Tags

, , ,

 

Segue Abaixo O Roteiro Completo Do Filme Eclipse Traduzido

 

 

Cena externa Seattle – Vista aérea se aproximando da cidade – Noite

Externa Pike Place Market, Seattle – Noite, 1 ano atrás

A chuva cai em camadas, batendo nos paralelepípedos.

Luzes brilhantes dos bares em volta, refletindo nas pedras molhadas. O baque

maçante de uma música de rock sopra para fora. Uma porta de bar se abre – a

música explode momentaneamente para fora enquanto um homem jovem sai.Ele é

Riley, 22 anos, amável, bonito, um estudante de universidade cheio de

compromissos.Ele para embaixo de um abrigo, preparando-se para encarar a

chuva. Ele suspende uma bolsa de carteiro sobre os ombros, carregada com

grossos textos escolares.Ele acena para seus amigos na janela, antes de enfrentar

o aguaceiro.

Bella (V.O.) ** voz da Bella

”Alguns dizem que o mundo vai acabar em fogo.

Alguns dizem que será em gelo…”

Outra rua – escura, deserta. Riley caminha até ela.

De repente, uma sombra passa voando por ele, se movendo com velocidade inumana. Riley

para… O que é isso? Enervado, ele apressa os passos, para virar a esquina, mas de

repente… Algo pula sobre ele, lançando-o contra o chão! Se move tão rápido, que nós, de

novo, vemos apenas uma breve sombra. Riley está em pânico agora.

Riley – Quem está aí?!

Sem resposta. Riley parte repentinamente para uma direção diferente.

De novo outra rua – Riley corre, indo rumo ao fim da rua em que se destaca um

prédio com um lobby iluminado brilhantemente e um guarda. Segurança…

Mas alguma coisa agarra ele pelo pescoço e lança-o dentro de uma janela do

prédio. Que se quebra. Riley cai. A sombra não deixa ele alcançar o guarda.Riley

está assustado de novo pela força dessa criatura. Ele joga sua bolsa de livros e

cambaleia para fora, correndo por sua vida para uma rua diferente. Ele olha por

cima do ombro, tropeçando, desesperado.

Externa – margem do lago/mar (Continuação) – Noite

Riley se encontra a bordo de um passeio deserto. Por trás das grades, água negra.

Um fim mortal.

Ele vira pensando que está completamente sozinho. Ele havia sido atraído pra lá. Ele procura

na escuridão por o que estava perseguindo ele.

Riley – O que você quer?! Porque está…

Uma sombra corre atrás dele. Riley joga suas mãos para trás.

Riley – Oh Deus!

Ele agarra sua mão que dói, olha para ela e descobre a marca de uma lua crescente na

palma, sangue escorrendo. Ele havia sido mordido.

Sua confusão e terror transformam-se em agonia enquanto o veneno da mordida percorre

seu braço. Riley cai de joelho gritando em dor. Depois cai no chão, contorcendo-se, o veneno

se espalhando pelo corpo, transformando ele, matando sua humanidade.

Seu torturante grito se torna inaudível quando ele pressiona a marca em sua mão, até que

escutamos…

Bella (V.O.) ** voz da Bella

“Do que já provei do desejo, eu guardo com aquele que favorece o fogo. Mas se eu tiver que

perecer duas vezes…”

CORTA PARA – Palma da mão da Bella – na sua cicatriz de meia lua – tão branca que já é

uma pálida ferida. Os lábios de Edward se movem para a cicatriz, a beijando.

CLAREIRA – DIA (PRESENTE)

Bella e Edward estão deitados na grama. Bella lê em voz alta poemas do livro de Robert

Frost.

Bella – “Eu acho que sei o suficiente sobre o ódio para dizer isso, para destruição, gelo é

também bom, e bastaria…”

Edward provocante, empurra o livro para longe e se move para beijá-la. Ela o pára.

Bella – Prova final de inglês. Presta atenção.

Ele sorri e a beija de qualquer jeito. O sol, brandamente, chega através das nuvens, a pele

de Edward brilha, fazendo com que o beijo pareça mágico. Ele se afasta sorrindo.

Edward – Case-se comigo.

Ela ri. Não é a primeira – nem a quinquagésima – vez que ele perguntou.Isto é claramente um

jogo ente eles.

Bella – Não.

Ele beija seu rosto.

Edward – Case comigo.

Bella – Me transforme.

Beija o pescoço dela.

Edward – De onde eu venho, esta é a única maneira de dizer, “Eu te amo”.

Ela carinhosamente o empurra, e pula.

Bella – De onde eu venho, é a única maneira de dizer, “Eu estou grávida.”

Ela começa a recolher seu casaco e seus livros.

Ele de repente está na frente dela – nós não vemos ele se mover. Ele brinca de tirar

as coisas dela.

Edward – Você está preocupada sobre o que as outras pessoas vão pensar.

Bella – Eu estou preocupada que dois de três casamentos acabem em divórcio.

Edward – O divórcio comparado com a imortalidade está numa categoria bem abaixo.

Eles estão a centímetros de distância, o jogo prendeu a atenção deles.

Edward – Case comigo

Bella – Não ainda (continua) Já é a quarta vez. Eu deveria ir direto de casa para a

escola.

Ele a puxa para perto. Beija ela.

Edward -Você vai chegar a tempo. Não darei à seu pai outra razão para me odiar.

Enquanto ele facilmente a põe nas suas costas.

INTERIOR DA CASA DA BELLA – DIA

COMEÇA NO CHEFE CHARLIE SWAN, ainda de uniforme depois de um dia na

delegacia. Suas sobrancelhas estão franzidas de preocupação enquanto ele lê o

_Seattle Times.

MANCHETES – “Assassinatos, Desaparecimentos, Possível Trabalho de _Serial

Killers…” etc.

O artigo o preocupa. Ele olha seu relógio – assim que A PORTA DA FRENTE

ABRE. Bella entra, joga no chão sua mochila. Charlie está olhando seu relógio.

Charlie – Quatro horas em ponto. Ele tem um cronômetro ou coisa assim?

Bella – Seu nome é Edward. E agora ele é pontual demais para você?

Quando ela começa a caminhar para as escadas…

Charlie– Espere um segundo, pode ser? Sente-se.

Ela para, então anda até uma cadeira, senta. Ele olha ela.

Charlie – Você entende porque está sendo punida, certo? Três dias. Nenhuma palavra.

Você volta para os braços do Edward como se nada tivesse acontecido.

Bella – Sim. Sinto muito. Mas Edward está na minha vida. Isso não vai mudar.

Charlie – Eu entendo isso. Então vou fazer um acordo com você. Sem mais castigo…

se você usar sua nova liberdade para ver seus outros amigos, também… Como Jacob.

Bella fica obscura; um assunto doloroso. Charlie nota isso.

Charlie – O quê? Edward não pode aguentar uma pequena competição?

Bella – Não há competição

Charlie – Bem, eu tenho certeza que Jake prefere ser ‘apenas amigos’ a nada.

Bella (levantando) – Então deveria retornar minhas ligações.

Charlie – Seu pai está preocupado com ele, Bells. Jake está realmente tendo um difícil

momento.

Bella pára. Machuca ouvir isso.

Charlie – Eu lembro quando foi com você. Você precisou de um amigo e Jake estava lá. Vale a

pena tentar mais uma vez por ele.

Quarto da Bella – Dia

Bella abre sua gaveta e tira de lá de dentro um bilhete. Está desgastado, já tinha lido várias

vezes. Ela abre o papel.

Dentro, a letra de Jake. Várias frases foram riscadas. Apenas uma no final é legível. “Eu

também sinto sua falta. Não mudou nada.”

Bella parece profundamente sentida e decide fazer algo. Ela pega seu fashion e desejável

celular Nokia da última moda e aperta um botão (discagem rápida). A palavra “Jake” aparece

na tela e possivelmente uma foto dele feliz, talvez antes de ter cortado o cabelo. Ela liga e cai

direto na caixa de mensagens.

Casa da Bella – Noite

Bella sai de casa e vai direto para sua caminhonete. Gira a chave e nada acontece. Tenta de

novo. Não liga. Com uma rajada suave de vento, de repente Edward está sentado ao seu lado.

Ela pula, recuperando o fôlego.

Edward – Você me deixou assustado (sem olhar para Bella)

Bella – Como você … ? Alice teve uma visão.

Seu rosto culpado é a sua resposta. Ele tenta fazer funcionar.

Edward – Eu estou assustado meus estudos nunca estiveram estendidos para consertar carros.

Apenas desabilitá-los. Eu mandarei Emmett olhar pela manhã.

Bella – Jacob pode consertar isso. Ele é bom com as mãos.

Edward parece calmo sobre isso

Edward – Os lobos não têm o controle sobre eles mesmos.

Bella – Ele nunca me machucaria.

Edward – Não intencionalmente.

Bella – Depois da graduação, eu serei uma de você e assim será. Ele irá me odiar para sempre.

Edward – Você tem que entender sua segurança… É tudo para mim.

Bella – Edward. Eu estarei segura.

Profundamente conflitado, ele olha para baixo com tristeza, renúncia.

Edward – Me desculpe.

Ela olha para ele. Então fica com raiva e abre a porta com força.

EXTERNA – CASA DA BELLA – NOITE

Bella sai da caminhonete e bate a porta violentamente. Edward aparece do seu lado.

Edward (batida, rasgada) -Eu quero que você seja feliz… (calmo)… Mas viver é mais

importante.

Frustrada, ela o empurra e vai para casa. Ele aparece na escada antes dela alcançálas.

Edward – Eu vou entender se você estiver com tanta raiva de mim para eu entrar no

seu quarto à noite. Apenas feche a janela.

INTERIOR – QUARTO DA BELLA – NOITE

NA JANELA ABERTA – Bella fecha e tranca. Batida. Outra batida. Então ela

destranca a janela e abre apenas um pouco. Olha para ela. Abre-a até o máximo.

INTERIOR – FORKS HIGH SCHOOL –CANTINA– DIA

Bella e Edward sentam com Angela, Eric, Mike e Jessica. Bella e Edward estão no

final, ligeiramente afastados. Angela está ocupada endereçando uma pilha de

envelopes de cartão de nota. Mike escreve o que ele está dizendo num bloco de notas

Mike – Meus colegas. Nós somos o futuro. Nada é impossível se nós apenas

acreditarmos, blah, blah, blah.

Ele arranca a página fora, entrega para Jessica

Jessica – Yeah, este será meu discurso. Se eu quiser que as pessoas atirem seus

diplomas em minha cabeça.

Ela amassa o papel. Lança para ele.

Mike – Você tem que abraçar os clichês, Jess.

Eric – Eles são o pão e a manteiga de todos os discursos de formatura.

Angela – É por isso que você não é o orador da turma.

Eric – Eu escolhi sair da parte política para ficar mais tempo com a família.

Bella – Jess não precisa de clichês. Ela vai arrasar nesse discurso.

Jessica – Arrasar? Eu vou mudar vidas!

Alice e Jasper de repente aparecem carregando bandejas com comida, que não

comem, e sentam-se à mesa.

Alice – Eu decidi dar uma festa.

Jasper – Afinal, quantas vezes nós nos formamos?

Edward abafa um sorriso.

Angela – Uma festa? Na casa de vocês?

Jessica – Uau. Eu nunca vi a casa de vocês.

Eric – Ninguém jamais viu a casa.

Edward – Alice, outra festa?

Alice – Vai ser divertido.

Bella– Foi isso que você disse na última vez.

De repente, Alice fica imóvel. Estava tendo uma visão. Mike não tinha percebido

ainda.

Mike – Bem, legal, é muito… Normal de vocês. Que horas?

(Alice não responde)

– Número da casa?

(Nada ainda de Alice)

– Levar algo? Salgadinhos?

Uma Alice abatida ainda olhava distante. Estranho. Bella olha para Edward, preocupada.

Edward dá de ombros – nada com o que se preocupar.

Edward – Acorde Alice.

Jasper – Ela não tem dormido muito ultimamente. Tremores do ultimo ano.

Isso soa estranho e fluentemente estranho vindo de Jasper, mas serve para quebrar o

momento.

NA ESTAÇÃO DO XERIFE – NOITE

Bella e Edward entram. Charlie está atrás do balcão conversando com um casal de meia idade,

DOUG & NANCY BIERS, cujas faces estavam cheias de dor e preocupação.

Bella – Então – o que foi aquilo no colégio? O que Alice viu?

Edward – Nada, algo sobre o Jasper. É inofensivo.

Bella – Não me parecia isso.

Edward – Eu só estava preocupado que as pessoas notassem o quão Alice é estranha.

Bella – Eu acho que essa oportunidade se foi há muito tempo atrás.

Charlie olha para Bella e Edward e sutilmente faz um gesto para que eles mantenham a

distância. Poderia ser interpretado como hostil.

Bella – Ele vai superar um dia. Não se preocupe.

Edward – Não. Não é isso que o está incomodando. Estas pessoas. O filho deles desapareceu.

Bella pôde ler os sentimentos deles pela face de Edward.

TSE – Blue Draft

Bella – Você sabe algo sobre isso?

Edward (concordando) – Seattle. Desaparecimentos inexplicáveis, assassinatos – nós

estivemos acompanhando isso por um tempo.

Bella – Sério? Você acha que…

Edward (concordando) – Esse tipo geralmente fica com as vítimas que eles não querem matar.

Ou então eles se mudam rapidamente pra outro lugar.

Bella – Você disse – se vampiros matam tão notavelmente – se os Volturi interferirem – (desvia

o olhar) — Mas se eles forem pra Seattle, eles podem vir pra cá, e verão que eu ainda sou

humana –

Ele se dirige à ela, forte, tentando tranqüilizá-la.

Edward – Nós não vamos deixar isso chegar tão longe. Nós vamos te proteger, custe o que

custar.

Charlie – Pronta Bella?

Charlie se aproxima enquanto Bella assiste ao carro fúnebre saindo.

Charlie – Eu ligo se souber de mais alguma coisa.

Charlie coloca uma fotografia no seu estojo. É Riley, percebe-se pela abertura do estojo.

Bella – Pai…

Edward – Apenas deixando a Bella em casa, senhor. (e olhando pra Bella) Te vejo amanhã.

(vira, mas volta-se) Oh. Bella, meus pais queriam que eu te lembrasse sobre a passagem que

eles te deram no seu último aniversário.

Bella encara ele com suspeita, mas Edward aparenta não estar tramando nada.

Charlie – Que passagem é essa?

Bella – Uma viagem pra Florida pra visitar a mamãe.

Charlie – Isso foi… Generoso.

Edward – Vai expirar logo. Eles pensaram que você poderia usá-la nesse final de semana.

Bella – Eu não posso largar tudo e ir.

Edward – Poderia ser sua última chance de visitar sua mãe antes que você… Antes da

formatura.

Aquilo mexeu com ela.

Charlie – Não te machucaria viajar por alguns dias. Tire algum tempo longe.

Bella – Eu adoraria ver mamãe. Talvez eu vá… (olha para Edward) se você usar a outra

passagem.

Charlie – Espera, tem duas passagens?

Close no rosto de Bella, iluminado pela branda luz do sol.

Corta para Florida – BANGALO PRAIA RENNEÉ – Dia

O rosto de Bella está erguido banhando-se com o sol quente.

Renee – Não vai sentir falta disso?

Renee aparece na tela. Elas estão deitadas em espreguiçadeiras muito próximas na varanda do

bangalô.

Renee – Esse calor na sua pele. A vitamina D entrando nos seus poros.

Bella – Vou sentir falta sim.

Renee – As faculdades da Florida são geniais (mostra o olhar de Bella). O que? Eu nunca vou te

ver se você for para a Faculdade do Alaska.

O que era pra ser. Culpa caiu sobre Bella. Ela pega a mão de Renee, brincando com o bracelete

em seu pulso, tentando absorver o máximo de sua mãe como do sol.

Bella – Eles têm um ótimo programa científico.

Renee – Se programa cientifico quer dizer Programa de Edward.

Renee cutuca Bella que sorri e olha para dentro da casa. Através da janela Edward está

sentado numa poltrona com uma perfeita visão de Bella. Ele oferece um pequeno aceno e

então volta para a conversa que está tendo com Phil, que descansa no sofá.

Volta para Bella e Renee.

Renee aperta a mão de Bella um pouco e então olha para Edward.

Renee – A maneira como ele te olha. É como… Se estivesse preparado para se colocar à sua

frente e tomar uma bala em seu lugar ou algo assim.

Bella – Isso é ruim?

Renee – É… Algo intenso. E você, você é… Diferente com ele. Se ele se mexe, você mexe, como

se fossem ímãs.

Bella – Nós apenas estamos, você sabe…

Renee – Apaixonados, eu sei. Eu só quero ter certeza que você está fazendo as escolhas certas

para você. Porque você é a única que irá viver com eles.

Bella pensa nisso – sua escolha é muito maior do que mera geografia local. Renee vê a face

dela com uma sombra.

Renee – Certo, chega de tristeza

Ela se debruça pra debaixo da espreguiçadeira e pega uma larga caixa.

Renee – Feliz graduação!

Ela põe a caixa no colo de Bella. Bella está desanimada.

Bella – Mãe, eu pedi a você que não gastasse seu dinheiro.

Renee – Eu não gastei, juro.

Bella abre a caixa – Para encontrar uma colcha. Quando ela desdobra, percebe o que é, se

emociona.

Bella – Nossas camisetas de viagem!

Renee – Pensei que elas podiam fazer uma ótima colcha. Para mantê-la aquecida aqui.

Revelam que cada quadrado da colcha é cortado de camisas compradas em várias estradas e

atrações em torno das Américas. Renee aponta.

Renee – Lembra dessa aqui? De Ensanada

Bella – Da fazenda de Saul’s Snake e Taqueria –

Renee – Só Deus sabe o que havia naqueles tacos.

Bella (em outro retalho)- A lagosta de três cabeças do Maine! Aquilo te deu pesadelos…

Renee– Mas você estava toda, “Wow, legal!” Já era uma nerd da ciência aos dez anos.

Ela riem juntas, lembrando seus passados.

Bella– Isso é maravilhoso, mãe.

Renee– Vamos adicionar a isso quando você tiver filhos. Vamos levá-los ao mais alto pote de

ketchup. E o museu de arte de chiclete…

Renee põe a colcha em volta de Bella.

Renee – Eu não queria que você fosse ao Alaska sem mim – ou uma parte de mim.

De repente Bella a abraça como se fosse a última vez, e talvez seja.

Bella – Vou sentir sua falta. Muito.

Renee fica surpresa com a emotividade de Bella, mas a abraça de volta. Fora das duas…

EXTERIOR – FLORESTA – NOITE

Começa na Alice – seus olhos vidrados, atentamente vendo algo em sua mente. A floresta é só

nevoeiro e sombras – um forte contraste a clara cena anterior.

Inclui Emmett, então Jasper. Então os outros Cullen, Carlisle, Esme e Rosalie. Eles estão

espalhados, ainda como estátuas, esperando Alice, preparados para pular .

Jasper– Tem certeza que é aqui que você a viu?

Alice – Ela está quase lá…

EM OUTRA PARTE DA FLORESTA

Close em um par de pés femininos em botas encharcadas correndo na chuva. Mas eles vacilam,

vagarosamente até parar… E não é nem outro, é VICTORIA! Ela inala… Algo cheira ruim. Ela

abruptamente dispara para outra direção –

Close em Alice. Ela vira para Emmett.

Alice – Na sua esquerda

Emmett ataca a sua esquerda, Rosalie está bem atrás dele. Jasper e Carlisle se afastam, e vêem

Victoria indo embora, Esme e Alice seguem na retaguarda dela.

Corta com Victoria disparando pela árvores, tensa mas não com medo. Escapar é no que ela é

boa . Ela alcança –

UM BARRANCO– ela não para, ela atravessa ele – Carlisle para perto , grita para Emmett e

Rosalie

Carlisle – Espere ! Ela está nos territórios deles.

Rosalie – Ela fugirá.

Jasper (escuta algo) – Não ela não vai.

AO OUTRO LADO DO BARRANCO – Três lobos gigantes entram em cena e pegam a caçada de

Victoria. O líder é preto , enorme (Lobo-Sam).

Seguem perseguições paralelas, os lobos e os Cullens em seus lados do barranco, quando nós

percebemos a linha demarcando os territórios.Victoria pula de volta –

Emmett – Você é nossa agora.

Emmett a segura pelo ombro e pelo cabelo! E Victoria usa o momento para sua vantagem e

arremessa-o contra uma árvore

Ela cruza pela segunda vez o território e entra na terra dos lobos. Emmett fica com raiva

Esme – Emmett, não

Mas Emmett, parecendo violento, voa por cima do desfiladeiro – no segundo que seus pés

chegam do outro lado – Paul-lobisomem se vira para encará-lo.

Há um momento de impasse. Seria simples o suficiente para Emmett neutralizar a situação

pular de volta – mas esse não é o estilo dele. Paul rosna com desafio. Isso só faz Emmett sorrir.

No ângulo de Vitoria, a uma distância segura agora. Ela diminui a velocidade, olha para trás,

surpresa por ver o que está acontecendo. Ela estuda o conflito com curiosidade, sua mente

trabalhando…

Paul e Emmett atacam um ao outro. BAM! Eles rolam uma dúzia de jardas* pela lama

(Alternadamente, para efeito, nós cortamos da sua cacofonia, causando (?) impacto)

* unidade de medida usada nos EUA

EXT. – FORKS HIGH SCHOOL – ESTACIONAMENTO – MANHÃ

Edward estaciona seu Volvo em uma vaga do estacionamento.

INT. – VOLVO DE EDWARD (CONTINUAÇÃO) – A MESMA

Bella no assento de passageiro, tristeza em sua face. Edward acaricia seu rosto, a confortando.

Edward – Você está triste porque foi?

Bella – Não. Foi bom ver minha mãe. Apenas… Difícil dizer adeus.

Edward – Isso não tem de ser um adeus.

Bella – Era por isso que você queria que eu fosse? Esperando que eu mudasse de idéia?

Ele dá um sorriso suave.

Edward – Eu sempre estou esperando isso…

Ele olha abruptamente para cima, enrijecendo. Escutando algo.

Bella – O quê?

Edward – Você vai continuar no carro se eu pedir para você continuar?

Ela olha pra ele, depois abre sua porta.

EXTERNA – ZONA DE ESTACIONAMENTO DA ESCOLA(CONTINUAÇÃO) – DIA

Bella e Edward saem do Volvo para VER Jacob descer da sua motocicleta e caminhar em

direção à eles. Ele usa uma camiseta preta apertada, jeans manchados de graxa. Sem jaqueta

no frio.

Sua expressão dura faz com que os outros estudantes abram caminho pra ele. Ele quase parece

perigoso. Mas Bella está encantada.

Bella – Jake!

Edward súbita e proteção, puxa Bella pra trás. Estudantes assistem a uma distância, longe do

alcance da voz.

Jacob – Charlie disse que você deixou a cidade

Bella – Pra ver minha mãe. Por quê?

Edward – Ele está aqui pra ver se você continua humana

Jacob – Você quer ler minha mente? Desfrute.

Jacob se concentra em alguma coisa, e de repente Edward parece estar aflito.

Bella – O que você está fazendo?

Jacob – Apenas dando uma caminhada por memórias passadas.

Edward – Ele está me lembrando. Do que você parecia quando eu fui embora.

Bella – Jacob. Por favor.

Anúncios