward de repente para

rude em seu ombro. Jacob fala entre dentes.

Jacob – Tire. Sua mão. De mim.

Edward – Mantenha suas mãos longe dela.

Bella (suplicante) – N-não briguem.

Edward vê o severo desconforto dela. Ele, muito relutantemente, tira suas mãos. Jacob

olha para ele com seriedade.

Jacob – Se ela ficar doente, é culpa sua.

Edward pensa, então faz uma escolha difícil… Ele acena. Jacob entra no saco de dormir

próximo a Bella. Edward “ferve”.

Jacob (para Bella) – Você vai se esquentar melhor tirando as roupas…

Bella – J…

Jacob – Hey, sobrevivência.

Edward fixa seus olhos. Logo vê que os tremores de Bella diminuíram e que havia um consolo

calorento em cima dela. Estava com inveja.

INTERIOR DA TENDA – TARDE DA NOITE

EM BELLA, sem mais tremores. Suas pálpebras estão perdendo a luta contra o sono. JUNTA

JACOB, deitado sobre o cotovelo, olhando para Edward fora da tenta. Edward estava olhando

para ele também.

Edward – Tire Bella de suas fantasias, cachorro. Ou teremos um problema.

Jacob – Vou começar a cobrar para ler meus pensamentos..

Edward – Acredite. Eu tinha acabado contigo se pudesse.

Jacob – Eu realmente posso penetrar sua pele fria. O que, está duvidando dos sentimentos

dela por você?

EM BELLA, ela pisca os olhos ligeiramente. Eles não sabem que ela está acordada. Quando

Edward não responde, Jacob zomba.

Jacob – Legal. Vasculhar pelo meu cérebro tudo bem… Mas me deixar fazer isso com você, não

pode!?

(Sem resposta)

Jacob – Olhe, Eu sei que ela está apaixonada por você…

Edward – Bom

Jacob – Mas ela me ama também. Ela só não quer admitir isso para ela mesmo.

Edward – (longo suspiro) Eu não sei dizer se você está certo.

Jacob fica espantado com a honestidade dele.Suspira.

Jacob – Então deixa eu te perguntar uma coisa. Se ela me escolher…

Edward – Ela não vai…

Jacob– Se ela escolher. Você vai tentar me matar?

CLOSE NA BELLA – ela espera pela resposta.

Edward– Uma pergunta intrigante. Mas eu nunca machucaria ela desse jeito.

Jacob – Não,você só a transformaria em um demônio chupador de sangue que nem você.

Edward – Eu não quero isso. Nunca quis.

Jacob – Então impeça ela

Edward – Eu tentei. No começo eu tentei. Eu comecei com a esperança de que ela me

superaria.Perderia o interesse.Isso não aconteceu.

Anúncios