CASA DA BELLA (DIA)

Bella, irritada, sai do carro de Jacob segurando sua mão machucada, enquanto o Volvo de

Edward pára cantando pneus. Ele sai e vai direto para Jacob. Bella fica em seu caminho.

Bella – Aqui não, Edward. Por favor.

Ele se desvia de Bella, encarando o rosto de Jacob.

Edward – Se você se atrever a tocá-la contra sua vontade de novo…

Jacob – Ela não está certa se foi contra sua vontade

Edward – Ah, ela pode dizer por si mesma (um pouco piedoso) Eu te garanto.

Jacob – Tudo bem. Algum dia ela vai falar por si mesma e chamar por mim.

Bella – Pára com isso Jacob, vai embora

Mas Jacob está encarando Edward. Atrás deles, Charlie sai e vê a hostilidade entre eles.

Aproxima-se.

Charlie (se coloca entre eles) – Tudo bem garotos, vamos acalmar. Vamos lá. Relaxem.

Os dois não podiam batê-lo, mas se afastaram.

Charlie – Agora, o que diabos está acontecendo?

Jacob – Eu meio que… Beijei a Bella.

Charlie – Ah!

Ele não consegue evitar que parece um pouco satisfeito. Porém a próxima informação muda

sua atitude.

Jacob – Contra sua vontade. Então ela me bateu. E quebrou sua mão. Acidentalmente.

A expressão de Charlie se torna em um deslumbre, que até mesmo todo o

convencimento de Jacob se encolhe.

INTERIOR – CASA DOS CULLEN – COZINHA – TARDE

Carlisle – Foi apenas uma pequena fratura. Você está inteira, Bella.

Emmett e Jasper se alteram, ao ver a tala de Bella.

Emmett – Tentando caminhar e mascar chiclete ao mesmo tempo de novo, Bella?

Bella – Batendo na cara de um lobisomem.

Emmett (impressionado) – Valente. Você será uma recém-nascida um pouco mais

resistente.

Rosalie ATIRA o jornal pra baixo e caminha abruptamente para fora, lançando um

olhar feroz em direção à Bella. Bella está desolada.

Emmett – Não se preocupe com isso.

Edward – Vocês acharam mais alguma pista?

Jasper – Nenhum sinal do intruso. Mas Victoria continua fazendo aparições.

Carlisle – Ela está brincando com a gente. Mantendo-nos distraídos.

Emmett – De Seattle?

Carlisle – Do intruso. Ou algo assim.

Edward – Alice pode continuar rastreando pelas decisões dela, mas nós devemos rastrear pelo

solo.

Cansada de ser ignorada, Bella vai para o Deck*.

Jasper – Já cobrimos toda a península do sul até Quinault.

Edward – Nós iremos procurar a noroeste.

EXT. CASA DOS CULLEN – DECK – ANOITECER

O sol se põe sobre o rio quando Rosalie desvia o olhar. Bella surge. Rosalie sabe quem está

atrás dela sem mesmo ver.

Rosalie – Vá fofocar aos outros sobre a alegria de se tornar um recém-criado.

Bella – Eu sei o quão ruim deve ser.

Rosalie (insolente) – Você não tem a menor idéia.

Agora Bella tem. Ela se ajeita, chateada.

Bella – Rosalie estou tentando. Eu venho tentando. Mas não consigo entender o que fiz de

errado para você me odiar.

Rosalie – Odiar? Eu não te odeio. Eu particularmente não gosto de você, mas… Bella, eu tenho

inveja de você.

Bella – Isso é… Ridículo!

Rosalie – Você tem escolha. Eu não tive. Nenhum de nós teve. Mas você tem. E você está

escolhendo errado. Eu não me importo coma sua vida miserável.

* Deck pode ser um lugar coberto fora da casa ou um deck para barcos, como um convés.

Bella – Minha vida não é miserável. Não é perfeito, mas de ninguém é.

Rosalie – A minha era.

Bella – Foi há muito tempo, talvez você esteja esquecendo o desagradável.

Rosalie – Eu lembro. E era perfeita. Até…

Ela se vira para o rio novamente. Bella lentamente se move para o lado de Rosalie, mas

mantém certa distancia.

Rosalie – Eu tinha… Quase tive… Tudo, apesar de ter sido a grande depressão. Eu tinha 18

anos, bonita—todos em Rochester me invejava.

Despeja Rosalie enquanto—

CORTA PARA:

Close num rosto de bebê.

Cabelo preto encaracolado, covinha, angelical. Ele está sendo segurado por—

EXT. ROCHESTER, NEW YORK – PARK – DIA (1933)

Rosalie Humana, pele rosada, deslumbrante, mas ingênua, vaidosa. Vemos seu desejo no

momento em que devolve o menino para sua mãe. Vera, 18 anos.

Rosalie (Voz) – Eu queria tanto um filho. Uma casa própria. Um marido para beijar quando

voltasse do trabalho pra casa. Pensei que eu ia ter tudo isso.

EXT. ROCHESTER, NEW YORK – PARK – DIA (1933)

Rosalie anda de braços dados com o simpático e bem vestido Royce King. Um pedestre a olha

com admiração. Royce se diverte com a atenção que ela lhe provoca. Mas é claro que parece

que o próprio Royce não gostou.

Rosalie (Voz) – Royce era o solteiro mais cobiçado da cidade. Eu mal o conhecia – nós nunca

estivemos sozinhos. Mas eu estava encantada pela idéia de amor.

Rosalie não vê Royce mirando uma bela mulher através das ruas. A mulher, horrorizada, aperta

o passo. Ele limpa o desprezo de sua face. Rosalie alegremente vê apenas seu homem perfeito.

Rosalie (Voz): Eu era jovem…

EXT. ROCHESTER NEW YORK – RUAS – NOITE (1933)

Rosalie dirige-se abaixo pelas ruas sem lâmpadas. Ela puxa seu casaco e o fecha, close no ar

frio da noite.

Rosalie (Voz): No último dia de minha vida, eu deixei a casa de uma amiga tarde. Eu não estava

longe de casa…

Ela diminui quando vê um GRUPO DE CINCO HOMENS, recolhidos sobre um poste. Eles

gargalham bêbados, passando a garrafa. Rosalie foge para evitá-los, mas em seguida, ouve —

Royce – Rose! Nós estivemos esperando por você.

Rosalie relaxa um pouco quando percebe que é Royce.

Rosalie – Royce, você está bêbado.

Royce (para seu amigo): Ela não é adorável, John? Disse-lhe que ela era observadora.

John (olhando sensualmente): É difícil dizer com todas essas roupas.

Rosalie, desconfortável, olha para Royce, mas ele só ri.

Royce – Mostre para ele sua aparência, Rose. Tire umas poucas peças.

Rosalie – Vejo você amanhã, sóbrio.

Ela começa, mas Royce abruptamente arranca seu chapéu – ela chora de dor

quando os grampos de seu chapéu puxam seu cabelo. Royce sorri sádico, agora que

está desmascarado. O homem ri.

Royce – Você faz enquanto eu falo.

Então, ele agarra o casaco dela. Ela briga com ele, arranhando o rosto dele,mas ele

violentamente rasga o casaco dela.

Foco no botão de bronze – eles “pulam para fora” (CÂMERA LENTA) Seguir os

botões enquanto eles se espalham pela rua.

Rosalie (Voz)- Eu não vi o que ele era até aquela noite. O que todos eles eram…

EXTERNA – CASA DOS CULLEN – O DECK – TARDE

Bella fica perplexa com o horror do estupro da Rosalie. Ela se enche de empatia, enquanto uma

estóica Rosalie continua…

Rosalie – Eles me deixaram na rua, pensando que eu já estava morta. Acredite em

mim, eu queria estar. Carlisle me encontrou – cheirou todo o sangue. Ele pensou que

ele estava me ajudando.

Bella – Eu… Eu sinto muito que isso tenha acontecido com você.

Mas Rosalie não queria piedade.

Rosalie – Eu consegui me vingar deles… Um de cada vez (um sorriso sempre-tão-discreto) Eu

deixei Royce por último… Então ele saberia… Que eu estava vindo.

FLASHBACK – INT. CORREDOR DE HOTEL – NOITE – ANO 1933

Dois homens grandes guardam o caminho da porta para um quarto. Eles olham para

cima quando um espectro em branco aparece no fim do corredor. Enquanto isso se

aproxima, nós percebemos que é Rosalie, em seu vestido de noiva.

INT. QUARTO DE HOTEL (CONTINUAÇÃO) – NOITE-ANO 1933

Royce está assustado, enquanto ele ouve o som do corpo dos dois guardas caindo

pesadamente no solo. Ele se esconde em um canto – a porta abre com um estardalhaço

e Rosalie entra. Horror de Royce enquanto ela se aproxima dele.

De volta ao presente de Rosalie.

Rosalie – Eu era um pouco… Teatral até então.

Uma expressão de diversão, mas desaparece rapidamente.

Rosalie – As coisas melhoraram depois que encontrei Emmett. Mas nós sempre seremos…

Congelados. Nunca seguindo em frente. É o que eu mais sinto falta… As possibilidades. De

estar sentada na varanda, Emmett com cabelos grisalhos do meu lado, cercados por nossos

netinhos, ouvindo suas risadas…

Rosalie fica em silêncio por um tempo. Bella se vira pra ela, mostrando que está entendo, mas

ficando quieta em seu lugar.

Bella – Eu entendo que é isso o que você queria, mas nunca existirá nada que eu queira a não

ser Edward.

Rosalie – Errada de novo. Depois que você tiver sido mudada, só haverá uma coisa que você vai

querer e pela qual você mataria: sangue.

Vendo que sua opinião estava dada, Rosalie sai. Bella está tremendo, olha em direção da casa

e vê Edward parado na janela, olhando pra ela.

Jessica (O.S.) – Quando a gente tinha 5 anos, eles perguntaram o que nós queríamos ser

quando nós crescermos…

INT –ESCOLA SECUNDARIA DE FORKS– GINASIO – DIA DA GRADUAÇÃO

Câmeras filmando os estudantes, família e professores. Guarda -chuva à mão no caso de

chover.

Jessica – Nossas respostas eram coisas como astronauta, presidente,

Jessica está no palco, é oradora da turma.

Jessica – Ou no meu caso, princesa.

(público rindo)

Jessica – Quando nós tínhamos dez, eles perguntam de novo e nós respondemos – estrela do

rock, caubói, ou em meu caso, medalhista de ouro. Mas agora que crescemos, eles querem

uma resposta séria. Bem, o que acham disto: Quem diabos sabe?!

Barulhos e gritos vinham da audiência, encontramos Bella. As palavras de Jessica ficam mais

baixas…

Jessica – Este não o momento de fazer decisões rápidas e difíceis. Pegar o trem errado e ficar

preso em algum lugar frio. Se apaixonar – muito. Licenciado em filosofia, porque não existe

maneira de fazer uma carreira fora dessa. Mude de idéia. E então mude de novo, por que nada

é permanente.

Mostra Bella, sabendo que não haverá mudanças de idéias quando tomar sua decisão. O

discurso continua.

INT – GINASIO – DIA DA GRADUAÇÃO

No palco – Bella caminha até o Diretor Principal e aperta sua mão enquanto recebe o diploma.

No público, Charlie bate palmas espalhafatosamente, sorrindo com orgulho.

Jessica (Voz) – … Então, erre quantas vezes você puder. Assim, algum dia, quando eles

perguntarem de novo o que você quer ser… Nós não teremos que achar. Nós saberemos.

EXT. COLEGIO – POS CERIMONIA DE GRADUAÇÃO – DIA

Charlie e Bella vão para fora, Bella tira desajeitada o barrete de seu vestido. Charlie coloca o

braço sobre o ombro de Bella, emocionado

Charlie – Eu estou tão orgulhoso de você Bells. Eu não posso esperar para ver o seu próximo

passo. Você é minha maior satisfação.

Bella – … Pai, isso não é verdade.

Charlie – Sim, é sim. E é… (incrível) Bem, você verá, quando tiver filhos.

(Fora da Bella)

EXTERIOR – SEATTLE – RUA ISOLADA- NOITE

Riley – O que eu disse sobre ficar na surdina!

Riley, exasperado, fica perto de um antigo modelo de Sedan que está virado de cabeça

para baixo na rua. Fumaça sai do motor, que começa a pegar fogo. Dentro do carro,

uma mulher grita.

Riley – Você chama isso de ficar na surdina?

Um homem recém-nascido o ignora, quando ele puxa a mulher do carro e começa a

se alimentar dela. Perto, dois outros recém-nascidos se alimentam de seus próprios

prêmios – uma prostituta e um mensageiro de bicicleta. Riley desiste.

Riley – Só… Limpem tudo quando acabarem.

VIADUTO A DISTÂNICA.

Quatro pessoas, completamente imóveis, olhando para as mutilações.

A câmera se aproxima, para mostrar que são os Volturi: Jane com seu enganador rosto

de anjo. O grande Felix, o elegante Demetri e o angelical Alec. Todos usam casacos

escuros com capuz. Jane está na liderança.

Alec distância, para Jane) – Que… Indiscreto.

Felix – Eles já chamaram atenção demais.

Demetri – Assim como a nossa “inatividade”. Outros podem começar a questionar a…

eficácia dos Volturi.

Jane – Deixe-os.

Felix – Talvez nós devêssemos consultar o Aro.

Jane lança a Felix um olhar – o seu corpo arde em dor. O grande Felix cai no chão,

se contorcendo silenciosamente. Jane é uma pequena menina assustadora.

Jane – As decisões de Aro estão sendo vigiadas. Nós temos que decidir.

Alec cuidadosamente, toca gentilmente seu ombro, intercedendo.

Alec – Está decidido, irmã. Está na hora.

Ela libera Felix. Demetri ajuda-o. Ela sorri para Alec, extremamente sem se importar

com a dor que ela causou em Felix.

Jane – Sim, está na hora. (olha para o recém-criado) Ou nós os deixamos fazerem sua

missão porque eles foram criados, ou acabamos com eles logo. Decisões, decisões…

DE VOLTA PARA RILEY – Ele sente algo. Olha para cima.

PONTO DE VISTA DO RILEY – Os Volturi se foram. Nós começamos a ouvir a

batida de uma música dançante enquanto nós vamos para…

INT. CASA DOS CULLEN – FESTA DE FORMATURA – NOITE

De parede a parede há adolescentes. Dançando,comemorando.Alice transformou o

lugar em uma boate.

FOCA NA PORTA DA FRENTE – Bella entra,imediatamente esmagada pela multidão.

Ela faz um caminho através da multidão, procurando por Edward.Ela finalmente o localiza.

BELLA ATRAVESSA A PORTA DA COZINHA

Edward está atento conversando com Carlisle,Emmett e Jasper.Sua disposição é intensa.

Bella está indo em direção deles, mas Jessica e Angela a atrapalham.

Angela– Você está finalmente aqui!

Jessica– O que você achou do meu discurso?Leve demais, muito auto-ajuda?

Bella (genuinamente) – Na verdade, você foi ótima.

Jessica – Como se eu tivesse nascido pra liderar, certo?

Angela – Eu amo essa música! Vamos…

Ela empurra todos para a pista de dança onde Eric e Mike as encontram.

Mike – Hora de dançar, Bella. Não me faça dançar robô.

Eric – Você bem quem que gostaria que sua dança robô fosse tão boa assim.

Mike e Eric começam uma batalha de dança de robô. As garotas riem. O clima de celebração

era obviamente um contraste com a atmosfera na cozinha. Pista de dança é um inferno para

Bella, mas ela força um sorriso, se enturmando um pouco. Então ela vê…

PORTA DA FRENTE

Jacob entra, calmo e confiante. Quil e Embry seguem ele, parecendo tensos, olhos analisando

tudo no ambiente. Bella sai da pista de dança indo em direção a Jacob.

Bella – O que está fazendo aqui?

Jacob – Você me convidou, lembra?

Bella – Meu avisou foi muito sutil? Eu estava desconvidando você.

Jacob (genuinamente com remorso) – Bella, me desculpe, sabe o beijo e sua mão… Eu culparia

meu instinto animal por isso, mas… Fui eu. Sendo um idiota. Sério, me desculpe.

Ela vê que ele está sendo sincero. Ela assente mais gentil.

Jacob – Eu te trouxe um presente de formatura. Eu que fiz.

Ele pega sua mão e afivela no seu pulso um bracelete charmoso.

DETALHANDO – o charme: uma figura intrincada de um mini-lobo esculpido à mão.

Bella olha para o bracelete, comovida.

Bella – É… Lindo. Você que fez? UAU, eu… Obrigada.

Jacob está satisfeito. Mas então o olhar da Bella fica preso em Alice, esperando na escada,

completamente imóvel, congelada. Ela está tendo uma visão. Um alarme passa

pelo rosto da Bella. Jacob vê isso.

Bella – Eu já volto.

Jacob – Por quê? O que está acontecendo?

Bella – Nada. Apenas espere aqui por um segundo.

Jacob compartilha um olhar desconfiado com Quil e Embry à medida que Bella vai

empurrando através da multidão.

ÂNGULO NA ESCADA – Bella alcança Alice assim que ela sai da visão,seu rosto

está alarmado.

Bella – Alice, o que foi? O que você viu?

Jacob aparece.

Jacob – Ok, alguma coisa está acontecendo. Diga-me.

Alice – Eu… Preciso falar com Jasper.

Jacob coloca uma mão na parede, bloqueando-a.

Jacob – Por que você não fala comigo?

De repente, Jasper está ali. Sua expressão é letal.

Jasper – Eu sugiro que você tire seu braço daí, antes que eu o faça.

Jacob o faz, lenta e cuidadosamente.

Jacob – Apenas procurando informações.

Alice – A decisão já foi tomada.

Bella – Não está indo a Seattle, está?

Alice – Não.. Eles estão vindo para cá.

Alice conta sua visão.

VISÃO DE ALICE: SEATTLE – FÁBRICA ABANDONADA

Riley passa entre os recém-criados a blusa vermelha de Bella. Eles inalam o cheiro,

memorizando-o.

EXT. CASA DOS CULLEN – ATRÁS DO DECK – NOITE

A festa continua lá dentro. Mas fora, a discussão continua tensa. Bella, Alice, Edward, Jasper e

Carlisle debatem, enquanto Jacob tenta acompanhar. Quil e Embry estão por perto, de guarda.

Edward – Quanto tempo?

Alice – Eles estarão aqui em quatro dias.

Carlisle (com má fé) – Isto pode se tornar um banho de sangue.

Jasper – Não há número suficiente de “nós” para proteger a cidade.

Jacob – Alguém está vindo atacar a cidade?

Edward (ignorando Jacob, para Alice) – Quem está por trás disso?

Alice – Eu não vejo ninguém familiar. Talvez…

Edward (lendo a mente de Alice) – Sim, eu já vi esse rosto. Este local. Riley Biers.

Ele chama a atenção de Bella enquanto ela reconhece o nome, abalada.

Edward – Mas ele não começou isto.

Alice – Quem quer que esteja fazendo isso, não está querendo aparecer.

Carlisle – Então alguém jogando com pontos cegos na sua visão.

Edward – Apenas os Volturi poderiam saber sobre o dom da Alice. Aro teria descoberto,

quando leu a mente de Alice…

Jasper – De qualquer maneira, o exercito está vindo e nossas chances não são boas.

Jacob – Tudo certo, espera um pouco. Que exercito?

Ele está a ponto de explodir. O Carlisle e Edward trocam um olhar. Edward balança a cabeça

negando, Carlisle decide diferente.

Carlisle – Nossa espécie. Recém -nascidos

Quil – Quantos?

Jasper – O bastante.

Embry – O que são eles faziam?

Alice – Eles estavam passando o perfume da Bella em volta de uma blusa vermelha

Bella – Então era isso que eles estavam fazendo em minha casa—

Jacob – Ok, que porra isso significa?

Carlisle (angustiado) – Isto significa uma horrível briga. Com vidas perdidas.

O encargo dessa região estava sobre eles. Batida. Jacob compartilha um sóbrio olhar com

Embry e Quil. Um imperceptível aceno.

Jacob – Nós estamos dentro.

Bella – O quê? Não, você vai se matar!

Jacob – Por favor, é para isso que somos feitos.

Edward – Esqueça isso.

Jacob – Eu não estou pedindo permissão —

Carlisle – Tudo bem.

Os caras saem. Carlisle se volta para —

Carlisle – Você acredita que Sam irá aceitar isso. Ok?

Jacob – Se isso for uma palavra elegante para combatermos juntos, é. Nós podemos viver aqui

também.

Edward procura Carlisle que ainda está pesando isso.

Anúncios