Jacob respira pra se acalmar. Depois olha pra Edward

Jacob – Eu estou aqui pra te alertar… Se seu tipo vier nas nossas terras de novo.

Bella – Espere o que?

Jacob (percebendo, para Edward) – Você não contou a ela.

Edward – Esqueça isso, Jacob.

Focando Alice e Jasper, os quais sobem graciosamente e rapidamente no carro, posicionando-o

nas proximidades, apenas por questão.

Focando Mike, Eric, Jéssica e Ângela, os quais observam os acontecimentos. Ângela teme uma

luta; os outros parecem mais intrigados por uma.

Volta para Edward, Jacob e Bella.

Bella – Conte-me. Eu quero saber.

Edward – Apenas um desentendimento estúpido entre Emmett e Paul. Nada de mais.

Jacob – Cara! Olha o que você está falando. Mentiu para ela sair da cidade, também?

Edward – Saia. Agora!

Jacob – Ela tem direito de saber. Ela é o que a “cabeça-vermelha” quer.

Bella – Victoria voltou! (Girando para Edward) A visão de Alice, não era sobre Jasper, era? Era

Victoria!

Edward – Eu estava tentando proteger você.

Bella – Mentindo?

Ele não pode responder. Não há palavras pra descrever sua preocupação e sua frustração. Uma

batida… Então ela se vira.

Bella – Jake, espera até…

A mão de Edward está em seu braço tão rápido que ela mal se movia. Ela se vira para ele, com

raiva controlada.

Bella – Edward, você tem que confiar em mim.

Edward – Eu confio. É nele que eu não confio.

Bella apenas olha para Edward; forte, independente, discordando. Finalmente, ele solta ela. Ela

corre até Jacob. Sobe na traseira da moto dele. Jacob sorri.

Jacob (para benefício de Edward) – Segura firme.

Bella – Para de rir, Jake. Nós só estamos dando uma volta.

Ele dá a partida na moto, então dá um urro com Bella na traseira. Edward os assiste ir, fora de

sua apreensão.

EXT. LA PUSH – CASA DE EMILY – DIA

Jacob estaciona, ele e Bella saltam da moto.

Bella – Eu não acho que isso seja uma boa idéia. Eu sou, você sabe a “menina vampira”.

Mas a porta da frente abre com um estrondo e JARED, PAUL, EMBRY e QUIL saem, empurrando

o resto de carne pelas suas gargantas. Bella fica tensa, mas para sua surpresa e alívio, Embry

sorri quando a vê.

Embry – Ei, olha quem está de volta!

Quil – E aí, Bella?

Bella – Quil… Você também?

Quil – É. Eu também. Legal você estar aqui. Finalmente tiramos uma folga do monólogo

obsessivo do Jake.

Paul (imitando Jacob): Gostaria que a Bella ligasse.

Jared – Eu gostaria que ela não ligasse.

Embry – Talvez eu devesse ligar pra ela.

Jacob – Vocês podem calar a boca agora.

Quil – Talvez eu devesse ligar pra ela e desligar na cara dela.

Jared – Talvez eu devesse ligar pra ela, dizer alguma coisa e desligar na cara dela.

Jacob (pra Bella): Tô procurando por um novo bando. Alguma sugestão?

Bella sorri enquanto os garotos riem, empurram uns aos outros, brincando.

Atrás deles, uma garota esbelta com cabelos pretos cortados sai. Leah Clearwater, 19 anos. Ela

seria linda se não fosse por sua expressão carrancuda. Leah vê Bella e sua carranca fica ainda

pior.

Jacob – Bella, essa é Leah Clearwater. Filha do Harry.

Bella – Eu… Eu sinto muito pelo seu pai. Meu pai sente muito a falta dele.

Leah – Se você está aqui pra torturar o Jacob mais um pouco, sinta-se livre pra ir embora.

Bella é pega de surpresa. Jacob olha feio pra Leah; ela é impenetrável. Assim que Emily e Sam

saem, Leah também sai abruptamente.

Jacob – Divertida ela, né?

Emily dá um abraço em Bella. Sam dá um agradável aceno de oi.

Emily – Bella, eu estava me perguntando quando veríamos seu rosto de novo por aqui.

Jacob – Então?

Sam – Nós estamos bem. Ela não vai tentar atravessar nossa linha tão cedo.

O anúncio dos caras posicionava um desafio másculo, enquanto eles faziam seu caminho pela

beira da floresta. Sam se vira para Emily para dizer adeus, olha dentro de seus olhos. A conexão

deles é profundamente íntima. Enquanto Sam gentilmente a beija, Bella educadamente olha

para outro lado…

POV. Bella* – Em Leah

* ponto de vista

Da beira da floresta, Leah olha de relance para o beijo de Sam e Emily, então abruptamente cai

para frente, antes de suas mãos baterem no solo, elas se tornam patas. Leah, agora um lobo

cinza claro, desaparece dentro da floresta… Para surpresa de Bella.

EXTERNA – CASA DE JACOB – DIA

Jacob e Bella saltam da moto, empurrando até a garagem enquanto.

Bella – Desde quando Leah, você sabe…

Jacob – Mais ou menos quando o pai dela morreu. O irmão dela, Seth, também se

transformou. Ele só tem quinze. Um dos mais novos que nós temos. Sam o mantém em casa,

estudando, mas as crianças vêm mastigando o freio. Queria que Leah que ficasse em casa.

Bella – Não seja tão machista

Jacob – Não é uma coisa de garotas. É uma coisa de triângulo amoroso. Nós todos temos que

conviver com o festival de dor de Leah-Sam-Emily. Telepatia de lobo, se lembra?

Bella – Sam chutou Leah por causa de Emily?

Jacob – Não foi bem assim. Sam odeia a si mesmo por fazer Leah sofrer, mas Emily foi a

escolhida.

Bella – É, suponho que às vezes ISSO te escolhe.

Jacob sabe que ela está falando sobre Edward, mas ignora.

Jacob – É mais que uma queda. Sam teve um imprint com Emily.

Bella – Será que eu quero saber o que é isso?

Jacob (amargamente) – É só mais uma coisa sobre a qual nós não temos controle. Até mesmo

nossas malditas almas gêmeas são escolhidas por nós. Agradeça aos seus amigos sugadores de

sangue.

Bella – Oh, vamos. Você não pode culpá-los por isso.

Jacob – Tenho certeza que posso. Se nós não fôssemos lobos, não teríamos a impressão. Nós

não seríamos lobos se os malditos vampiros tivessem ficado longe daqui, mas eles continuam

voltando.

Bella (refletindo) – E quando eles estão por perto, você muda.

Jacob – Nós perdemos tudo. Nossas vidas, nossos futuros, nossa vontade de fazer o que

queremos – Você sabe que Quil teve uma impressão. Claire. Ela tem 2 anos.

Bella – Hm. Isso é repugnante.

Jacob – Você não entende. Não tem nada romântico nisso. É… Uma coisa espiritual. Mesmo

assim, Quil nem vai namorar alguém por duas décadas. Até Claire se entregar a ele.

Bella (bate) – Ainda um pouco arrepiante.

Jacob (rindo) – Você ainda não entendeu.

Ele continua andando para a garagem. Ela o segue.

DENTRO DA GARAGEM – CONTINUAÇÃO – DIA

Jacob e Bella entram. Jacob rola a moto até seu lugar. Ela nota sua velha moto num canto,

acumulando poeira.

Jacob – É tipo, quando você a vê…

Quando ele encontra suas palavras, ele move-se lentamente em direção a ela.

Jacob -… Tudo muda. De repente, não é a gravidade que te segura no mundo, é ela. (Muito

perto de Bella agora) Nada mais importa. Você faria qualquer coisa por ela – seria qualquer

coisa. Por ela.

Ele está olhando nos olhos de Bella. Ela está com medo de perguntar, mas…

Bella – Parece que você conhece o sentimento.

Jacob – Eu conheço.

Bella – Você já… Teve um imprinting com alguém?

Ele pensa na pergunta – a verdade contra o que ele gostaria que fosse a verdade. Ela espera as

emoções conflitantes. Finalmente, ele se vira, com um pesar em sua voz.

Jacob – Você saberia se eu tivesse. Eu tenho uma conexão direta com os pensamentos de Sam

e Quil

Ela está aliviada. E confusa sobre seu alívio. Ele pega uma chave de fenda, apertando algo em

sua bicicleta.

Bella – Então, até agora você ainda você.

Jacob – E você ainda é você.

Bella – Sim. (hesita) Até depois da formatura…

Jacob (raiva abruptamente explodindo) – Formatura?

Bella – Jake, eu te disse que isso aconteceria –

Jacob – Não em um mês. Não antes de você – de você ter até vivido! Antes que eu pudesse –

Ele abruptamente joga sua chave inglesa pela garagem. Ouve bater na parede –

Jacob – Por um segundo – só um segundo eu pensei – mas ele tem seus ganchos presos em

você tão profundamente –

Bella – Ele não decidiu isso, eu decidi –

Jacob – E agora você vai ser – aquilo. Eles não estão nem vivos – me deixa enojado. Melhor

você estar realmente morta do que ser um deles.

Bella (chocada): Você não disse isso.

Ele está bravo demais para retirar o que disse. Ela se dirige a porta.

Bella – Edward estava certo, isso foi uma idéia ruim.

Jacob – Bella, e não quero – por favor.

Ela desacelera, se vira para ele. Ele tenta se acalmar.

Jacob – Eu irei – Eu vou tentar não pensar sobre – eu – cara.

Jacob (respira outra vez) – Me desculpa, eu não deveria ter dito isso.

E demora um longo tempo pra ela se recuperar do ofensivo comentário. Finalmente, ela acena.

Ela se move para sua moto empoeirada, limpa o seu assento.

Bella – Nós devíamos nos ater a objetos mais seguros como… As motos.

Jacob – A única coisa segura sobre sua moto é quando você vai cair.

Ela ri, assim como ele. A tensão vai vagarosamente se dissipando assim como a poeira das

motos, voltando para o relacionamento de amizade.

INT. QUARTO DE BELLA – NOITE

CLOSE NO APANHADOR DE SONHOS DA BELLA uma mão de um homem. CLOSE no homem ele

dá uma volta no quarto, tocando as coisas, pegando coisas, curioso, tirando umas poucas

coisas do lugar. É assustador.

Finalmente, sua mão encontra uma blusa vermelha colocada na cadeira. E a leva ao seu nariz,

nós vemos seu rosto- É Riley! Pele branca, cor acinzentado, olhos vermelhos. Um vampiro.

Ele inala o perfume de Bella de suas coisas, da sua jaqueta e sai do quarto. Nós o vemos

descendo as escadas e entra –

INT. CASA DE BELLA – SALA DE ESTAR -NOITE

Riley silenciosamente entra e acha Charlie dormindo no sofá. Ele está de uniforme, arquivos

espalhados alguns deles descansando sobre o seu tórax. Riley inclina sobre ele, vê a foto dele

mesmo (ele é um caso do arquivo), um artigo do jornal —

NO JORNAL – ASSASINATOS EM SÈRIE SOBEM EM SEATTLE

Riley, intrigado, pega o jornal de seu próprio arquivo e Charlie está inconsciente do perigo que

está a alguns centímetros de distância…

Riley olha casualmente para o coldre de Charlie. Silenciosamente, estranhamente suavemente,

tira sua arma. Olha para o cano. Está carregada.

Riley aponta a arma para a cabeça de Charlie. Sorri. Isto pode ser divertido. Quantas vezes eu

puxo o gatilho antes de ela disparar? Ele apertou – o gatilho voltou-

Então Riley ver as notícias dele mesmo no peito de Charlie, ele sorrindo, um humano. E desisti

de suas tentativas com a arma.

CASA DA BELLA – SALA – NOITE

Bella entra pela porta da frente. A sala está vazia e quieta. Muito estranho. Até que…

Charlie – Edward poderia pelo menos respeitar as horas de refeições.

Bella se vira perplexa. Charlie está apoiado na porta da cozinha, mostrando seu relógio.

Bella – Na verdade, eu estava com o Jake.

Charlie (satisfeito) – Bom! Isso é bom.

Uma batida na porta. Charlie sabe quem é e volta para a cozinha com um pequeno sorriso no

rosto.

Charlie – Eu vou dar um pouco de privacidade pra vocês dois.

Bella abraça a si mesma. Abre a porta pra encontrar Edward.

Edward – Você tem idéia do quão preocupado eu estive?

Bella – Eu estava perfeitamente salva

Edward – Eu quase quebrei o Acordo pra ter certeza disso

Abruptamente ele pára. Inspira fundo. Seu rosto alarmado.

Bella – Eu sei, eu estou cheirando como um cachorro

Edward – Tem alguma coisa… Errada.

Ele entra na sala. Move-se rapidamente pelo primeiro andar olhando tudo. Charlie não o vê, ele

está concentrado na foto de Riley a qual o rosto foi rasgado.

Bella – O que? O que é?

Edward – Fique aqui.

E ele vai para o andar de cima. Ela corre atrás dele.

INTERIOR – QUARTO DA BELLA (CONTINUAÇÃO) – NOITE

Bella entra no quarto e vê Edward segurando o apanhador de sonhos.

Bella – Edward, o que há de errado?

Edward (carrancudo) – Alguém esteve aqui

INTERIOR – CASA DOS CULLEN – SALA DE ESTAR – NOITE

Edward passa, frustrado. Alice está estressada. Bella tenta pegar a conversa rápida

deles com Carlisle, Rosalie e Esme.

Edward – Não Alice, era um estranho – eu não reconheci o cheiro. (batida) Isso não

ajuda, Rosalie.

Bella – Vocês poderiam, por favor, conversar alto?

Edward – Desculpa.

Esme – Um nômade passando direto?

Rosalie – Um nômade não teria deixado o pai da Bella vivo.

Bella fica arrepiada com o pensamento. Esme passa um braço ao redor de Bella assim

que a porta é aberta brutalmente. Jasper entra.

Jasper – O cheiro dele desaparece a mais ou menos 8 quilômetros ao sul da casa da

Bella.

Edward – Alguém orquestrou isso.

Carlisle – Victoria.

Edward – Não, deve ser os Volturi.

Bella – Verificando se eu fui transformada?

Alice – Não creio que foram os Volturi também. Tenho acompanhado às decisões de

Aro.

Emmett – Vamos pegar esse tolo e arrancar dele algumas respostas.

Carlisle – Precisamos também criar rondas pela casa da Bella.

Rosalie – Mais uma coisa? (como um deboche)

Esme – Rosalie!

Bella – Ela está certa. Vocês não podem tomar conta de mim e de meu pai, procurar

os intrusos, caçar Victoria e se alimentarem. Seus olhos estão negros, há quanto tempo

não comem? Vocês já estão muito ocupados me protegendo.

Edward – Não vou deixar você cuidar de si mesma.

Bella – Não vou deixar você morrer de fome.

Uma pausa. Surge uma idéia. Ela olha para ele com um brilho de otimismo estampado

no rosto.

Edward (Desconfiado) – O que?

CASA DA BELLA – PARTE DA FRENTE DO QUINTAL – DIA

Edward fica no meio-fio, congelado, sem piscar, observando a porta da frente.

Finalmente a porta se abre. Bella sai. Atrás dela, Jacob.

Edward encontra-os no meio do caminho. Edward é calmo e calculista. Jacob é

cabeça-quente e rabugento.

Jacob – Quem quer que fosse, ele deixou para trás o seu fedor. Vai ser difícil perde-lo quando

cruzarmos novamente.

Jacob (Para Edward) – Cuidaremos disso a partir daqui.

Edward – Nós não precisamos de você para “cuidar” de nada. Ou alguém

Jacob dá uns passos em direção a Edward, que não se move

Jacob – Eu não poderia me importar menos, com o que você precisa.

Bella se move entre eles.

Bella (forçando entusiasmo) – Ótimo, então, vamos todos trabalhar juntos. -Hey, todos nós

temos os mesmos objetivos, certo? Apanhar os vampiros maus.

Jacob – como não há uma distinção

Edward – Jacob, eu sinto que um dia você e eu teremos uma conversa. Isso que eu—

Bella tenta separá-los empurrando-os, é como empurrar um pedregulho.

Bella – Parem!

Jacob rosna. Edward apenas olha para ele.

Bella – Parem com isso. Estou cansada de estar no meio de uma disputa territorial entre

criaturas míticas. A partir de agora estou Suíça, ok?

Jacob começa a falar

Bella – Eu não espero que vocês joguem futebol juntos. Ok. Mas nós temos muitos problemas.

Bella – E isso é uma solução temporária. Vocês estão dispostos a última tentativa?

Uma longa, tensa pulsação. Finalmente, Edward acena. Então Jacob.

Bella – Certo, assim vocês precisam coordenar. Vocês sabem, horários e comida.

Ninguém diz nada. Bella suspira. Vira-se para Jacob.

Bella – Seu bando prefere dias ou noites?

Jacob (suspira): Noites.

Bella (para Edward): Sua família trabalhará de dia? – largo aceno de Edward – Bom. Viram? O

quão difícil foi isso?

Agonizando. Bella retira-se, determinada a fazer essa trégua funcionar.

PONTO DE VISTA DA BELLA – EXTERIOR CASA DA BELLA – NOITE.

DE CIMA, olhando para o escuro, floresta silenciosa além do jardim. Quietude. De repente, nós

vemos um movimento nas árvores, ENTÃO, DOIS OLHOS CINTILANDO a espiam, pertencentes

a… Um LOBO evitando ser observado na beira da linha de árvores. Olha para —

INTERIOR DA CASA DA BELLA – NA BELLA (CONTINUAÇÃO) – NOITE.

Ela fica na janela, olhando para seu protetor. Então, em contraste com o perigo que a rodeia, —

Angela (O.S.) – U.W enviou para mim e Eric, nossas especificações de dormitório ontem…

Bella volta para o quarto onde Angela encontra-se no chão, uma enorme pilha de anúncios de

graduação na pilha dos concluídos. Angela é alegremente ignorante da situação de Bella.

Angela – Eu estou o mais distante do dormitório do campus. Eric está no mais próximo claro.

Alaska tem ordenado seus dormitórios ainda?

Bella olha para ela, com saudades já. Ela está perto de Angela, pega um cartão de endereço.

Bella– Ainda não.

Angela – Onde Edward está essa noite, de qualquer forma?

Bella – À procura de problemas.

Angela ouve preocupação na voz da Bella.Olha para ela.

Angela – Alguma coisa errada?

Bella – Não, por quê?

Angela – Um, Edward está sempre com você. Dois, você fica olhando pela janela

como se estivesse esperando que ele aparecesse com uma banda de Mariachi.

Bella – Angela,se Eric fosse, secretamente um membro dessa… Gangue violenta… E seu

irmão estivesse nessa outra gangue, e eles quisessem matar um ao outro, e você não

pudesse contar a ninguém?

Angela, levemente confusa,observa sentada.

Angela – Tudo bem, você não precisa falar sobre isso.

Bella – Não há nada que… (batida) Quero dizer, há algo, mas…

Como ela podia falar sobre isso? Bella pensa, então senta, de pernas cruzadas, escolhendo suas

palavras cuidadosamente.

Bella – Certo. Você se lembra de Jacob Black?

Angela – Ah, Edward está com ciúmes.

Bella (surpresa)- Você diz isso como se fosse óbvio.

Angela (arrependida) – Oh. Não é?

Bella – Edward só acha que Jacob é perigoso, algo assim… E uma péssima influência pra mim.

Angela sorri e balança a cabeça.

Bella – Que foi?

Angela – Eu tenho visto o jeito com que Jacob te olha. Edward também vê, e ele é só um

humano. Ele vai reagir como qualquer outro garoto.

Bella tenta esconder sua reação ao que Angela disse.

Bella – É… É mais complicado que isso.

Angela – Diga a palavra CIUMENTO, Bella.

Bella – Eu disse ao Jacob como eu me sinto. Ele aceita isso. Ele… Prefere ser apenas meu

melhor amigo a nada.

Angela – Tá. Então diga a palavra NEGAÇÃO.

Bella – Tá dizendo que sou idiota.

Angela – Só um pouco distraída.

Bella – Bem, eu não quero isso. Toda vez que faço um movimento, machuco alguém.

Angela – Eles já são grandinhos. Fazem suas próprias escolhas.

(depois) Não se preocupe. Isso vai se resolver sozinho. Não é questão de vida ou morte.

Bella olha de relance pela janela, pra sua realidade.

Anúncios